Cidadeverde.com

Campus de Bom Jesus recebe seminário sobre Violência, Direito e Cidadania

O primeiro Seminário “Violência, Direito e Cidadania”, promovido pela Universidade Estadual do Piauí, por meio da Pró-reitoria de Extensão, Assuntos Comunitários e Estudantis, aconteceu na última sexta (15), no Campus Dom José Vasquez Dias, no município de Bom Jesus.  O evento contou com o apoio do Ministério Público através do Núcleo de Defesa da Mulher Vítima de Violência-Nupevid.

 O seminário abordou questões relacionadas à mulher no cotidiano, ligadas ao feminicídio, violência doméstica, estupro, e outras violências às quais o público feminino é submetido, conforme informações do Pró-reitor de Extensão, prof. dr. Raimundo Dutra. “Baseados na legislação brasileira, apresentamos os instrumentos que garantem o direito da mulher à proteção, ferramentas dos órgãos governamentais no combate às práticas, como também no atendimento e acompanhamento da mulher violentada. ”, explicou.

O público pôde acompanhar as palestras da Promotora de Justiça e coordenadora do Nupevid, Amparo Paz, sobre “Violência contra Mulher”, e da coordenadora estadual do Forúm das Mulheres no Mercosul, Joselda Nery, sobre “Direito e Cidadania”. Participaram também das discussões os órgãos representativos da comunidade: o Centro de Referência em Assistência Social-CRAS, a Coordenadoria de Mulheres de Bom Jesus e o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher do município, além de partidos políticos.

Amparo Paz falou que é essencial desconstruir a cultura do machismo e da violência contra mulher nesses espaços de diálogo.  “A comunidade vai ser multiplicadora desses temas expostos, promovendo uma cultura de paz e igualdade de gênero”, destacou.

Um fator positivo apontado pelo Pró-reitor Raimundo Dutra foi a grande participação de homens no evento. “ Eles estavam participando de forma ativa nas discussões. Mais uma vez, isso mostra que é uma preocupação de toda sociedade. E a população masculina tem entendido que deve se preocupar com esse problema”, afirmou.

Outros campi receberão o seminário ainda este ano:

Campus Heróis do Jenipapo, em Campo Maior: agosto
Campus Antônio Geovane Alves de Sousa, em Piripiri: setembro
Campus Poeta Torquato Neto, em Teresina: outubro.

 

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Polícia apreende quase 200 kg de maconha em assoalho de van

  • bc381413-2a86-4ba3-893f-bb2d058f9546_(1).jpg Polícia Civil do Piauí
  • 57cb6861-b7cb-4c58-bbf6-9e1c725056b7.jpg Polícia Civil do Piauí
  • ff59dd31-9f95-4921-9a5b-277b74df90331.jpg Polícia Civil do Piauí
  • 19b9bac9-e5fb-48d6-b75a-e7523f461467.jpg Polícia Civil do Piauí
  • 23950a51-5df0-4245-8069-70e5cf6488f6.jpg Polícia Civil do Piauí
  • 73787944-0b77-4b15-be89-2d9604ff2392.jpg Polícia Civil do Piauí
  • b2b0b224-bc0e-407f-a554-6eea94a465d7.jpg Polícia Civil do Piauí
  • b6ccc45f-2af6-4543-af16-1778016df883.jpg Polícia Civil do Piauí
  • bf08a99a-fdf6-4b53-905e-ea576a2e3d47.jpg Polícia Civil do Piauí
  • ff59dd31-9f95-4921-9a5b-277b74df9033.jpg Polícia Civil do Piauí

O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) apreendeu quase 200 quilos de maconha dentro de uma van na BR-135, no município de Bom Jesus, a 632 km de Teresina. A apreensão ocorreu por volta das 6h, desta sexta-feira (15). De acordo com o titular da Delegacia de Bom Jesus, Aldely Fonteneli, o entorpecente estava escondido no assoalho do veículo. 

Dois homens- que não tiveram a identidade revelada- foram presos e serão encaminhados para Teresina. A operação foi comandanda pelos delegados Carlos César Camelo, coordenador do Greco, e Genival Vilela. 

"A placa da van tem placa de Maracanaú- CE e ainda será apurado se a droga seria levada para Teresina-PI ou Fortaleza-CE. Os dois vinham da cidade de Rendenção do Gurguéia-PI e abordagem ocorreu na BR-135. Há informações de que esse entorpecente possa ter vindo da Bolívia", disse Aldely Fonteneli, que deu apoio a operação. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Sem exame de DNA, juiz adia sentença sobre estupro coletivo em Bom Jesus

Após ouvir testemunhas de acusação e de defesa, o juiz de Bom Jesus, Heliomar Rios Ferreira decidiu nesta terça-feira (12) adiar a sentença contra os quatros adolescentes suspeitos de estupro coletivo na cidade.

Hoje, após 4 horas de audiência de instrução e julgamento, encerrando por volta das 15h30, o juiz anunciou que aguardará o resultado do exame de DNA para sentenciar os envolvidos.

O material foi colhido e enviado a um laboratório da Paraíba. Não tem prazo de quando sairá o resultado. 

Cerca de oito pessoas foram ouvidas hoje no fórum de Bom Jesus. A primeira a prestar depoimento foi à vítima, a jovem de 17 anos. Ela reafirmou que não lembra do que aconteceu, pois estava em coma alcoólico. No dia 20 de maio, a adolescente foi encontrada seminua e amordaçada em uma obra em construção no Centro da cidade.

Além da vítima foram ouvidos Roberto Silva de Sousa, de 18 anos, o policial que fez o atendimento, psicólogos, médicos peritos e duas pessoas que socorreram a vítima.

“Não foi anunciada nenhuma decisão, pois o juiz vai aguardar o resultado do DNA”, informou Osório Filho, que defende dois adolescentes.

Durante a audiência, Osório Filho requereu um laudo com base em depoimento do maior. Ao falar para o juiz, o rapaz informou que durante o crime a vítima teria mordido a parte íntima de um dos menores. Segundo o advogado, o exame foi feito e deu negativo.

O advogado esclareceu ainda que os menores não negaram a realização do exame de DNA. Segundo ele, não havia informação sobre o motivo da mudança de Pernambuco para a Paraíba realizar os testes, mas após esclarecimento foi consentido à retirada do material.

Com o resultado do DNA em mãos, o juiz dará prazo para a acusação e defesa apresentarem suas alegações. Em seguida dará uma sentença condenatória ou inocentando os adolescentes.

 

Atualizada às 13h01

O julgamento do estupro coletivo contra a jovem de 17 anos em Bom Jesus segue sem o resultado do exame de DNA, teste que ajudará na confirmação do crime. 

Na última audiência, os quatro adolescentes suspeitos de participação no crime, autorizaram a realização do exame, no entanto, voltaram atrás e negaram o teste.

Diante da resistência, o juiz Heliomar Rios ordenou que o exame seja feito. A polícia já coletou o material e encaminhou para laboratório em Parnaíba.

 

Atualizada às 10h

O juiz de Bom Jesus, Heliomar Rios Ferreira iniciou por volta das 9h30 desta terça-feira (12) a audiência de instrução e julgamento do caso do estupro coletivo contra uma jovem de 17 anos. 

Durante o julgamento, o juiz e o promotor de justiça, Eduardo Palácio, ouvirá pela primeira vez a vítima. A jovem prestará depoimento em local separado dentro do fórum da cidade. Ela está acompanha da tia e da advogada.

Os quatros adolescentes suspeito do estupro também se encontram no fórum para participar do julgamento.

Durante a audiência, serão ouvidas as testemunhas do Ministério Público e da defesa. 

No último dia 20 de maio deste ano, a jovem foi encontrada amordaçada e com a boca cheia de pedaços de isopor para evitar que gritasse por socorro. Ela estava no chão em uma obra em construção no Centro da cidade. Seu pescoço estava mordido e amarrado com a própria roupa. Havia lesões nas mãos, cotovelos e costas. Ela foi socorrida por uma pessoa que morava próximo e levada desacordada para o Hospital da cidade.

Os detalhes do crime ela não lembra, tudo aconteceu com a vítima desmaiada. O relato acima é feito pela polícia após colher depoimentos da equipe médica, que atendeu a jovem, e do rapaz que a encontrou no dia do crime.

Todos foram chamados para prestarem depoimentos em juízo.

Aguarde mais informações

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Na véspera de julgamento, MPE nomeia promotor para acompanhar caso de estupro

 

Atualizada às 11h

A Procuradoria Geral de Justiça confirmou nesta segunda-feira (11) ao Cidadeverde.com que nomeou o promotor de Justiça, Eduardo Palácio, para acompanhar o julgamento do estupro coletivo em Bom Jesus. Até às 9h da manhã de hoje, o processo estava sem promotor. Com o afastamento da promotora Gabriela Almeida Santana, o caso já foi acompanhado por dois promotores diferentes. Na última audiência, o promotor foi Francisco Santiago.

Atualizada às 9h

A indefinição sobre que promotor acompanhará o caso do estupro coletivo em Bom Jesus (632 km de Teresina) pode prejudicar o processo. O juiz Heliomar Rios marcou julgamento para amanhã (12) no fórum da cidade, mas segundo apurou o Cidadeverde.com o caso está sem promotor.

Gabriela Almeida, promotora nomeada para o caso, falou ao site que não irá acompanhar o processo e que o procurador geral de Justiça irá designar outro colega.

“Será designado outro promotor e eu não estando na comarca fica complicado”, disse Gabriela Almeida que responde pelas comarcas de Pimenteiras e São Raimundo Nonato.

O Cidadeverde.com entrou em contato com o Ministério Público de Bom Jesus e foi informado ainda não foi designado nenhum promotor para acompanhar o caso do estupro coletivo, marcado para amanhã.

A Polícia Civil do Piauí investiga se uma jovem de 17 anos foi vítima de um estupro coletivo em Bom. Para o delegado que apura o caso, não há dúvidas de que quatro menores de idade e um rapaz de 18 anos violentaram a menina. Ele aguarda os resultados de exames de DNA para comprovar o crime coletivo.

A jovem de Bom Jesus foi encontrada seminua e amordaçada com a própria roupa no dia 20 de maio, numa construção no centro da cidade.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Polícia Civil apreende máquinas "caça-níquel" em Bom Jesus

A Polícia Civil do Estado do Piauí, após inúmeras denúncias e levantamentos, apreendeu máquinas “caça-níquel”, dentre outros materiais, em dois estabelecimentos comerciais na cidade de Bom Jesus (632 km de Teresina) que exploravam jogos de azar durante muito tempo. 

Diante disso, os homens identificados como Gilmar Paes de Miranda e Gesimar Alves da Silva foram conduzidos à Delegacia Regional de Bom Jesus e prestaram esclarecimentos sobre as atividades ilícitas. 

Segundo o delegado titular de Bom Jesus, Aldely Fontineli, as máquinas “caça-níqueis” eram de propriedade de um terceiro contraventor, possivelmente de Canto do Buriti (405 km de Teresina), que as entregou sob a condição de perceber parte dos lucros gerados por elas. 

"A Delegacia Regional de Bom Jesus continuará fiscalizando e inibindo a exploração da jogatina ilícita", declarou o delegado.

 

Com informações da Polícia Civil
redacao@cidadeverde.com

Juiz de Bom Jesus marca julgamento do estupro coletivo e ouvirá vítima

O juiz de Bom Jesus, Heliomar Rios Ferreira, marcou para o dia 12 de julho, uma terça-feira, a audiência e julgamento do caso de estupro coletivo contra a jovem de 17 anos.

O crime ocorreu no dia 20 de maio em Bom Jesus, cidade a 634 km de Teresina. A jovem foi encontrada seminua e amordaçada com a própria roupa em uma obra em construção no centro da cidade. Cinco pessoas são suspeitas de participarem do estupro coletivo –quatro são adolescentes entre 15 e 17 anos e um rapaz de 18 anos. Os adolescentes foram soltos pela Justiça e o maior continua preso no presídio do município.

A promotora Gabriela Almeida Santana comunicou que irá continuar no caso de Bom Jesus, mesmo respondendo por São Raimundo Nonato e Pimenteiras.

Na audiência, o juiz ouvirá a vítima, além das testemunhas da acusação, as de defesa, haverá o interrogatório e as alegações finais.

“No mesmo dia o juiz poderá dar a sentença ou deixará para depois. Nossa tese é que houve estupro coletivo com a participação dos cinco suspeitos”, afirmou a promotora.

Exame de DNA

Gabriela Santana disse que não há certeza se no dia do julgamento haverá o resultado do exame de DNA. O teste foi encaminhado a um laboratório da Paraíba e será fundamental para elucidar o crime em Bom Jesus.

O juiz Heliomar Rios já ouviu os quatro adolescentes no Fórum da cidade e eles negaram participação.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Promotor intervém e DNA de suspeitos de estupro coletivo será feito na Paraíba

Um mês após o estupro coletivo em Bom Jesus (a 634 km de Teresina), o exame de DNA – teste fundamental para comprovação do crime – ainda aguarda para ser feito. 

Essa semana, o material será enviado ao Estado da Paraíba, após o promotor de Justiça, Rômulo Cordão, que é filho da terra, intervir e conseguiu autorização para que o exame seja realizado de forma gratuita para o governo.

O diretor-geral de perícia do Instituto Médico Legal (IML), Antônio Nunes, informou ao Cidadeverde.com que o material já se encontra em Teresina, encaminhado pelo delegado Regional de Bom Jesus, Aldely Fontineli.

“Não enviamos ainda porque aguardamos a autorização dos quatro jovens para que o exame seja realizado. Sei que eles voluntariamente permitiram o exame, mas temos que seguir a lei. Peritos de Bom Jesus estão providenciando a documentação e creio que de hoje para amanhã enviaremos a Paraíba”, disse Antônio Nunes.

O exame de DNA dos quatro menores é para comprovar se houve participação deles no crime de Bom Jesus. Eles negam acusação. 

O teste de DNA é feito em Pernambuco, já que o governo do Estado tem parceria. No entanto, devido à intervenção do promotor Rômulo Cordão o exame será feito na Paraíba e terá um resultado mais célere.

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Governador Wellington Dias inaugura rodoanel de Bom Jesus

O governador Wellington Dias inaugurou, nesta sexta-feira (17), o rodoanel "Aldemar Moreno Benvido", no município de Bom Jesus, na microrregião do Alto Médio Gurguéia, a 635 km ao Sul Teresina. A via tem 6,54 quilômetros de extensão, e foi construída pelo Governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER).

Ao todo, o governo estadual investiu, na obra, recursos da ordem de R$ 7.304.870,84. Com a rodovia, melhora o acesso a cidades como Redenção do Gurguéia, Cristino Castro e Monte Alegre do Piauí.

De acordo com o governador Wellington Dias, a obra do rodoanel ajudará a desafogar o trânsito e a proporcionar mais segurança no tráfego de veículos, além de promover a economia da região.

"Bom Jesus é polo de desenvolvimento dos cerrados. O anel viário retira a circulação de carga pesada que desce para o cerrado. De um lado, as carretas que carregam soja, milho e algodão, de outro, as que trazem equipamentos, máquinas e adubo. O rodoanel também garante uma maior prevenção a acidentes de trânsito", afirma o chefe do executivo estadual. 

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Professores vão utilizar o teatro para melhorar ensino em Bom Jesus

  • mocha5.jpg
  • mocha4.jpg
  • mocha3.jpg
  • mocha2.jpg
  • mocha1.jpg

Professores e alunos no município de Bom Jesus (a 634 km de Teresina)  estão tendo a oportunidade de aprenderem técnicas do teatro para ajudá-los em sala de aula. 

Os cursos estão sendo ministrados por Moises Chaves, diretor do grupo de teatro da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). Produtor cultural e cantor, Moises informou que os cursos fazem parte do Pafor, que é um programa de formação criado pelo Ministério da Educação.

“O programa atende professores efetivos da rede pública que atuam sem a formação específica para a disciplina que ministram em sala de aula. É utilizar o teatro como ferramenta de ensino para os professores”, disse.

Haverá um minicurso de iniciação teatro com corpo, voz, história do teatro, jogos e improvisações.

Foram ministrados no campus da Uespi de Bom jesus, na quinta e sexta, 16 e 17.

O mesmo curso foi realizado também em Beneditinos.

“Existem professores que são extremamente tímidos, e isso quebra a socialização dos professores através do teatro, além de aproximar os alunos dos professores através da ferramenta teatral”, disse Moises Chaves.

O curso é realizado pelo Pafor, através da pro-reitoria de extensão. 

Aproveitando a sua estadia na cidade, a Secretaria de Cultura o convidou para realizar um curso de intepretação para o grupo de teatro da Paixão de Cristo da cidade, que realiza a via sacra há 14 anos no Salão da Serra.

O curso aconteceu no auditório do Espaço da Cidadania. 

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Dois são detidos no Piauí por conduzir ambulância sem CNH

Um homem- que não teve a identidade revelada- foi flagrando dirigindo uma ambulância sem ser habilitado. O flagrante ocorreu nesta quinta-feira (16), na BR-135, na cidade de Bom Jesus. 

No momento da abordagem, o condutor estava acompanhado de um outro homem de 25 anos, que possui CNH, mas não tem curso para condução de veículos de emergência, conforme exigido pela lei.

O veículo fazia o traslado de um corpo da cidade de Monte Alegre do Piauí para Canto do Buriti. Ao ser abordado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor habilitado disse que tinha dirigido o veículo por toda a noite e, como não tinha mais condições de dirigir, entregou a condução da ambulância para seu companheiro de viagem, que não possui CNH.

Ainda de acordo com a PRF, ambulância estava com o licenciamento vencido e com sistema de iluminação defeituoso.

Os dois foram detidos e assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). O veículo foi retido e encaminhado à Ciretran de Bom Jesus. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Posts anteriores