Cidadeverde.com

Prefeitura abre seletivo para contratação de professores

A Prefeitura Municipal de José de Freitas, a 58 km de Teresina, abre nesta segunda-feira(18) as inscrições de processo seletivo simplificado para contratação imediata de 44 professores e para a formação de cadastro reserva. 

As vagas são para Professor dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Professor de Língua Portuguesa, Professor de Matemática, Professor de História, Professor de Geografia, Professor de Educação Física e Professor de Inglês. 

A remuneração prevista é de R$ 1.254,50, para uma jornada de 30 horas semanais de trabalho. Os convocados serão contratados pelo período de 01(um) ano, prorrogável uma única vez por igual período. 

As inscrições têm o valor de R$ 80 e podem ser feitas até o dia 08 de janeiro de 2018, no endereço eletrônico www.institutolegatus.com.br, onde também é possível consultar o edital do certame.  O processo seletivo terá validade de 01(um) ano. 
 

Aneel faz segundo leilão deste ano de novas linhas de transmissão de energia


Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) faz nesta sexta-feira (15), em São Paulo, o leilão de 11 lotes de linhas de transmissão de energia. As linhas de transmissão levam energia das usinas geradoras até os consumidores.

Ao todo devem ser concedidos 4.919 quilômetros de linhas de transmissão, que vão passar pelos estados do Paraná, Piauí, Ceará, Pará, Tocantins, Bahia, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

O lote do Piauí é dividido com o Ceará. O investimento previsto é de R$ 1,042 bilhão e a remuneração máxima é de R$ 182,271 milhões. 

Os leilões de linhas de transmissão ocorrem todos os anos e servem para aumentar a oferta de energia e também para fortalecer o sistema elétrico. A remuneração das empresas que vencerem os leilões será paga pelos consumidores na conta de luz.

O vencedor de cada lote será o grupo que aceitar receber, durante o período da concessão, o menor valor pela construção e operação da linha. A remuneração máxima anual prevista no edital é de R$ 1,534 bilhão, na soma de todos os lotes.

A previsão da Aneel é que as obras devem durar de 32 a 60 meses, dependendo do lote, e que devem gerar 17.869 empregos diretos. O investimento total previsto é de R$ 8,7 bilhões.

Piauí registra maior queda do país no setor de serviços

Em outubro, o setor de serviços recuou 5,3% no Piauí e, com isso, o estado registrou o pior resultado do país. Os outros dois piores percentuais foram no Ceará (-4,9%) e no Acre (-3,5%). 

Já os estados da Bahia (2,8%), Sergipe (2,5%) e Distrito Federal (1,6%) tiveram as maiores altas.

Nacionalmente, o setor de serviços recuou 0,8% em relação a setembro, após recuos de 0,3% em setembro e de 1,0% em agosto. 

Na comparação com outubro de 2016, o volume de serviços prestados variou -0,3%, queda menos intensa do que as observadas em setembro  (-3,2%) e agosto (-2,6%). Com esses resultados, a taxa acumulada no ano ficou em -3,4% e, em 12 meses, -3,7%.

Índice e variação do volume de serviços, agosto 2017 - outubro 2017

Feiras de economia solidária reúne grupos de empreendedores em Teresina

As superintendências regionais do Trabalho de Minas Gerais (SRT-MG) e do Piauí (SRT-PI) promovem feiras de economia solidária como forma de fortalecer as ações do ministério no setor. Em Teresina, a feira acontece na segunda-feira (18).

A II Feira de Economia Solidária de Teresina é realizada sob o tema “Promovendo o Comércio Justo e o Trabalho Digno”. O evento acontece no estacionamento da Federação dos Trabalhadores em Agricultura do Estado do Piauí (Fetag), entre 8h e 13h.

Ao todo, 20 grupos de empreendimentos solidários piauienses de cidades como Monsenhor Gil, Ipiranga do Piauí, Pedro II, Esperantina, José de Freitas, Campo Maior e São João do Arraial, além da própria capital, estarão presentes expondo e comercializando produtos artesanais e provenientes de agricultura familiar, como alimentos, brinquedos, roupas, artigos de decoração e acessórios.

A edição anterior do evento foi realizada no dia 10 de outubro na sede de SRT-PI e contou com a participação de 16 grupos de empreendimentos solidários.

Aplicativo calcula seu bem-estar financeiro; veja como

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) lançou o novo Indicador de Bem-Estar Financeiro e também o novo aplicativo SPC Consumidor. Através do app, os consumidores poderão fazer o cálculo do seu próprio bem-estar financeiro e poder comparar com a média nacional.

Além da simulação, o usuário descobre como andam suas finanças e recebe dicas personalizadas de educação financeira para melhorar a sua pontuação cada vez mais. Após quatro dicas recebidas, o consumidor pode refazer o teste e avaliar as mudanças no resultado.

O aplicativo SPC Consumidor está disponível para usuários Android e em breve para IOS.

Novas regras do Simples passam a valer a partir de janeiro de 2018

A partir de janeiro de 2018 passam a valer as alterações previstas na Lei Complementar 155/2016, que versa sobre mudanças na Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. Entre os benefícios estão melhoria nas formas de tributação, regulamentação de investimentos anjos, ampliação da faixa de faturamento e garantia de seguro-desemprego do Microempreendedor Individual, MEI.

“O Crescer sem Medo foi sancionado em 2016, sendo que as principais alterações passariam a vigorar somente em 2018. Naquele ano, já começou a valer o prazo mais estendido para parcelamento de dívidas tributárias. Já em 2017, liberaram as regras para o investimento anjo em empresas do Simples Nacional. Todas essas alterações trouxeram benefícios para os pequenos negócios, garantindo a sustentabilidade econômica desses empreendimentos”, afirma o diretor superintendente do Sebrae no Piauí, Mário Lacerda.

Em 2016, o prazo de parcelamento, que era de no máximo 60 meses passou para 120 meses. Já em 2017, o investidor-anjo ganhou proteção, não correndo mais risco operacional, apenas financeiro, caso a atividade não obtenha sucesso. As empresas que recebem os investimentos também foram beneficiadas, podendo aderir ao Simples, o que não era permitido anteriormente.

O que passa a valer em 2018

Entre as mudanças que passam a valer a partir do ano que vem está a diminuição de seis para cinco tabelas de tributação; redução de 20 para seis faixas; e adoção de alíquotas progressivas, nos mesmos moldes do Imposto de Renda Pessoa Física para quando uma empresa exceder o limite de faturamento da sua faixa. A nova alíquota será aplicada somente no montante ultrapassado. “A faixa de transição, que é de R$ 3,6 milhões até R$ 4,8 milhões, permite que as micro e pequenas empresas, possam avançar sem serem excluídos de imediato dos regimes diferenciados de tributação. É uma forma de esses negócios irem se adequando aos poucos à nova realidade tributária na qual serão incluídos, sem grandes sobressaltos, caso chegue ao teto máximo da faixa de transição”, explica Mário Lacerda.

Outra mudança é com relação ao teto anual de faturamento do MEI que sobe de R$ 60 mil para R$ 81 mil, um incremento de 35%. Os MEI sem rendimentos também serão beneficiados com o seguro desemprego. Atualmente, o simples fato de ser MEI já presume renda e impede o recebimento do benefício, o que agora só ocorrerá caso o MEI tenha renda declarada.

Mais alterações

Fator Emprego - As academias, empresas de Tecnologia da Informação, laboratórios, profissionais liberais e outras atividades poderão migrar para uma tributação mais favorecida, caso os gastos da empresa com pessoal e encargos correspondam a pelo menos 28% da receita bruta. Esse benefício não se aplica às empresas de contabilidade, corretoras de seguros e escritórios de advocacia.

Fabricantes de Bebidas – As micro e pequenas cervejarias, vinícolas e produtores de cachaça, bem como produtores de licores, poderão optar pelo regime de tributação do Simples Nacional, desde que obedeçam às normas de Vigilância Sanitária e da Receita Federal e estejam devidamente registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Estímulo à Exportação – A figura do operador logístico internacional somente atende a empresas optantes do Simples. A partir de 1º de janeiro de 2018, os serviços de logística internacional simplificados poderão ser contratados por todas as MPE de forma eletrônica.

Dupla Visita – O fiscal deverá primeiramente fazer uma visita orientadora e somente numa segunda visita, caso as exigências não tenham sido obedecidas, ele poderá multar a empresa.

Depósito Recursal – O valor do depósito recursal na Justiça do Trabalho é igual para empresas de todos os portes. A partir de 2018, as micro e pequenas empresas terão direito a 50% de redução do valor, que atualmente é estabelecido em R$ 8.959,63 para recurso ordinário; e em R$17.919,26 para recurso de revista.

Simples Social – Organizações da sociedade civil poderão aderir ao Simples Nacional em relação às receitas não imunes ou isentas, excluídos sindicatos, associações de classe e partidos políticos.

Salão Parceiro – Valores repassados a profissionais de beleza contratados por meio de parceria não integrarão a receita bruta da empresa contratante para fins de tributação, mas a empresa contratante deve fazer retenção e recolhimento dos tributos devidos pelo contratado, gerando maior segurança jurídica na parceria.

Comércio de Teresina funciona em horário especial a partir de amanhã

O Centro comercial de Teresina, como já é tradição nesse período que antecede o Natal, passa a funcionar em horário estendido a partir deste sábado (16). Veja como fica:

Sábado (16) e domingo (17): lojas abertas das 8h às 18h.

De segunda (18) a sexta (22): lojas abertas até as 19h, mas atendem os clientes que já estão dentro do estabelecimento até as 20h.

Sábado (23) e domingo (24): lojas abertas até as 18h. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Lojistas, Tertulino Passos, o comércio está com estoques preparados e 300 funcionários temporários foram contratados para atender a demanda.

"No ano passado, o crescimento foi zero. Tivemos, na verdade, uma queda de 3% no volume de vendas, em relação ao ano anterior. Já nesse ano, esperamos um crescimento de 6%", afirmou.

Receita paga hoje o último lote do ano de restituição do Imposto de Renda

A Receita Federal paga hoje (15) o sétimo e último lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2017. O lote contempla cerca de 1,9 milhão de contribuintes, que vão receber R$ 2,88 bilhões. A Receita também paga R$ 231,4 milhões a 141,4 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2016, mas estavam na malha fina. Considerando os lotes residuais e o pagamento de 2016, o total gasto com as restituições chega a R$ 3,11 bilhões para 2.038.984 contribuintes.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones. As restituições têm correção de 6,19%, para o lote de 2017, a 100,48% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até agora.

O dinheiro estará depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deve ir a qualquer agência do Banco do Brasil. A restituição ficará disponível durante um ano. 

45% das riquezas do Piauí são produzidas em Teresina

O PIB dos Municípios 2015, divulgado hoje pela Fundação Cepro e pelo IBGE, revela que a capital Teresina continua em primeiro lugar no estado, com PIB de R$ 17,62 bilhões, sendo que 76,37% da economia municipal é movida pelo setor de Serviços.

Veja abaixo a lista dos 5 maiores PIBs do Piauí:

1) Teresina: R$ 17,62 bilhões
2) Parnaíba: R$ 1,79 bilhões
3) Picos: R$ 1,23 bilhão
4) Uruçuí: R$ 1,02 bilhão
5) Floriano: R$ 925,32 milhões
6) Bom Jesus: R$ 644,59 milhões
7) Piripiri: R$ 586,28 milhões
8) Baixa Grande do Ribeiro: R$ 559,40 milhões
9) Campo Maior: R$ 460,40 milhões
10) São Raimundo Nonato: R$ 353,83 milhões

De 2011 a 2015, as três primeiras posições não se alteram, já os municípios de Floriano e Uruçuí trocaram de posição. 

A capital

Em 2015, o PIB de Teresina foi levemente inferior a 2014 (R$ 17,76 bilhões). Sobre Teresina, os principais destaques são os seguintes:

- Em 2002, Teresina ocupava a 72ª posição dentre os municípios brasileiros, com participação de 0,22% do PIB nacional. Em 2015, passou a ocupar a 48ª colocação, participando com 0,29% do PIB nacional - uma melhoria de 24 posições no ranking.

- Entretanto, no ano passado, a capital ocupava a 41ª posição, portanto caiu três posições de um ano para o outro.

- Teresina ocupava a 12ª posição dentre os municípios em relação ao PIB do Nordeste em 2002. Em 2015, passou a ocupar a 9ª posição, melhorando três posições.

- Dentre as capitais brasileiras, Teresina ocupava a 21ª posição em 2015, um resultado inferior ao ano anterior, em que estava em 19º lugar. Agora a capital do Piauí está à frente apenas das seguintes capitais: Aracaju (SE), Porto Velho (RO), Macapá (AP), Rio Branco (AC), Boa Vista (RR) e Palmas (TO). 

O PIB de Teresina representava, em 2015, 45% das riquezas produzidas em todo o estado, mas perdeu participação quando comparada ao ano de 2010, em que representava 47,7%. Isso significa melhor distribuição de renda. 

Brasil

"O Brasil é extremamente rico e extremamente desigual" - foi dessa forma que o presidente da Fundação Cepro, Antônio José Medeiros, caracterizou os dados relacionados ao país. 

Os maiores municípios brasileiros em relação ao PIB são: 

1) São Paulo: R$ 650,5 bilhões (10,9% do total)
2) Rio de Janeiro: R$ 320,7 bilhões (5,3% do total)
3) Brasília: R$ 215,6 bilhões (3,6% do total)

O PIB do Piauí, em 2015, foi de R$ 39,15 bilhões.

Ao detalhar os dados nacionais, o supervisor de Disseminação de Informações do IBGE, Eyder Mendes Vilanova, destacou que 25% de todas as riquezas produzidas no Brasil estão em apenas sete municípios; 50% estão em 65 municípios e 75% em somente 353 municípios.

"E há ainda dados mais alarmantes: Apenas 5% das riquezas é produzida em 3.298 municípios, ou seja, 5% do que é produzido engloba mais da metade dos 5 mil municípios brasileiros", explica Eyder.

Os municípios com menor PIB do Brasil estão no Piauí: Miguel Leão (PIB de R$ 11,43 milhões) e Santo Antônio dos Milagres (R$ 12,01 milhões). Dos 30 menores municípios do Nordeste, 17 são piauienses. 

PIB per capita de Baixa Grande do Ribeiro supera o de Uruçuí e é o maior do Piauí

  • ec6fa79b-7c64-4800-b807-1056a12633fe.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • e8516129-0e81-422d-8901-807f780726bd.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 891218ec-e836-4d37-99dc-78d06926430f.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 65121bdd-ad2d-4dd5-ad7c-6635d899069d.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 3717fc01-c715-4e52-9b13-3661bbd01bc9.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 79bec5df-b773-47d1-bb4d-8761652266ef.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 54ebcc14-3897-41bd-9cfd-2fad2de63eae_(1).jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 09b41b4f-b450-4bdf-8591-9b04427b8833.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 5b99bcf9-dc08-40c5-9a5d-49961210986f.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com

O PIB per capita do Piauí foi de R$ 12.218,51 em 2015. O número está abaixo do PIB per capita nacional, que é de R$ 29.326,33, mas é R$ 410 mais alto que o registrado no ano anterior. 

Em termos percentuais, a renda per capita do Estado cresceu 3,47% de um ano para o outro, mas a renda per capita do Piauí representa ainda menos de 42% da nacional. 

Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (14), pela Fundação Cepro, em parceria com o IBGE, no auditório da APPM, e revelam grandes desigualdades dentro do território piauiense, visto que o maior PIB per capita registrado no estado, em Baixa Grande do Ribeiro (R$ 49.866,93), é dez vezes superior ao menor resultado, em Cabeceiras (R$ 4.949,09).

No Piauí, os maiores PIBs per capita são os seguintes: 

1) Baixa Grande do Ribeiro (R$ 49.866,93); 
2) Uruçuí (R$ 48.817,43); 
3) Ribeiro Gonçalves (R$ 34.285,13); 
4) Santa Filomena (R$ 33.063,41);
5) Bom Jesus (R$ 26.497,12);
6) Currais (R$ 26.493,56)
7) Guadalupe (R$ 24.493,58)
8) Teresina (R$ 20.879,75)
9) Gilbués (R$ 16.901,63)
10) Antônio Almeida (R$ 16.801,19).

A capital, Teresina, tem PIB per capita de R$ 20.879,75, ocupando a oitava posição no Estado.   

Em 2014, o município de Uruçuí ocupava a primeira posição (com renda per capita de R$ 45 mil), agora, mesmo tendo aumentado no indicador, fica em segundo.

Baixa Grande do Ribeiro e Uruçuí apresentaram, em 2015, renda per capita maior que a do estado de São Paulo, que apresentou R$ 43.694,68. 

A maior renda per capita do país está em Brasília (R$ 73.971,05).

"Todos esses dados representam uma grande desigualdade social. A maior renda per capita do Piauí é dez vezes superior à menor renda. Nos estados com menos desigualdade, é no máximo cinco vezes maior. O que percebemos é que os municípios com as menores rendas são mais dependentes das transferências da União, como o Bolsa Família, mas esse modelo de crescimento já se esgotou e não haverá crescimento significativo se não for pela produção e produtividade", alegou o presidente da Fundação Cepro, Antônio José Medeiros.

Os menores PIBs per capita estão nos municípios de: 

224) Cabeceiras do Piauí (R$ 4.949)
223) Campo Largo do Piauí (R$ 5.012)
222) São João do Arraial (R$ 5.090)
221) Curral Novo do Piauí (R$ 5.116)
220) Massapê do Piauí (R$ 5.119)

 

Posts anteriores