Cidadeverde.com

Estado ganha novas coordenadorias

O Governo do Piauí se estrutura, na administração direta, em 21 secretarias, mais 7 coordenadorias, além do Cerimonial, PM, Defensoria Pública, Gabinete Militar, Ouvidoria Geral do Estado, Procuradoria-Geral do Estado e três superintendências. A administração indireta conta com mais 6 institutos, 5 fundações, 6 autarquias e 5 empresas públicas.

A toda essa estrutura serão acrescidas, a partir de segunda-feira, mais nove coordenadorias, cada uma com 9 cargos de confiança, além da Empresa Hospitalar do Piauí. As funções das novas coordenadorias já são exercidas por outros órgãos do governo. Ou seja, os novos órgãos, criados em tempos de grave crise financeira, não têm qualquer utilidade prática. Vejamos:

1. Coordenadoria de Gestão dos Recursos Hídricos- Já tem a Semar e SDR que fazem essas atividades, além de um coordenadoria de fomento à irrigação;

 2- Coordenadoria de Modernização e Qualificação de Empreendimentos Públicos- já existe a Secretaria de Administração que cuida disso, junto com a Emgerpi;

3 – Coordenadoria de Infraestrutura Aeroportuária- Já tem a Secretaria de Transportes para tratar do assunto;

 4 – Coordenadoria de Tecnologia e Inovação - Já existe a Agência de Tecnologia e Informação (ATI) com a função de cuidar da área;

5 – Coordenadoria de Educação por Meio de Mediação Tecnológicas - Já  existem a Secretaria de Educação e a própria ATI para cuidar disso;

6 – Coordenadoria de Agronegócio e Cerrados - Já existem a SDR e Secretaria de Desenvolvimento Econômico para a tarefa;

7- Coordenadoria de Apoio à Piscicultura – Já existem a SDR e o Emater;

 8 – Coordenadoria de Combate a Pobreza Rural - Já tem a SDR para cuidar do assunto;

9 – Por fim, Coordenadoria Mais vida com Cidadania para o Idoso - Já tem a Sasc com a incumbência de cuidar da área.

Portanto, o governo Wellington Dias está chovendo no molhado, com a criação dessas novas coordenadorias para abrigar aliados e correligionários. Elas são absolutamente desnecessárias.

O prefeito de Parnaíba, Mão Santa, aproveita para arriscar um chute 

Em campo

Dizem que em Parnaíba o prefeito Mão Santa está jogando um bolão, conforme o registro de Walter Fontenele.

O prefeito pouco para no gabinete. Ontem, ele percorreu vários pontos da cidade afetados por alagamentos causados pelos últimos dias de chuva.

Estrada da morte

Do ex-prefeito de Corrente, Jesualdo Cavalcanti, sobre as últimas abordagens jornalísticas acerca da BR-135, a “rodovia da morte”:

“Vê-se que, aos poucos, as cabeças pensantes do Piauí vão se dando conta que essa diabólica armadilha de ceifar vidas, que é a BR 135, não é assunto apenas dos gurgueianos, mas de todo o Piauí e do Brasil, pois é o corretor natural e direto de transportes entre o Sul/Sudeste e esta parte do Nordeste.”

Destruição

“Intenso é o movimento, dia e noite, de imensas carretas e bitrens, incompatíveis com sua bitola e condições de tráfego, deixando um rastro de morte, destruição e desespero. Se não bastasse a destruição da rodovia e de tantas vidas, é desesperador também o estrago que esses gigantescos veículos provocam nas ruas e praças de nossas pequenas e indefesas cidades ao longo do percurso. Até quando vamos permitir tamanho absurdo???”

*No Brasil, o próprio governo estava financiando através do BNDES carne pobre e envenenada consumida largamente pelos brasileiros.

*É como dizia o escritor Ignácio de Loyola Brandão: “Não verás país nenhum”.

*O escândalo estourou quando a carne brasileira começava a entrar forte nos mercados asiáticos, sob o esforço do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. E agora?

*Os governadores que aparecerem na Lava-Jato só poderão ser processados com autorização das respectivas Assembleia Legislativas.

Velocidade controlada

Seu Chiquinho, de Canto do Buriti, cismou que o vice-prefeito de Dom Inocêncio, Marcos Damasceno, e o Padre Herculano, ex-prefeito de São Raimundo Nonato, correm muito na estrada que passa na porta da chácara dele, vindo para Teresina. E os procurou para uns conselhos:

Chiquinho: - Corram, mas cuidado com a velocidade; tem cheiro de morte.

Padre Herculano: - Eu gosto de andar rápido (180 km/h) porque é distante e me causa tédio a demora.

Damasceno: - Seu Chiquinho, velocidade é muito relativa (anda a 140 km/h). O Agostinho tombou o carro do padre a 20 km/h, ao desviar de uma galinha no terreiro da dona Catarina.