Cidadeverde.com

Criança teimosa, mãe teimosa

Quantas vezes já me peguei teimando com a teimosia da Nina... Infinitas vezes! Na maioria das ocasiões, ela nem estava fazendo nada demais, apenas sendo criança. A teimosia é sim uma das principais características deles. É graças a ela que as crianças descobrem muita coisa nesse mundo e, assim, saem um pouco da barra da saia da mãe. 

Elas não precisam que a gente fique ali regulando tudo. Ao contrário do que pensamos. As experimentações, as danações, a teimosia em fazer diferente do que querem os pais, tudo isso faz parte do processo de entendimento do mundo. 

Tava lendo um texto da guru maior quando o assunto é criança, Rosely Sayão, e ela observa o comportamento dos pais na atualidade. Nós estamos querendo que nossos filhos se adultem cada vez mais cedo, adotando um comportamento que não é deles. Que eles sejam "quietos". 

Qual a lembrança que temos da nossa infância? Brincadeiras o dia todo, ao ar livre, amigos muitos, íamos para a escola e passávamos apenas um turno do dia lá, não tínhamos obrigações e ainda ouvíamos nossos avós dizendo: "aproveita que infância é curta". Nós estamos encurtando ainda mais a infância dos nossos filhos. Quando paro pra pensar no que tenho exigido da Nina me dá medo. Decidi que vou preservar isso e me policiar para deixar de ser tão exigente. 

Fico louca quando digo a ela pra não fazer uma coisa e minutos depois lá está ela repetindo. "Não ouviu o que eu acabei de falar, Nina?" é a primeira coisa que vem à ponta da língua. Muitas das vezes é medo dela se machuar, cair... 

Enfim, mea culpa. 

Ao invés do "Não ouviu o que eu acabei de falar?", melhor ter um pouco mais de paciência, observar à distância e só chamar realmente a atenção em situações de perigo, risco real, não aquele risco que a gente cria na cabeça. 

É errando que elas aprendem também. Vamos pensar nisso e ser menos cri-cris.