Cidadeverde.com

Blocos desfilam com pouco público e pedem mais apoio em Teresina

  • blocos43.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos42.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos41.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos40.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos39.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos38.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos37.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos36.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos35.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos34.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos33.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos32.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos31.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos30.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos29.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos28.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos27.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos26.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos25.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos24.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos23.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos22.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos21.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos20.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos19.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos18.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos17.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos16.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos15.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos14.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos13.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos12.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos11.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos10.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos09.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos08.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos07.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos06.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos05.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos04.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos03.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos02.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • blocos01.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde

A noite de segunda-feira (8) foi de folia para os 11 blocos carnavalescos que saíram dos seus bairros e invadiram a avenida Marechal Castelo Branco, na zona Norte de Teresina (PI). Mas em meio a festa, sobraram críticas, desde o atraso de quase uma hora no início do desfile, passando pelas arquibancadas vazias a até queixas dos próprios blocos, que reivindicaram mais apoio do poder público. 

Haroldo Santos, do Bloco dos Piratas, foi um dos que ressaltou que os blocos dos bairros necessitam de maior apoio financeiro, para que a tradição não se perca nas próximas gerações. "Carnaval não é apenas escola de samba. Também temos que preservar os blocos carnavalescos que nasceram nas comunidades."

Outro tradicional bloco de rua que participou do desfile na Marechal foi o Baião de Boi, que nasceu na região do Grande Dirceu, zona Sudeste, mas que hoje está concentrado na Vila Confiança, zona Sul. O músico e compositor Severino Santos, 55 anos, é um dos fundadores. Para ele, Carnaval é baião e essa tradição tem que ser respeitada. "O Baião de Boi já tem mais de 30 anos de existência. Nele pulsa cultura e a tradição do verdadeiro baião. É preciso que a Prefeitura incentive mais a cultura popular no Carnaval."

O prefeito Firmino Filho chegou na avenida com os desfiles já em andamento e as arquibancadas em contraste com a noite anterior, quando desfilaram as escolas de samba - até 21h30, a Polícia Militar estimou que 1.000 pessoas estavam na Marechal.

O gestor comentou as cobranças. "A Prefeitura é criticada quando apoia ou não, mas a verdade é que estamos em um processo de resgate do nosso Carnaval, como ocorreu com o Corso de Teresina até chegar a grande festa que é hoje. Esse é um processo contínuo e nós temos um Carnaval multicultural. Hoje, por exemplo, na avenida temos os blocos carnavalescos. Ontem tivemos as escolas de samba e amanhã também", declarou.

Marlon Rodner, representante da Fundação Monsenhor Chaves na avenida, explicou que os blocos já recebem apoio e que existe diferença no valor do repasse para cada um. "A Prefeitura de Teresina apoia financeiramente todos os blocos carnavalescos cadastrados para participar do Carnaval de Teresina. Tanto os blocos de sujos como de sociedade. Todos irão receber a partir do momento em que as prestações de conta forem apresentadas."

Alegria na avenida
Há mais de 10 anos, a tradicional festa dos bairros reúne gerações de famílias. Para a massoterapeuta Lúcia Fernandes, de 32 anos, uma das integrantes do bloco Turbinados da Sergipe, da rua localizada no bairro Pirajá, esse é o momento de reunir toda a família para cair na folia. "Desde pequena que eu participo desse bloco. Nós vivemos um verdadeiro encontro de gerações. Mães que trouxeram os filhos, que depois vieram os netos e bisnetos."

O compositor Haroldo Santos, 46 anos, um dos integrantes mais antigos do Bloco dos Piratas, da Vila Operária, afirma que o Carnaval, para ele, é durante o ano todo, e o mês de fevereiro é apenas o ápice da alegria. "A Vila Operária é o berço do samba. Lá nós tivemos grandes grupos como Escravos do Samba e Unidos da Vila. Por isso, para nós, todo dia é Carnaval", declarou. 

A autonoma Marlene Sousa veio com os dois filhos para prestigiar os blocos carnavalescos. "Esse ano senti que a empolgação ficou a desejar, mas mesmo assim vou ficar na arquibancada até o final." Já a filha da Marlene, Luna Beatriz, de seis anos, aproveitou a noite arriscando alguns passos de samba. "Eu gosto de carnaval, mas não sei dançar direito, fico só pulando com os pés."

A estudante Mila Grabriela, de 10 anos, veio pela primeira vez a apresentação dos blocos e já confirmou presença para o carnaval 2017. "Essa é a primeira vez e gostei muito. Vou pedir para voltar ano que vem. Acompanhei o bloco todinho dançando". Mila acompanhou o Bloco Amigos do Cabral, o terceiro a entrar na avenida.

Além dos já mencionados, a programação do desfile de segunda-feira também incluiu desfiles do Piauí Samba, Capote da Madrugada, Bloco do Paçoca, Línguas Venenosas, Esporão do Galo, Bloco do Etim e Lisossomos.

Por volta de 21h30, a tenente Edinilda Santos disse que a noite estava tranquila e sem ocorrências. Cinco viaturas da PM, com efetivo de 30 policiais, fizeram a segurança dos foliões.

Carlienne Carpaso (flash da avenida)
Fábio Lima (Da Redação)
redacao@cidadeverde.com