Cidadeverde.com

Prefeitura começa etapa de nivelamento de ruas na obra do Açude de Campo Maior

A Prefeitura  através da Secretaria de Infraestrutura concluiu mais uma etapa da obra de revitalização, limpeza e urbanização do Açude Grande de Campo Maior, considerado um dos mais belos cartões postais do Piauí.

O gerente de obras do município, Dibes Ibiapina explica que a etapa de ampliação do passeio do açude já foi concluída. Agora resta apenas colocar as lajes e fazer as colunas do passeio que ficará na região do paredão do açude. “No momento está sendo feito um estudo topográfico para o nivelamento da Avenida Alameda Dirceu Arcoverde, localizada próximo a antiga Aucam para evitar alagamentos”, disse o gerente.

A obra iniciou em novembro de 2015 e teve que ser interrompida por conta do inverno que chegou mais cedo que o previsto. Hoje, os serviços encontram-se em ritmo acelerado e a meta é além de limpar e urbanizar o açude, construir uma pista de caminhada, ciclovia sinalizada, implantar nova iluminação e construir píer flutuante para apreciação da paisagem.


Da editoria de cidades
cidades@cidadeverde.com

Prefeito decide cortar gratificações para garantir pagamento de salários em Campo Maior

O Prefeito Paulo Martins tem trabalhado para entregar a gestão para o próximo prefeito, professor Ribinha sem nenhuma dívida com relação a salário s atrasados.

Mas para isso tem tomado algumas medidas difíceis pressionado pela situação econômica que vive o país com queda de repasses aos municípios e pra piorar ainda existem os bloqueios judiciais que aumentaram nos últimos meses em virtude dos precatórios referentes a salários que não foram pagos pelas gestões anteriores.

Uma das medidas tomadas pela atual gestão foi o corte das gratificações que são adicionadas aos salários dos servidores, mas que não são pagamentos obrigatórios. “As gratificações são uma concessão do município e podem ser retiradas a qualquer momento. De 2011 para cá foram pagas uma série de gratificações dentro do programa de valorização do servidor, mas agora estamos na reta final de uma gestão e vivendo uma grave crise econômica”, explicou o Secretário de Relações Institucionais, Professor Cesar Robério.

O Secretário de Finanças garantiu que o salário dos servidores será pago e que o corte das gratificações não representa nenhuma perda salarial. “Não houve perda salarial, porque as gratificações não são consideradas salário e os servidores sabem que a qualquer momento pode ser retiradas”, justificou. 

Da editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Campo Maior conquista Selo Ambiental e terá o ICMS Ecológico

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí homologou nesta quinta-feira (01/12) o resultado do processo para seleção dos municípios que atendem as exigências previstas pela Lei n° 5.813/2008 para a melhoria da qualidade de vida, através da promoção de políticas e ações de gestão ambiental e confirmou Campo Maior e Teresina como vencedores do Selo Ambiental.

A classificação é feita de acordo com o número de itens atendidos num rol total de nove requisitos, a exemplo de gestão de resíduos, proteção de mananciais, redução do desmatamento, identificação e minimização de fontes de poluição, disposições legais sobre Unidades de Conservação da Natureza e política municipal de meio ambiente.

O município que atende no mínimo três itens recebe o Selo Ambiental como prêmio pelas ações que vem desenvolvendo para proteção do meio ambiente e recursos naturais. A premiação é feita em três categorias, sendo que quem atende a três itens é enquadrado na categoria C, quem atende a quatro requisitos fica na categoria B e para ser classificado na categoria A tem que atender pelo menos seis itens.

O repasse dos recursos do ICMS Ecológico é feito de acordo com a categoria na qual o município ficou classificado. Campo Maior ficou classificado na categoria B e Teresina na categoria A. Apenas os dois municípios conseguiram atender as exigências da lei.

O Prefeito Paulo Martins acompanhou o processo no plenário do TCE e teve a oportunidade de fazer a defesa de seu município. “Estamos cumprindo com as coisas que são corretas ecologicamente. A avaliação é referente a dois anos consecutivos, 2014 e 2015. Isso significa mais investimentos para melhorar a vida do povo de Campo Maior”, explicou o gestor.

Paulo Martins em cinco anos como gestor municipal conseguiu receber vários prémios e reconhecimentos estadual, nacional e até internacional. Ele foi Prefeito Empreendedor por duas vezes premiado pelo Sebrae, conquistou Selo Unicef Município Aprovado, conquistou o Selo Ambiental, além desses títulos, o município também conseguiu alcançar a nota do IDEB nas séries iniciais e finais, foi considerado o 7° melhor município para se viver por uma pesquisa anual feita pela Revista IstoÉ e foi incluído pelo Ministério da Turismo na rota turística do Brasil.

“Ribinha vai encontrar o município mais organizado e com mais recursos para administrar com tranquilidade para superar a crise pela qual assola o País”, finalizou.

 

Da editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

 

 

 

Lama provoca derrapagens na BR-343 e quase acidenta universitários de Campo Maior

Mais de 15 universitários de Campo Maior quase se envolveram em um acidente provocado por uma lama derramada na pista causando várias derrapagens  na BR-343 na altura da antiga Rádio São José em Altos (PI) por volta das 22h desta terça-feira (29).

A lama que possivelmente estaria misturada com óleo caiu de uma caçamba e deixou a pista escorregadia. Pelo menos cinco acidentes foram registrados em menos de 20 minutos. Nenhum com ferimentos graves.

Um dos acidentes  por pouco não envolveu estudantes campo-maiorenses que vinham de uma faculdade particular de Teresina em uma Van. Segundo o motorista Geovane que conduzia a van, um casal com uma criança de aproximadamente 07 anos que seguia em uma moto escorregou na pista e caiu na frente da van.

Para não atropelar a família ele teve que jogar o veiculo  para o acostamento. “Na hora que eu apertei no freio o carro parece que fazia era patinar. Ai eu tive que tirar para o acostamento senão ia passar por cima deles”, contou. No entanto, com a manobra a Van quase batia em um carro que estava parado na lateral da pista. Como o veiculo vinha em baixa velocidade não houve risco de capotamento.

Uma das estudantes chegou a cair ao tentar caminhar na pista para avisar outros motoqueiros que passavam pelo local.

A Polícia Rodoviária Federal foi acionada para  providenciar a retirada da lama. A caçamba que causou o transtorno ainda não foi identificada.

Com informações de campomaioremfoco
cidades@cidadeverde.com

Crianças de Campo Maior são beneficiadas com aulas gratuitas de inglês

Aprender uma nova língua é descobrir um novo mundo, conhecer outras culturas e expandir o conhecimento. É essa sensação que cerca de 50 crianças matriculadas no curso gratuito de inglês do Projeto Crer na cidade de Campo Maior possuem. Viajar pelo planeta sem sair da sala de aula é uma atividade diária na vida da garotada.

Flávia Beatriz não esconde a satisfação ao conseguir falar palavras em inglês. A pronúncia correta e os parabéns da professora logo arrancam um sorriso da garota estudante da rede pública de ensino de Campo Maior. Aos 11 anos, ela se divide entre a escola, a família e as aulas de inglês do Projeto Crer.

“É muito bom. Eu sempre tive vontade de ter aula porque sempre goste de inglês”, explica. “Uma amiga da minha mãe disse que estava tendo o projeto e me matriculei. Amei já de primeira”, diz Beatriz. “Venho para o curso pela manhã. Pela tarde vou para a escola e a noite aproveito para estudar mais inglês em casa mesmo”, comenta sobre a rotina.

Sabrina Araújo, 12 anos, lutou contra a vontade dos pais para poder participar do projeto. A estudante soube das aulas de inglês e comentou com a mãe. “Eu soube na escola e queria muito participar. Minha mãe não queria porque moramos um pouco longe. Mas pedi muito até ela aceitar”, afirma. Sabrina visualiza o futuro. “Quero ser arquiteta e preciso saber inglês para falar com as pessoas de outros países”, diz.

As aulas acontecem em horários diferentes aos da escola. As turmas pequenas proporcionam um acompanhamento individual dos alunos e um melhor aproveitamento dos conteúdos. A professora Fernanda Linhares explica que o curso visa beneficiar as crianças agora e no futuro. 

“É um curso que é caro, muitos não teriam essa oportunidade sem o Projeto Crer. Sou muito feliz em participar porque os meninos tiram muito proveito. Percebo eles empolgados em aprender”, comenta a professora. “Ao ver uma placa num shopping, uma configuração de um aparelho, por exemplo, os meninos vão entender o que aquilo quer dizer. E no futuro eles terão bagagem para ampliar o conhecimento com o inglês”, finaliza Fernanda Linhares.

O projeto

O projeto social da Fundação Restaurar em parceria com a Prefeitura Municipal de Campo Maior funciona no município desde julho. O Crer revitalizou o anexo superior do Terminal Rodoviário Zezé Paz e abriga atualmente mais de 250 crianças nos cursos gratuitos de Inglês, Ballet, Jiu Jitsu e Música. 

Da editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Sem algema, preso é amarrado com corda na delegacia de Campo Maior

Foto: Em Foco

Por falta de algemas, agentes da Delegacia de Polícia Civil de Campo Maior imobilizaram um preso com cordas nesse domingo (20). Antônio Francisco, 26 anos, tentou entrar no DP portando uma faca e foi contido pelos policiais. 

O delegado Laércio Evangelista disse ao Cidadeverde.com que não havia algemas na delegacia no horário da prisão, mas que o problema já foi resolvido. “No momento os agentes estavam sem algemas e ele teve que ser contido”, contou o delegado.

Em fotos é possível ver que o rapaz foi amarrado pelas mãos e pés e ficou deitado de frente para o chão.

Antônio Francisco tentou entrar na Delegacia escondendo uma faca dentro de um chinelo. Segundo a polícia, a intenção de Antônio era entregar o objeto para outro preso, conhecido como ‘Carioca’. 

“Ele pediu para ser preso. Primeiro tentou entrar dizendo que ia levar uma comida para o preso. Não deixamos e ele insistiu e depois pediu para ser preso. Revistamos ele e encontramos a faca escondida no chinelo”, acrescenta o delegado Laercio. 

Antônio foi preso em flagrante e continua em uma das cela da Delegacia de Polícia Civil de Campo Maior.

Izabella Pimentel (especial para o cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com 

Campomaiorenses residentes em Brasília realizam encontro

Acontece no domingo, 27 de novembro, em Brasília, o Encontro dos Campomaiorenses Candangos. O evento  chega a 18ª edição seguida e busca reunir este ano cerca de 500 pessoas naturais de Campo Maior que residem na capital federal. 

O evento é realizado no Clube da Caesb, no SAI – Brasília, a partir das 10h do domingo (27). Se apresentam a banda Forró Bambolear e o cantor campomaiorense Gonzaga Lu. 

“O maior objetivo é nos encontrar com os conterrâneos campo-maiorenses que residem em Brasília. Conversar sobre nossa terra, bater um papo, recordar a cultura e nossas histórias vividas na nossa cidade natal”, comenta o organizador Antônio Morais. 

Antônio junto com os amigos Ricardo Reis e Carlos Alberto idealizaram o encontro há 18 anos. “Começamos realizando um evento pequeno. Um ano era na minha casa, no ano seguinte acontecia em outra casa. Só que em pouco tempo o evento cresceu muito e foi preciso nos transferir para um clube”, revela Antônio Morais.

Com informações de campomaioremfoco
cidades@cidadeverde.com

 

Nova penitenciária em Campo Maior terá 160 vagas

Entrando em fase de conclusão, a nova Casa de Detenção Provisória que está sendo construída no município de Campo Maior, a 80 km de Teresina, terá capacidade de lotação de 160 vagas e está entrando em fase de conclusão. A previsão da empresa construtora é de que a obra seja entregue até o primeiro trimestre do ano que vem.

A construção da nova unidade penal do Piauí faz parte do programa de estruturação do sistema prisional executado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, com a finalidade principal reduzir o índice de superlotação nos presídios e modernizar sistema penitenciário estadual, garantindo humanização e segurança.

De acordo com o secretario de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira, as obras vão, de fato, ajudar a reduzir o excedente prisional, embora, para o gestor, seja “fundamental avançar, também, na diminuição do índice de aprisionamento e na adoção políticas voltadas à aplicação de medidas e penas alternativas à prisão”.

A nova penitenciária terá dois pavilhões; 47 celas; módulos de ensino, visita e vistoria; consultório odontológico; além da parte administrativa e médica. Trabalham na obra 73 operários. A unidade vai custodiar presos provisórios e terá padrões de segurança das Casas de Detenção de Altos e de São Raimundo Nonato, presídios de segurança máxima.

Da editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Apicultores de Campo Maior apresentam estratégias para sucesso do mel

Após sucesso com a alta na comercialização do mel em mercados externos, a Associação dos Apicultores de Campo Maior (Apicam) recebeu a visita do grupo gestor do projeto dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedet) e do grupo técnico formado pelas Secretarias do Planejamento do Estado do Piauí (Seplan) e da Assistência Social e Cidadania (Sasc).

O mel teve uma expansão de vendas após a associação ser contemplada pelos  APLs, projeto coordenado Sedet com a proposta de gerar desenvolvimento das comunidades organizadas por meio de associações e cooperativas. Para acompanhar o trabalho que trouxe resultados satisfatórios, o grupo gestor e técnico resolveu conhecer in loco a ação desenvolvida pelos apicultores. Para isso, a associação realizou uma apresentação sobre o projeto e os resultados alcançados pelos associados. Na oportunidade, os membros da Apicam discursaram sobre suas dificuldades e melhorias, como também manifestaram sua alegria pela visita da equipe.

“A Associação, que antes era insignificante, hoje cresceu bastante após ser beneficiada pelos APLs. Cresceu o número de associados, que passou de 29 para 90, aumentou a quantidade produzida mensalmente, que ates era de 2,2 e agora são 5 toneladas, com produtividade anual de 60 toneladas. A renda mensal do projeto, que antes era de R$ 13 mil, passou para R$ 55 mil reais”, expôs o projetista contratado da Associação, Antônio Carlos.

“Temos ainda muito potencial. O mel é o segundo produto na exportação do município e o terceiro no estado. E lá fora, na Alemanha, por exemplo, temos compradores que consideram o nosso mel com um dos melhores do mundo, especialmente pela baixa umidade, ausência de agrotóxicos e pelas boas práticas na colheita. Assim, esperamos que essa atividade continue crescendo, não só para produzir um alimento de altíssima qualidade, mas para dar melhores condições de vida ao sertanejo, que a cada 40 colmeias passam a ter seu salário mínimo garantido por mês”, falou o presidente da Apicam, que detalhou ainda sobre a saída do produto para mercados externos.

“Hoje, não temos ainda um mecanismo de exportar direto, por isso o nosso mel chega a diversos lugares do mundo por meio de compradores, que fazem a logística inversa, ou seja: eles adquirem o mel conosco e eles mesmos se carregam de vender”, explicou Sebastião Melo.

Para o associado Edilson da Vagen, que já está na Associação há seis anos, depois do projeto sua produção e a de outros sócios melhorou bastante.  “Temos um avanço muito significativo e, por isso, incentivamos as outras pessoas a virem ingressar nessa atividade. O material que recebemos ajuda bastante e a associação cresce, principalmente na harmonia do grupo e na organização da instituição”, pontuou.

A Associação de Campo Maior foi contemplada com 658 colmeias, 29 fumigadores e hoje a produção de mel aumentou 40% e a comercialização chegou a 100%, proporcionando um aumento de 40% a 50% na renda dos apicultores associados.


Da editoria de cidades
cidades@cidadeverde.com

Presidente do Sistema Fecomércio, Valdeci Cavalcante, sofre acidente em Campo Maior

Foto: CampoMaior em Foco

O presidente do Sistema Fecomércio, advogado Valdeci Cavalcante, sofreu um acidente no começo da tarde deste domingo (6), na BR-343, em Campo Maior, a 80km ao Norte de Teresina. A picape em que ela estava capotou próximo à comunidade Alto do Meio. Além dele, outras duas pessoas estavam no carro, entre elas a esposa de Valdeci, Rosângela Cavalcante.

Ambulâncias do Samu e agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ajudaram no resgate às vítimas, que foram atendidas no hospital regional do município.

Cidadeverde.com conseguiu contato com famíliares, que informaram que Valdeci Cavalcante foi transferido para Teresina onde realiza exames mais detalhados no hospital da Unimed, no bairro Primavera. Ele e a esposa estão consciente e deram entrada na unidade de saúde por volta das 14h20.

O acidente aconteceu por volta das 12h30 na curva do Capote, próximo ao acesso para a cidade de Castelo do Piauí. Uma leve colisão lateral com um carro de passeio teria ocasionado o capotamento. A picape ia no sentido Teresina, já o outro veículo, um pálio, estava no sentido contrário. Ninguém do pálio teve ferimentos. "Inicialmente informamos que os condutores envolvidos conseguiram evitar uma colisão frontal", disse a PRF.

Segundo Elane Dias, diretora da Fecomércio, informou à TV Cidade Verde, o casal passa por uma avaliação no hospital.

Atualizada às 19h43

Valdeci Cavalcante passou por uma cirurgia por volta das 19h. Ele fraturou o nariz e teve algumas costelas quebradas. A esposa, Rosângela Cavalcante, também teve costelas quebradas, mas não passará por cirurgia. O médico recomendou apenas repouso pelos próximos meses. O motorista, identificado até o momento apenas como César, teve ferimentos leves e está internado no Prontomed, onde também passa por exames, como ressonância magnética.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Posts anteriores