Cidadeverde.com

'Sanatório é um resgate do carnaval de rua', diz Jorginho Medeiros

  • geral-10.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-09.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-08.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-07.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-06.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-05.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-04.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-03.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-02.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-01.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-25.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-24.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-23.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-22.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-21.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-20.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-19.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-18.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-17.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-16.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-15.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-14.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-13.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-12.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • geral-11.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde

O Bloco Sanatório atraiu uma multidão para o lado da Igreja São Benedito, no Centro de Teresina, neste sábado (25) de carnaval. O público se diverte ao som de diversas marchinhas. 

O idealizador do bloco, Jorginho Medeiros, ressaltou que o sanatório é o resgate do carnaval de rua de Teresina. 

“Carnaval é brincadeira. É para quem quer se divertir. Não estamos preocupados com a quantidade, e sim com a qualidade”, declarou Jorginho.  

As ruas ao redor da igreja estão interditadas e, por volta das 21 horas, irá ocorrer um pequeno desfile até a Avenida Frei Serafim, nas proximidades do Pão de Açúcar. 

Vários artistas, atores e a população em geral marcam presença no local, com as mais diversas fantasias. 

Pela primeira vez na festa, a mãe da deputada federal Iracema Portela, Miriam Portela, conversou com o Cidadeverde.com. “É a primeira vez que venho ao Sanatório, estou gostando muito. Carnaval é rua. Eu adoro o carnaval”, disse.  

Diversão e protestos

O Sanatório também foi palco de protestos e algumas fantasias tiveram como base temas polêmicos, como a prisão do jovem Samuel Ali Silva Haroon, 20 anos, que usava o codinome Palestino em pichações pela Capital. 

Dois amigos estão amigos fazendo homenagem ao Palestino. O servidor público Guilherme Cerqueira simulou um muro de papelão com o nome Palestino, e o seu amigo, o estudante de história, Daniel Pessoal, segura uma faixa com a palavra “Depre” (durante a apresentação do Samuel na delegacia, ele teve que escrever com tinta spray a palavra Depre, que significa Delegacia de Entorpecentes, em uma faixa branca. Essa imagem circulou pelas redes sociais). 

“Foi um exagero que a policia fez, uma falta de respeito. Estamos aqui fazendo esse alerta sobre o caso ‘Palestino’”, disse o servidor. 

O sanatório também teve protesto contra o presidente do Brasil, Michel Temer (PMDB). Um grupo estava usando camisas contra o atual governo. A professora Ana Celia Santos disse “que o governo é homofobico e golpista”. 

“nesse carnaval nosso sentimento é de revolta”. Ele também informou que no dia 8 de março haverá uma grade manifestação pelo dia da mulher, na Praça da Fripisa. 

 

Flash Yala Sena
Da Redação Carlienne Carpaso
redacao@cidadeverde.com 

Bloco Pinto da Morada estreia em carnaval com cerca de 2 mil foliões

  • morada-04.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-17.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-16.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-15.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-14.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-13.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-12.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-11.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-10.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-09.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-08.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-07.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-06.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-05.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-03.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-02.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • morada-01.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde


Estreando no carnaval de Teresina, o bloco Pinto da Morada reúne mais de dois mil foliões na Praça do bairro Morada do Sol, na zona Leste. Eles estão trazendo uma escultura de um pinto de 4 metros e a cantora Leny Alves como atração do evento.

Neste momento, o bloco, que é uma dissidência do Capote da Madrugada, fez um minuto de silêncio ao Mário Aragão, que faleceu em fevereiro deste ano, vítima de infarto, que era

Alexandre Sá, que é presidente do Pinto da Morada, chamou todos os direitos do bloco para frente do palco e prestaram essa homenagem.

“Foi um momento triste, um amigo de mais de 30 anos, que conhecia não apenas como presidente do Capote, mas também como uma pessoa de dentro da minha casa. Nós nos afastamos por questões pessoais, mas o Mário com certeza deixa um legado para o Carnaval “

O desfile do Pinto sai da Avenida Dom Severino segue até a Maçonaria, e retorna para a praça. 

“Esse é o nosso primeiro ano; é um bloco da família, da paz, da alegria”, destacou Alexandre.

 

Flash Yala Sena
Da Redação Carlienne Carpaso 
redacao@cidadeverde.com 

Firmino diz que 'povo faz e desfaz carnaval’ e anuncia novo modelo para escolas de samba

  • capote-54.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-53.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-52.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-51.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-50.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde

O prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) afirmou que “os blocos de rua estão fortalecendo o carnaval piauiense”. Ele participa, na tarde desta sábado (25), do tradicional Capote da Madrugada, que acontece na Avenida Dom Severino, na zona Leste.  Com relação as escolas de samba, que neste ano não desfilaram, Firmino anunciou que a prefeitura estuda um novo modelo para trabalhar um novo

Segundo Firmino, o novo modelo “é mais participativo e com contrapartida das escolas”. 

“Tudo que faz dependência do governo faz mal. É como a seleção brasileira, que se depender só do Neymar não irá render, e não tem diversificação. Queremos trabalhar um modelo participativo e com contrapartida das escolas”, disse Firmino ao chegar Capote vestindo a blusa da seleção brasileira de futebol. 

Firmino disse ainda que irá visitar alguns dos blocos e brincou afirmando que “hoje o sábado foi abençoado por São Pedro”.  Ainda hoje, o prefeito deve visitar os blocos Pinto da Morada e Sanatório Geral. 

“A população está criando e recriando sua forma de mostrar sua alegria e criatividade. Carnaval é o povo que faz e desfaz”, destacou. 

O prefeito estava acompanhado pelo presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves (FCMC), Luis Carlos Martins, pelo superintende da FCMC, Abiel de Sousa, e pelo secretário municipal de Esporte e lazer, Renato Berger. 

Veja galeria de fotos do Capote da Madrugada. 

Flash Yala Sena
Da Redação Carlienne Carpaso

redacao@cidadeverde.com 

Foliões no Capote da Madrugada fazem protesto contra alagamentos

Fotos: Roberta Aline/Cidade Verde

Um grupo de foliões aproveitou o desfile do bloco Capote da Madrugada, em Teresina (PI), para fazer um protesto contra os alagamentos na zona Leste. 

Eles levaram para a avenida Dom Severino, na tarde deste sábado (25), um estandarte que dizia: "Teresina, cidade submersa: alagados de sempre".

A economista Maira Bandeira disse que não cosnegue sair de casa quando chove na capital. "A cidade fica inviável, principalmente na região da zona Leste".

Os foliões também faziam coreografia simulando o balanço das águas e seguravam placas das avenidas Pedro Almeida e Homero Castelo Branco, duas das vias que sofrem com alagamentos em dias de chuva. 

O ex-secretário estadual de planejamento Sérgio Miranda mora na região e participou do desfile. "Quando chove é água, muita água, e às vezes não conseguimos sair de casa".

A estimativa do Capote da Madrugada é reunir 80 mil pessoas no percurso entre as avenidas Presidente Kennedy e Homero Castelo Branco. 

Yala Sena (flash)
redacao@cidadeverde.com

Capote da Madrugada arrasta multidão e homenageia fundador do bloco

  • capote-73.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-72.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-71.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-70.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-69.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-68.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-67.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-66.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-65.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-64.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-63.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-62.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-61.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-60.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-59.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-58.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-57.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-56.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-55.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-54.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-53.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-52.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-51.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-50.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-49.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-48.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-47.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-46.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-45.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-44.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-43.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-42.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-41.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-40.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-39.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-38.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-37.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-36.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-35.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-34.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-33.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-32.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-31.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-30.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-29.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-28.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-27.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-26.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-25.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-24.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-23.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-22.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-21.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-20.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-19.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-18.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-17.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-16.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-15.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-14.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-13.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-12.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-11.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-10.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-09b.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-09a.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-09.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-08.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-07.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-06.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-05.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-04.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-03.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-02.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde
  • capote-01.jpg Foto: Roberta Aline/Cidade Verde

Atualizada às 17h35

A forte chuva que caiu em Teresina, na tarde deste sábado (25) de carnaval, não afastou os foliões do tradicional bloco carnavalesco – Capote da Madrugada, na zona Leste. Com a chuva, houve atraso no início do desfile, mas o bloco já está na Avenida Dom Severino fazendo a animação dos foliões que, segundo a organização do evento, aguarda o público de 100 mil pessoas. 

Neste ano, o bloco homenageia um dos seus fundadores e presidente, o advogado Mário Aragão Pereira, que faleceu no início do mês de fevereiro, vítima de um infarto. O vice-presidente do Capote, Waldo Alves, disse que eles farão um minuto de silêncio e soltarão balões brancos. 

Para Josafá Coelho Rodrigues, que é integrante do bloco, essa é uma homenagem ao grande legado deixada por Mário.

“Mário é uma pessoa iluminada, amante do carnaval, que deixou esse legado para nós. Ele sempre dizia que o Capote não pode morrer mesmo com o desaparecimento dele”, declarou Josafá, destacando que os recifenses Mário, Lacet e Romero, durante uma “conversa de bar” decidiram criar o Capote da Madrugada em alusão ao Galo da Madrugada, de Pernambuco e um dos maiores blocos do país. 

Já o vice-presidente destacou que, até hoje, o Capote não conseguiu superar a perda do seu presidente. “Mas mesmo com dificuldades trouxemos o bloco para rua. O Mário continua vivo”, disse. 

Com a chuva, o trio elétrico que acompanharia o desfile queimou, mas, mesmo com esse imprevisto, a organização irá utilizar carros de som para animar os foliões, que também contará com a participação do cantor Roraima e da banda Folia de Mamulengo.  

Josafá Coelho comentou que a chuva já é tradição: “Isso é pra não perder a rotina”, brinca, acrescentando que “um verdadeiro capote permanece na avenida”. 

Uma das famílias que não abriu mão de dançar ao som do frevo foi a da Benícia Sampaio, que ao lado do marido e do filho, foi fantasiada para o bloco, consagrado como um dos mais tradicionais de Teresina. 

Para ela, o diferencial do Capote da Madrugada é que você pode aproveitar ao lado da família.  

“Aqui é muito tranquilo, dá para trazer a família e se divertir muito. Você pode brincar fantasiado com chuva e sem chuva”, disse a foliã em entrevista ao Cidadeverde.com.

O gerente de promoção artístico cultural da Fundação Cultural Monsenhor Chaves, Kleiton Marinho, também está no Capote. Ele disse que a FCMC está acompanhando os blocos de rua para verificar se os recursos repassados pela Prefeitura de Teresina estão sendo aplicados corretamente.

“Estamos fiscalizando para ver in loco se os repasses da prefeitura estão sendo usados conforme o plano apresentado por cada um dos blocos”, explicou o gerente.


Flash Yala Sena
Da Redação Carlienne Carpaso
redacao@cidadeverde.com 

Blocos de rua tradicionais animam o sábado de Carnaval

Blocos carnavalescos tradicionais, com mais de dez anos de folia, sairão nas ruas de Teresina no sábado de Carnaval (25). Na zona Leste, o Capote da Madrugada deve arrastar mais de 100 mil pessoas ao som do frevo. O evento pretende também emocionar com uma homenagem ao advogado Mário Aragão Pereira, presidente do bloco, que faleceu no início do mês de fevereiro. 

"O Piauí abraçou nosso bloco e vem gente até de fora brincar com a gente. Vamos fazer uma homenagem ao nosso eterno fundador, presidente. O Mário deixou um legado e daqui a 200 anos vão saber que foi ele quem criou o bloco. Não foi fácil perder o Mário, uma pessoa que era a mola mestra...de repente, a 'casa caiu' e saímos juntando os cacos e conseguimos aos trancos e barrancos, nos levantar. Tenho certeza que o Mário está muito feliz, ao lado de todos nós, de manhã, de tarde e de noite, sentindo a nossa essência", disse Valdo Alves, vice-presidente do Capote da Madrugada, que está na 14ª edição.

A concentração do bloco acontece ao meio-dia em e o percurso deve iniciar às 17h. Os abadás custam R$ 45 e estão sendo vendidos no restaurante Cajuína, Waynes Burger, lojas Miracéu e na Micro e Cia.do Jockey. 

Já o Sanatório Geral é um bloco para relembrar os antigos bailes de Carnaval. Marchinhas e música popular brasileira 'para pular' vão embalar o público das 16h às 22h, com concentração na praça da Liberdade, no centro da cidade. 

"Vamos ter um trio elétrico tocando marchinhas carnavalesca esperando crianças e familiares. O bloco é itinerante e o povo também é itinerante e a festa termina com os adultos. A gente prima pela qualidade da música apresentada e por isso vai rolar muita marchinha e música popular brasileira 'para pular' ", disse Jorginho Medeiros, um dos idealizadores do bloco. 

Neste ano, a 13ª edição, o trio elétrico será comandado pela banda Magnólia, a convite da banda Eletrocoque, grupo oficial do Sanatório Geral. O evento contará ainda com os DJs Naldo Moraes (às 18h) e Marceleleco (às 21h). 

Além de músicas tradicionais carnavalescas, o Sanatório Geral é marcado também por foliões fantasiados. "Para brincar, o folião precisa trazer apenas alegria no coração. Estamos esperando todo mundo", convida Jorginho Medeiros. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Bloco Pinto da Morada prepara grande festa no bairro Morada do Sol

  • pintodamorada.jpg Divulgação
  • pintodamorada1.jpg Divulgação
  • pintodamorada2.jpg Divulgação
  • pintodamorada3.jpg Divulgação
  • pintodamorada4.jpg Divulgação

O sábado de Carnaval será agitado no bairro Morada do Sol, com o desfile do bloco Pinto na Morada, que espera atrair um grande público na concentração na praça de eventos ao lado da igreja do bairro. Banda, passistas e muito frevo esperam os foliões a partir das 14 horas do dia 25 de fevereiro. 

Este é o primeiro ano que o Pinto irá desfilar, mas os diretores já têm anos de experiência pois faziam parte do Capote da Madrugada, tendo como presidente o pernambucano radicado no Piauí Alexandre Sá. 

A concentração contará com show de Lene Alves e banda antes e depois do desfile. No percurso, que sai da praça até a Maçonaria pela avenida Dom Severino e retorna, terá trio elétrico com orquestra de frevo e bonecos gigantes farão a animação dos foliões. 

Parte da venda das camisas será revestida em doação para o abrigo de idosos São José, localizado na Morada do Sol. A previsão é de que cerca de três mil pessoas participem do bloco, que tem uma música oficial de autoria dos compositores Osnir Veríssimo e Alzimar Alvarenga.

As camisas estão sendo vendidas no valor de R$ 30 e podem ser adquiridas através na loja da Blue Shark, no trailer do Paulo, no Girassol Center, todos na avenida Dom Severino, no Frango Leste, na avenida Homero Castelo Branco e durante a concentração no dia do evento. 
 

Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com

Coisa de Nêgo abre desfiles de blocos em Teresina

  • coisadenego13.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego12.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego11.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego10.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego9.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego8.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego7.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego6.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego5.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego3.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • coisadenego1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com

O carnaval começa oficialmente nesta sexta-feira (24) e quem abre os desfiles de blocos em Teresina é o grupo Coisa de Nêgo. Com o tema "Os Tambores da África ecoam aqui", o tradicional bloco da capital bateu tambor contra o racismo e os assassinatos da juventude negra. 

Com mais de 300 integrantes de todas as idades, o bloco percorre a avenida Boa Esperança, no bairro São Joaquim, zona Norte de Teresina, e segue para a Praça dos Orixás, no Parque Lagoas do Norte. 

Esta é a 30ª edição do bloco. Assunção Aguiar, coordenadora do Coisa de Nêgo, explica que o desfile propõe diversão e reflexão. 

"Os tambores da África ecoam aqui, ecoam para denunciar o racismo, a morte da juventude negra e a violência contra a mulher negra", explica Assunção. 

O bloco também é um ato de resistência contra a desapropriação das famílias que moram na Avenida Boa Esperança em decorrência do projeto Lagoas do Norte. 

"Não somos contra o Lagoas do Norte. Somos contra a nossa retirada daqui. O projeto tem que ser agregador", critica Assunção. 

O bloco Coisa de Nego conta com a participação de membros de quatro terreiros de umbanda de Teresina. 

"Aproveitamos este momento para desmitificar o que as pessoas pensam sobre a cultura negra", declara Assunção. 

O desfile do bloco deve encerrar às 19h.

Izabella Pimentel (Flash)
redacao@cidadeverde.com

Avenidas serão interditadas na Zona Leste para passagem de blocos de Carnaval

Motoristas que trafegam pela zona Leste de Teresina devem ficar atentos as mudanças no trânsito, neste sábado (24). A partir das 13h, a avenida presidente Kennedy será interditada em dois pontos para a passagem dos blocos carnavalescos Pinto na Morada e Capote da Madrugada. 

A Superintendência de Trânsito de Teresina (Strans) vai interditar a Avenida Dom Severino para passagem dos blocos Capote da Madrugada e Pinto da Morada.

"Vamos ter carnaval de blocos nas quatro zonas da Capital e tanto a Strans como a Fundação Cultural Monsenhor Chaves fazem esse acompanhamento. No início da tarde, vamos fazer o desvio da rota dos ônibus que passam pela presidente Kennedy, além do bloqueio de via e acompanhamento dos blocos", explica o coronel Jaime Oliveira, diretor de operação e fiscalização da Strans.

Ele esclarece os dois trechos que serão bloqueados, simultaneamente, no sábado de Carnaval: Dom Severino com Presidente Keneddy no sentido Leste- Oeste até a rua Jacob Almendra (Capote da Madrugada).  Rotatória no fim da Presidente Keneddy, próximo a igreja, até as proximidades da maçonaria.


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Bloco Coisa de Nêgo vai denunciar racismo e mortes da juventude negra

Fotos: Coisa de Nêgo

O batuque dos tambores do grupo Coisa de Nêgo vai ecoar e provocar reflexão neste carnaval. O desfile do tradicional bloco afro cultural será realizado nesta sexta-feira (24), com concentração na Avenida Boa Esperança, na zona Norte de Teresina.

O grupo vai percorrer a Avenida Boa Esperança e encerrar na Praça dos Orixás, no Parque Lagoas do Norte.  Com o tema "Os tambores da África Ecoam Aqui", o bloco Coisa de Nego vai festejar neste carnaval e também discutirá temas que envolvem a comunidade negra.  A coordenadora Assunção Aguiar adianta que o racismo será denunciado no desfile.
 
"Vamos desfilar numa perspectiva de festejar a vida e de denunciar o racismo, o genocídio da juventude negra e a intolerância religiosa", explica Assunção Aguiar. O desfile do  bloco terá uma média de 300 integrantes e a participação de terreiros de umbanda da capital.
 
O combate às práticas discriminatórias ao povo negro é bandeira de luta do grupo Coisa de Nego diariamente. Mas neste carnaval, a organização do bloco acredita o tema tem que ser mais amplamente discutido por conta da atual conjuntura nacional.
 
 "Nesse momento estamos vendo vários direitos da população negra sendo perdidos. O carnaval pode ser um espaço de reflexão sobre essa situação", pondera Assunção.

O bloco Coisa de Nêgo foi fundado há mais de 30 anos, antes do surgimento do grupo Coisa de Nêgo, que há 26 anos trabalha políticas públicas para a comunidade negra.
 
"A comunidade negra teresinense percebeu que era preciso tem um espaço onde não tocasse só o samba e o axé, mas trazer uma pauta dentro desse espaço de folia que tratasse sobre a realidade do povo negro, com o afoxé, cantando e contando a história do povo negro", explica Assunção.
 
O desfile do bloco Coisa de Nêgo começa a partir das 17h. 

 

Izabella Pimentel (especial para o cidadeverde.con)
redacao@cidadeverde.com 

Posts anteriores