Cidadeverde.com

Hospital Justino Luz promete UTI para maio

 

Na última segunda-feira, publicamos aqui neste espaço uma notícia acerca da vistoria realizada pelo sindicato dos médicos no hospital regional Justino Luz, em Picos. Segundo o presidente do sindicato, Samuel Rego, o que ele viu por lá é estarrecedor. Pacientes com câncer fazendo infusão de sangue no meio do corredor, em condições precárias, a UTI funcionando como depósito de móveis e equipamentos, tomógrafo quebrado, entre outras irregularidades. Desde segunda-feira, solicitamos o posicionamento da Secretaria de Saúde sobre a denúncia, que nos chega agora com as seguintes informações.

A unidade está passando por reforma e ampliação na área de urgência, bem como está implantando 10 leitos de UTI e 10 leitos de UTI Neonatal. Por conta disso, boa parte do espaço físico está comprometida, funcionando apenas com a metade da capacidade do pronto socorro

No projeto de reforma, o Hospital vai contar com espaços reservados para observações masculina e feminina, espaços para procedimentos contaminados, salas individuais para exames laboratoriais e de imagens e, também, o aumento do número de consultórios.

Com as intervenções em curso, alguns espaços servem temporariamente para o acondicionamento de mobiliários e equipamentos, sendo que, à medida que os novos espaços forem entregues, os materiais serão remanejados para a sala destinada a eles.

Elencam-se ainda outros investimentos que estão sendo feitos, como a instalação de um transformador de 500 KVA, que vai interligar à subestação existente. Com esta nova capacidade energética, a Secretaria de Estado da Saúde vai poder inaugurar a UTI ainda no mês de maio e colocar em pleno funcionamento o aparelho de tomógrafo, que não funciona em sua plenitude por causa do déficit energético. Apesar desta falha, havendo necessidade de diagnóstico por imagem, o exame é realizado por prestadores de serviço.

Devido a demanda por assistência de urgência, com uma média diária de 270 pacientes, pode ocorrer ocasionalmente dos corredores estarem superlotados, como relatado de um paciente sendo medicado no corredor. Informa-se que o mesmo, após a medicação para estabilização, foi imediatamente encaminhado a uma enfermaria.

Com os esclarecimentos prestados, espera-se que o hospital, planejado para servir a toda região do Picos, preste um bom serviço à comunidade, com espaços adequados, leitos disponíveis e equipamentos funcionando plenamente.