Cidadeverde.com

Folião improvisa fantasia de Hulk e invade cabine da TV Cidade Verde

No maior corso do mundo tem de tudo: até personagem de história em quadrinhos. E o foi gastando apenas R$ 4, que o vigilante Eliezer Viana se fantasiou de Hulk para brincar a festa pré-carnavalesca. O folião conta que para montar o herói usou roupas que tinha em casa e o único gasto foi com a tinta verde artesanal para pintar o corpo.

"É a segunda vez que venho de Hulk e ano que vem estamos aqui de novo. É um personagem que transmite força e também representa a natureza. E em tempos de crise, o jeito é brincar o corso de um jeito econômico e divertido. A minha fantasia do ano passado, perdi. Então fui no guarda-roupa e peguei umas roupas usadas, rasguei, pintei o corpo e estava pronto", disse o folião.

O vigilante disse ainda que outro motivo para optar pela fantasia é o seu filho de cinco anos, o pequeno Ângelo Gabriel. "Ele gosta muito do personagem e é uma forma de também homenageá-lo", disse.


O Hulk folião tentou "atacar" o Galego durante a transmissão da TV Cidade Verde

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Dindim "batizado" é vendido a R$ 1 para pagar contas

Dindim batizado a R$ 1. É com essa venda que o professor Eduardo Eulálio pretende arrecadar R$ 500 no Corso deste ano. Entre as avenidas Raul Lopes e Marechal Castelo Branco, ele brinca com o público e promete até vender o produto pela metade do preço, em troca do beijo de uma garota bonita.

“Moça bonita, se beijar paga a metade”, grita o professor, que se tornou vendedor por um dia para pagar as dívidas atrasadas. “Em tempos de crise, tem que ser assim, tem que improvisar”, explica.

Jordana Cury

jordanacury@cidadeverde.com

Família faz homenagem no Corso com balões para foliona que morreu após cirurgia

  • coracao-7.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • coracao-6.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • coracao-5.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • coracao-4.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • coracao-3.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • coracao-2.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • coracao-1.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • homenagem-4.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • homenagem-3.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • homenagem-2.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • homenagem-1.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde

Cerca 60 pessoas integram o bloco Ione Valéria, uma homenagem a uma apaixonada pelo povo de Teresina que faleceu há dois meses. Amigos e familiares soltaram 100 balões vermelhos em formato de coração para lembrar a amiga.

Em entrevista ao Cidadeverde.com no ano passado, Ione disse que viria com 100 balões para o Corso 2016. Isso porque em 2014 ela e mais quatro amigas encontraram um carrinho de supermercado que foi abandonado por um casal apaixonado e nele tinha um balão amarrado. Em 2015 ela foi para a avenida com o mesmo carrinho com os adereços. Ela batizou então carrinho do amor.

A irmã, Ivy Neri, afirma que a homenagem é uma declaração de amor para Ivone, que deixou os amigos de forma muito repentina.

Ione teve uma hérnia no intestino devido a uma complicação de uma cirurgia bariátrica feita há 4 anos e acabou não resistindo. “A gente tinha que fazer essa homenagem a ela. Ela disse que viria com os balões e nos fizemos a vontade dela. Vamos soltar todos para que, de onde ela estiver, ela veja todo esse amor”, declara a irmã.

Os amigos resolveram fazer a homenagem no Corso de Teresina porque consideram uma das principais características da amiga a alegria.

Flash de Maria Romero [do local] 
Diego Iglesias da Redação
Redacao@cidadeverde.com

Ambulantes reclamam de vendas na Marechal Castelo Branco

Todos os anos, muita gente aproveita o Corso do Zé Pereira para lucrar. Ambulantes oferecem de tudo para os foliões, desde bebidas, alimentos a adereços. No entanto, com a diminuição da quantidade de brincantes e dos caminhões, pelo menos na Avenida Marechal Castelo Branco, os vendedores não estão satisfeitos.

Eliane Lopes vende cerveja, água mineral e refrigerante em todos os anos em diversas festas da cidade. O lucro é quase sempre garantido. Mas neste ano, o comércio não está agradando e o faturamento está sendo menor. “Eu sempre estou no Corso porque eu trabalho com a venda, mas nunca tinha visto um corso assim tão fraco, não estou vendendo quase nada”, diz, já preparando o seu carrinho para seguir para a Raul Lopes, mesmo não sendo permitido.

Um vendedor adereços como tiaras, chapéu de pirata, copos descartáveis, disse que este ano as vendas diminuíram. Nos anos anteriores, o lucro chegava a R$ 2 mil por um dia, mas este ano mal chegou a R$ 200 devido a pouca quantidade de foliões.

Flash de Lyza Freitas [do local] 
Diego Iglesias da Redação
Redacao@cidadeverde.com

Empresário investe R$ 900 em fantasia e traz o "Predador" para a avenida

  • predador-4.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • predador-3.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • predador-2.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • predador-1.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde

O empresário Deusdedite Farias trouxe para a avenida Raul Lopes uma fantasia super produzida para o Corso 2016. Com um investimento de R$ 900 ele conseguiu reproduzir o personagem dos cinemas "Predador" e segundo ele - 'não tem crise para a folia'.

"Sempre gostei de inovar no Corso e esse ano eu vim com o Predador. A crise está aí mas num dia como hoje não tem crise para a folia", pontuou o empresário.

Mas ele não é o único que investe, o folião que se identifica como "Barbarella" gastou cerca de R$ 180 com a roupa e chamou a atenção vestido de Hera Venenosa na avenida Raul Lopes.

"A peruca é a coisa mais cara da fantasia e foi o maior investimento. É um prazer estar aqui", completou.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Foliões participam da transmissão do Corso usando a hashtag #CorsoCidadeVerde

  • tag-corso-9.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-8.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-7.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-6.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-5.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-4.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-3.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-2.jpg Foto postada nas redes sociais
  • tag-corso-1.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-13.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-12.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-11.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-10.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-9.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-8.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-7.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-6.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-5.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-4.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-3.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-2.jpg Foto postada nas redes sociais
  • hashtag-1.jpg Foto postada nas redes sociais

Os Minions, Os Flintstones e até o fantasminha do Snap são algumas das fantasias usadas pelos foliões que usaram a hastag #corsocidadeverde. Quer aparecer também? Basta usa a mesma tag!

 

Designer reproduz armadura do 'Homem de Ferro' usando papelão e R$ 40

  • Homem-de-ferro-5.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • Homem-de-ferro-4.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • Homem-de-ferro-3.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • Homem-de-ferro-2.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • Homem-de-ferro-1.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde

O designer gráfico Armando Barros conseguiu driblar a falta de dinheiro e surpreendeu a todos com sua fantasia de Homem de Ferro. Armando garante que gastou apenas R$ 40 para reproduzir toda a armadura do filme e o resultado foi a atenção de todos os foliões que o param para tirar fotos e registrar a fantasia. Usando caixas de papelão doadas e tinta ele conseguiu dar vida ao personagem.

"É a primeira vez que eu usei essa fantasia. Eu mesmo fabriquei e ela custou R$ 40. Peguei umas caixas de papelão e o único gasto que tive foi o spray vermelho que usei. O resto peguei em lojas e estabelecimentos", contou o designer.

Armando conta que sempre trabalhou com desenhos, o que facilitou a confecção da fantasia. "Eu produzi a geometria e o desenho todo para ir montando aos pedaços", pontuou.
  
O ponto negativo, é que o folião, ao longo de sua passagem pela avenida ainda não teve tempo de aproveitar a festa. "Eu ainda não consegui fazer nada só tirando foto, mas está muito divertido", concluiu.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Movimento “Vem Pra Rua” faz protesto em área isolada por seguranças no Corso

  • pixuleco-4.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • pixuleco-3.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • pixuleco-2.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • pixuleco-1.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • vem7.jpg Rayldo Pereira
  • vem4.jpg Rayldo Pereira
  • vem3.jpg Rayldo Pereira
  • vem2.jpg Rayldo Pereira
  • vem1.jpg Rayldo Pereira

Integrantes do movimento Vem Pra Rua organizaram um protesto contra a presidente Dilma e o ex-presidente Lula em uma área isolada no Corso 2016. Pelo menos 10 seguranças isolam a área cercada por grades que abriga os apoiadores ao impeachment da presidente e a operação Lava-Jato da Polícia Federal.

“Estamos aproveitando esse evento tão bem organizado com o público imenso para a gente registrar o ‘Vem Pra Rua’ com todas as suas propostas e ideais”, pontuou a médica Adriana Sousa, líder do movimento no Piauí.

Uma tenda montada no calçadão da avenida Raul Lopes tem como decoração um boneco gigante da presidente Dilma Roussef com o nariz do Pinóquio e o Pixuleco –personagem que representa o ex-presidente Lula vestido como presidiário – também anima o espaço.

“Ele está parcialmente aberto ao público. Quem simpatiza com o movimento pode entrar e participar e os seguranças vão manter a organização para não haver nenhuma confusão.

Candidatura

A médica aproveitou para anunciar que vai ser candidata nas Eleições em 2016. Adriana afirmou ainda não ter partido definido mas garantiu que vai participar do pleito. “Estou analisando os partidos mas quem tem tempo não tem pressa”, concluiu.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Galego cai no ritmo do Corso e dança Metralhadora

  • tv-solange-1.jpg Foto: Yala Sena/Cidade Verde
  • tv-transmite-1.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • transmite-tv-1.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9923.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9922.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9920.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9919.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9917.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_99141.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9914.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9909.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9908.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9904.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9820.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9818.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9816.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9815.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9813.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9804.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9801.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9800.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com
  • IMG_9796.jpg Thiago Amaral/cidadeverde.com

O maior desfile de carrros ornamentados do mundo ainda não começou, mas a equipe da TV Cidade Verde já esta a todo vapor. No estande montado na avenida Raul Lopes, os apresentadores Nadja Rodrigues, Amadeu Campos e Galego comandam o passo a passo do Corso 2016, além de repórteres em vários pontos da folia. Para animar os telespectadores, a banda Maguinho e Forró Pisado tocam os hits do Carnaval. ..e até o Galego entrou no ritmo da música Metralhadora da Banda Vingadora. 

"Fico alucinada em estar aqui participando dessa linda transmissão. Nossa banda já existe há cinco anos e toca mais forró, mas hoje está valendo tudo. As músicas mais tocadas, a gente vai fazer aqui", disse a vocalista Patrícia Karoline.

Além da transmissão pela TV, a inovação da emissora este ano é o estande montado para a equipe do Cidadeverde.com, que também registra os melhores momentos da festa. 

A TV Cidade Verde transmiste o Corso 2016 até às 22h. 

Graciane Sousa 
gracianesousa@cidadeverde.com

Petrobras vira tema de um grupo de amigos do Todos os Santos

Cerca de 30 amigos do bairro Todos os Santos foram fantasiados de acionistas da Petrobras para o corso de Teresina. Segundo eles, nesse momento de crise da empresa "até a liseira do Todos os Santos consegue ter ações de lá".

De acordo com o grupo, o bloco não tem intenção de fazer um protesto contra as recentes denúncias de corrupção.

"É tudo brincadeira. É todo mundo liso mesmo e a nossa intenção foi fazer uma homenagem a essa nossa pobreza. Pegamos um carrinho de supermercado e trouxemos a nossa bebida e viemos para avenida", disse Larisse Soares.

Maria Romero (Flash)
Hérlon Moraes (Da Redação)
redacao@cidadeverde.com

Posts anteriores