Cidadeverde.com

Saúde pública desidrata por falta de recursos

A sexta-feira é de protesto e paralisação na saúde. Os médicos do Piauí cruzam os braços hoje em advertência, após decisão tomada em assembleia geral no último dia 2. A categoria não vai atender nos hospitais do Estado, exceto os casos de urgência e emergência. Durante a manhã, eles estarão concentrados em frente ao ambulatório azul do Hospital Getúlio Vargas, lembrando a pauta de reivindicações, que inclui o pagamento do piso salarial estabelecido pela Fenam  (Federação Nacional dos Médicos), estabelecido em R$ 13.847, realização de concurso, melhores condições de trabalho e progressão automática na carreira.

Se já é difícil para o paciente do SUS conseguir uma consulta médica em dias normais, imagine com mais um dia represado. Por outro lado, os médicos estão sendo submetidos a um trabalho extenuante, muitas vezes em condições adversas. Merecem remuneração justa e digna para exercer uma profissão desgastante e que precisa de aprendizado contínuo. Não é a toa que eles estão adoecendo em escala preocupante.

 

Aperto chega aos hospitais

Para piorar a situação, os hospitais e clínicas que atendem pelo Iaspi também ameaçam parar porque já estão com a corda no pescoço. O atraso no pagamento a esses estabelecimentos se acumula há quatro meses, sufocando financeiramente a gestão de empresas que lidam com vidas humanas.

O Iaspi reúne 240 mil segurados no Piauí, o que representa 50% de todos os assegurados por convênio no estado. Com isso, criou-se uma dependência natural do pagamento do estado. Quando este atrasa, compromete o funcionamento de estabelecimentos que são vitais para a saúde da população.

Por fim, após audiência com o secretário da Fazenda, Rafael Fonteles, para tratar da regularização do pagamento da rede credenciada, os diretores de hospitais e clínicas decidiram esperar até o dia 10 de outubro. Se, até lá, o pagamento não for feito, ele deixam de atender os segurados do Iaspi.

 

Contas no Vermelho

Não é novidade para ninguém que o Estado encontra-se em situação financeira delicadíssima, com atraso no pagamento de fornecedores e terceirizados, com obras paralisadas e botando as mãos para o céu para agradecer porque, até agora, não atrasou a folha dos servidores. Alega a queda no Fundo de Participação dos Estados, provocada pela crise econômica que devastou o país desde 2015.

No entanto, quando há planejamento eficaz, há sempre uma reserva financeira para atravessar momentos difíceis. Além do mais, é preciso estabelecer prioridades na gestão pública. E a saúde, sem dúvida alguma, é uma delas.

 

 

 

Motoristas fazem paralisação em protesto contra arrastão nos ônibus

Uma nova modalidade de assalto está atormentando os teresinenses. São os arrastões realizados nos ônibus que fazem o transporte coletivo da cidade. Esse tipo de crime tem sido cada vez mais comum. Sem nenhum receio ou constrangimento, os assaltantes invadem os ônibus, levam todo o dinheiro e pertences de passageiros, motoristas e cobradores, sendo que estes últimos ainda são obrigados a arcar com o prejuízo da empresa.

Como forma de protesto contra a insegurança  que existe hoje na atividade, motoristas e cobradores de ônibus da capital irão fazer uma paralisação na próxima terça-feira. Eles querem o mínimo de proteção para trabalhar e garantir o sustento da família. Os passageiros, de quebra, agradecem.

 

Troca de experiências

A Associação de Jovens Empresários- AJE- vai promover de nos dias 9 e 10 de outubro o 1° Encontro de ex-Governadores do Estado do Piauí, com o tema “ O Piauí que queremos no Brasil que Podemos Ter”.

A palestra magna será com o especialista em Marketing Digital, Daniel Braga. Entre os ex-governadores do Estado, devem marcar presença:  Guilherme Melo, Mão Santa, Freitas Neto, Wilson Martins, Hugo Napoleão e Zé Filho. O evento será no auditório Senador Fernando Bezerra, no prédio da Fiepi.

 

Mundo Rosa

As mulheres de Teresina estão sendo convidadas a participar do plantio de mudas de ipê rosa, amanhã, a partir das 9h, no Parque da Cidade, zona norte. A iniciativa faz parte do movimento “Da Pureza do Ipê à Sensibilidade da Mama”, em alusão ao Outubro Rosa, campanha de prevenção ao câncer de mama, o tipo de câncer que mais atinge mulheres em todo o mundo.

O trabalho é coordenado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres. Plantar árvores é sempre uma boa ação na cidade em que os termômetros facilmente batem os 40°C.

 

 

 

 

A infância violada em uma cela de presídio

A Secretaria de Justiça coleciona mais uma confusão para a sua já extensa lista de problemas acumulados no sistema prisional do estado. É absolutamente inadmissível, sob qualquer ponto de vista, que um garoto seja colocado na cela de um preso ( acusado por estupro) para passar a noite lá. Este talvez seja o fato mais grave já registrado na penitenciária Major César até agora.

A proteção à dignidade desse menino foi irremediavelmente violada. E pior: poucas vozes se fizeram ouvir em protesto a tamanho descalabro, à exceção do Conselho Tutelar.  A infância deve ser protegida de todo perigo. E qual perigo pode ser maior que um menino passar a noite na cama de um estuprador em uma cela de presídio?

É de se perguntar como é feito o controle, se é que há algum, de entrada e saída de visitas nos presídios do Piauí. Fato é que este episódio lamentável não pode ser deixado de lado. As responsabilidades precisam ser apuradas com rigor para que os culpados sejam punidos, inclusive os pais, que entregaram o filho como um cordeiro a ser imolado.

Câncer de mama é o de maior incidência entre as mulheres

 

Os principais monumentos da cidade já se cobriram de rosa para chamar a atenção  para um problema de saúde pública que, todos os anos, tira a vida de milhares de mulheres no mundo inteiro. O câncer de mama é o de maior incidência em mulheres, excetuando o de pele não melanoma.

O Piauí acompanha a tendência mundial. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer – INCA – em 2016 o Piauí registrou 580 casos. Em todo o Nordeste a taxa é de 38,74 casos por 100 mil habitantes, um número ainda muito alto.

Alguns fatores pesam bastante para o surgimento da doença, com o histórico familiar, a densidade do tecido mamário e a nuliparidade ( mulheres que nunca pariram). Pesa também o sedentarismo, estilo de vida, alimentação e obesidade. Ou seja, alguns fatores independem da nossa vontade; outro, porém, só exigem a determinação para adotar uma nova postura de vida, aliada ao exame preventivo realizado periodicamente.

O cuidado preventivo, no entanto, encontra uma barreira quando se trata da população mais pobre que depende do sistema público de saúde. Os mamógrafos existentes na rede pública são escassos e nem sempre funcionam. O tempo perdido entre a marcação da consulta, a realização do exame, o retorno ao médico e o início do tratamento pode ser vital para salvar uma vida.

 

A fome com a vontade de comer

Quando a falta de dinheiro junta-se à oportunidade para alcançá-lo, faz-se de tudo para não desperdiçar o momento. É o que está acontecendo agora com os prefeitos  piauienses. Sem recursos para fechar o caixa municipal neste final de ano, eles seguem em comitiva amanhã para Brasília para uma audiência extraordinária com o Presidente Michel Temer.

Não que o caixa federal esteja melhor que o municipal para socorrer este último. O guardião do primeiro é que encontra-se fragilizado politicamente com mais uma denúncia contra ele a ser votada na Câmara Federal. E para assegurar a vitória necessária, a liberação de verbas continua sendo a melhor estratégia encontrada até agora.

A sentença de Aécio

Amanhã, também, o Senado deve decidir a situação do senador Aécio Neves (PSDB), afastado das suas funções parlamentares pela segunda vez pelo Supremo Tribunal Federal. Agora,  a primeira turma do STF decidiu, ainda, que o senador mineiro deveria permanecer recolhido em casa no período da noite, além de entregar o passaporte.

O espírito de corpo falou mais alto e senadores de diferentes partidos resolveram se unir contra o que consideram uma arbitrariedade da Suprema Corte. Os senadores defendem que o recolhimento domiciliar noturno equivale a uma espécie de prisão e que, portanto, teria que ser aprovado pelo Senado.Muitos senadores temem o mesmo destino de Aécio e, por conta disso, devem agir preventivamente.

 

Mais um presidenciável em Teresina

Depois de Bolsonaro e Lula, hoje é a vez do senador Álvaro Dias (Podemos) vir a Teresina testar sua popularidade e tentar angariar a simpatia dos teresinenses para sua provável candidatura à presidência da República. Amanhã, o senador segue para Parnaíba, no norte do estado. No Piauí, o partido de Álvaro Dias já conseguiu a adesão de Norberto Campelo, ex-presidente da OAB-PI e do Conselho Nacional de Justiça.

Posts anteriores