Preso é flagrado com celular e carregadores na cueca durante audiência em fórum

Um dos presos acusados de assaltar um ônibus da empresa Guanabara, há cinco meses, foi flagrado com um celular e cinco baterias carregadas escondidos dentro da cueca durante audiência de Instrução e Julgamento, no Fórum de Campo Maior. O aparelho telefônico foi encontrado após audiência, quando os detentos eram encaminhados à viatura, para retornar ao penitenciária Irmão Guido.


                             Fotos: Portalcampomaior

Antônio Francisco Barbosa Lima, Francisco Lins de Oliveira, Josivan Medeiros, e Antônio Alberto são acusados de participar da ação criminosa, em outubro de 2013, que terminou ainda com um passageiro baleado. 


"Eles já haviam participado da audiência e estavam retornando ao presídio, quando agentes penitenciários realizaram vistoria e encontraram os objetos. Antônio Alberto assumiu ser responsável pelo celular e carregadores", explica o chefe de cartório, do 1º DP de Campo Maior, Baker Martins.

Os detentos foram levados para o 1º Distrito Policial, onde serão interrogados pela delegada Thaís Lages Paz, que deverá juntar provas ao processo.

"A polícia civil deverá abrir o inquérito para saber quem repassou o celular para o acusado, que responde juntamente com os demais pelos crimes de roubo e formação de quadrilha", reitera Martins.

De acordo com os agentes penitenciários Grupo Especial de Operações- GEO, foram ouvidas 15 testemunhas no processo, mas a audiência foi suspensa, no momento da apreensão pelo juiz Edson Alves, e será retomada no próximo dia 02 de maio.


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Prefeitura corta árvores que danificavam estrutura de posto de saúde

Por conta de problemas na estrutura física do prédio com o enraizamento das árvores e na parte elétrica com a altura das plantas que ficam nas proximidades do Posto Central de Saúde José Francisco Bona, antigo, SAMDU, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Campo Maior, atendendo uma solicitação da Secretaria Municipal de Saúde fez a retirada de nove árvores que existiam no local.


Segundo o coordenador de Fiscalização e Controle Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Campo Maior Raimundo Nonato do Vale. “A partir de um estudo a Secretaria de Meio Ambiente fez um relatório e emitiu parecer autorizando a retirada das árvores,  constatando o problema”, disse, o coordenador, explicando que as raízes além de estarem adentrando para as salas do prédio, havia a possibilidade de em chuvas elas caírem e consequentemente provocar acidentes graves.

Uma das exigências da Secretaria de Meio Ambiente  foi exigir da empresa que está trabalhando na reforma do posto assumir o compromisso da compensação ambiental. “Segundo a resolução CONAMA, de nº 237, de licenciamento, se você retira um árvore terá que plantar no mínimo 15, isto vai depender da proporção da área e isto foi feito”, destacou.


As árvores eram do tipo oiti, licania tomentosa, elas já estavam muito altas e como explicou o fiscal de meio ambiente, a Secretaria de Saúde precisava fazer a reforma do prédio. “Vimos realmente que havia a necessidade de cortá-las por estarem dentro da área do muro e algumas de frente aos dois portões principais entre outros problemas que causavam. Demos  a autorização para a retirada. A empresa se comprometeu em doar  50 mudas de Ipês para plantio no mesmo local, com controle e colocando  manilhas de cimento para que no futuro as espécies não tragam problemas como aconteceu com a estrutura do prédio do Posto de Saúde José Francisco Bona”, falou o fiscal, disse que estão prevenindo riscos futuros.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

TJ instala a Vara da Família em Campo Maior que já tem mil processos para julgar

A presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, Eulália Maria Ribeiro, instalou nessa sexta-feira, 21, a 3ª Vara da Comarca de Campo Maior. A chamada Vara da Família já começa a funcionar com mil processos prontos para julgamento. O juizado terá, provisoriamente, como titular o juiz Júlio César Garcez, mas o TJ já abriu edital para escolha do novo magistrado de Campo Maior.


O juiz Júlio César afirmou que além do Ministério Público, contará com a parceria do Conselho Tutelar, do recém-criado Núcleo de Adoção e da Assistência Social do município para o pleno funcionamento do novo juizado de Campo Maior. “Essa vara tem a meta de dar celeridade aos mais de mil processos específicos da família existentes na Comarca de Campo Maior”, frisa Júlio César.

A presidente do TJ, Eulália Maria, informou que o edital de remoção para escolha do novo juiz de Campo Maior será aberto já na próxima segunda, 24.  “Acreditamos que já em abril Campo Maior terá mais um juiz a serviço da população”, comentou a presidente.


Eulália lembra que na Comarca de Campo Maior atualmente existem 1.764 processos em tramitação e a Vara da Família é onde tramita a maioria, por tanto será a maior da jurisdição. A presidente informa que além de ampliar o número de juízes, o município terá um novo fórum, que deverá começar a ser construído no próximo semestre. “Já passamos para segunda fase desse processo, agora iremos começar a terceira, que culmina com a construção do prédio”, informou Eulália.

Com informações de Portal Campo Maior
cidades@cidadeverde.com

Proposta de criação do instituto cultural é apresentada a vereadores

A Prefeitura de Campo Maior está discutindo a proposta de criação de um instituto cultural para agregar os integrantes da banda Honório Bona Neto que não são efetivos e que foram afastados pelo executivo do município após orientação do Ministério Público. A minuta com a proposta foi apresentada nessa terça-feira, 18, aos vereadores pelo secretário de Relações Institucionais, César Robério.


Segundo o secretário, a banda de música foi criada por uma Lei de 1984, mas ao longo dos 30 anos de existência, nenhum concurso foi realizado para preencher as 20 vagas de músicos existentes em Lei.  “Dos 18 componentes atuais, apenas um era efetivo e outro é comissionado. Fora esse dois, todos os outros foram afastados”, esclareceu o secretário.

César Robério ressalta, porém, que o afastamento dos componentes que não se enquadravam na Lei não acaba com a banda e que o prefeito Paulo Martins determinou que a sua assessoria e os músicos discutissem uma saída jurídica para que o grupo musical continue funcionando. “A criação do instituto é a saída mais razoável por enquanto”, disse o relações institucionais da Prefeitura Municipal.

O secretário disse que, apesar dos músicos não serem efetivos, a maioria tocava há vários anos na banda e isso está sendo levado em consideração no estatuto de criação do instituto cultural.  “Não se pode simplesmente afastar, mas é preciso encontrar uma forma de amparar todos esses anos de serviço prestado pelos componentes da banda”, pondera César Robério.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Prefeitura e TJ firmam parceria para instalação de Núcleo de Adoção

A prefeitura de Campo Maior e a Corregedoria Geral de Justiça firmaram, nesta segunda-feira (17), parceria para a instalação do Núcleo de Adoção, que fará suporte à Vara da Família no município. A instituição judiciária deverá funcionar no antigo prédio da Delegacia Regional de Campo Maior.


O núcleo dará subsídios as ações da 3ª Vara de Campo Maior, que trata dos processos de adoção, na Região dos Cocais.


“Enquanto nós da Justiça ficaremos responsáveis pela estrutura física e pelo juiz, a prefeitura se compromete a disponibilizar uma equipe multidisciplinar para auxiliar o magistrado”, revela desembargador Antônio Paes Landim, corregedor.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Irmãos são presos com armas de fabricação caseira

Dois irmãos foram presos com armas de fabricação caseira durante uma briga, no bairro Matadouro, em Campo Maior. Policiais da Força Tática foram acionados por populares que ficaram assustados com a discussão, na noite de ontem (15). 

                          Fotos: Portalcampomaior

Os dois foram identificados como Francisco Wagner Higino, 39 anos, e Edvaldo Higino, 42 anos.Com os irmãos foram encontrados uma garruncha (tipo de arma caseira), duas facas e um frasco com pólvoras.

 
“Fomos acionados através do Copom que dois homens, que são irmãos, estavam brigando e armados. No local, conseguimos apreender as armas e evitar o pior”, destacou cabo Hagson.


As causas da briga não foram reveladas. Os irmãos foram levados ao 1º Distrito Policial de Campo Maior. 


Com informações Portalcampomaior
cidades@cidadeverde.com

Entrega de medalhas marca 191 anos da Batalha do Jenipapo

O governador do Piauí Wilson Martins, o presidente da Fundação Cultural do Piauí, Scheyvan Lima e o prefeito de Campo Maior Paulo Martins receberam diversas autoridades e a população no Museu do Monumento Batalha do Jenipapo na tarde de ontem(13), para participarem do evento que comemorou os 191 anos da Batalha do Jenipapo. 

Fotos: Jailson Rodrigues/Fundac

Durante a solenidade, o prefeito de Campo Maior, Paulo Martins fez a entrega da Medalha “Heróis do Jenipapo”, que é a mais alta comenda do município, já o governador Wilson Martins, realizou a outorga da Ordem Estadual do Mérito Renascença e ainda a entrega da Ordem Estadual Valério Coelho Rodrigues. 


“Quando começou a surgir o movimento em defesa da independência do Brasil, o povo do Piauí se mostrou patriota e mesmo com poucos armamentos resolveu ir a luta contra uma tropa fortemente armada, foi uma briga injusta, porém bastante importante, hoje nós piauienses continuamos com a mesma garra, e por isso não poderíamos deixar esta data passar em branco”, disse o governador, que ficou feliz com a quantidade de pessoas que participaram da solenidade.


Entre os homenageados pelo governo do Estado estavam: o dançarino Júlio César, que além de se dedicar ao serviço público, doa um pouco do seu talento a instituições de caridades, e o artista plástico e líder comunitário Ijuvan Barbosa (Van), que é conhecido na periferia de Teresina, por desenvolver trabalhos que chamam a atenção até daqueles que não tem muita intimidade com a arte. “Está não é uma homenagem só para mim, mais sim para todos que trabalham com arte neste estado, é o reconhecimento de uma vida inteira”, disse Ijuvan.


Museu Monumento Batalha do Jenipapo

A Fundação Cultural do Piauí (Fundac) prometeu melhorar os serviços no Museu Monumento Batalha do Jenipapo. “Nossa intenção é melhorar a qualidade dos serviços oferecidos neste importante espaço, a fim de dá mais conforto as dezenas de pessoas que diariamente visitam o museu”, disse Scheyvan Lima, presidente da Fundac.


Sobre a batalha

A Batalha do Jenipapo ocorreu às margens do riacho de mesmo nome no dia 13 de março de 1823, a qual foi decisiva para a Independência do Brasil e consolidação do território nacional. Consistiu na luta de piauienses, maranhenses e cearenses contra as tropas do Major João José da Cunha Fidié, que era o comandante das tropas portuguesas, encarregadas de manter o norte da ex-colônia fiel à Coroa Portuguesa.


Os brasileiros lutaram com instrumentos simples, não com armas de guerra, pois não tinham experiência. Perderam a batalha, mas fizeram com que a tropa desviasse seu destino. Foi uma das mais marcantes e sangrentas Batalhas travadas na guerra da independência do Brasil.


Editoria das Cidades
cidades@cidadeverde.com

Inaugurações marcarão os 191 anos da Batalha do Jenipapo

A inauguração das novas instalações do complexo da Segurança Pública de Campo Maior ocorrerá na tarde desta quinta-feira (13), durante solenidade de comemoração aos 191 da Batalha do Jenipapo. O evento terá início ao meio-dia e reunirá autoridades políticas da região e de todo o estado.

No prédio irão funcionar as delegacias do 1º Distrito Policial, 2º Distrito Policial e Delegacia Regional 

A programação contará ainda com missa, culto e solenidades cívico-militar, que inclui a entrega de medalhas do Mérito Renascença, concedida pelo Governo do Estado, e da medalha Heróis do Jenipapo, concedida pela Prefeitura de Campo Maior.

A encenação da Batalha do Jenipapo encerra as comemorações alusivas à data que, neste ano, será apresentada a partir do texto original, resgatando a história.


“Ao longo dos anos, o espetáculo sofreu alterações. Porém, este ano, nós vamos trabalhar em cima do texto original que é de Aci Campelo, com direção de Arimatan Martins e produção de Soraia Guimarães e Liana Santana”, explica.


Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Paulo Martins participa de abertura de exposição sobre Batalha do Jenipapo em Brasília

Nesta terça-feira (11), a Câmara Federal realizou a solenidade de abertura da exposição “Histórias não contadas – A Batalha do Jenipapo no processo de Independência do Brasil”, idealizada pelo deputado federal Jesus Rodrigues. O evento foi organizado pelo Centro Cultural da Câmara, com a colaboração da Prefeitura de Campo Maior.


“Consolidou-se uma visão conciliatória e pacífica de nosso processo de independência, omitindo-se a participação popular e o derramamento de sangue de muitos brasileiros que lutaram em prol da nossa emancipação política de Portugal. O que nós estamos fazendo é um resgate de momentos cruciais que a história oficial não conta”, destacou o parlamentar ao defender a inserção desse episódio nos livros didáticos.


“Agradeço o profissionalismo, dedicação e amor da equipe ao construir a exposição, a empolgação em levar essa história a todo o país”, afirmou o prefeito Paulo Martins durante a abertura do evento, que marca os 191 anos da sangrenta batalha, que foi decisiva para a conquista de independência do Brasil.

A data gravada na bandeira do Piauí, 13 de março de 1823, e a história que esse dia representa para o Brasil, estampam os 200m² do corredor principal da Câmara através de imagens de 2 metros de altura, todas comentadas.


Os visitantes têm a oportunidade de ver ilustrações como o quadro “A Batalha do Jenipapo”, de Artes Paz; retratos de líderes do movimento pela independência, como Leonardo Castelo Branco e Simplício Dias da Silva; fotos de encenações do conflito; além de uma série de mapas, como o que demonstra a posição das províncias diante da proclamação da independência.

A exposição conta com a curadoria do secretário de Relações Institucionais de Campo Maior e historiador, professor César Robério Monte, fotografias de Jonas Sousa e coordenação do Núcleo de Design da Câmara. Durante o evento também está acontecendo a exibição de um documentário e a distribuição de 2 mil catálogos e folders referentes à batalha. Boa parte do acervo é feita de fotografias de peças do Museu do Piauí, além de recortes de livros de história.

Dentre as autoridades presentes estavam o ex-Deputado Federal Antônio José Medeiros; o Deputado Federal Hugo Napoleão, o Deputado Federal João Ananias e a Diretora do Centro Cultural, Isabel Flecha de Lima.

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com

Policial vai ao Tribunal do Júri por matar vigilante com tiro nas costas

Um policial militar vai a júri popular na próxima quarta-feira (19) por ter assassinado com um tiro nas costas um vigilante no município de Campo Maior ( a 78 km de Teresina). 

O crime aconteceu há nove anos em uma praça no centro da cidade. O policial vai responder por homicídio qualificado e pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

No processo foi relatado que a vítima Fábio dos Santos Barros, de 35 anos, teria reagido agressivamente a uma ação policial e ao correr foi alvejado nas costas pelo Policial militar. 

O acusado é o policial Antônio Francisco Cardoso. Segundo o promotor de justiça Claudio Bastos, o crime ocorreu no dia 6 de fevereiro de 2005 próximo a praça Valdi Fortes. 

O tribunal do júri vai se reuni a partir das 8h30 no Fórum eleitoral de Campo Maior. O policial responde em liberdade.


Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Posts anteriores