Cidadeverde.com

Um olho no peixe e o outro no gato

Depois de engavetar a denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer, o Congresso Nacional está com um olho no peixe e o outro no gato. Ou melhor, está com um olho no modelo de voto e o outro no caixa de campanha para as eleições de 2018.

O governo, com ares de vitorioso após a votação da denúncia na Câmara, sustenta que é possível tocar três reformas no Congresso – previdenciária, tributária e política. Os deputados, que estão com a reforma política em mãos, indicam que preferem se concentrar em apenas uma delas: a política.  

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já avisou que esta é a pauta prioritária na Casa para as próximas semanas. Para que as novas regras tenham validade em 2018, Câmara e Senado devem aprová-las um ano antes das eleições. O prazo se esgota no fim de setembro.

Os parlamentares focam em dois pontos: financiamento para campanhas eleitorais e partidos e sistema de votação. Em 2018, os congressistas terão a primeira experiência de eleição sem doações de empresas. Nem por dentro nem por fora. A Comissão Especial da Reforma Política deve votar as regras do financiamento de campanhas já na próxima quarta-feira, dia 9.

Vem aí o Distritão

A Câmara encaminha-se para um consenso em torno do Distritão. Nesse sistema, os candidatos mais votados são os eleitos, não havendo, assim, os chamados "puxadores de votos" - um candidato bem votado ajudar a eleger outros candidatos menos votados da coligação. É o contraponto ao “Voto Tiririca”.

A ideia chega a ter uma ponta de simpatia do eleitor, que prefere ver justamente os mais votados como eleitos. E também porque se trata de um golpe fatal nos partidos, vistos em sua esmagadora maioria como siglas de aluguel.

Em política, não existe remédio sem efeito colateral. Com o Distritão, haverá menos candidatos. E eles serão os mais ricos e/ou poderosos, mesmo sem nenhuma vida partidária. Quem tem dinheiro não vai precisar de nada de partido. A não ser a própria legenda.

Com isso, os parlamentares abandonam a ideia da lista preordenada, com financiamento público e uma nova legislação de organização partidária. Ela chegou a entusiasmar os congressistas no início da discussão da reforma política, porém não foi bem entendida pelo eleitor.

Financiamento

Em um dos relatórios apresentados pelo presidente dessa Comissão, Vicente Cândido (PT-SP), a proposta é de que o Fundo Especial de Financiamento da Democracia (FFD), o Fundão, seja criado com recursos da União e fiscalizado pela Justiça Eleitoral. Para as eleições do ano que vem, o FFD receberia 0,5% da receita corrente líquida.

A princípio, a porcentagem representaria R$ 3,5 bilhões, mas o valor já pode beirar os R$ 6 bilhões, considerada a previsão de R$ 1,182 trilhão da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017.

De uma forma ou de outra, sem doação financeira das empresas ou com o Fundão, é o contribuinte que acabará pagando a conta das campanhas eleitorais. Mesmo assim, ele ainda será capaz de fazer todo tipo de esforço do mundo para escolher mal os seus representantes.

Foto: Página Dep Assis Carvalho/Facebook

É assim que o PT do Piauí trata os aliados

No palanque com o inimigo

“Somente o deputado Assis Carvalho e a senadora Regina Sousa (parlamentares do PT) votaram a favor dos trabalhadores nesta reforma imoral que leva os trabalhadores de volta para a senzala.”

O PT anda distribuindo esta mensagem nas redes sociais e este outdoor por aí, mas com plena confiança de que contará com todos em seu palanque em 2018 no Piauí.

Licitação suspensa

O Tribunal de Contas do Estado determinou a suspensão de licitação da Secretaria Estadual de Saúde, por irregularidades nos procedimentos.

A licitação da Secretaria de Saúde (Pregão Eletrônico 041/2016) foi iniciada em 2016, do tipo menor preço, para contratação de empresa especializada no fornecimento de equipamentos para bomba de infusão.

Carta marcada

A denúncia de irregularidade foi feita por um dos concorrentes, o laboratório B. Braun S/A. O processo foi relatado pelo conselheiro Kleber Eulálio, que apontou restrição de competitividade e direcionamento do processo.

Seguindo parecer do procurador do Ministério Público de Contas Leandro Maciel, ele determinou à Sesapi a anulação do pregão e que providencie a abertura e conclusão de nova licitação para atender à demanda da pasta.

Foto: Cidadeverde.com

Secretário Samuel Silveira

Guarda

O secretário municipal de Cidadania, Ação Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, disse que, após atuar inicialmente nos parques, a Guarda Civil Municipal de Teresina vai passar a operar nos terminais de ônibus e nas linhas troncais.

A Guarda fez seis meses, já conta com sindicato e também já fez a sua primeira paralisação.

Quarentena

O deputado Robert Rios (PDT) esclareceu o objetivo do projeto apresentado por ele sobre o preenchimento de vagas de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado.

“Eu apresento um projeto que cria uma quarentena para ocupar vagas no Tribunal de Contas. Ou seja, quando surgir uma vaga no TCE só poderá concorrer quem, cento e oitenta dias antes ao surgimento dela, não tenha ocupado cargo de presidente, governador, senador, deputado federal e estadual, vereador, bem como prefeito e também cargo de secretário de confiança de Estado (DAS), até nas Fundações”, ressaltou.

Barrado no baile
Segundo o parlamentar, essa é uma maneira de despolitizar o preenchimento de vagas, para que o TCE possa continuar sendo, em sua totalidade, autônomo e livre do poder político.

Ele disse ainda que, se a lei for aprovada pela Casa, as próximas vagas de conselheiro que surgirem não poderão ser preenchidas por nenhum deputado ou nenhum ente político.

Prestação de contas

Já é tempo dos nove coordenadores que assumiram os cargos em maio passado apresentarem um balanço de suas atividades.

Ou pelo menos de serem cobrados para que o façam.

Na marra

Mais uma vez, a Prefeitura de Teresina se meteu a fazer uma obra radical sem conversar com os interessados. Resultado: a grita contra a urbanização da Avenida Nossa Senhora de Fátima é geral.

E poderia ser bem diferente, se a Prefeitura tivesse mais humildade e menos arrogância para explicar o projeto, que de fato é interessante.

Foto: Divulgação/Fiepi

Mais cidadania - O município de Avelino Lopes, a 800 km de Teresina, sediou no final de semana a Feira da Cidadania 2017. O evento é uma ação social realizada pelo Conselho Nacional do Sesi, em parceria com a Federação das Indústrias do Piauí – Fiepi. A feira da cidadania já percorreu os municípios de Gilbués e Curimatá e segue para o município de Redenção do Gurgueia, nos dias 11 e 12 de julho. O presidente do Sesi, João Henrique Sousa, fez a abertura do evento. 

* O deputado Dr. Pessoa (PSD) apelou para que o governo estadual cuide melhor da segurança nos municípios do Médio Parnaíba, onde a população está desassistida.

* E o deputado Henrique Rebelo (PT) criticou a fusão de linhas que atendem os usuários do transporte urbano de Teresina.

 * Segundo ele, a Strans faz as mudanças sem ouvir os usuários, a maioria estudantes e trabalhadores. Henrique Rebelo citou as alterações no percurso de duas linhas.

* São as que atendiam aos bairros Bela Vista, Lourival Parente, Morada Nova, São João, IAPC e Cristo Rei.

A busca do tempo

Do humorista Fraga:

- Andar em busca do tempo perdido só aumenta a perda.