Cidadeverde.com

Para não ficar de fora do carnaval, escola de samba vira bloco de rua em Teresina

  • 36cb9fb8-90a8-4c8f-88f2-5e5daac7bcaf.jpg
  • 8d830edc-8ea7-4ff0-9cb5-4537acaa5b1a.jpg
  • unnamed_(3).jpg
  • unnamed_(1)_-_Copia.jpg
  • 82f315fa-6e2a-46a0-9bf5-c6c975ee7cf6_-_Copia.jpg
  • 5641340b-ecd3-40d8-a498-b2f16d7d145d_-_Copia.jpg
  • b6c4bdce-afb6-4e60-ab0c-c9fcbb761141_-_Copia.jpg
  • bb1f0cea-3830-4d03-b685-ff270ffaf2cf.jpg
  • unnamed_(2).jpg
  • unnamed_(4)_-_Copia.jpg

Com 44 anos de sambas e enredos, o Grêmio Recreativo da Escola de Samba Sambão é a “única que nunca deixou de desfilar no Carnaval de Teresina”, garante o diretor social da escola, Marcelo Lopes. E, para manter essa tradição, o Sambão deixou de ser escola de samba para virar bloco de rua, pelo menos neste ano porque não haverá o tradicional desfile das escolas de samba em Teresina. 

“Essa foi a solução encontrada pela diretoria e pelos integrantes da escola para manter a bateria viva, pois nós já estávamos ensaiando desde o ano passado, acreditando que teria desfile em 2017. Até o nosso samba enredo, que é uma homenagem ao Arimatéia Tito Filho,  estava pronto quando soubemos  que, infelizmente, não iria mais ter o desfile”, disse o diretor.

Atualmente, o Sambão é a vice-campeã do Carnaval de Teresina 2016 e já conquistou quatro títulos. 

O bloco Sambão na Rua é comandado pela “Bateria Show Pulsação”. “Ela é composta por uns 15 participantes de duas gerações da Sambão, os novatos e veteranos: todos com muito amor pela escola de samba e que não querem deixar essa chama morrer”, comentou Marcelo.  

A “Bateria Show Pulsação” esta fazendo apresentações em eventos particulares e filantrópicos. Na sexta (24), ela esteve presente fazendo a alegria da criança em colégio no bairro Monte Castelo e no Centro Integrado de Reabilitação (CEIR), que comemorou 1 milhão de atendimento em oito anos de funcionamento. 

A coordenadora de voluntariado do Ceir,  Nazaré Bezerra, disse que a animação da bateria Pulsação contagiou a todos e que, momento como esse, são importantes tanto para os pacientes como para voluntários e profissionais da casa. 

“Foi uma alegria só. Quando eles começaram a tocar todos começaram a dançar; os cadeirantes ficavam pulando, parecia que iam cair. Para eles é um momento de descontração, de alegria, eles dançam mesmo com as limitações. A gente fica contaminada de alegria só em vier a felicidade deles”, disse a coordenadora. 

Para cair na folia

Na segunda (26), o bloco participa da Vaca Atolada, na zona Norte de Teresina. E na terça (28), o Sambão na Rua vai estar na Rua Firmino Pires, perto do Mercado Central, na região da Baixa da Égua, onde ficava o antigo galpão da escola de samba, a partir das 16 horas. 

 


Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com