Cidadeverde.com

E agora, Brasil?

Aconteceu o previsto: o presidente Michel Temer derrubou, com folgada maioria, o processo que pedia autorização para investigá-lo por crime de corrupção passiva. A oposição fez muito barulho, como era seu papel, mas não apareceu com os votos necessários nem para ameaçar o presidente de ser afastado do cargo.

A Câmara dos Deputados votou ontem o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), de autoria do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomendou a rejeição da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente.

A votação

Para que a denúncia tivesse andamento no Supremo, eram necessários 342 votos (dois terços dos 513 deputados). A oposição, contando com os dissidentes do governo, chegou a 227. O governo recebeu 263 votos. Precisava de apenas 172 para se livrar do processo e sua meta era chegar a 256, a maioria simples da Câmara. Os 19 ausentes e as duas abstenções contam a favor do governo, o que amplia a sua vantagem para 284.

A abertura de processo no Supremo – o que implicaria o afastamento do presidente por até seis meses – dependia de autorização da Câmara. Com a decisão dos deputados, o Supremo só poderá apreciar a denúncia contra Temer após a conclusão do mandato do presidente, que vai até 31 de dezembro de 2018.

A expectativa do país, agora, é saber qual será a sua nova agenda: ou retoma a crise política, com nova denúncia do procurador-geral da República, ou se volta para a busca de solução dos graves problemas econômicos.

Foto: Divulgação

Freitas Neto, diretor da Fiepi

Energia mais cara

O diretor de assuntos econômicos da Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi), Freitas Neto, alertou ontem para o impacto do aumento tarifário da energia nas indústrias piauienses.

“Esse aumento dá um impacto de 5% na conta de energia. O empresário obrigatoriamente tem que repassar custos, na medida em que o produto é onerado ele tem que repassar custos, sob a pena de falir. Ele não pode produzir tendo prejuízos”, observou.

Efeito cascata

O diretor da Fiepi lembrou ainda que o país pegou recentemente o aumento de impostos sobre os combustíveis, que alcança toda a cadeia produtiva.

“Além da bandeira e dos impostos federais recentemente aumentados, o Governo do Estado também mandou uma proposta de aumento de impostos de ICMC sobre combustíveis, energia e comunicações. Isto tudo junto onera de mais o custo de produção e recai sobre a população,” alertou.

O empresário Reginal Carvalho faz palestra no Senac Timon

Palestra

O empresário Reginaldo Carvalho, presidente do Grupo Comercial Carvalho, fez palestra para alunos do Senac Timon sobre mercado de trabalho e perfil do colaborador.

O empresário dividiu com os alunos sua experiência de mais de 30 anos à frente da maior rede de supermercados da região, além de contar sua história de vida e dar dicas para os futuros gestores.

Mais juízes

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Erivan Lopes, anunciou ontem a nomeação de 16 juízes substitutos aprovados no último concurso.

Com o ato, o Tribunal de Justiça passa a contar com magistrados em todas as Comarcas do estado, segundo Erivan Lopes.

Foto: Divulgação

A volta às aulas - Ontem, na reabertura do ano letivo nas escolas municipais, o prefeito Firmino Filho lembrou-se do tempo em que era conhecido como ‘Prefeito Criança’. Nas 303 escolas municipais estudam cerca de 100 mil alunos.

* O Tribunal de Contas do Estado acionou a sua Divisão de Fiscalização para apurar a reclamação sobre a reforma do Porto das Barcas, em Parnaíba.

* A reclamação foi feita ao TCE pela Associação Piauiense de Empresários de Obras Públicas (Apeop).

* Boa parte dos recursos oriundos dos empréstimos feitos pelo Piauí está sendo pulverizada em construção de calçamento, obra de prefeitos.

* O presidente nacional do PTC, Daniel Tourinho, passou ontem à tarde por Teresina e se reuniu com o presidente do partido no Piauí, deputado Evaldo Gomes.

Arco e flecha

O prefeito de Parnaíba, Mão Santa, convidou índios pataxós que vendem raízes na Praça da Graça para tomar um cafezinho com ele, em seu gabinete. Ao final da visita, o prefeito comentou:

- Recebi índio verdadeiro, os pataxós, e eles me deram arco e flecha para acabar com o PT.