Cidadeverde.com

Jiboia é resgatada em teto de cozinha no bairro Mocambinho

Colaboração Izabella Pimentel 
bicharada@cidadeverde.com

Nsta quinta-feira (01), mais um resgate de um animal silvestre. Uma cobra, da espécie Jiboia, estava no telhado da cozinha de uma casa localizada no bairro Mocambinho, na zona Norte de Teresina.  

"A dona da casa viu a cobra e eu fui acionada para fazer o resgate", conta Jacqueline. A moradora ficou assustada quando viu a jiboia porque na casa, além de seus pais, também mora seu filho, um bebê de dois meses. 

"O bebê estava no quarto e a cobra na cozinha. Ela tinha acabado de comer um rato", detalha Jaqueline. A bióloga conta que o resgate foi um pouco complicado porque a jiboia estava entre as ripas do telhado. [veja o vídeo abaixo]

"Fiz com maior cuidado para não deslocar a coluna vertebral do animal", disse Jacqueline. A jiboia resgatada tem cerca de 1 metro e meio, não é venenosa, mas pode matar uma pessoa por sufocamento. 

"Ela estava na casa, certamente, para equilibrar o número de roedores", acredita Jacqueline. Nesta sexta-feira (3), a cobra será levada para o Jardim Botânico do bairro Mocambinho. 

 

bicharada@cidadeverde.com

Câmara aprova em 2º turno PEC que viabiliza prática da vaquejada

Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (31), em segundo turno, uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que viabiliza a prática da vaquejada.

A PEC estabelece que "não são cruéis as práticas desportivas que utilizem animais, desde que sejam manifestações culturais". O texto já havia passado pelo Senado e segue agora para promulgação do Congresso Nacional.

O texto foi aprovado nesta quarta por 373 votos favoráveis e 50 contrários (6 abstenções). Por se tratar de uma mudança na Constituição, eram exigidos, ao menos, 308 votos para a aprovação.

Em outubro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou uma lei do Ceará que regulamentava esse tipo de prática por entender que a atividade impõe sofrimento aos animais e fere os princípios constitucionais de preservação do meio ambiente.

Na vaquejada, um boi é solto em uma pista e dois vaqueiros, montados em cavalos, tentam derrubar o animal pelo rabo.

Diante da decisão do Supremo, o Congresso aprovou, um mês depois, uma lei que tornou a vaquejada manifestação cultural nacional e patrimônio cultural imaterial. Ainda em novembro de 2016, o presidente Michel Temer sancionou a lei.

A PEC aprovada

O texto aprovado em segundo turno nesta quarta também diz que as manifestações culturais envolvendo animais "devem ser regulamentadas em lei específica que assegure o bem-estar dos animais envolvidos".

Defensores da proposta ressaltaram durante a sessão a relevância cultural da vaquejada e afirmaram que os animais são bem tratados. O deputado Efraim Filho (DEM-PB) disse:

"Ninguém ama mais o seu animal do que o vaqueiro."

Por outro lado, partidos contrários à proposta, como a Rede, PSOL e PV, questionaram o fato de o Congresso resolver mudar a Constituição após o STF considerar a prática inconstitucional, além de considerarem que a prática gera maus-tratos aos animais. Ricardo Izar (PSDB-SP), então, declarou:

"Estamos regularizando a tortura e a crueldade aos animais. O Brasil está indo na contramão dos países desenvolvidos. Estamos legalizando a crueldade de uma prática medieval. A questão cultural também tem que evoluir".

 

Fonte: G1.

Filhote de Tamanduá Bandeira é apreendido na BR-343

Um filhote de Tamanduá Bandeira ainda com o cordão umbilical foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na noite deste domingo (28), em Teresina. O animal estava em um veículo que trafegava pela BR-343.

O carro era conduzido por um homem de 47 anos de iniciais E.F.R. O condutor não possuía autorização para transporte de animal silvestre e não soube responder a origem do animal. 

Segundo a PRF, para realizar o transporte deste tipo de animal, são necessários a Guia de Transporte Animal (GTA); a autorização do IBAMA e um atestado de sanidade expedido por médico veterinário. 

O animal foi entregue à Semar e posteriormente ao zoológico e o condutor teve lavrado o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). O Tamanduá está lista de animais com risco de extinção no Brasil.

Foto: PRF

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Apipa disponibiliza 10 filhotes de cães para adoção; veja como adotar

Por Maria Romero
bicharada@cidadeverde.com

 

A Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa) está disponibilizando para adoção 10 filhotes de cães Sem Raça Definida (SRD). Todos os animais estão vermifugados. Além dos filhotes, há cerca de 40 animais adultos e saudáveis à espera de um lar e de uma família.

Os interessados em adotar um dos bichinhos devem procurar a sede da Apipa, que fica na Rua Trinta e Oito, número 1041 - Loteamento Vila Uruguai - Bairro Uruguai (próximo à Uninovafapi). 

Para proceder à adoção, os futuros tutores precisam portar xerox dos seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência e uma foto 3x4. A medida é importante para garantir a segurança e o bem estar dos animais adotados. A Apipa pode fazer visitas após a adoção, como medida de combate aos maus tratos. 

A Associação recebe a comunidade das 14h às 16h, todos os dias. Atualmente, o abrigo possui mais de 380 animais, entre cães e gatos adultos e filhotes. Além da adoção, é possível apadrinhar um animal, enviando uma quantia mensal que a associação utilizará no cuidado do bichinho acolhido. 

Como ajudar

A Apipa existe há nove anos resgatando animais, lutando contra os crimes ambientais e atuando por políticas públicas em defesa dos bichos. A entidade é mantida apenas com doações de voluntários e não recebe recursos públicos. 

Além de doações em dinheiro, a Apipa recebe ração para cães e gatos adultos e filhotes, material de limpeza e medicamentos veterinários. 

Para ajudar:

Contas Bancárias da Apipa

CNPJ: 10.216.609/0001-56

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Agência: 0855
Operação: 013
Conta Poupança: 83090-0

BANCO DO BRASIL
Agência: 3507-6
Conta Corrente: 57615-8

 

bicharada@cidadeverde.com

Cachorro de Kid Vinil se despede do dono e emociona em velório

Fotos: Eduardo Martins / AGNEWS

Dono de hits como Tic Tic Nervoso e A Gata Comeu, o cantor e compositor Kid Vinil faleceu nesta sexta-feira, aos 62 anos, vítima de complicações de um ataque cardíaco sofrido no mês passado.

O velório de Kid Vinil, que aconteceu neste sábado (20), na Assembleia Legislativa de São Paulo, foi marcado por muita emoção. Mas um momento, em especial, comoveu - e muito - os presentes: Cosmo, o cachorro do músico e jornalista, foi levado ao local para se despedir do dono

Cosmo foi ao velório com Jaime, amigo de Kid. O cachorrinho chegou bem perto do rosto do dono e passou a impressão de que realmente queria dizer adeus a ele.

A cena emocionou amigos e familiares de Kid Vinil. Kid e Cosmo eram muito próximos.

Depois de se despedir, o cãozinho ficou deitado ao lado do caixão. 


 

 

O artista nasceu em 1955, em Cedral, cidade do interior paulista. Foi vocalista da banda Magazine, e ganhou fama como um dos precursores do punk rock paulista. Depois de alguns anos no palco, Kid Vinil foi convidado para apresentar um programa na Rádio Excelsior, batizado com seu nome. Lá, o cantor deu espaço para grupos do punk rock e pós-punk paulistas.

Entre os sucessos de Kid, estão as músicas Sou Boy, Adivinhão e Glub Glub no Clube. Além da Magazine/ Verminose, Kid Vinil também fez parte das bandas Kid Vinil e os Heróis do Brasil e Kid Vinil Xperience. Seu último álbum, Kid Vinil Xperience, foi lançado em 2014, posteriormente a um DVD ao vivo, Vinil Ao Vivo.



 

Fonte: R7, Folha Max e Veja

Projeto busca conscientizar crianças da rede pública a combater tráfico de animais silvestres


Ave Jandaia Sol (foto: reprodução)

Conscientizar as crianças a combater o tráfico de animais silvestres e preservar a natureza. Esse é um dos principais focos do projeto Jandaia Sol, que será lançado nesta segunda-feira (22) em Teresina. 

Esse projeto de educação ambiental consiste em habilitar professores da rede pública de ensino para atuarem como difusores e multiplicadores das ações de conscientização, importantes no combate ao tráfico de animais silvestres, que, além de ser uma atividade ilegal e cruel, expõe os seres humanos a diversas doenças (zoonoses).

O Jandaia Sol, nome de uma ave símbolo de Teresina, será levado para dez escolas municipais, contemplando 7.100 alunos na faixa etária de 7 a 12 anos. Das escolas selecionadas, oito estão situadas na zona Norte, considerando que essa é a região onde existe a maior quantidade de parques ambientais e áreas verdes da cidade; as demais são da região Leste e Sul de Teresina.

Os educadores contarão com o suporte de vários materiais didáticos para sensibilizar seus alunos em sala de aula, a exemplo de gibis, vídeos, CDs, chapéus de EVA e joguinhos educativos.

De autoria da Superintendência do Ibama no Piauí, o projeto será desenvolvido em parceria com a Prefeitura de Teresina por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam).

A solenidade de lançamento será amanhã, às 8h30min, no auditório do Centro de Formação Odilon Nunes, bairro Marquês. 

Para o secretário da Semam, Olavo Braz, a questão do tráfico de animais silvestres, as doenças transmitidas pela aproximação do homem com essas espécies, a invasão e destruição do meio natural merecem uma maior atenção no sistema educacional. 

“Somente através da educação podemos reduzir os impactos ambientais gerados pelo tráfico de animais silvestres e as doenças ocasionadas pela aproximação do homem a essas espécies. A realidade quanto a essa questão ambiental é preocupante, por isso estamos dando essa atenção especial através desse projeto”, destacou o secretário.

 Premiação e publicação de livro

Os alunos, durante as intervenções pedagógicas, irão produzir redações e desenhos referentes ao tema do projeto. Ao final, serão selecionadas três redações e três desenhos. Os alunos autores serão premiados com tablets. 

Uma exposição será realizada com todas as produções dos alunos, sendo que serão selecionados 60 trabalhos para serem publicados no livro Jandaia Sol, com previsão de lançamento para o dia 04 de outubro, quando se comemora o Dia Mundial de Proteção aos Animais.

 

Com informações da Prefeitura de Teresina
carliene@cidadeverde.com 

Lana, a cadela ‘mais triste do mundo’, ganha nova casa

A vida de Lana, 3, tem sido de idas e vindas. Agora, no entanto, a cadela parece ter encontrado um lar definitivo.

Ela ficou conhecida em 2015, quando uma foto em que parece estar desolada em um abrigo viralizou. Por isso, foi chamada de a cadela ‘mais triste do mundo’.

A cadelinha nasceu no México e foi resgatada em situações precárias, ainda bebê. Levada ao Canadá, foi adotada e, à época da famosa foto, havia acabado de ser deixada no abrigo. Com um comportamento de defesa desenvolvido no comecinho da vida, teria mordido um dos tutores por comida. A imagem de Lana tristinha comoveu, e ela ganhou nova casa. Mas, recentemente, voltou a ser entregue ao abrigo pela outra família que havia se comprometido a cuidar dela.

Neste mês, uma notícia de que Lana entraria na fila da eutanásia se não encontrasse um lar se espalhou rapidamente, mas, segundo o grupo Rescue Dogs Match, ela não corria riscos desta vez. A ONG, do Canadá, chegou a escrever em sua página que não desiste de seus animais. Apesar de abandonada, Lana estava ali aguardando outra família.

Nesta semana, a ONG informou que a cadela já está com os novos ‘pais’. Agora ela mora em uma fazenda em Ontário. Ainda está em fase de adaptação, mas a torcida é grande para que ela não volte mais ao abrigo. 

 

Fonte: Folha.

Whindersson Nunes faz doação surpresa para ONG

No último sábado (13), a ONG Casa dos Anjos, de Macaé (RJ), fez um apelo no Facebook informando que os animais estavam passando necessidade. Nas imagens, alguns cães apareciam comendo biscoito para matar a fome, já que a ração estava chegando ao fim.

“A ração dos nossos cães acabou! Só temos 4 sacos para amanhã. ???????????????????? Precisamos da sua ajuda…Você pode fazer a diferença na vida de centenas de anjinhos. ???????? Você pode: ? Comprar sua doação pela internet e cadastrar para ser entregue”, dizia o post. O pedido comoveu o youtuber Whindersson Nunes.

Dois dias depois, a própria associação deu a boa notícia para os seguidores: o famoso doou R$ 10 mil para salvar os bichinhos. Veja!

Além da ajuda do comediante, doações foram enviadas de todo o Brasil, tanto em dinheiro, como em ração. Parece que todos ficarão bem por um longo período agora. 

Fonte: procura-se um cachorro

'Cavalos de lata' podem substituir jumentos em carroças no Piauí

Modelo simnilar ao que poderá ser adotado no Piauí 

O projeto que proíbe a utilização de asininos (jumentos) como propulsores de veículos movidos à tração animal já está tramitando na Câmara de Vereadores de Teresina para em seguida ser votado em plenário.
 
O texto do projeto Nº 74/2017, prevê a substituição dos veículos movidos à tração animal pelo chamado cavalo de lata, que é um veículo com estrutura metálica com carroceria para levar o lixo com a finalidade de acabar com a exploração dos animais e qualificar o trabalho dos catadores. 

Pelo projeto, o veículo, assim como a capacitação para seu uso, será subsidiado pelo município. A fiscalização da lei será realizada pelos órgãos competentes do executivo municipal. O animal que for encontrado sendo utilizado em carroças será retido pelo agente fiscalizador, que acionará o Centro de Zoonoses para recolhimento. O projeto prevê, ainda, multa a ser estabelecida pela prefeitura em caso de reincidência.
 
“O que não podemos mais permitir são os maus-tratos a esses animais, que são abandonados, machucados e muitas vezes desnutridos quando não têm mais força para suportar o peso da carroça. O executivo pode investir em qualificação ou até em subsidiar quem trabalha com carroça para que possam usar outros meios e trabalhar sem utilizar os asininos”, conclui a vereadora Teresa Britto, autora do projeto. 

 

bicharada@cidadeverde.com

Cadela acorrentada 'come' a própria pata para ficar livre

Uma cachorra foi resgatada após comer a própria pata para se livrar das correntes que a mantinham presa, em Missouri, nos Estados Unidos. O resgate foi feito pela organização Stray Rescue of St.Louis, que publicou um vídeo sobre o caso da cadelinha Treya, da raça american staffordshire terrier.

Após perder o dono, que morreu há cinco anos, Treya foi forçada a viver em um cubículo, completamente sozinha. O único contato dela com humanos era com vizinhos, que apenas a alimentavam. Ninguém conseguia soltar a corrente onde a cadela estava presa.

Confinada durante todo esse tempo, Treya roeu a própria pata para conseguir se movimentar pelo espaço de cerca de dois metros onde estava. Além do trauma, Treya estava com a doença do parasita no coração e uma grande infestação de pulgas.

A american staffordshire terrier foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros após um pedido de um morador da região e se recupera em uma clínica veterinária. Apesar da dificuldade de adaptação, hoje a cadelinha convive com outros animais. Assim que o tratamento terminar, Treya estará disponível para adoção.

 

Fonte: Extra.

Posts anteriores