Cidadeverde.com

PF tem prazo até segunda para concluir inquérito contra Temer

O presidente Michel Temer ganhou mais cinco dias de fôlego, prazo concedido pelo ministro do STF, Edson Fachin, para que a Polícia Federal conclua a investigação que apura se o chefe do Executivo cometeu os crimes de obstrução da justiça, corrupção passiva e participação em organização criminosa.

Agora, o prazo final para a conclusão do inquérito expira na próxima segunda-feira, dia 19. A PF alegou que a perícia no áudio gravado pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, não foi concluída. O áudio possui algumas falhas que comprometem a audição e é nisso que a defesa de Temer se apega para pedir a anulação dele como prova contra o presidente. Segundo os seus advogados, a gravação é imprestável e sofreu edições.

Em outra frente, Temer tenta, a todo custo, manter uma base sólida na Câmara dos Deputados que impeça o prosseguimento da queixa que a Procuradoria Geral da República deverá apresentar contra ele nos próximos dias. Para isso, já prometeu apoio à candidatura tucana nas eleições presidenciais do próximo ano. O PSDB, como se sabe, ensaia um desembarque do governo, mas está dividido entre os que querem o rompimento com o presidente e os que ainda tentam se manter próximos ao Palácio do Planalto.

O próprio PSDB vive uma crise interna grave, com o pedido de afastamento do ex-presidente do partido, Aécio Neves, denunciado ao STF por corrupção passiva e obstrução de justiça. A cassação do neto de Tancredo Neves ainda será analisada pelo Conselho de Ética do Senado. Ética, aliás, é uma palavra esquecida nestes tempos sombrios em que o Brasil está mergulhado.