Cidadeverde.com
Diversidade

Projeto 'A gente quer viver pleno direito' realiza oficina na Penitenciária Feminina de Teresina

Com o tema “Sexo entre mulheres: prevenindo as Infecções Sexualmente Transmissíveis – IST”, o Grupo Matizes e o Núcleo Gênero de Sexualidade da UESPI realizaram nessa quarta (26) uma oficina na Penitenciária Feminina de Teresina.

Marina Mendes, acadêmica de Medicina, foi a ministrante da oficina. A atividade contou com a participação de 40 reeducandas da Penitenciária Feminina. Na oportunidade, as participantes tiraram várias dúvidas sobre formas de prevenção, sintomas e tratamento de doenças como sífilis, HPV, hepatites.

A reeducanda M. D. F foi uma das que participou ativamente da oficina, não só questionando, mas também compartilhando suas experiências com as demais participantes. “Esse momento foi importante para nós entendermos o que é bom para nossa saúde. Foi uma bênção. Show!”, declara efusivamente M.D.F.

A facilitadora Marina Mendes também manifestou entusiasmo com os resultados da troca de vivências que a oficina proporcionou. “Foi supergratificante esse momento. É um pouco desconhecida a relação entre mulheres. Só se fala mais a relação de penetração de homens, entre homens e mulheres. Importante lembrar que no sexo entre mulheres também há a transmissão de doenças. Por isso, a prevenção é importante”.

A oficina é mais uma das ações do Projeto “A gente quer viver pleno direito”, executado pelo Matizes, com o apoio do Fundo Posithivo. As próximas atividades do projeto serão duas oficinas sobre prevenção com surdos.

 

 

Mulheres nos Terreiros da Esperança: Projeto de comunicação fortalece resistência em defesa de territórios

  • foto_5.jpg Ronald Moura
  • foto_4.jpg Ronald Moura
  • foto_3.jpg Ronald Moura
  • Foto_2.jpg Ronald Moura
  • foto_1.jpg Ronald Moura

Esperança virou verbo nos olhos e nas mãos de quem faz história. Esperançar, é o que fazem as mulheres por seus terreiros, analogia ao quintal onde se planta e cultiva ancestralidade, conscientes de seu direito à cidade. Para somar a esta luta e entoando a pergunta “Lagoas do Norte Pra Quem”?, o Projeto Mulheres nos Terreiros da Esperança, realizou a sua quarta atividade na tenda Espirita de Umbanda da Mãe Alice, no Mafrense, neste último domingo (23).

Segundo Isabel Jardim, uma das organizadoras do projeto e também uma das mulheres ameaçadas de remoção pelo Programa Lagoas do Norte (PLN), o encontro de domingo, intitulado Religando Vivências, foi um momento mágico que reuniu vizinhos e filhos de santo para curtir um cinema e fazer uma roda de conversa com a mestranda em sociologia , Daniele Soares . A socióloga estuda a o impacto do PLN sobre as religiões de matriza africana, a mesma também é moradora da região e afirma que a ameaça de remoção destas casas representa um desrespeito à cultura e fere os diferentes modos de viver e ser na cidade.

 Para Isabel Jardim o momento foi muito rico. “Debatemos sobre como o poder público age segundo interesses outros que não contemplam a "natureza" da diversidade do povo, incutindo um padrão que não é daquele lugar, destruindo raízes importantes para a sobre(con)vivência sadia de uma comunidade específica. Esquecendo, porém, que aquela estrutura se consolidou dessa forma, justamente, a partir da falta de olhar e ações que providenciassem os direitos básicos da gente negra e pobre da cidade”, contesta, relembrando que todas as benfeitorias da região, tais como escolas e creches só veio a próprio punho da população, esquecida e criminalizada pelo estado, comumente categorizada como perigosa e marginal.

Durante todas as vivências do projeto  moradores e moradoras atingidos pelo PLN apontam que agora que encontraram seu lugar, na construção diária e contínua de seus espaços e significantes/significados e que praticam nas suas crenças, rotinas, lutas e vidas, a prefeitura junto ao banco mundial vem propor uma modificação a revelia dos interesses comunitários.

A cada encontro do Projeto, se observa um modo de vida tradicional e de apego aos valores da natureza. Na atividade “construindo círculos: ver, ouvir e tecer”, as mulheres contaram as suas histórias coletivas e individuais, desde os momentos de trabalho nas olarias, nas vazantes, até as lutas por benfeitorias coletivas, como a creche que foi construída de tijolo por tijolo posto por cada morador e moradora. No quintal da Dona Helena, no encontro intitulado “Circulando entre memórias: oficina de entrevista e registro”, ela se vangloriou das dezenas de plantas medicinais de seu quintal e afirma não entender porque devem sair dali, depois de anos de esforço.

Há quase dez anos, moradores e moradoras da região norte de Teresina enfrentam mudanças em seu modo de vida devido a implantação do Programa Lagoas do Norte (PLN). Reagindo às modificações que o Programa tem imposto à população da Zona Norte, as mulheres das comunidades atingidas tem sido a linha de frente na luta pelo direito à moradia, agora, com um diferencial.

“Mulheres nos terreiros da Esperança” é um projeto de Comunicação Popular, possibilitado pela CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviços) e SOS Corpo – Instituto Feminista para Democracia e realizado em parceria entre o Coletivo Flores.Ser Comunicação e o Centro de Defesa de Direitos Humanos Ferreira de Sousa.  O objetivo é levantar discussões e ações no que se refere aos direitos das mulheres, no campo dos direitos humanos, memória, patrimônio e ancestralidade. O projeto toma emprestado o termo “terreiro” como o lugar onde se planta e cultiva modos de ser e viver, deste modo, constrói resistência tanto em defesa das moradias, como também, das casas de religião de matriz africana, ameaçadas de desapropriação.

Por Sarah Fontenelle

'Liberdade, liberdade abre as asas sobre nós' - Programação da 13ª Semana do Orgulho de Ser

Programação da 13ª SEMANA DO ORGULHO DE SER

26 de agosto

8h às 12h – Oficina – Sexualidade e prevenção das IST’s na palma da mão – Facilitadora: Thâmara Vilanova (SESAPI) - Local: Associação das(os) surdas(os) de Teresina (em parceria com a Associação das/os) surdas/os de Teresina)

27 de agosto

16h – Jogos coloridos (Torneios de Futebol, Vôlei) – Local: Parque Lagoas do Norte (em parceria com o Parque Lagoas do Norte)

28 a 31 de agosto

12h - MOSTRA ITINERANTE FOR RAINBOW - FESTIVAL DE CINEMA E CULTURA DA DIVERSIDADE SEXUAL – Local: Sala Torquato Neto (em parceria com o Cenapop – Centro Popular de Cultura e Eco-cidadania e Secult)

28 de agosto

ATIVIDADES DO ENGENDRE e NUPEC

8h às 18h - Exposição fotográfica “Mulher Trans: Gênero e Diversidades” - Prof.ª Lila Cristina Xavier Luz – PPGS/UFPI

8:30h às 12h – Oficinas:

Local: UFPI/CCHL

1 – Corpo, Gênero e Diversidades - Prof.ª Maria Rosângela de Sousa – PPGS/UFPI, Prof.ª Rita de Cássia CronembergerSobral – PPGS/UFPI

2 – Corpo, reprodução e relações de gênero: o local da não-maternidade na sociedade Suziane Jackeline Gomes dos Santos – PPGS/UFPI

3 – Muito babado, close certo e lacração: Desmontando armários e seus fluxos de gênero, corpos e sexualidades em contextos escolares - Francisco Weriquis Silva Sales – PPGS/UFPI e Tayná Egas Costa – PPGS/UFPI

4 – Pós-pornô e estratégias de subversão dos estereótipos sexuais Samira Ramalho Ribeiro de Souza

14h às 18h – Mesa de Discussão “Pesquisas sociológicas sobre Gênero, Corpos e Sexualidades – Debatedores: Francisco Weriquis Silva Sales, João Kleber Oliveira Costa Karolyna Pessoa Teixeira Carlos, Samira Ramalho Ribeiro de Souza, Suziane Jackeline Gomes dos Santos e Tayná Egas Costa (Discentes do Programa de Pós-Graduação em Sociologia – PPGS/UFPI – Linha Gênero e Gerações/Engendre/NUPEC) - Local: Sala de Vídeo I – CCHL/UFPI

19h – Roda de Conversa - Famílias homoafetivas: espaços de direito, dignidade e de afetos – Msc. Marcela Castro Barbosa (Coordenadora do Observatório Família & Diversidade), Fabrício César Moura Barbosa (Presidente do CRESS-PI, mestrando em Educação), Msc. Marcondes Brito da Costa (Pesquisador do Observatório Família & Diversidade – Local: Faculdade Adelmar Rosado (em parceria com o Conselho Regional de Serviço Social – CRESS/PI)

29 de agosto

9h30min – Palestra - LGBT: aceitar é uma opção, respeitar é uma obrigação - Profª Drª Andrea Cronemberger Rufino (UESPI) - Local: Auditório da UESPI/Pirajá (em parceria com a UESPI e Escola de Governo)

10h – Palestra – Ações de prevenção às infecções sexualmente transmissíveis (IST) e promoção da saúde – Karinna Alves Amorim de Sousa (Doutoranda em Enfermagem e Coordenadora Estadual de Doenças Transmissíveis/SESAPI) - Local: Centro de Educação Profissional São Camilo - CEPROSC (em parceria com o CEPROSC e Coordenação de DT da SESAPI)

16h - Roda de conversa - Lesbianidade, afetividade e solidão: múltiplos olhares –Lumena Adad, Maria José Ventura, Cibelli Santos, Juliana Melherme - Local: Centro Pop (em parceria com a Comissão de Diversidade Sexual da OAB/PI)

18h30min – Mesa redonda – Identidades visíveis, direitos desiguais – Ícaro Leão (Articulação de Trans Masculinos do Piauí – ATRAMSPI), Amanda Pitta (Mães pela Igualdade) Leiziane Rodrigues (Pedagoga) - Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Faculdade Santo Agostinho)

20h30min – Mesa redonda – Um olhar das religiões sobre as visibilidades LGBT – João Leite (Pastor da Igreja Cristã Metropolitana), Osvaldo Amarante (Pai Joaquim de Angola) e Valquíria Nogueira (Psicóloga) - Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Faculdade Santo Agostinho)

29 e 30 de agosto - I ENCONTRO JURÍDICO E SOCIAL SOBRE VIOLÊNCIA NA COMUNIDADE LGBT NO PIAUÍ - Local: Auditório da OAB/PI (em parceria com a Comissão de Apoio à vitima de violência da OAB/PI)

19h - Abertura

19h20min - Introdução com mediação "LGBT: DO ARMÁRIO PRA RUA"

Apresentação cultural artística com Ravenna Silva e Edianne Arcângelo

20h - Bate-papo "REALIDADE ATUAL SOBRE A VIOLÊNCIA NA COMUNIDADE LGBT NO PIAUÍ

30/08

17h Roda de Conversa "TRANSFOBIA NO PIAUÍ: REALIDADE ATUAL, DESAFIOS E POSSIBILIDASES"

18h - Bate-papo " SUICÍDIO E RESILIÊNCIA: PRECISAMOS CONVERSAR SOBRE ISSO"

Apresentação cultural artística com Ravenna Silva

19h20min - Bate-papo "VIOLÊNCIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A COMUNIDADE LGBT"

20h - Roda de Conversa "MOVIMENTOS SOCIAIS E PREVENÇÃO À VIOLÊNCIA NA COMUNIDADE LGBT"

20h10min - Apresentação cultural artística com Ravenna Silva e Marcelo Rêgo

30 de agosto

8 às 13h – Vacinação contra hepatite B – Local: Penitenciária Feminina de Teresina (em parceria com a Fundação Municipal de Saúde e Penitenciária Feminina de Teresina)

4º COLÓQUIO SOBRE SAÚDE, SEXUALIDADE E DIVERSIDADE SEXUAL DA UNINOVAFAPI

MANHÃ

08:30 - Abertura

9:00 às 10:00 – Palestra: Gênero e Diversidade na Escola: qual a cor da lgbtfobia no arco-íris da escola? - Profª MsC. Valdênia Sampaio (IFPI) - Mediadora: Profª MsC. Consolação Pitanga (UNINOVAFAPI)

11:00 às 11:30 - Debate

TARDE

14h30min às 16h – Mesa Redonda – A descriminalização do aborto como medida de proteção à dignidade e à saúde das mulheres - Profª Drª Maria das Dores Sousa Nunes (UNINOVAFAPI), Sinara Gumieri Vieira (Pesquisadora da ANIS – Instituto de Bioética, doutoranda em Direito pela UnB)

16h às 17h30min - Mesa Redonda – A violência contra travestis e transexuais na perspectiva de gênero - Eugenia Villa (UNINOVAFAPI/UESPI), Amparo Sousa Paz (Promotora de Justiça) e Marcela Karine Carneiro Braz (mulher trans, arquiteta e militante LGBT)

15h às 18h – III FÓRUM TRANSEXUALIDADE E SAÚDE (Específicos para profissionais médicos)

- Avaliação psiquiátrica e percurso terapêutico – Dr. Daniel Augusto Mori Gagliotti (Psiquiatra, Colaborador do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Psiquiatria e Psicologia Forense do IpqHCFMUS);

– Diretrizes gerais da hormonioterapia - Drª. Karine Schluter (Ginecologista, Colaboradora do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Psiquiatria e Psicologia Forense do IpqHCFMUS);

– Aspectos legais referentes à saúde trans – Myrian Lago (Promotora de Justiça – Titular da Promotoria de Direitos Humanos)

Local: Auditório do Conselho Regional de Medicina (em Parceria com o Conselho Regional de Medicina – CRM)

18h – Talk show – Transbordando – Responsáveis: Dolores Vieira, Samara Layse Costa, Lygia Rissope e Mayara Danyelle - Local: Auditório do CCE/UFPI (em parceria com o Observatório de Juventudes e Violências na Escola - OBJUVE/UFPI)

18h30min – Palestra: A importância de debater gênero na escola/universidade – Sinara Gumieri Vieira (Pesquisadora da ANIS – Instituto de Bioética, doutoranda em Direito pela UnB) – Local: Faculdade Adelmar Rosado (em parceria com a Faculdade Adelmar Rosado – FAR)

18h30min – Mesa-redonda – Feminismos em transformação: discutindo a relação entre feminicídio e machismo – Profª MsC. Ana Carolina Magalhães Fortes (Estácio/CEUT, Presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB/PI), Tatiane Seixas (União Brasileira de Mulheres) e Profª MsC. Maria Dulce Silva (UFPI e Articulação de Mulheres Brasileiras) - Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Faculdade Santo Agostinho)

19h – Mesa-redonda – O debate sobre gênero cabe sim na educação de jovens e adultos – Profª Drª Bárbara Olímpia Melo (UESPI) e Profª Drª. Lucineide Barros (UESPI) - Local: Auditório do Centro de Treinamento Odilon Nunes (em parceria com a Secretaria Municipal de Educação)

19h – Show Boca da Noite (Homenagem ao Dia da Visibilidade Lésbica - Local: Espaço Cultural Osório Júnior (em parceria com a Secretaria de Cultura – SECULT)

31 de agosto

8h às 16h – Realização de testes rápidos para HIV – Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Secretaria de Saúde e Faculdade Santo Agostinho)

8h30min – Painel – Diversidade na universidade: a representatividade no meio acadêmico – Profª Msc. Natália Magalhães (FACID), Sabrina Miranda Feitosa de Sousa, Denys Silva dos Santos, Hérisson Fernando Sousa e Taniely Pontes Bezerra (acadêmicos da FACID) – Local: Auditório da FACID (em parceria com a FACID)

9h – Palestra - Crianças e adolescentes transgêneros na escola: inclusão e direitos – Dr. Daniel Augusto Mori Gagliotti (Psiquiatra, Colaborador do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Psiquiatria e Psicologia Forense do IpqHCFMUS) – Local: Auditório do Instituto de Educação (em parceria com a UESPI/PARFOR)

10h – Palestra - Por que precisamos falar sobre gênero na escola? - Sinara Gumieri Vieira (Pesquisadora da ANIS – Instituto de Bioética, doutoranda em Direito pela UnB) - Local: Auditório do Instituto de Educação (em parceria com a UESPI/PARFOR)

10h – Mesa-redonda - Desafios da despatologização da transexualidade – Leonardo Tenório (pesquisador sobre saúde trans e ativista da Associação de Homens Trans e Masculinidades - AHTM) e Drª. Karine Schluter (Ginecologista, Colaboradora do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Psiquiatria e Psicologia Forense do IpqHCFMUS) – Local: Auditório da FACID (em parceria com a FACID)

10h/16h/20h - MOSTRA ITINERANTE FOR RAINBOW - FESTIVAL DE CINEMA E CULTURA DA DIVERSIDADE SEXUAL – Local: Centro de Educação Profissional São Camilo - CEPROSC (em parceria com o Cenapop – Centro Popular de Cultura e Eco-cidadania e CEPROSC)

14h – Palestra - “Transexualidade: do diagnóstico à terapia” - Dr. Daniel Augusto Mori Gagliotti (Psiquiatra, Colaborador do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Psiquiatria e Psicologia Forense do IpqHCFMUS) – Local: Auditório da FACIME/UESPI (em parceria com o Núcleo Corpo e Sexualidades da UESPI)

15h – Palestra - “Diretrizes gerais da hormonioterapia para pessoas trans” - Drª Karine Schluter (Ginecologista, Colaboradora do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Núcleo de Psiquiatria e Psicologia Forense do IpqHCFMUS) – Local: Auditório da FACIME/UESPI (em parceria com o Núcleo Corpo e Sexualidades da UESPI)

15h – Oficina - “Mulheres privadas de liberdade: direitos e desafios” – Local: Penitenciária Feminina de Teresina (em parceria com a Penitenciária Feminina de Teresina)

18h30min – Mesa redonda – Corpos LGBT no espaço universitário – Profª MsC. Valdenia Sampaio (IFPI), Profª MsC. Francisca Nascimento (FSA) e Prof. Msc. Carlos Eduardo (FSA) -Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Faculdade Santo Agostinho)

01 de setembro

18h30min – Apresentação do espetáculo: Bomba, pastel e coxinhas (Núcleo de dança - FSA) - Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Faculdade Santo Agostinho)

19h10min – Mesa-redonda – Corpos em trânsito: uma perspectiva a partir da arte Local: Faculdade Santo Agostinho - Kácio Santos (UESPI/FSA, Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança (UFBA), Vicente de Paula (Performer/Artista), Chandelly Kidman (Drag queen/Performer/Artista) e Elielson Pacheco/Sayara (artista da dança/drag Queen) - Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Faculdade Santo Agostinho)

20h30min – TALK SHOW com Lygia Phillip Rissope (Pedagoga, Coordenadora do Kátias Coletivas, designer de moda - Local: Faculdade Santo Agostinho (em parceria com a Faculdade Santo Agostinho)

I Encontro do Fórum Estadual de ONG AIDS Piauí

  • Foto_4_ENCONTRO_ONG_AIDS.jpg
  • Foto_3_ENCONTRO_ONG_AIDS.jpg
  • Foto_2_ENCONTRO_ONG_AIDS.jpg

O grupo Matizes participou do I Encontro do Fórum Estadual de Ong AIDS Piauí ocorrido entre os dias 01 e 02 de julho na cidade de Paranaíba. A matiziana Marinalva Santana refletiu sobre temática ‘Análise e conjuntura dos desafios e conquistas do Movimento LGBT e Movimento AIDS piauiense: uma ótica sobre os Direitos Humanos.’ Também integrou o debate o militante do Fórum Estadual de ONG AIDS/RNP+, Raimundo Poty.

“Avaliamos como superimportante a reativação do Fórum ONG AIDS do Piauí. Será um passo decisivo no fortalecimento da luta contra AIDS em nosso Estado”, destacou a ativista do Matizes.

Durante o evento também foi apresentado o Perfil Estadual de Infecção pela IST/HIV através da Coordenadora Estadual de Infecções Sexualmente Transmissíveis, Karina Amorin, (SESAPI/Secretaria Estadual de Saúde do Piauí) e do Técnico em saúde Nelson Muniz.

A busca de interlocução para ampliar e consolidar as lutas das organizações sociais em favor dos direitos e cidadania LGBT bem como do enfrentamento da AIDS no Estado foi debatido na mesa-redonda ‘Diálogos sobre o fortalecimento do movimento LGBT e Fórum ONG AIDS do Piauí. Estavam presentes no debate as atrizes e atores sociais: Monik Alves (ATRAPI), Doté Tiago (RENAFRO), Rondinely Santos (CESPI).

 

Projeto 'A gente quer viver pleno direito' debate Prevenção e Promoção da Saúde de Jovens

  • FOTOS_1.jpg Herbert Medeiros
  • Foto_8.jpg Herbert Medeiros
  • foto_7.jpg Herbert Medeiros
  • foto_6.jpg Herbert Medeiros
  • foto_5.jpg Herbert Medeiros
  • FOTO_4.jpg Herbert Medeiros
  • FOTO_3.jpg Herbert Medeiros
  • FOTO_2.jpg Herbert Medeiros

O grupo Matizes promoveu neste sábado (08) a oficina ‘Prevenção e Promoção da Saúde de Jovens’ através do projeto ‘A gente quer viver pleno Direito’. A iniciativa aconteceu a partir da interlocução e parceria com o grupo Afro-cultural Coisa de Nêgo.  O objetivo da ação era germinar reflexões educativas sobre vivências das sexualidades e suas conexões com a saúde e prevenção. 

No primeiro momento, a justificativa e objetivos do projeto foram contextualizados para os integrantes. Em seguida, o  facilitador - ativista do movimento negro e acadêmico de Serviço Social -   Jorge Luiz Batista iniciou os trabalhos da oficina provocando os participantes a construírem coletivamente um ‘contrato de convivência’ para favorecer um encontro agradável e produtivo. Os jovens apontaram como eixos norteadores do contrato conceitos como respeito, empatia, diálogo, entendimento,  fraternidade.

O mediador propôs a  primeira dinâmica da atividade com o tema ‘Mitos e Realidades’. A ação  envolvia pensar  situações, conceitos e compreensões sobre: papeis sexuais de homens e mulheres na vivência da sexualidade; utilização de métodos contraceptivos por adolescentes; problematização de tabus sobre o exercício da masturbação; uso do preservativo nas interações afetivo-sexuais; desconstrução sobre a noção de grupo de risco e discussão da ideia de situações de vulnerabilidade.

Em outro momento do evento, o facilitador fomentou   discussões   sobre os conceitos de corpo para além do aspecto biológico. A parte inicial da dinâmica consistia em convidar dois participantes (homem e mulher) para deitar numa folha de papel e depois  voluntários  desenhariam os contornos dos corpos. Os integrantes então foram provocados a escrever   palavras e frases acerca de   sentimentos  que permeiam as relação sociais, éticas,  afetivas, simbólicas e culturais com os corpos.

O propósito da dinâmica, segundo Jorge Luiz,  era pensar e ressignificar a importância de valorizar as dimensões socioafetivas do corpo, favorecendo um olhar sensível para sentir, vivenciar e perceber as experiências socioculturais com a corporalidade. Também destacou que uma visão crítica sobre o assunto constitui fator de promoção da saúde para  população adolescente e jovem.

O Coordenador do Projeto ‘A gente quer viver pleno direito’, Herbert Medeiros,  também colaborou com a oficina apresentando a proposta “Negociação do preservativo na prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis(IST/HIV/AIDS). Medeiros criou situações desafiadoras para  os integrantes  responderem  como negociariam a camisinha  em ocasiões envolvendo vivências das relações sexuais.

Outra temática também colocada em foco  versava sobre “Aids e Direitos”.  De acordo com a coordenação do projeto, a finalidade de pautar o assunto    era difundir (in)formações para os participantes compreenderem o empoderamento de pessoas com HIV/AIDs no exercício de sua cidadania.  Situações de violações de direitos foram ilustradas como forma de  identificar as estratégias de ações  para garantir direitos de pessoas soropositivas.

Em etapa posterior, uma das participantes da oficina fez demonstrativo sobre o uso do preservativo masculino e feminino. Ainda houve distribuição de camisinhas entre os jovens.

 Segundo Herbert Medeiros, a  oficina realizada em parceria com o grupo Coisa de Nêgo e efetivada na comunidade Boa Esperança,  zona norte da cidade, é uma das ações do projeto. Destaca que outras iniciativas  estão previstas dentro da programação da 13ª Semana do Orgulho de Ser, a ser realizada entre 26 e 31 de agosto. Entre as iniciativas  ressalta a oficina ‘Sexualidade e prevenção das IST’s na palma da mão’ com a facilitadora Thâmara Vilanova e a se realizar na Associação das(os) surdas(os) de Teresina.

O representante do  Matizes aponta ainda a palestra no dia 29/08 cujo tema será  ‘Ações de prevenção às infecções sexualmente transmissíveis e promoção da saúde’ com a debatedora Karinna Alves Amorim de Sousa, doutoranda em enfermagem e Coordenadora Estadual de Doenças Transmissíveis da Secretaria Estadual de Saúde. O debate acontecerá no Centro de Educação Profissional São Camilo(CEPROSC).

‘A gente quer viver pleno direito’ é realizado pelo  Matizes com  apoio  do Fundo PositiHiVo. Os objetivos do projeto são  realizar ações de Advocacy,   Educativas e   de Prevenção ao HIV/AIDS. 

 

Religando Vivências - Projeto Mulheres nos Terreiros da Esperança

O Projeto ‘Mulheres nos Terreiros da Esperança’ realizará atividade ‘Religando Vivências – filmes e rodas de conversa’.   A ação acontecerá às 16h no Terreiro da Mãe Alice, Rua Rui Barbosa, nº 5704 (Mafrense).

 

A realização do projeto é do  Coletivo FloresSer de Comunicação e do Centro de Defesa Ferreira Sousa, patrocinado pela CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviços)  e SOS-Corpo. Entre as ações está a promoção de oficinas de vídeo, rádio, fotografia com objetivo de ‘fortalecer e fazer circular a luta das mulheres pelo direito a seus lares, terreiros, vazantes e laços comunitários.’

Abertura do JUNTA Festival Internacional de Dança acontece amanhã (28/06)

 

 

 

Nesta quarta-feira (28/06) a partir das 20 horas acontece a abertura oficial da 3ª edição do Junta Festival Internacional de Dança com o espetáculo os Serrenhos do Caldeirão, da lisboeta Vera Mantero. Em seguida uma festa de abertura no lounge do JUNTA no complexo do Teatro 04 de setembro celebra a semana que vai fazer Teresina dançar.

O Festival acontece até domingo (02/07) com criações artísticas nacionais e internacionais, residências, oficinas, intervenções de rua, conversas e outras ações artísticas vão movimentar o Teatro 4 de Setembro, Clube dos Diários, Auditório do SESC - Campos Sales, Escola Estadual de Dança Lenir Argento e as ruas e parques da cidade. Artistas, pensadores e realizadores de dança estarão presentes nesta edição com a intenção de expandir nossos olhares sobre dança.

Datan Izaká, Jacob Alves e Janaína Lobo – diretores e criadores do festival – traçaram uma curadoria que se movimentou  num  turbulento momento de indefinições políticas e artística, conectando a cidade às questões globais, afetando e mixando diferenças. O Festival conta com patrocínio Governo do Estado Piauí/Secult e Caixa, correalizado elo Instituto Punaré e Sesc.

As ações formativas já começam hoje no dia 27 de com o workshop de Vera Mantero na Escola Estadual de Dança Lenir Argento na parte da tarde e segue até o dia 28.

Durante a semana do festival (de 28 de junho a 01 de julho) acontecerão duas residências artísticas: Realidades da Imaginação com Michele Moura (PR) na Escola Estadual de Dança Lenir Argento e Máquinas de Colaboração com o Coletivo Qualquer no Espaço Balde (São Paulo e País Basco) sempre pela manhã de 09 às 13 horas. Fica ligado nas redes sociais do JUNTA pra não perder inscrição.

Outro importante momento de formação são as rodas de conversa com Viviane Mosé (sábado - 01/07 – Teatro 04 de setembro -15h ) e com a professora Thereza Rocha  no domingo também no Sesc Campos Sales às 15h, proporcionando trocas sobre visões de dança no Brasil e no mundo. Colaborando com este olhar também estará presente no Festival o ensaísta e resenhista Ruy Filho da Revista AntroPositivo que trata de artes da cena e do corpo.

 

Discoreografia: Documentário da Dança Piauiense

Durante o JUNTA, a coreógrafa Elisabete Finger e a cineasta Aline Belfort preparam um novo documentário, desta vez, mergulham na dança contemporânea de Teresina, captando em imagens e sons o movimento e as vozes dos artistas que vivem e produzem danças por aqui.

Elizabeth Finger  por meio do “Discoreografia - música, dança e blá blá blá” vem trocando ideias gostosas e documentando registros valiosos de importantes nomes da dança no Brasil.

Em 2016, com o filme “Brasil Profundo - Petrolina”, o Discoreografia experimentou pela primeira vez um formato documental, buscando dar a ver não apenas um artista ou um grupo mas sim um contexto de produção em dança, onde a cidade e os diversos autores que trabalham dentro dela influenciam-se uns aos outros e tecem assim uma rede criativa

O programa de entrevistas DISCOREOGRAFIA tem mexido com memórias musicais, coreográficas e biografias de nomes como Marcelo Evelin e Denise Stutz - que entrevistada durante o JUNTA2 para compor mais um episódio do Discoreografia.

 

PROGRAMAÇÃO

A programação do JUNTA #3 está imperdível! São espetáculos, formações, residências e performances que vão invadir Teresina durante os dias 28 de junho a 2 de julho!

O Junta #3 é apresentado pela Caixa, tem patrocínio da Secult | Governo do Estado do Piauí e é uma correalização do Instituto Punaré e Sesc. Confira a programação completa:

 

Theatro 4 de Setembro – R$ 20 inteira / R$ 10 meia

Os Serrenhos do Caldeirão - Vera Mantero

28 de junho – 20h30

Lotação: 500 lugares

Olympia e O que Podemos dizer do Pierre - Vera Mantero

29 de junho – 20h30

Lotação: 500 lugares

Pardo - Santiago Turenne, Vera Garat e Letícia Skrycky

30 de junho – 20h30

Lotação: 500 lugares

Palestra “Subjetividade em Crise” – Viviane Mosé

1º de julho – 15h

Lotação: 500 lugares

Ingresso: uma lata de leite em pó ou um pacote de fralda geriátrica

Acto Blanco - Laura Figueiras e Carla Rímola

2 de julho – 20h30

Lotação: 500 lugares

Galeria Nonato Oliveira - R$ 20 inteira / R$ 10 meia

 

Pindorama - Lia Rodrigues Cia de Danças

29 de junho – 21h30

Lotação: 150 lugares

Um Duo para Minha Mãe - Bebel Frota

30 de junho – 21h30

Lotação: 200 lugares

 

Diafragma 1.0 - Como Manter-se Vivo? - Flávia Pinheiro

1º de julho – 21h30

Lotação: 150 lugares

 

Catirinas - Weyla Carvalho + Escola Estadual de Dança | Projeto Redemoinho

2 de julho – 21h30

Lotação: 200 lugares

 

Escola Estadual de Dança Lenir Argento – Entrada gratuita

Workshop “O Corpo Pensante”

27 de junho - 14h às 18h

28 de junho - 12h às 16h

Lotação: 16 pessoas

 

? sala 3 – Juliana França

1º de julho – 18h

Lotação: 100 lugares

 

Imensidão - Layane Holanda, Soraya Portela e Vanessa Nunes

2 de julho – 18h

Lotação: 100 lugares

 

Sesc Campos Sales – Entrada gratuita

Ópera Nuda - Isaura Tupiniquin

29 de junho – 19h

Lotação: 200 lugares

 

Eólico des-dobrado - Samuel Alvís e Ireno Júnior

30 de junho – 19h

Lotação: 200 lugares

 

Tentativas Contra o Vento - Chico Lima

1º de julho – 19h

Lotação: 200 lugares

 

Conversa Thereza Rocha - Crise, devastidão e resistência: o que nos ajunta?

2 de julho – 15h

Lotação: 100 lugares

 

Residências - Inscrições Encerradas

Residência Máquinas de Colaboração - Coletivo Qualquer: 28 de junho a 1º de julho - 9h/ Espaço Balde

Residência Realidades da Imaginação - Michelle Moura

28 de junho a 1º de julho - 9h/ Escola Estadual de Dança Lenir Argento

 

Mais informações no site juntafestival.com e nas nossas redes:

 

facebook.com/JuntaFestival

 

instagram.com/juntafestivalteresina

 

twitter.com/JuntaFestivalPI

 

#JUNTA3 #Sescpi #InstitutoPunaré????

 

O que é o JUNTA?

O JUNTA é um festival internacional de dança que acontece anualmente e tem fortalecido uma rede de festivais de dança no Brasil, sobretudo no Nordeste. Envolve várias manifestações artísticas e traz a dança para várias camadas da nossa existência que vão do palco às ruas da cidade, explorando a dança contemporânea como forma de se posicionar e refletir em vários campos, aproximando a dança com a vida, a partir de questões e discussões urgentes do hoje.

É concebido e dirigido por 3 artistas independentes, Janaína Lobo, Jacob Alves e Datan Izaká, a fim de fomentar a dança contemporânea e trabalhar pela difusão e qualidade das artes em Teresina.

Em sua 3ª edição, o JUNTA é apresentado pela Caixa, tem  patrocínio da SECULT - Governo do Estado do Piauí e é uma co-realização do Instituto Punaré e Sesc.

Sendo uma co-realização do Sesc e do Instituto Punaré, provoca um novo tipo de relação com a instituição de parceria que é o fazer junto, que vem do apoio e reconhecimento daquilo que já está acontecendo na cidade e que reforça isso. É uma relação ousada que vem de um esforço de repensar as inúmeras maneiras de artistas e instituições se relacionarem para atuarem na realização de ações importantes para seus contextos, valorizando acima de tudo o fazer artístico e a atuação dos artistas em Teresina.

FOTOS: https://drive.google.com/open? id=0BzhjMxeJdAGGZG5CSVV1YVJCUV E

VÍDEOS: https://vimeo.com/user 40247653

Parnaíba sediará o I Encontro do Fórum Estadual de ONG AIDS Piauí

A cidade de Parnaíba sediará, entre os dias 01 e 02 de julho, o I Encontro do Fórum Estadual de ONG AIDS Piauí. São esperados 30 participantes de vários municípios do Piauí.

O Encontro é uma realização conjunta do Grupo GUARÁ e da Coordenação do Fórum LGBT, com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde, do SINTE, e do Conselho Estadual de Saúde.

Segundo Wellingon Araujo, do Grupo Guará, o evento objetiva avaliar e planejar as ações das organizações filiadas ao Fórum e também rearticular os movimentos que atuam na luta contra as IST/ HIV/ AIDS. “Esperamos receber em Parnaíba representantes de 20 organizações que trabalham com o tema em nosso Estado”, pontua o militante.

Confira a programação a seguir:

Dia 01/07/2017

14:30 -  Mesa de Abertura com convidados

15:30 - Painel de Abertura: Apresentação do perfil estadual de infecção pelas IST/ HIV

 Karina Amorim: Programa Estadual de IST/ AIDS – SESAPI

 Nelson Muniz: Programa Estadual de IST/ AIDS – SESAPI

 

16:30 - Análise e conjuntura dos desafios e conquistas do Movimento LGBT e Movimento AIDS piauiense: uma ótica sobre os direitos humanos

Marinalva Santana (Grupo MATIZES)

Raimundo Poty (Fórum Estadual de ONG AIDS, RNP+)

 

19:00 – Jantar

 

Dia 02/07/2017

9:00 -  Repensando as estratégias de fazer o controle social

Jurandir Teles: Fórum Baiano ONG/ AIDS

 

10:30 - Diálogos sobre o fortalecimento do movimento LGBT e Fórum ONG AIDS do Piauí.

Monik Alves: ATRAPI

Doté Tiago: RENAFRO

Rondinely Santos: CESPI

12:00 - Almoço

 

13:30 - Apresentação de Regimento para o Fórum, leitura e aprovação; Escolher Diretoria para o Fórum e elegê-la; recadastramento das instituições ao Fórum e direcionamento das discussões do ERONG

16:00 - Encerramento

Divinas Divas: performatizando as identidades em tempos sombrios

“Alô, alô, alô. Nós vamos apresentar/A maior novela por tabela vai rolar/Um show pra lá de popular”.  Das luzes da ribalta para as telas de cinema, o filme Divinas Divas entrou em cartaz no Teresina Shopping dia 22/06 e segue até 5 de julho/2017.

A narrativa de Divinas Divas vem purpurinar e rememorar a irreverência desafiadora das divas travestis que performatizaram na cena política e cultural brasileira  em pleno período dos anos de chumbo. Com  arte,  talento e ousadia,  essas artistas trans foram pioneiras para vocalizar o desejo por uma país com mais diversidade sexual.

O documentário é dirigido pela atriz, diretora e produtora Leandra Leal.   O longa  recebeu a premiação de júri popular no festival de South by Southwest, nos Estados Unidos. Também foi consagrado no Festival do Rio 2016 com dois prêmios.

 As Divas  que integram a obra e narram  suas trajetórias de luta e conquista de visibilidade   em um momento sombrio da nossa história são: Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte de Búzios.

No dia 30/06, às 19:30h, haverá no cinema Teresina Shopping  sessão com participação da Diretora Leandra Leal e a Diva Jani Di Castro*.

 

*Jane Di Castro

Diva que se apresentou nas baladas noturnas cariocas nos anos 60 e  também atuou na vida cultural, estreando sua performance  teatral em 1966, no Teatro Dulcina. Protagonizou e desafiou, através de sua arte, o establisment reacionário da época, chegando a ser presa. Mantém sua união estável com o marido, Otávio Bonfim, há quase cinquenta anos. 

 

Por Herbert Medeiros

Cine Cidadania exibe filme Garota Dinamarquesa para debater Gênero, Corpo e Sexualidade

Luzes, câmara, ação: Cine Cidadania coloca em cena o filme ‘Garota Dinamarquesa’ para em seguida debater sobre gênero, corpo e sexualidade.  A atividade acontecerá no Auditório do CCS(FACIME) às 8h desta segunda-feira(26/06. A ação é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários/PREX  da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Uma das debatedoras é a Profª Drª Andrea Rufino, professora de Ginecologia da UESPI e pesquisadora  sobre Gênero e Sexualidade (Núcleo de Estudo,  Pesquisa e Extensão em Sexualidade). Rufino  desenvolve estudos com foco em: Saúde Sexual e Reprodutiva, Sexualidade, Bioética, Aborto, Educação Sexual.  Participa como pesquisadora da  ANIS (Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero).

Outra palestrante será  Profª Drª Ana Cristina, educadora da UESPI com mestrado pela UFPI  e doutorado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Coordenou especialização em História Cultural e também  em História, Cultural e Sociedade. Sua área de pesquisa abrange História, Literatura, escrita de si e intelectualidade. Integra o Grupo de Pesquisa em Memória e Acervos. 

 

Por Herbert Medeiros

Posts anteriores