Geral

Advogada traída pelo marido divulga vídeo na web. Caso gera processo

Imprimir

O escritório de Vivian Almeida de Oliveira limita-se a uma sala de aproximadamente 20 metros quadrados. A advogada divide o espaço com a secretária, em um prédio na região central de Sorocaba, interior de São Paulo. O traje social e uma atitude arredia sugerem uma postura discreta, bem oposta ao divulgado por ela em um dos vídeos mais acessados no site Youtube nos últimos dias.


Vivian é a mulher traída de Sorocaba que fez de seu drama pessoal um mini-reality show. O vídeo de 10 minutos mostra uma espécie de acareação entre ela e Juliana Cordeiro, a ex-melhor amiga e amante de seu marido, o revendedor de carros Cícero.


Foto:Ultimosegundo



Talvez o “sucesso de público” esteja ligado ao ridículo: além de detalhes sexuais picantes revelados sem meias palavras, as duas terminam a conversa no chão numa sequência de tapas e puxões de cabelo. Vivian ameaça contar tudo para o marido de Juliana, Fabio Cordeiro, dono de uma rede de lojas de pneus e muito popular na região.


O pouco tempo que o vídeo ficou na página pessoal da advogada foi suficiente para a cópia e multiplicação das cenas. Hoje, no site Youtube, é possível ver e rever a briga nas mais variadas edições, trilhas sonoras e legendas.


Com 690 mil habitantes, Sorocaba tem porte de cidade grande, mas guarda costumes típicos do interior paulista. Os personagens pertecem a alta classe social da cidade e foram facilmente reconhecidos. Pelas ruas, é possível escutar diversos comentários sobre o caso. “Você viu o vídeo?” é uma pergunta retórica entre os sorocabanos. Os moradores brincam, mas poucos manifestam oposição ou defesa em relação aos casais envolvidos. A grande maioria critica a humilhação em praça pública, comum no século 19, e agora gerada pela divulgação do vídeo na internet.


“Não entendo qual a necessidade de expor uma traição dessa forma, em rede nacional. Fiquei chocada. No interior tudo mundo se conhece”, declara uma funcionária de uma banca de jornal, próxima a uma das lojas de Fabio Cordeiro, marido de Juliana.


Na região central, onde Cícero e Vivian trabalham, as pessoas comentam não apenas o caso, mas a presença em massa de jornalistas, interessados nos possíveis desdobramentos da história. Dois jornais locais noticiaram apenas a repercussão do vídeo na internet. Um terceiro, porém, mantém os casais como personagens fixos da coluna social.

Cícero pouco fala sobre o assunto. Ao ser procurado em sua loja, ele ameaça conversar, mas depois recua e afirma que não quer mais abrir sua vida. “Não tenho nada pra comentar, não quero mais saber disso”, explica.


Eduardo tem 29 anos e é filho do primeiro casamento de Cícero. Trabalha na loja de carros da família, mas não mora com o pai há mais de 12 anos. Sem restrições, o rapaz comenta com tranquilidade sobre o assunto e fala de Cícero, o marido traidor.


“Eram amantes, sim. Não sei há quanto tempo, mas eles são muito amigos, se conhecem há mais de 10 anos. O caso deve ter mais de cinco anos. Sei que a Juliana já tentou se separar antes disso tudo acontecer, mas o marido dela não aceita o divórcio. Mesmo depois do vídeo eles continuam juntos.”


Segundo ele, o pai até gostaria de explicar, esclarecer sobre a traição em rede nacional, mas só o faria junto com os demais envolvidos. “Ele até topa falar, mas quer fazer isso junto com os três, para esclarecer e acabar com isso de uma vez por todas”. A relação de amizade, porém, se perdeu na rede, junto com as cenas divulgadas.


Os comentários e as piadas, segundo o filho mais velho, são sempre relacionados à virilidade do pai, que viveu por no mínimo cinco anos entre duas mulheres bonitas da elite sorocabana. Segundo moradores, aos 18 anos, Juliana foi Miss Sorocaba, alguns anos antes de se casar. “Outro dia uma caminhonete cheia de mulheres passou aqui na frente da loja e gritou: Seu Cícero pistola de ouro”, revela Eduardo, com um largo sorriso.


O rapaz não condena e vê com naturalidade a traição do pai. Nas estatísticas dele, “95% das mulheres e dos homens já traíram alguém ao menos uma vez na vida”. Teme, apenas, pela exposição de seus irmãos mais novos. Luana também é filha do primeiro casamento de Cícero, mas não tem assistido aos desdobramentos da história. A jovem, de 22 anos, faz faculdade em Santos, litoral paulista. “Não sei se minha irmã já viu, o que achou. Ainda não falei com ela.”


Cícero tem mais dois filhos, menores de 10 anos, fruto do casamento com a advogada. Eduardo zela pelos irmãos e se diz preocupado com a reação deles. Vivian, porém, garante que as crianças estão tranquilas. “Conversei com eles, expliquei o que ocorreu e graças a Deus eles já estão de férias e não terão que lidar com isso dentro da escola.”


Fama e anonimato


Apesar da polêmica, a advogada demonstra pouco arrependimento. “Não digo que me arrependo, mas confesso que não ganhei nada com isso.” Segundo ela, as cenas da briga tinham destinatários certos. A advogada revela que pretendia mostrar aos mais chegados, somente amigos, através do site de relacionamentos Orkut.


“Eu quis colocar no Orkut para alguns amigos assistirem, por uma questão pessoal minha. Não imaginava que a repercussão pudesse ganhar tamanha proporção. Achei que eu pudesse escolher para quem eu mostraria o vídeo, tanto é que retirei a gravação da minha página no mesmo dia. Coloquei na sexta-feira e apaguei pouco tempo depois.”


Vivian também não parece muito preocupada com a pirataria de sua produção caseira. Afirma que lida muito bem com a polêmica gerada na cidade e diz que é raro ouvir brincadeiras ou comentários a respeito do caso. “Aqui ninguém comenta comigo sobre isso não, viu?”


A cada esquina, os boatos ganham contornos maiores. Os moradores revelam um preço supostamente cobrado pela advogada traída para falar com a imprensa. Os valores oscilam entre 20 e 100 mil reais. Alguns homens, entre uma brincadeira e outra crítica, acreditam que em breve, a história ainda renderá o título de musa e convites para capas de revistas masculinas.


A filmagem caseira é um dos vídeos mais acessados na internet nos últimos três dias. O saldo da história, por ora, é de apenas um divórcio, a súbita fama de quatro pessoas e um boletim de ocorrência, relatando a agressão proferida por Vivian, feito por Juliana, na segunda-feira, dia 28, na Delegacia Seccional de Sorocaba. O B.O já foi encaminhado para a Delegacia da Mulher. De acordo com os policias de plantão, no mesmo dia, Juliana foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) e tem até seis meses para manifestar interesse em processar a agressora.


Vivian revela que se separou de Cícero no sábado passado, dia 26 de junho, um dia após brigar e publicar a discussão com Juliana. “Lógico que me separei. Você acha que depois de tudo isso eu faria o que? Se eu pudesse, teria jogado as malas dele pela janela no mesmo dia.”


Fabio e Juliana, porém, permanecem juntos e incomunicáveis. Nas duas lojas do casal, os funcionários estão bem instruídos a não passar nenhuma informação, telefone ou endereço, tampouco comentar sobre o drama.


Amigos próximos aos dois ajudam a manter alguma privacidade. Torcem para que tudo volte ao normal e que eles não mudem de cidade. “Se eles pensarem em sair, nós não vamos deixar. Queremos que continuem aqui e que a historia acabe”, comenta Nelson, proprietário de um comércio apegado à loja de pneus da família Cordeiro.


Cícero está morando sozinho, em uma de suas propriedades e segue a vida, driblando o assédio da imprensa e convivendo bem com a nova fama de garanhão. Vivian tenta reafirmar-se como advogada, mas concilia tranquilamente uma visita ao fórum e uma entrevista à imprensa. “Sou uma mulher de respeito. Tenho minha carreira, minha profissão. Não quero me promover”, assevera, encerrando a entrevista.


Fonte: Último Segundo

Imprimir