Cidadeverde.com

No discurso o Governo reagiu

O Governo reagiu. Depois da eleição da Assembleia e os embates que vem ocorrendo, o líder do Governo na Casa deputado Fábio Novo (PT) respondeu as críticas sobre o estado de emergência decretado pelo governador Wellington Dias, na área da segurança pública. As críticas foram feitas pelo deputado Robert Rios.

Fábio Novo nada mais fez que o papel de líder do Governo, com dados e informações apresentou para a os deputados (principalmente os de oposição) que a crise na segurança. Disse que a responsabilidade da crise na segurança é das gestões dos ex-governadores Wilson Martins e Moraes Souza Filho.

Este foi o primeiro embate entre a oposição e o Governo envolvendo o tema que preocupa a todos a segurança pública. Na Assembleia Legislativa o Governo do Estado reagiu mostrou dados, falou de números e da situação da Policia Militar e apontou as providências que estão sendo tomadas para área.

A falta agora está reação acontecer na prática. 

Robert Rios critica falta de execução dos decretos de emergência do governo

Atualizada as 12h55

O deputado Robert Rios (PDT) ocupou a tribuna da Assembleia criticando a demora da posse dos secretários e cobrando a execução dos decretos de emergência nas áreas da Educação e da Segurança Pública.
  
Ele disse que não entende as emergências, se sequer os secretários foram nomeados. O parlamentar cobrou a Força Nacional que nunca chegou. 

“Se o governador estivesse realmente interessado em resolver esses problemas, ele já teria nomeado o secretário de Segurança, o deputado Fabio Abreu que conhece e entende da área e a deputada Rejane para Educação. Que emergência é essa que nem os secretários foram nomeados?”, questionou Robert Rios. 

O parlamentar fez um discurso longo e foi aparteado por vários deputados da oposição, mas nenhum deputado da base rebateu.

Neste momento, o líder do governo, deputado Fábio Novo está na tribuna. 

Os deputados do governo resolveram reagir e fizeram a defesa do governo na questão da segurança. O deputado Fábio Novo falou que o Estado precisou primeiro regularizar as contas, principalmente com fornecedores da Polícia Militar e o conserto de viaturas. 

 

Flash de Ubiracy Saboia
Redação Caroline Oliveira
redacao@cidadeverde.com

Nomes das comissões técnicas serão conhecidos na quinta

Atualizada às 19h20

A definição dos nomes das comissões técnicas da Assembleia Legislativa termina na manhã desta quinta-feira (26).  Decisão saiu depois de uma reunião realizada na tarde de hoje. Os lideres dos partidos deverão voltam a se reunir manhã de hoje  para indicar os nomes. O certo é a disputa entre o PMDB e o PT pela Comissão de Constituição e Justiça - CCJ não existe mais. As três principais comissões a CCJ, Finanças e Controle e a Comissão de Administração Pública  serão presididas pelas maiores blocos/bancadas. A CCJ deverá ficar com o bloco PT-PTB, (nome que deve ser indicado é do PTB), PMDB  e o bloco formado por PDT, PP e PRB dividirão as presidências das comissões de Administração Pública e a de Finanças e Controle  

O deputado Wilson Brandão (PSB) disse que toda definição acontecerá amanhã na reunião e  os partidos ou blocos com mais de três deputados indicarão o restante das presidências das outras comissões da Assembleia Legislativa.    

Comissões técnicas devem ser fechadas ainda nesta quarta

O presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho, confirmou que a formação das comissões técnicas da Casa está fechada. Segundo ele, as reuniões dos líderes partidários estão ocorrendo e nas próximas horas podem estar definidas. 

No entanto, falta somente o Partido dos Trabalhadores se pronunciar. 

Um dos projetos de Lei que espera a definição dos deputados é o reajuste no piso salarial dos professores, que obedece ao piso nacional e deve ser pago retroativo a janeiro. 

 

Governo deve controlar a contratação de comissionados

“82,6% - esse foi o percentual de redução dos cargos comissionados do Piauí entre dezembro de 2014 e janeiro de 2015. O número caiu de 4.871 para 844, segundo dados do Portal da Transparência. O total de contratados também caiu, para menos da metade: de 7.781 em dezembro para 2.368 no mês seguinte. A redução nos gastos públicos atingiu também a contratação de serviços prestados, mas com menor impacto. No mesmo período, os números passaram de 3.202 para 3.176.”

A informação acima está na coluna Economia & Negócios, assinada por Jordana Cury, no cidadeverde.com. E traz um dado interessante: o Estado reduziu drasticamente o numero de comissionados, não passou de um corte normal. Afinal de contas, com o fim da gestão de Zé Filho em dezembro de 2014 todos os cargos comissionados foram exonerados.

E a partir do mês de janeiro, com a posse de Wellington Dias os cargos comissionados voltam a ser preenchidos, para a composição da equipe de Governo. A redução na quantidade de cargos deu um alívio na situação das finanças do Estado e esta deveria ser tônica: o cuidado com as finanças públicas.

O Estado deve manter um olhar vigilante para não inchar a máquina pública. O inchaço provocado pela contratação descontrolada de comissionados pesa nas contas públicas e este peso  causa o desequilíbrio financeiro. 

Acordo acaba com disputa pela CCJ

 

Um acordo parece ter selado a paz entre o PMDB e o PT na Assembleia Legislativa, pelo menos para o deputado João Mádison - líder do PMDB na Casa.  O deputado Nerinho - PTB (foto) foi o interlocutor de uma conversa entre o PMDB e o PT, mais precisamente entre os deputados João Mádison e Fábio Novo. 

O deputado do PTB  costurou  a tentativa de um entendimento, onde os líderes dos dois partidos chegaram a um acordo prévio o PMDB indicará o presidente da CCJ e o PT o presidente da Comissão de Administração, no ano que vem quando as comissões serão renovadas, os farão um rodizio a Comissão de Constituição e Justiça será do PT e o PMDB ficará com a Administração.

Para João Mádison, a conversa foi uma prova de boa vontade dos dois partidos e que o PT e o PMDB querem que os projetos do Governo andem na Assembleia Legislativa. “Eu tenho palavra o acordo será cumprido”.

O deputado Nerinho que é alinhado ao deputado Fábio Novo no bloco do PT-PTB disse que a o acordo está sendo finalizado.  “Vamos esperar um documento redigido pelo deputado João Mádison e vamos analisa-lo e se tudo estiver do acordo a questão estará resolvida”,  falou Nerinho.

O deputado Francisco Limma (PT) disse apenas que o acordo está sendo encaminhado. 

Posts anteriores