Cidadeverde.com

Conta mais, Joesley!

O jornal Folha de S. Paulo traz, em sua edição de ontem, um artigo do empresário Joesley Batista, dono da JBS/Friboi e delator-mor da República. Intitulado “67 dias e 67 noites de uma delação”, o texto não é recomendável para quem não tenha nervos de aço. Se, no entanto, alguém nessa situação se dispuser a encará-lo, deve enfrentar a leitura com um lenço à mão, pois se trata do ‘martírio’ do empresário após a megadelação.

Pelo que se viu e ouviu das gravações de sua conversa com o presidente Michel Temer, custa crer que um cidadão com a linguagem de Joesley Batista tenha condição de articular um texto como o que está assinado por ele. Bem, mas o artigo tem a sua assinatura e certamente as suas idéias. O texto foi escrito e publicado com o objetivo de desfilar suas lamúrias contra as mentiras que teriam sido assacadas contra ele após a delação. Eis alguns trechos:

Mentiras e verdade

(...) Desde então, vivo num turbilhão para o qual são arrastadas minha família, meus amigos e funcionários.

(...) Imagens minhas e da minha família embarcando num avião, tiradas do circuito interno do Aeroporto Internacional de Guarulhos, foram exibidas na TV, como se estivéssemos fugindo. Um completo absurdo.

(...) Políticos, que até então se beneficiavam dos recursos da J&F para suas campanhas eleitorais, passaram a me criticar, lançando mão de mentiras.

(...) De uma hora para outra, passei de maior produtor de proteína animal do mundo, de presidente do maior grupo empresarial privado brasileiro, a “notório falastrão”, “bandido confesso”, “sujeito bisonho” e tantas outras expressões desrespeitosas.

(...)Venderam uma imagem perfeita: “Empresário irresponsável e aproveitador toca fogo no país, rouba milhões e vai curtir a vida no exterior”.

(...) A única verdade que sei é que, desde aquele 17 de maio, estou focado na segurança de minha família e na saúde financeira das empresas.

(...) Hoje, depois de 67 dias e 67 noites da divulgação da delação, resolvi escrever este artigo, não para me vitimar - o que jamais fiz -, mas para acabar com mentiras e folclores e dizer que sou feito de carne e osso. E entregar ao tempo a missão de revelar a razão.

O que faltou

Em seu longo artigo, o presidente da JBS  foca em assuntos de seu particular e especial interesse e não trata de questões que verdadeiramente trariam esclarecimentos para os brasileiros. Por exemplo:

1 . Como se deu sua negociação com o Ministério Público Federal e o STF; Quem fez o meio de campo?

2. Como ele conseguiu arrancar do MPF e do Supremo uma anistia para mais de 240 crimes confessos baseado em uma gravação clandestina que fez com o presidente da República, sem passar uma hora na prisão e com direito a sair do país?

3. Como o seu grupo saltou da condição de uma empresa sem expressão no país para o maior grupo produtor de proteína animal do mundo em menos de dez anos?

4. Por que seu grupo saiu quebrando e comprando frigoríficos pelo país? Com quê dinheiro? E por que jogou alto nas campanhas de mais de 1.800 políticos?

5. O que de fato o atual presidente da República negou ao seu grupo ao ponto de ele ficar tão furioso e tramar a sua queda do cargo, com um golpe tão baixo e tão sórdido?

Ah!  Poderia esclarecer também se a JBS fez ou não fez lobby pela nomeação do ministro Édson Fachin, relator de seu caso, para o Supremo.

Sem dar respostas convincentes para estas e outras questões, e sem ser cobrado a oferecê-las, o empresário Joesley Batista certamente será capaz de imaginar que todo brasileiro tem para com ele a mesma boa-fé do MPF e do STF!

Foto: Divulgação

O presidente do Sesi e a governadora em exercício Magarete Coelho, em Corrente

ExpoCorrente

Da Feira da Cidadania, evento de ação social promovido pelo Sesi e pela Fiepi realizado no final de semana no município de Gilbuéis, o presidente do Serviço Nacional da Indústria, ex-ministro João Henrique Sousa, deu uma esticada até Corrente, para acompanhar a 42ª ExpoCorrente.

A feira agropecuária, a maior do Sul do Piauí, foi prestigiada por várias autoridades, inclusive pela governadora em exercício, Magarete Coelho, com quem o presidente o Sesi conversou.

O evento

Em Corrente, além de fazer contatos políticos, a governadora Margarete Coelho acompanhou o leilão misto de bovinos, equinos e caprinos e visitou estandes no evento.

“A cada ano, nosso apoio e incentivo aumentam para essa festa que já faz parte do calendário do piauiense e a região responde positivamente para a excelência da maior e mais tradicional feira agropecuária do Sul do Piauí”, comentou.

Plantão

A Assembleia Legislativa mantém a maioria de suas diretorias e setores em funcionamento durante o recesso, de acordo com comunicado divulgado pelo diretor administrativo, Leandro de Brito Coelho.

Uma Comissão formada por parlamentares estaduais, tendo à frente o presidente do Poder, deputado Themístocles Filho (PMDB), representará a Alepi até o reinício das sessões plenárias, no dia 1º de agosto.

E agora?

A Polícia Federal afirmou ao Supremo Tribunal Federal que o delator da Lava Jato Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro, não merece os benefícios acertados com a Procuradoria-Geral da República por sua colaboração premiada ser “ineficaz”.

A avaliação da delegada Graziela Machado da Costa e Silva consta em relatório enviado ao STF na sexta-feira.

No material, a PF aponta que a delação não permitiu comprovar que os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), Renan Calheiros (PMDB-AL) e o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) atuaram para obstruir a Lava Jato, sendo que “as conversas estabelecidas não passaram de meras cogitações”.

Mau humor

A juíza federal Luciana Tolentino de Moura, da 7ª Vara Cível do Distrito Federal, negou concessão de uma liminar pedida pela Câmara dos Deputados para determinar a retirada de um vídeo do humorista e apresentador Danilo Gentili do ar.

Para a magistrada, a Câmara busca na Justiça “medida nitidamente de caráter repressor, censor, própria das ditaduras”.

É no que dá não ter senso de humor.

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Advogado de JK - O ex-senador Hugo Napoleão avança na escrita de seu novo livro, “Eu fui advogado de JK”, que já está em seu quinto capítulo. Hoje fora da política, ele se dedica à advocacia, em Brasília, atuando nos tribunais superiores.

* O presidente do Tribunal de Contas, conselheiro Olavo Rebelo, disse que não tem qualquer dificuldade em rever seus votos. Nem em mantê-los.

* O último voto polêmico do conselheiro foi pela manutenção do bloqueio dos recursos do Fundef da Prefeitura de Teresina.

* O mérito do caso será examinado pelo plenário do TCE no próximo mês. A PMT juntou papelada ao processo.

* No Piauí, quando cobrem um santo, descobrem outro: Parnaíba vai ganhar um voo direto de São Paulo, mas perderá o de Recife.

Conselho amigo

O presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho (PMDB), instruiu o ex-senador Hugo Napoleão a não se declarar fora da política. Hugo gostou do conselho e já o pôs em prática. Agora, quando indagado se volta à política, ele responde:

-“O futuro a Deus pertence”.

Cutucando o monstro com vara curta

Foto: Cidadeverde.com

Gasolina sobe, depois de sucessivas quedas

Depois de baixas seguidas no atual governo, o preço da gasolina volta a subir. A alta decorre de portaria assinada pelo presidente Michel Temer aumentando as alíquotas dos impostos PIS/Cofins sobre os combustíveis.

De acordo com o Ministério do Planejamento, a medida vai gerar, durante o restante deste ano, uma receita adicional de R$ 10 bilhões ao governo. A alíquota de PIS/Cofins cobrada sobre a gasolina passa de R$ 0,3816 para R$ 0,7925 por litro.

Significa dizer que o repasse integral do reajuste aos consumidores eleva o preço do litro do combustível em 41 centavos. O preço médio do litro da gasolina no Brasil estava em R$ 3,485, segundo o último relatório divulgado pela Agência Nacional do Petróleo. Com a alta confirmada, o valor deve passar para R$ 3,895 por litro.

Responsabilidade fiscal 

O presidente Michel Temer argumentou que o reajuste é necessário e considerou 'pequeno' o aumento do PIS/Cofins. Segundo o presidente, “isto é o fenômeno da responsabilidade fiscal”. Temer disse ainda que a população vai compreender o reajuste.

O novo reajuste ainda deixa os preços médios dos combustíveis com valores inferiores aos praticados em maio do ano passado. Mas nesse período a inflação caiu seguidamente e o Brasil chegou até a registrar deflação.

‘Pane seca’

Com a popularidade já no nível de uma “pane seca, a sua base sofrendo seguidas baixas e às vésperas de uma votação que decidirá sua sorte no plenário da Câmara dos Deputados, no julgamento da admissibilidade ou não da denúncia da Procuradoria Geral da República contra ele, o presidente Temer só pode é estar muito seguro da vitória. Do contrário, não empurraria mais esse reajuste impopular na cara e no bolso dos brasileiros.

Ao contrário do que imagina o presidente, a população vai compreender, sim, é que o governo, mais uma vez, não resiste à tentação de aumentar imposto quando a receita cai, a despesa pública não diminui e ele se nega a cortar gastos. Isto é, não corta na própria carne, como se diz popularmente, para avançar no bolso do contribuinte.

O monstro

Conta-se que no governo e depois que deixou o poder, o ex-presidente Juscelino Kubitscheck tinha um modo particular de lidar com a repercussão das ações governamentais e dos atos políticos. Naquele tempo ainda não havia os institutos de opinião pública, mas ele costumava indagar com muito interesse aos seus interlocutores:

- Como está o monstro?

- Que monstro, presidente?

- A opinião pública. Ele está em todos os lugares.

Abaixava-se, como se procurasse alguma coisa embaixo da mesa, e prosseguia:

- Ele está em todos os lugares, aqui, ali e onde mais você imaginar. E também onde você nem imagina.

O presidente Temer certamente conhece a história da preocupação de JK com a opinião pública, bem como as consequências de seus humores, mas finge não conhecer.

A opinião pública não aprova o seu governo, porém não lhe tem sido hostil. Até aqui, nada de panelaço.

Não bastasse as emoções e tensões que o cercam, o presidente ainda se dá ao risco de cutucar o monstro com vara curta.

 

TCE mantém bloqueio de recursos da PMT

Foto: Divulgação/TCE

Tribunal de Contas mantém bloqueio

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) ratificou, ontem, com o voto de seu presidente, conselheiro Olavo Rebelo, a decisão cautelar do conselheiro-substituto Alisson Araújo, de bloqueio dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef ) da Prefeitura de Teresina.

O pedido de bloqueio do Fundef foi feito em denúncia do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm), de suposta irregularidade em pagamentos feitos com os recursos do Fundef.

Os precatórios do Fundef da Prefeitura de Teresina somaram R$ 228 milhões, ganhos no ano passado, em ação judicial contra a União. O TCE também verifica a legalidade de cessão de R$ 18 milhões ao Banco do Brasil, a título de juros cobrados pela instituição em operação de antecipação dos recursos, realizada no ano passado.

A procuradora-geral do Município, Geórgia Nunes, reafirmou na sessão que a operação com o Banco do Brasil foi autorizada pela Câmara Municipal e se sustenta em decisões da Justiça Federal e do Supremo Tribunal Federal (STF). Ela disse também que os recursos foram integralmente destinados a obras e investimentos em escolas e ao pagamento de professores.

Outra decisão

Em março passado, no julgamento de caso semelhante, envolvendo a Prefeitura Municipal de Miguel Alves, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PI) concluiu que os recursos do Fundef pertencem ao município, que decidirá a melhor forma de sua aplicação. A decisão do TRT teve como relator o desembargador Arnaldo Boson e foi baseada em farta jurisprudência.

No caso decidido pelo TRT, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Miguel Alves propôs ação trabalhista requerendo que 60% dos valores obtidos na Justiça Federal, em ação idêntica à de Teresina, fossem rateados com os servidores da educação.

O sindicato ganhou na Vara do Trabalho de Teresina e correu para fazer acordo com a prefeita que deixava o mandato. O TRT recusou-se a homologar o acordo e concluiu que os servidores não tinham crédito a receber, pois o piso legal da categoria era pago mensalmente. Resultou daí a conclusão de que o município tem discricionariedade para aplicar os recursos extras obtidos na Justiça Federal.

Ou seja, o TRT entendeu que, se o município bancou todos os meses, com recursos próprios, o piso salarial devido ao magistério, sacrificando outras áreas, os valores obtidos depois na Justiça não devem ser destinados ao pagamento de pessoal da educação.

Em resumo, os recursos extras devem ser aplicados discricionariamente pelo município, buscando melhorar a qualidade dos serviços públicos, em especial da educação.

Estradas

Dos 462 requerimentos apresentados e aprovados pelo plenário da Assembleia Legislativa no primeiro semestre deste ano, 70 trataram da recuperação de trechos de estradas estaduais e também de trechos que são de BRs. 

Todos os parlamentares se mostraram preocupados com a pavimentação dos caminhos para as suas bases.

Posse

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, João Henrique Sousa, participou da posse do novo presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS e CIERGS), Gilberto Porcello Petry.
Petry, que assumiu a presidência até 2020, sucedeu Heitor José Müller, presidente por duas gestões consecutivas.

Foto: Divulgação/Sesi-CN

Posse dos novos dirigentes da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul

Pedras no caminho

Durante seu discurso, o novo gestor lembrou que o empresariado enfrenta situações e imposições contrárias a produção, como a burocracia, tributação elevada, crédito seletivo caro, juros altos e o pouco investimento em infraestrutura e logística.

Entre os dois mil convidados, estiveram presentes os presidentes das Federações das Indústrias dos Estados e o vice-presidente da CNI, Glauco José Côrte, além do governador do Estado, José Ivo Sartori, e do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, e do presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia.

Foto: Divulgação

Beleza e alegria - Uma vez por mês, a Fundação Maria Carvalho Santos, fundada e presidida pelo mastologista Luiz Ayrton Santos, recebe um grupo de mulheres que fazem um curso de automaquiagem. Todas saem de lá muito felizes.

*A Associação Reabilitar, que administra o Centro Integrado de Reabilitação, lançou, ontem, edital de processo seletivo para o cadastro de reserva do Ceir.

* O período das inscrições e entrega de currículos será do dia 1° a 9 de agosto. São oferecidas vagas para 12 especialidades.

* Já no final da gestão, o Governo do Piauí está cada vez mais empenhado na elaboração do Plano Estadual de Segurança Pública.

* A governadora em exercício Magarete Coelho foi atrás de subsídios para o plano em São Paulo, onde se realiza o 11º Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Língua de fogo

Da senadora Regina Sousa (PT), sobre a especulação dando conta da candidatura da ex-presidente Dilma ao Senado pelo Piauí:

- Independente da boca que veio é queimação.

Que história é essa de apelo a bandido?

Depois de uma nova cena de violência em hospital da rede pública de Teresina, o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Sílvio Mendes, fez ontem um alerta e um apelo aos bandidos: “Os médicos e enfermeiros que estão sendo agredidos hoje são os mesmos que, quando os criminosos são agredidos ou acidentados, os socorrem. Então, é preciso proteger quem trata de suas vidas”.

Sílvio Mendes disse ainda que já solicitou reforço na segurança dos hospitais municipais. “Tivemos reuniões e fomos bem atendidos pelo secretário de Segurança, Fábio Abreu. Nessa reunião, participaram representantes dos hospitais, comandante da Polícia Militar e outras pessoas. Pedimos orientações acerca de que comportamento devemos ter. Só que a insegurança é uma questão maior do que o secretário e o comandante”, ressalta.

A manifestação do presidente da Fundação Municipal de Saúde ocorreu depois de um tiroteio na frente do Hospital Maternidade do Promorar, na zona Sul de Teresina, noite de terça-feira passada. Uma bala perdida atingiu o consultório médico. Por um milagre não atingiu um médico e um bebê. Houve pânico no local. Em menos de um mês, este é o segundo caso registrado no hospital.

Tropeço

O presidente da FMS reconheceu que a segurança pública é uma abordagem complexa. “É preciso a ação de todos, não só da Secretaria de Segurança, mas de todos nós. É necessário a adoção de políticas públicas, de educação de combate às drogas, e isso a FMS faz e irá continuar fazendo. A questão da segurança pública vai além do policiamento e não pode ser uma abordagem simplista e não podemos nos omitir, pois é algo de interesse de todos”, afirma.

Sílvio Mendes, um gestor público experiente e comedido em seus gestos, ex-prefeito de Teresina por duas vezes e também candidato a governador, analisa a questão do avanço da violência com uma visão ampla do problema. Mas ele tropeça quando faz apelo aos bandidos, para que poupem os profissionais de saúde.

Caos

Ora, o apelo contra a criminalidade deve ser feito diretamente à Segurança Pública. Insistentemente. Enfaticamente. Reiteradamente. É seu papel dar resposta à questão. Se ela não pode enfrentar o problema sozinha, que arregimente as forças necessárias para a tarefa. O que não pode é continuar nessa situação, já quase fora de controle.

Os bandidos invadem as escolas, os hospitais, as empresas, as residências e até as igrejas. Eles  devem ser enfrentados com a força e o rigor da lei. Apelar para que os bandidos sejam seletivos é atestar que se perdeu por completo a confiança no aparelho policial. Aí é o fim!

Foto: Reprodução

PT do Piauí convoca ato público pró-Lula

PT na rua

O PT, os aliados e sindicalistas voltam às ruas hoje para atos em defesa do ex-presidente Lula, condenado pelo juiz Sérgio Moro, na Lava Jato.

No Piauí, os protestos são articulados pelo presidente regional do PT, deputado federal Assis Carvalho. Ele convoca a militância: “Manifeste sua opinião nas redes sociais, converse com seus amigos, vizinhos, colegas de trabalho sobre mais esse golpe contra a democracia e o projeto de desenvolvimento com inclusão social no Brasil.”

Em Teresina, o ato público pró-Lula será às 17 horas, na Praça da Liberdade, Centro.

Regina e Dilma

A senadora Regina Sousa (PT) comentou ontem a notícia, ainda em tom de especulação, sobre uma eventual candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff ao Senado pelo Piauí.Ela disse que o PT não discutiu o assunto. Também acha que é queimação e que o natural seria Dilma concorrer pelo Rio Grande do Sul, onde tem domicílio, ou Minas Gerais, seu estado natal. E destacou que a própria ex-presidente não se decidiu sobre candidatura.

A senadora disse que o PT e a ex-presidente devem considerar ainda as mudanças que poderão ocorrer na Lei Eleitoral.

Bem-vinda

“Se ela quiser se candidatar no Rio Grande do Sul ou Minas Gerais, onde ela teve os vinte anos de militância dela, é uma decisão dela. Ela não se manifestou que vai ser candidata e o partido ainda não discutiu, mas se ela expressar que o desejo será o Piauí, será muito bem recebida. Ela ajudou o Piauí quando era presidenta da República”, analisou a parlamentar.

A conta chegou

O prefeito Firmino Filho acha que fez uma grande vantagem com a sua decisão de suspender a cobrança da taxa de lixo, para atender ao “clamor da população”, mas a conta de seu ato demagógico já chegou.

O Governo Federal, através do Ministério das Cidades, lançou edital para Processo Seletivo Simplificado relativo aos exercícios de 2017 e 2018 para contratação de operação de crédito para a execução de saneamentos.  

A Prefeitura de Teresina não poderá participar do trâmite no eixo de Resíduos Sólidos por não cobrar e arrecadar a taxa de lixo.

A regra é clara

Conforme o edital, a seleção das propostas pelo Ministério das Cidades obedecerá às regras de enquadramento e priorização, segundo os critérios definidos na instrução normativa nº 29 de 11 de julho de 2017.

No quesito Resíduos Sólidos, é necessário a comprovação da existência da taxa municipal de manejo de resíduos sólidos legalmente instituída e sendo obrigatório que esta já tenha sido arrecadada.

Foto: Divulgação

PCdoB com Regina - O PCdoB Piauí e a União da Juventude Socialista prestaram solidariedade à senadora Regina Sousa pela luta em defesa da democracia e dos direitos trabalhistas. O presidente do partido, ex-deputado federal Osmar Júnior, acompanhado do vereador Enzo Samuel (Teresina), de José Carvalho e Isadora Cortez, lamentou o grande retrocesso com a aprovação da reforma trabalhista e os desafios que a esquerda enfrenta em toda a América Latina.

* Será no domingo, dia 23, a partir das 14h, no Campus Torquato Neto, a 4ª. etapa do Concurso de Agente Penitenciário da Secretaria de Justiça. A etapa corresponde ao Exame Psicológico.

 *Faz sentido chamar ensino à distância, pois o modelo ainda está a uma grande distância do ensino.

* São Paulo, Santa Catarina e Paraná, por exemplo, não ousam nem sonhar com penitenciárias como as do Canadá. Mas o Piauí sonha!

* Estamos evoluindo, com o governador Wellington Dias. Não faz muito tempo, o país que inspirava o Piauí era Cuba.

Dilma senadora

Do deputado federal Heráclito Fortes (PSB), sobre as especulações dando conta da eventual candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff ao Senado pelo PT do Piauí:

- Se isso vier a acontecer, teremos o acordo chimarrão com rapadura.

Dilma vai encarar o Senado pelo Piauí?

Sim, na pressa que caracteriza a natureza do jornalismo diário, já divulguei informações nas quais não acreditava, mas acreditava na fonte. Em muitos casos, elas se mostraram depois como absolutamente corretas. Em alguns, muito poucos, não se confirmaram. Ou porque foram desmentidas pelos fatos ou simplesmente porque houve mudança de rota, pois, como alguém já disse, a política é como nuvem: você olha para o céu, ela está de uma forma; um instante depois, você olha de novo e ela já mudou.

Eu escreveria mais de um livro relatando esses episódios. Mas não é disso que me ocupo agora. No momento, venho apenas fazer um adendo à informação que dei, na segunda-feira, sobre uma articulação política para um eventual lançamento da candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff ao Senado pelo Piauí.

É fato ou boato?

Ela faz sentido? Sim e não. Para começar, é plenamente viável a candidatura da ex-presidente em 2018. Embora tenha sofrido o impeachment, no ano passado, ela não ficou inelegível. Seus direitos políticos foram salvos na última hora, em uma pedalada do Senado, sob o comando de Renan Calheiros (PMDB).

Em 1992, o presidente Fernando Collor, derrubado do cargo através do impeachment, perdeu os direitos políticos por 8 anos. De lá para cá, a Lei do Impeachment não mudou. É possível, no entanto, que a pedalada amiga de 2016 no Senado seja questionada quando Dilma se apresentar como candidata.

A volta de Collor

Muito bem! Quando recuperou os direitos políticos, Collor, o primeiro presidente do Brasil a sofrer o impeachment, retornou à vida pública como senador da República. Como Dilma não perdeu seus direitos políticos, é consequente imaginar que ela postule, legitimamente, voltar à cena política como senadora.

Collor, um animal político por excelência, foi buscar reparo político para sua biografia em seu Estado, Alagoas. O domicílio de Dilma é o Rio Grande do Sul, onde perdeu a eleição presidencial de 2014. Como ex-presidente, ela pode escolher qualquer estado para pleitear um mandato ao Senado.

Outros casos

Getúlio Vargas, deposto da presidência, foi eleito senador por dois estados em 1946 – Rio Grande do Sul e São Paulo. Embora com coração mineiro, JK elegeu-se senador por Goiás, ao deixar a presidência.

Além de Collor, na Nova República, José Sarney, um animal tão ou mais político quanto os ex-presidentes citados, também correu atrás de um mandato de senador ao deixar o Palácio do Planalto. Ele fazia política no Maranhão, a sua terra, desde criancinha, mas foi atrás de uma cadeira de senador no Amapá. Seu apurado faro de raposa política acusou que o Maranhão não estava para peixe.

É possível que Dilma se fixe no Piauí, onde obteve a segunda maior votação em sua reeleição, para concorrer às próximas eleições? É! É possível que a ideia não vingue? Também. O que é certo mesmo é que esse tipo de articulação e de decisão não passa pelo baixo clero. 

.

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Deputado João Mádison: adesão sem volta

Xiita

O deputado João Mádison radicalizou. Ele avisou que se o PMDB não estiver com o governador Wellington Dias, em 2018, ele muda de partido.

Ele disse que o compromisso do partido é votar na reeleição do governador. Portanto, não aceitará nem acompanhará outra decisão.

Base

O líder do Governo, deputado João de Deus (PT), disse em entrevista à Rádio Cidade Verde FM (105.3), no programa Acorda Piauí, que não sabe como o presidente Michel Temer consegue tanto apoio político-parlamentar no Congresso.

Por acaso, o deputado sabe como o governador Wellington Dias consegue também tanto apoio na Assembleia Legislativa?

Novo projeto

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Erivan Lima, afirmou ontem que o índice de ressocialização de detentos envolvidos com drogas no Piauí é zero.

Ele aposta em um novo programa bancado pelo Tribunal de Justiça, em articulação com o Governo do Estado e ONGs, o “Ressocializar para não prender”.

O programa vai possibilitar a internação de dependentes químicos, ao invés de prendê-los.

Denúncia

Na volta do recesso parlamentar – que oficialmente começou ontem e vai até o dia 31 de julho – uma das pendências que os senadores terão que deliberar é o pedido de reconsideração da denúncia contra o grupo de senadoras de oposição.

São aquelas que ocuparam a mesa do plenário e impediram por sete horas que o presidente, senador Eunício Oliveira (PMDB), assumisse os trabalhos para a votação da reforma trabalhista.

Quem foi

As seis parlamentares envolvidas no episódio são Gleisi Hofmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM), Fátima Bezerra (PT-RN), Regina Sousa (PT-PI), Ângela Portela (PDT-RR) e Lídice da Mata (PSD-BA).

O relator, senador João Alberto, determinou que fosse juntado o pedido de reconsideração da denúncia ao processo.

Eu vim de Piripiri - O jornalista e professor Marcos Rezende lançou ontem à noite, em Teresina, o seu novo livro, “Piripiri em versos & muita prosa”. A apresentação é do compositor Jorge Melo, também piripiriense como o autor.

* O Governo do Estado já pode realizar nova operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal (CEF), no valor de R$ 315 milhões. 

* O secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, informou que o Estado do Piauí cumpriu todos os requisitos necessários junto à Secretaria do Tesouro Nacional  e à Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

* O despacho do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, concedendo o aval da União para operação já foi publicado no Diário Oficial da União (nº 135). 

*A próxima etapa será a assinatura do contrato entre o Governo do Estado e a Caixa Econômica, com o retorno do governador Wellington Dias do exterior.  

A profissão 

Em uma campanha eleitoral, um dos candidatos apresentou-se como filho de lavrador. Um apelo demagógico ao qual poucos candidatos resistem. Na verdade, ele ela filho de um fazendeiro que havia se tornado fiscal de renda, um dos melhores salários do serviço público. O então deputado Luciano Nunes, hoje conselheiro do TCE, era adversário do candidato, mas o defendeu em uma roda de amigos que contestavam a origem humilde que ele tentava passar:

- Olhe, o candidato não está mentindo. O pai dele era lavrador, sim. Lavrador de autos de infração para o fisco.

"Não há perigo de Rodrigo Maia trair", diz Heráclito

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

O deputado Heráclito Fortes no "Cidade Verde Notícias"

“Hoje, querem derrubar o presidente Michel Temer. Mas, amanhã, se o presidente cair, vão querer fazer o mesmo com o Rodrigo Maia (presidente da Câmara) ou o Eunício Oliveira (presidente do Senado)”. A avaliação, em tom de alerta, é do deputado federal Heráclito Fortes (PSB), sobre os rumores dando conta de que o presidente da Câmara articula na surdina a queda do presidente da República.

“Ele (Rodrigo Maia) não está movendo uma palha para que isso aconteça. Não há perigo de o Rodrigo trair o presidente”, garante Heráclito, que tem trânsito livre tanto com Michel quanto com o presidente da Câmara. “O Rodrigo [Maia] sabe das consequências. Ele sabe que hoje querem derrubar o Michel e que amanhã vão querer fazer o mesmo com ele”, avisa.

Em entrevista, ontem, à Rádio e à TV Cidade Verde, Heráclito Fortes desqualificou as acusações contra o presidente. “Ele [Michel Temer] não é esse bandido, esse cara à toa que infelizmente estão querendo pintar. Ele é um parlamentarista, um homem de responsabilidade, um jurista”, enfatiza.

Efeito dominó

Na avaliação de Heráclito, o Brasil vive hoje algo semelhante ao governo de Getúlio Vargas, em 1945. Com a derrubada de Vargas, o então presidente do Supremo, ministro José Linhares, assumiu o cargo de presidente da República.

“Há esse desejo de derrubar todos os políticos na linha sucessória para que a ministra Carmén Lúcia assuma a presidência, mas devemos usar a política para acabar a crise atual e não agravá-la", sugeriu.

Para Heráclito Fortes, a proposta de eleições diretas é uma hipocrisia. "No Brasil não temos a tradição da renúncia. Isso não vai acontecer”, avisa.

O deputado disse que o recesso parlamentar será propício a que os parlamentares façam uma reflexão melhor sobre a situação do país e possam analisar bem a denúncia contra o presidente da República, que será votada no plenário da Câmara no início de agosto.

Foto: Reprodução

Votação de Dilma no Piauí no 1º turno

Dilma senadora

São muitos os fatores favoráveis ao eventual lançamento da candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff ao Senado pelo Piauí, em 2018.

Em primeiro lugar, o PT leva em conta que, quando Fernando Collor sofreu o impeachment, em 1992, ele voltou como senador.

Dilma estaria na mesma situação.

Popularidade

Em segundo lugar, está a grande aceitação da ex-presidente junto ao eleitoral piauiense. No primeiro turno da campanha que a levou à reeleição, em 2014, ela obteve 70% dos votos no Estado.

No segundo turno da mesma eleição, saltou para 78,30%. Com isso, o Piauí só perdeu para o Maranhão, que deu à presidente 78,75%.

Lá e cá

No Rio Grande do Sul, onde tem domicílio eleitoral, a petista perdeu a eleição no segundo turno.

Em Minas Gerais, a sua terra natal, ganhou por pouca diferença do senador Aécio Neves (PSDB).

E mais

O Maranhão tem um aliado de primeira hora da ex-presidente Dilma, o governador Flávio Dino (PCdoB), mas ele tem candidatos de sobra ao Senado.

No Piauí, é diferente. O PT só tem a senadora Regina Sousa como candidata à reeleição.

Poderes

A tese apontada pelo deputado Heráclito Fortes (PSB), de que estão inflando a Justiça brasileira contra os outros dois Poderes – Executivo e Legislativo – começa a ser vista também pela imprensa estrangeira.

Nos últimos dias, os jornais Le Soir, da Bélgica; Le Monde, da França; New York Times, dos Estados Unidos; e El País, da Espanha, apontaram abusos do Judiciário e do Ministério Público brasileiros.

Jonal El Pais dá destaque para protagonismo do Judiciário no Brasil

Batalhão

A Assembleia Legislativa aprovou ontem requerimento do presidente da Casa, deputado Themístocles Filho (PMDB), que solicita ao governador Wellington Dias a criação de um Batalhão de Polícia Militar no Município de Esperantina.

Com o Batalhão, o parlamentar pretende oferecer melhores condições de trabalho ao policial militar e instalações mais adequadas para atender a comunidade de Esperantina e das cidades vizinhas.

Cavalo de Troia

O ex-juiz Márlon Reis, um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa e hoje advogado da Rede, disse que a "emenda Lula", embutida no bojo da reforma política em discussão no Congresso, é um "cavalo de troia".

"Na verdade, é um cavalo de tróia, porque vem com uma capa de algo que já vinha sendo reivindicado pelo movimento contra a corrupção eleitoral, a antecipação da habilitação, mas isso vem junto com uma outra medida extremamente negativa e injustificável.", critica.

Endereço certo

O relator da reforma política, deputado Vicente Cândido (PT-SP), incluiu em sua proposta a proibição de prisão de candidatos pré-habilitados a disputar eleições até oito meses antes da votação.

A emenda tem endereço certo: o ex-presidente Lula, avalia o idealizador da Ficha Limpa.

* Pelo menos 20 deputados federais do PSB estão num pé e noutro para debandar para o DEM do deputado Rodrigo Maia. Aí tem!

* A governador em exercício Magarete Coelho bateu o pé: o PP vai lutar para continuar com a vice-governadoria em 2018.

* Quem também bateu o pé pela vice do PT foi o deputado João Madison. Ele quer a vaga para o PMDB e, mui especialmente, para Themístocles Filho.

* O governador Wellington Dias é madrugador. Seu primeiro compromisso oficial no Canadá será hoje, mas ele já está no país desde sábado.

Arco e flecha

Do deputado Heráclito Fortes (PSB), sobre o aviso do procurador-geral da República de que tem mais flechas para disparar contra o presidente Michel Temer:

- Daqui a pouco o presidente estará que nem São Sebastião, com flechadas por todo o corpo.

O tamanho da oposição

Desde que explodiu a crise política decorrente da delação premiada do dono do grupo JBS-Friboi, Joesley Batista, o presidente Michel Temer já foi dado como morto politicamente em várias ocasiões. Sua renúncia foi anunciada como irreversível para o dia 18 de maio. Ela não aconteceu.

Depois marcou-se outra ocasião para o fim de seu governo: 9 de junho, no julgamento da chapa presidencial Dilma-Temer, no Tribunal Superior Eleioral, por abuso de poder econômico na campanha eleitoral de 2014. Mais uma vez, a previsão não se confirmou. O presidente ganhou a causa.

Baixas no governo

É fato que, de lá para cá, a base de sustentação política do governo vem tendo baixas significativas. Uns porque não querem que as denúncias feitas contra o presidente respinguem neles. Outros porque são vocacionados para o oportunismo político e, como preás, sempre dão um jeito de fugir quando o capim começa a pegar fogo.

Diante das deserções na base, fixou-se outro momento para o fim do presidente. Ele se daria na votação da reforma trabalhista no Senado, dia 12 passado. Mas ela acabou passando por um placar elástico a favor do governo: 50 votos a 26.

Então, estabeleceu-se que Temer finalmente cairia quando a denúncia contra ele fosse analisada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Essa também falhou redondamente. Um dia depois da vitória no Senado, o presidente ganhou de lavagem outra vez na Câmara, por 40 votos a 25.

Para tanto, lançou mão, é fato, de articulações e artimanhas muito criticadas pelos adversários, mas próprias das casas políticas, como a substituição de membros da CCJ avaliados como infiéis.

Temer resiste

O presidente saltou todas essas fogueiras, deixando a oposição desorientada. Ele passará por uma nova prova de fogo no início de agosto, quando a denúncia da Procuradoria Geral da República será analisada no plenário da Câmara.

Seus adversários dizem que, desta vez, o presidente cai. Mas dizem isso apenas da boca para fora. As duas votações decisivas para o presidente, no Senado e na Câmara, mostraram que ele ainda dispõe de surpreendente vigor político nas duas Casas.

As votações da semana passada mostraram também o tamanho da oposição no Senado e na Câmara – em torno de um terço dos votos. Se o presidente vier a sofrer algum revés, será por conta dos votos de sua base, não por causa dos votos da oposição.

Dilma senadora

Circula nos meios políticos a informação de que a presidente Dilma Rousseff será candidata a senadora pelo Piauí, através de um acordo com o governador Wellington Dias.

Ninguém confirma ou desmente. É aguardar setembro, prazo final para transferência de domicílio eleitoral.

Hoje a ex-presidente vota no Rio Grande do Sul.

Circuito

Eis que o Piauí ganha mais uma opção cultural: o Circuito de Vaquejada Fábio Abreu, realizado em quatro municípios do Norte do Estado, com muitas atrações e premiações!

Biblioteca Virtual

A governadora em exercício Margarete Coelho participa, hoje, a partir das 8h30, da solenidade de lançamento da Biblioteca Virtual Especializada, no auditório do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).

A biblioteca disponibilizará livros e periódicos especializados na área jurídica para os estudantes dos cursos de Direito, Administração e Ciências Contábeis da universidade e também para servidores do estado do Piauí.

Casamento

O mundo político, empresarial e social prestigiou o casamento de Louise Tajra e Danilo, no sábado, na Igreja de Fátima, com recepção no Theresina Hall.

Entre os que foram levar suas felicitações ao novo casal, estavam a governadora em exercício Magarete Coelho, o prefeito Firmino Filho, o desembargador Raimundo Alencar e os conselheiros Olavo Rebelo e Luciano Nunes, do TCE, além dos ex-governadores Wilson Martins, Zé Filho e Hugo Napoleão, bem como o deputado federal Heráclito Fortes e o ex-ministro João Henrique Sousa, presidente nacional do Sesi.

Caravana

As duas novas edições da Caravana Piauí em Movimento, organizada pela Fundação Ulysses Guimarães, foram prestigiadas por lideranças políticas das regiões de Água Branca, na sexta-feira à noite, e de Valença, no sábado pela manhã.

No evento, o ex-ministro João Henrique apresenta um diagnóstico sobre o Piauí e aponta potencialidades e alternativas de desenvolvimento para o Estado.

Mudar é preciso

O ex-governador Zé Filho prestigiou o evento em Água Branca, cumprimentando o ex-ministro João Henrique pela iniciativa.

Para Zé Filho, “não podemos continuar com o desgoverno em que o Piauí vive, com a criação de secretarias para acomodar apadrinhados políticos, enquanto o povo sofre com falta de segurança, saúde e emprego.”

Foto: Divulgação

Ex-ministro João Henrique, em Água Branca

* O governador Wellington Dias terá amanhã o seu primeiro compromisso oficial da viagem ao Canadá.

* Será hoje, às 10 horas, no Palácio de Karnak, o lançamento da Ópera Serra da Capivara.

* Fala-se que o cachê da cantora Ivete Sangalo para se apresentar em Regeneração será de R$ 300 mil.

* O Tribunal de Contas pediu informações sobre o show, através do Ministério Público de Contas.

Fechou questão

Em Brasília, uma nova piada nos meios políticos sobre a indecisão dos tucanos. No Congresso, dois deputados se encontram e puxam conversa:

Deputado 1 – Quais são as últimas?

Deputado 2 – O PSDB fechou questão?

Deputado 1 – Contra ou a favor do presidente?

Deputado 2 – Fechou questão de continuar em cima do muro.

Piauí mais uma vez na vanguarda

Quando o assunto é política, ou melhor, quando é eleição, o Piauí sai na vanguarda. Não há páreo para o Estado. Ainda não se sabe se o presidente Michel Temer vai conseguir se segurar no cargo neste segundo semestre. Também não se sabe quem serão os candidatos à sua sucessão e muito menos que partidos terão condição de apresentar candidatos ao Palácio do Planalto em 2018.

No Piauí, porém, já estão sendo montados a todo vapor os palanques para as eleições do ano que vem. Os palanques, não. O palanque oficial. Mas em torno de duas das quatro vagas da chapa majoritária governista está havendo uma briga de foice no escuro entre os aliados.

PP refugado

O governador Wellington Dias é candidato natural à reeleição. Isso é ponto pacífico entre os governistas. Teoricamente, o outro candidato natural seria o senador Ciro Nogueira, aliado de primeira hora do governador nas eleições de 2014 e hoje seu ponta de lança no governo Temer.

Ocorre que o PT do Piauí anda refugando a aliança com o PP piauiense, acusado por eles de golpista. Os petistas piauienses não conseguem separar as questões nacionais das questões paroquianas.

Esta não é, porém, a única frente de resistência aos progressistas. O PMDB cresceu o olho para a cadeira da vice-governadora Magarete Coelho, indicada pelo PP nas eleições passadas.

A cessão dessa cadeira ao PMDB seria uma das cláusulas do acordo do governador Wellington Dias para o partido aderir ao Palácio de Karnak. O partido entrou no governo já com o nome do vice de seus sonhos na mesa – o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho.

Regina rifada

O PT entra de novo em choque com os aliados quando defende a candidatura de senadora Regina Sousa à reeleição. O PSD do deputado federal Júlio César está reivindicando essa segunda vaga de senador. Mas existem outros nomes de peso interessados na cadeira ocupada pela senadora. Para eles, uma nova suplência para Regina estaria de bom tamanho.

Não é assim, porém, que pensam os petistas piauienses. Eles têm a senadora como a única parlamentar no Senado que abraçou todas as bandeiras do partido, como o combate ao impeachment da presidente Dilma e às reformas trabalhista e previdenciária.

Em resumo, é sobre estes temas relacionados exclusivamente com as eleições de 2018 que as lideranças governistas estão debruçadas no Piauí. Os problemas reais do Estado ficam para ser abordados ou na campanha eleitoral ou depois das eleições.

CCJ da Câmara derruba relatório contra Temer

O governo Temer demonstra reação após semanas seguidas de bombardeio. Em um dia, aprovou por 50 votos a 26 a reforma trabalhista no plenário do Senado; no outro, derrubou por 40 votos a 25, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o relatório que sugeria a abertura de investigação contra o presidente Temer no Supremo.

Agora, o relatório da CCJ será votado no plenário da Câmara dos Deputados, provavelmente em agosto. E já com novo relator, anunciado ontem, o deputado federal Paulo Abi-Ackel, do PSDB de Minas Gerais. Ontem mesmo, o parlamentar já antecipou o seu voto contrário à aceitação da denúncia, por falta de provas.

A bancada do governo fez muitas articulações para derrotar o parecer do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ). Desde que o relatório foi lido, admitindo a denúncia da Procuradoria-Geral da República, os partidos aliados ao Palácio do Planalto fizeram 26 remanejamentos entre os integrantes do colegiado, substituindo deputados que haviam indicado voto contra o presidente.

Mesmo sendo uma prática regimental e comum no Congresso Nacional, o troca-troca gerou protestos e críticas ásperas por parte da oposição e de parlamentares dissidentes da base. Oito deputados integrantes de partidos governistas votaram a favor da continuidade do processo e, portanto, contra Temer.

Golpe no PSDB 

Derrotado na CCJ, o deputado Sérgio Zveiter saltou ontem para a oposição e acusou o presidente de obstruir a Justiça. Também classificou a vitória governista de ontem como artificial, prevendo que o presidente sofrerá um revés no plenário da Câmara.

Durante o encaminhamento da denúncia contra Temer na CCJ, 11 partidos orientaram voto contra a denúncia e 9 a favor. Só o PSDB liberou a bancada.

A escolha de um deputado do PSDB como novo relator do caso vem sendo interpretada como um golpe político no partido. Não deixa de ser. O PSDB desembarca, na última hora, mas, pelo voto do relator tucano favorável a Temer, a opinião pública vincula a sigla ao governo.

É a consequência, pois, da incoerência do PSDB, que não consegue agradar nem a gregos nem a troianos. Não é governo nem oposição nem povo.

Em duas votações importantes e decisivas, na quarta-feira, no plenário do Senado, e ontem, na CCJ da Câmara, o governo ganhou com dois terços dos votos. Mas a oposição ainda acha que é maioria. A votação do caso no plenário da Câmara vai tirar a prova dos 9.

Foto: Divulgação/Agência Câmara

O deputado Marcelo Castro: solidariedade a Lula

Solidariedade

O deputado Marcelo Castro (PMDB) fez ontem um vibrante discurso da tribuna da Câmara defendendo o ex-presidente Lula, condenado pelo juiz Sérgio Moro como corrupto.

Para o parlamentar peemedebista, o Ministério Público e a Justiça tomam o caminho da convicção acima das provas.

Injustiça

Marcelo Castro lembrou que, na Inquisição, as pessoas iam para a fogueira sem provas, mas havia a convicção de que elas estavam endemoniadas.

“Quantas injustiças não foram cometidas? É como eu vejo este momento da condenação do presidente Lula, sem fatos e sem provas”, enfatizou.

Sobre o caso do presidente Temer, de seu partido, o parlamentar piauiense nada disse.

Nota da AMB

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) divulgou nota apoiando integralmente a Associação dos Magistrados Piauienses (Amapi) na defesa do Poder Judiciário e, mais especificamente, relativa ao trabalho que vem sendo realizado pela Corregedoria Geral de Justiça do Piauí.

A nota é assinada pelo presidente da AMB, Jayme Oliveira.

Cartórios

A Associação dos Magistrados Piauienses (Amapi) também divulgou nota declarando total apoio à fiscalização e aos procedimentos judiciais e extrajudiciais adotados no âmbito do Tribunal de Justiça do Piauí, especialmente as medidas da Corregedoria Geral de Justiça no cartório do 2° Ofício de Notas e Registro de Imóveis de Teresina.

“Tais investigações objetivam sanar possíveis irregularidades, a fim de dar maior transparência aos procedimentos e melhorar o serviço ofertado à sociedade, não devendo, portanto, sofrer nenhum tipo de interferência ou pressão”, destaca a Amapi.

Caravana

A 8ª edição da Caravana Piauí em Movimento será realizada hoje em Água Branca, a partir das 18 horas. A palestra do ex-ministro João Henrique, presidente estadual da Fundação Ulysses Guimarães, será na Câmara Municipal.

Amanhã, a caravana estará em Valença, a partir das 10 horas, no Senac do município.

Foto: Divulgação/Facebook

Regefolia  - Só pode é estar sobrando dinheiro no Piauí. Pelo menos em Regeneração. Pois não é que a cantora Ivete Sangalo, uma dos cachês mais altos do Brasil, fará um megashow no Regefolia 2017? Quem paga a conta?

* A senadora Regina Sousa (PT) está desapontada com o seu colega Elmano Férrer (PMDB), que assinou requerimento para puni-la.

* Ela disse que já esperava tal atitude do senador Ciro Nogueira (PP), mas não do Vein.

* Regina e mais quatro senadoras da oposição ocuparam a Mesa Diretora do Senado e correm o risco de punição por falta de decoro parlamentar.

* O governador Wellington Dias embarca hoje ao Canadá, para uma viagem de dez dias.

Prêmio Nobel

Do humorista Fraga:

- Nobel da Paz para o verbo deitar: deitado ninguém briga.

Grita geral derruba a taxa do lixo

Foto: Reprodução

Prefeito desiste da cobrança da taxa do lixo

A Prefeitura de Teresina distribuiu ontem uma nota comunicando a suspensão da cobrança da Taxa de Coleta de Lixo. Segundo a nota, a medida foi tomada em função das “manifestações relacionada à cobrança” e das “variadas reivindicações feitas diretamente à administração municipal”.

A Prefeitura esclarece, também, que outro fator considerado foi “a atual crise financeira que atinge diretamente as finanças públicas”. A nota comunica, ainda, que a cobrança da taxa será feita apenas a partir do próximo ano.

A Prefeitura informa, por fim, irá adotar todas as legais e cabíveis para regulamentar a decisão, especialmente no que se refere à restituição dos valores eventualmente já pagos pelos contribuintes.

O custo da limpeza

No ano passado, a Prefeitura de Teresina gastou R$ 78 milhões com a limpeza da cidade. Sua expectativa era a de arrecadar R$ 7 milhões com a cobrança da taxa do lixo. Isto é, menos de 10% da conta com o serviço.

Ao abrir mão da cobrança, a Prefeitura leva a algumas constatações ou conclusões. A primeira é que, apesar da “crise financeira que afeta diretamente à administração municipal”, ela não esta precisando dessa arrecadação extra de R$ 7 milhões.

Também leva a crer que o prefeito, mesmo estando já em seu quarto mandato, administra com um planejamento que não é essa Brastemp da qual tanto se vangloria. Do contrário, não teria lançado agora a taxa do lixo, pois a crise econômica e financeira já existia bem antes da distribuição dos 133 mil boletos da taxa, com vencimento para o final deste mês. Ou ele estava apenas testando o humor do contribuinte?

Por fim, o recuo do prefeito tanto pode expressar um gesto de sensatez, em sintonia com o sentimento popular, quanto pode revelar que ele também não se imunizou contra a demagogia que afeta os políticos. Ou ainda que não é duro o suficiente para não se envergar à pressão popular. No próximo ano tem mais!

Foto: Divulgação/Agência Câmara

O deputado Silas Freire: a favor da investigação

Questão fechada

O deputado Silas Freire (agora no Podemos, um dos partidos aliados do governo), suplente convocado, protestou ontem contra a cobrança de fidelidade ao PMDB, PR e PP para a absolvição do presidente Michel Temer na Câmara Federal.

"Quem for contra, será expulso. Já passei por isso. Não desejo a ninguém você querendo votar com a vontade dp seu eleitor e o partido te obrigando a votar o contrário", criticou.

Ah, bom!

Quando indagado se estava antecipando seu voto contra o presidente, Silas Freire botou os pingos nos is:

- Não é contra ninguém. É a favor do andamento do processo no fórum recomendável,que é o STF.

Ah, bom!

Condenação de Lula

O governador Wellington Dias se pronunciou ontem, através de um áudio, sobre a condenação do ex-presidente Lula pelo juiz Sergio Moro, coordenador da Operação Lava-Jato.

Para o governador, a condenação não surpreendeu, já que partia de Sérgio Moro, associando a uma questão de cunho pessoal.

Wellington disse que, observando a decisão, considera que é uma condenação “sem provas”.

Por isso, prefere esperar que o caso seja levado a outras instâncias para que saiba o que de fato acontecerá com o ex-presidente.

Nunca antes

Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O petista foi acusado pela força-tarefa da Operação Lava-Jato de receber propina da OAS.

Segundo a acusação, entre as vantagens recebidas por Lula, está um apartamento tríplex no balneário do Guarujá, em São Paulo.

É a primeira vez que um ex-presidente do Brasil é condenado por corrupção. Lula é réu em outras quatro ações.

Saneamento

A Águas de Teresina informou ontem, através de sua assessoria, que está na capital o doutor em engenharia hidráulica e sanitária Pedro Além Sobrinho.

A convite da empresa, ele está visitando as estações de tratamento de esgoto e vai ajudar na produção de um diagnóstico, além de propor soluções emergenciais para a ampliação e melhoria do sistema.

Protesto

O protesto das senadoras oposicionistas contra a reforma trabalhista, que resultou na ocupação da Mesa Diretora do Senado como se a Casa fosse um acampamento de sem-terra, não é, em si, falta de decoro parlamentar. Está mais para a falta de noção mesmo.

Um atestado público de quem não conhece o Regimento Interno do Senado ou não está a fim de se submeter ao processo legislativo, que no plenário se movimenta através da negociação, da tribuna e do voto.

Foto: Divulgação

Homenagem  - A propósito, nas redes sociais, a senadora Regina Sousa (PT) ganhou homenagem do blog petista Jornalistas Livres, por ter participado do protesto das senadoras oposicionistas anteontem no Senado.

*A Agespisa anunciou um plano especial de atendimento ao litoral do Piauí durante as férias do meio do ano.

* A empresa contratou inclusive grupos de geradores para garantir o abastecimento de água nos municípios litorâneos.

* Os que comemoram a condenação do ex-presidente Lula fariam melhor se recebessem o fato com alguma discrição.

* Os próprios ou seus ídolos políticos carregam investigações e processos nas costas e também podem ser condenados a qualquer momento.

Seguro-desemprego

Do jornalista Cláudio Barros, sobre as críticas e ataques à reforma trabalhista, aprovada no Senado:

- Sim, a reforma trabalhista pode gerar desemprego, sobretudo de sindicalistas pelegos cevados pelo dinheiro do imposto sindical.

 

Posts anteriores