Cidadeverde.com

Inflação deve permanecer controlada mesmo com corte de juros

O Banco Central reafirmou a previsão de que a inflação deve se manter na meta, tanto em 2017 quanto em 2018. E, segundo o BC, essa previsão deve se confirmar mesmo se a taxa de juros recuar dos atuais 11,25% para 8,5% ao ano. Essa informação consta na ata de reunião do BC, que determinou a redução da taxa Selic.

A estimativa do mercado é que o ano feche com juros básicos a 8,5% e a inflação fique em torno de 4,1%. Para o próximo ano, a previsão é que a inflação se mantenha em 4,5% - no centro da meta. A taxa de câmbio pressuposta é de R$ 3,23 em 2017 e R$ 3,37 ao fim de 2018. 

O BC explicou que o ritmo de redução dos juros, de 1 ponto percentual adotado na semana passada, pode continuar ou não, dependendo da atual conjuntura econômica. E não descartou a possibilidade de cortar juros mais rapidamente nos próximos meses.

O mercado financeiro acredita que os juros cairão para 10,25% no final de maio, para 9,5% no final de julho e para 9% em setembro. Em outubro, deve cair para 8,75% e em dezembro, finalmente, para 8,5%.