Cidadeverde.com

PI: 257 empresas do Simples são intimadas a recolher milhões de ICMS


257 empresas foram intimadas pela Secretaria Estadual da Fazenda por suspeitas de sonegação fiscal, após serem identificados indícios de recolhimento em valor menor do que o devido da antecipação parcial do ICMS. O valor a recolher pode passar de R$ 7,5 milhões. 

A Sefaz dá o prazo de cinco dias para as empresas para as empresas se regularizarem de forma espontânea e esclarecerem os fatos através do e-mail informado no documento de intimação. O descumprimento da intimação acarretará na alteração da situação fiscal do contribuinte para irregular e a empresa poderá ser suspensa ou excluída do regime do Simples Nacional. 

A consulta ao demonstrativo detalhado dos valores levantados pela Sefaz, por período, poderá ser realizada através do site da Agência Virtual de Atendimento – e-AGEAT na internet (http://webas.sefaz.pi.gov.br/eageat), módulo SIAT web à Menu Autoatendimento à Malhas Fiscais à Consulta de Malhas. Importante destacar que a consulta às malhas fiscais somente é possível com o uso de certificação digital por contribuintes credenciados na Agência Virtual de Atendimento e no Domicílio Tributário Eletrônico – DT-e. 

As orientações sobre o credenciamento estão disponíveis no Manual de Orientações da e-AGEAT, publicado no site da agência na internet, e as dúvidas devem ser encaminhadas à Sefaz através do serviço Fale Conosco ou através do e-mail eageat@sefaz.pi.gov.br.

Nova regra de bagagem da Latam começa a valer hoje

Começam a valer nesta quinta-feira (18) as novas regras para a bagagem despachada em voos da Latam. Veja como ficam os valores:

- O preço cobrado será a partir de R$ 30 para a primeira mala despachada em voos nacionais. 

- A cobrança por excesso de bagagem será diferente para cada tipo de rota. 

- Voos nacionais cobrarão tarifa fixa de R$ 80 por peça excedente. Para pesos entre 23 e 32 quilos, o valor será de R$ 120; entre 32 e 45 quilos, R$ 200.

- Em voos internacionais para América do Sul e Caribe, a tarifa fixa por peça excedente será de US$ 90. Entre 23 e 32 quilos, o valor será de R$ 90. entre 32 e 45 quilos, US$ 180. 

- Para outras rotas internacionais, a peça excedente custará US$ 150; bagagens com peso entre 23 e 32 quilos terão cobrança de R$ 100; entre 32 e 45 quilos, R$ 200.

A Latam informou que não cobrará pela mala em voos da América do Sul (caso seja apenas uma unidade de até 23kg), nem pelas duas malas de voos internacionais (de 23 kg cada).

Correios anunciam concurso público para 5 cargos

 


Os Correios realizarão concurso público para o preenchimento de vagas na área de Segurança e Medicina do Trabalho. A informação foi divulgada no site oficial dos Correios. O certame terá vagas para todas as unidades da federação, com exceção do Mato Grosso.

A seleção é para repor o quadro de profissionais técnico-especializados dos Correios, em cumprimento às exigências de norma regulamentadora do Ministério do Trabalho. 

As vagas são para os seguintes cargos: 
- Auxiliar de Enfermagem do Trabalho
- Técnico de Segurança do Trabalho
- Enfermeiro do Trabalho
- Engenheiro de Segurança do Trabalho
- Médico do Trabalho. 

As inscrições devem ser abertas ainda neste mês de maio, e somente poderão ser feitas pela internet. 
Clique aqui para ver o site da organizadora do concurso. 

Os candidatos aprovados em todas as fases da seleção serão chamados a assinar contrato individual de trabalho com os Correios, de acordo com a classificação obtida, a localidade selecionada e as necessidades da empresa. O contrato de trabalho será regido pela Consolidação da Leis do Trabalho – CLT.

Convenção Lojista abre inscrições; veja os nomes de destaque no evento

O governador Wellington Dias (PT) confirmou presença na 24ª Edição da Convenção Lojista do Piauí. Em 2017, o tema do evento é: "Inspirar, mudar e alcançar". 

Dentre os renomados nomes que participarão do maior encontro de lojistas do Estado destacam-se  o antropólogo Leandro Karnal; o ativista cultural Braúlio Bessa; a comunicóloga Beth Furtado e o engenheiro de produção Rony Meisler.

As inscrições já estão abertas e podem ser feita através do site convencaolojistapi.com.br ou na própria sede da CDL. O evento será realizado no dia 27 de maio, no auditório da Novafapi. 

Quase 1.200 piauienses perderam o prazo para declarar o IR

1.191 - esse é o número de piauienses que não declararam o Imposto de Renda dentro do prazo neste ano, ou seja, até o dia 28 de abril.

A Receita federal esperava receber 230 mil declarações e recebeu 228.809. 

A multa por atraso na entrega é de 1% ao mês (ou fração de atraso) sobre o valor do imposto a pagar, limitada a 20% do IR devido. Porém, caso o contribuinte não tenha imposto a pagar, ou o valor correspondente a 1% do imposto devido seja inferior a R$ 165,74 o valor mínimo a ser pago é esse. 

Ao enviar a declaração após o prazo, o contribuinte receberá a “Notificação de lançamento da multa”, com o prazo para quitar a taxa.

O pagamento deve ser feito em até 30 dias após a entrega com atraso. Encerrado esse prazo, passam a incidir juros de mora sobre o valor, com base na taxa Selic.

Perfil do trabalhador: Empresários e servidores públicos têm os maiores salários no Piauí

O piauiense ganha em média R$ 1.292; em sua maioria trabalha por conta própria ou com carteira assinada pelo setor privado; os brancos ganham mais que os pardos e negros; e as pessoas com ensino superior completo têm renda salarial 177% maior. Esse é um pequeno resumo do perfil do trabalhador do Piauí. Há muito a se comemorar, como por exemplo, o fato de o Piauí ter uma das menores taxa de desemprego [desocupação] do país (8,8%), mas ainda há muitas lutas a serem travadas: a renda média, por exemplo, também é a menor do país. 

Em alusão ao Dia do Trabalhador, a Coluna Economia & Negócios, do Cidadeverde.com traz o perfil mais detalhado de quem está na força de trabalho piauiense. As informações são baseadas nos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Quantos estão no mercado de trabalho
A população do Estado é de aproximadamente 3,2 milhões de pessoas. Desse total, 2,561 milhões estão em idade de trabalhar (acima de 14 anos). Das pessoas aptas ao trabalho, apenas 1,391 milhão estão, de fato, no mercado de trabalho - seja já empregadas ou procurando emprego. Outros 1,170 milhão estão fora da força de trabalho - aqui se incluem os jovens na escola ou faculdade, as donas de casa, os que estudam para concurso, etc.

Das pessoas que estão economicamente ativas (PEA), 1,268 milhão estão empregadas ou ocupadas com remuneração. Outras 123 mil estão buscando vaga no mercado de trabalho. Estes, sim, são os desempregados. Por causa da crise, em um ano (de dezembro de 2015 a dezembro de 2016), 17 mil piauienses ajudaram a engrossar essa massa. 

 

Taxa de desocupação
"Quando se fala em desemprego, se pensa na pessoa que tem emprego formal, mas não é somente esse o foco da pesquisa. O IBGE mudou o conceito, fala em ocupação, não em emprego. Se você tem uma banquinha de alguma coisa, está ocupado, mesmo não tendo emprego. O desocupado está procurando emprego/ocupação e não está conseguindo", explica o economista César Fortes.

 

A relação de trabalho
Dos quase 1,3 milhão de piauienses que estão trabalhando, apenas 239 mil têm carteira assinada. Este é, segundo o economista César Fortes, um dos mais graves problemas do mercado de trabalho do Estado. "O Piauí é fraquíssimo nisso. Apesar de estarmos crescendo no número de carteiras assinadas, temos muito pouca gente formalizada. E a situação se agrava no interior: as pessoas ainda estão aceitando trabalhar sem carteira. Isso é um problema porque elas não têm nenhum benefício quando perdem o vínculo", argumenta.  

Foto: Wilson Filho / Cidadeverde.com

Veja como estão distribuídos os piauienses quanto à relação de trabalho
- 239 mil têm carteira assinada (trabalho formal);
- 215 mil não têm carteira assinada;
- 79 mil são domésticos;
- 197 mil estão no setor público;
- 57 mil são empresários
- 390 mil trabalham por conta própria
- 90 mil ajudam em casa

O economista ressalta ainda a queda do número de trabalhadores domésticos. Em um ano, esse número caiu de 92 mil para 79 mil. "Tudo leva a crer que é estamos perto do fim dessa categoria - as pessoas estão virando diaristas ou buscando outra colocação no mercado de trabalho. Também vejo que as empregadas domésticas estão ficando como na Europa, "coisa de rico", por assim dizer. Estão mais conscientes quanto à exigência de salários e outros direitos e isso tem pesado na hora do patrão decidir contratar", analisa. 

Outro ponto importante a destacar é que o setor público, ao contrário do que muitos pensam, não é o que mais emprega no Piauí. Hoje, perde para os profissionais com emprego privado e para os trabalhadores por conta própria. 

Onde trabalham
Apesar das dificuldades do campo, a agricultura, pecuária e atividades relacionadas ainda são as que mais empregam no Estado - 260 mil piauienses sobrevivem do campo. Em segundo lugar, vem o setor de comércio, que emprega 250 mil. 

Veja onde está empregada a força de trabalho piauiense
- Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura - 260 mil
- Indústria geral - 81 mil (Indústria pouco importante - e ainda caiu 10 mil empregos)
- Construção - 115 mil (perdeu 18 mil empregos em um ano)
- Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas - 250 mil
- Transporte, armazenagem e correios - 39 mil
- Alojamento e alimentação - 71 mil
- Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas - 83 mil
- Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde e serviços sociais - 233 mil
- Outros - 57 mil
- Serviços domésticos - 80 mil

Quanto ganham
Se por um lado estamos bem na fita em termos de ocupação, por outro lado, nossa renda é muito baixa. "Isso é crítico. Se não fosse por isso, estaríamos com status de estado desenvolvido. O rendimento muito baixo reflete no nível educacional", lamenta o economista.

A média de rendimento mensal das pessoas ocupadas é de R$ 1.292. Empresários, servidores públicos e empregados com carteira assinada puxam esse número para cima, mas os empregos informais forçam a queda nos valores. "A renda média do piauiense é somente 63% da renda média brasileira [R$ 2.043]", destaca Fortes.

O dado mais alarmante é a média de rendimento do empregado doméstico: apenas R$ 520 mensais, número próximo da média salarial de quem não tem carteira assinada: R$ 588. "Isso é um escândalo, é menos da metade do que ganha o empregador com carteira", comenta César Fortes.

Quem ganha mais no Piauí são os empregadores - R$ 3.178. Em segundo lugar, o melhor pagador é o serviço público, com remuneração média de R$ 2.684.

Veja quanto ganha cada modalidade de emprego
- carteira assinada (trabalho formal): R$ 1.329
- não têm carteira assinada: R$ 588
- domésticos: R$ 520
- setor público: R$ 2.684
- empresários: R$ 3.178
- conta própria: R$ 688

Onde estão os melhores salários
Além dos empresários, a administração pública é a única área cuja média salarial é superior a R$ 2 mil. Fora ela, os melhores salários estão no setor de informação, comunicação, atividades financeiras, imobiliárias e administrativas, cuja média é de R$ 1.867. A mais baixa remuneração está no campo, com média de R$ 330. 

Quanto paga cada área
Na agricultura, a média de salários é de R$ 330
Na Indústria: R$ 1.030
Na Construção: R$ 1.088
No comércio: R$ 1.120
No Transporte: R$ 1.589
Na informação: R$ 1.867
Na administração pública: R$ 2.487
Outros serviços: R$ 909
Serviços domésticos: R$ 520

Desemprego
Todos os piauienses que estão ocupados geram uma folha de pagamento mensal de R$ 1,523 bilhão. Há um ano, esse valor era de R$ 1,662. Dito de outra forma, de um ano para o outro, R$ 139 milhões deixaram de circular, afetando todos os setores do mercado de trabalho e impedindo o crescimento da economia piauiense. É a crise econômica. E o principal reflexo dessa crise é a desocupação. 

O Nordeste amarga 14%, mas no Piauí, a taxa é relativamente baixa, de 8,8% - é uma das menores taxa de desocupação do país, e a menor do Nordeste. 

 

A cor do desemprego

No Piauí a taxa de desemprego para pessoas da cor/raça "preta" e "parda" é superior à "branca". 

Dos 123 mil desempregados:
- 22 mil são brancos (17,8%)
- 9 mil são pretos (7,3%)
- 91 mil são pardos (74%)

Pessoas brancas ganham em média até 71% a mais que pessoas pardas e 49% a mais que as pessoas negras. 

Média salarial
- Brancos - R$ 1.921
- Pretos - R$ 1.287
- Pardos - R$ 1.119

 

 

 

Trabalhador piauiense X Trabalhadora piauiense

O Piauí é exceção em relação ao resto do Brasil, apresentando maior taxa de desemprego para os homens em relação às mulheres. Dos 123 mil desempregados, 73 mil (60%) são homens e 49 mil (40%) são mulheres. Mas as mulheres ganham menos. O salário dos homens é, em média, 13% maior que o das mulheres. Eles ganham R$ 1.356 e elas R$ 1.196.

Grau de instrução

No Piauí o maior percentual de desemprego está na população com nível de instrução do ensino médio completo ou equivalente. Dos 123 mil desempregados:

- 11 mil não têm estudo, ou só estudou um ano. Correspondem a 8,9%
- 39 mil têm ensino fundamental incompleto ou equivalente. Equivalem a 31,7% do total de desempregados.
- 9 mil têm completaram o ensino fundamental (7,3% do total)
- 12 mil não conseguiram finalizar o ensino médio (9,75% do total)
- 39 mil já completaram o ensino médio (31,7% do total)
- 6 mil têm ensino superior (4,87%)

Empresas aéreas ainda não decidiram quanto vão cobrar por mala

A Justiça do Ceará decidiu, na última sexta-feira (28), pela liberação da cobrança extra no despacho de bagagens. Desde o último sábado (29), as companhias aéreas poderiam ter cobrado pela mala na venda de novas passagens, mas ainda não há previsão de quando as novas regras terão início. 

Veja o que diz cada uma das empresas aéreas:

- A Gol informou que está "reavaliando o assunto internamente e assim que houver uma decisão comunicará os seus clientes. As regras de despacho de bagagem por enquanto continuam as mesmas." Antes, a empresa havia decidido que o valor cobrado por mala seria maior, de acordo com a quantidade de itens, e que a primeira mala seria mais barata que a segunda. 

- A Latam disse que “segue a legislação do setor” e que não definiu quando vai colocar em prática os valores. Antes, a empresa havia informado que cobraria R$ 50 por mala despachada em voo nacional. Em voos internacionais, o despacho de até duas malas é gratuito. 

- A Azul limitou-se a dizer que segue o posicionamento da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Antes, a empresa havia dito que criaria uma classe tarifária promocional para quem viajar sem mala e que cobraria R$ 30 pela primeira mala.

- A Avianca Brasil informou que manterá a mesma decisão do mês passado de não cobrar por despacho de bagagens, pois prefere estudar essa questão mais profundamente durante os próximos meses. 

Especialista aponta as qualidades exigidas no mercado de trabalho

Neste momento crítico da economia brasileira, muitas empresas estão reestruturando o quadro de funcionários e isso tem gerado uma insegurança em todos os estados do país. E não é para menos - 14,2 milhões de brasileiros estão desempregados, segundo a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como fazer, então, para se manter no emprego? 

O coach e analista comportamental Kadu Leite elenca as características básicas que todos os funcionários devem ter para garantir um bom ambiente de trabalho: 

1) Bom relacionamento
Mantenha um excelente relacionamento com todos do trabalho, incluindo os chefes, diretores, supervisores, funcionários com a sua mesma função e subordinados. E, principalmente, mantenha um relacionamento cordial e respeitoso com clientes e fornecedores. " Normalmente as pessoas que tem dificuldades de relacionamento são as primeiras a serem demitidas", explica o analista.

2) Assiduidade
Também é imprescindível ser assíduo, pontual e produtivo. "Empregados que normalmente são displicentes com horário, costumam se atrasar ou vivem inventando desculpas para faltar ao trabalho estão sempre na mira dos supervisores e também dos seus colegas, que se sentem incomodados com a falta de compromisso. Além disso, faltar e chegar atrasado afetam diretamente no quesito produtividade", argumenta Kadu.

3) Ética
Seja honesto e viva os valores da empresa. 

Kadu Leite, analista comportamental

O diferencial: proatividade

Mas, se você quer mesmo se manter no emprego e não correr o risco de ser demitido por causa da crise, somente as características básicas não são suficientes. O coach afirma que o que faz, realmente, alguém se destacar no ambiente de trabalho é a proatividade. "Ser proativo significa dar mais do que se espera na sua função ou cargo. Tenha real interesse em contribuir com a empresa. Exerça um papel de liderança e motive seus colegas a dar mais, a serem melhores, a se desenvolverem e a colaborarem com os resultados da empresa. E um pouco mais: tenha orgulho da empresa na qual trabalha", orienta o especialista.

O que é ser proativo?
O empregado proativo procura antever as situações adversas e propor soluções para cada uma delas, diminuindo consideravelmente os problemas dentro do ambiente empresarial. 

 

Um funcionário proativo desperta nos chefes a sensação de que são indispensáveis para o bom funcionamento do negócio, por isso a possibilidade de demissão é afastada para dar lugar para exatamente o contrário: o crescimento dentro da empresa. 

"As características desejadas pelas empresas em seus empregados vêm se alargando a cada ano. Pode-se dizer que as características requeridas pelas empresas há anos ainda são desejadas, mas não são mais suficientes. Resumidamente, duas coisas resumem a necessidade das empresas: pro tividade e trabalho em equipe", argumenta o analista. 

O trabalho em equipe
Trabalhar em equipe é diferente de trabalhar junto com outras pessoas. Um grupo trabalhando é um conjunto de pessoas, no qual cada uma resolve uma parte e no fim todos torcem para que as coisas se juntem e deem certo. Uma equipe trabalhando é como um único elemento com foco em um resultado, onde no fim todos os membros têm a certeza de que o resultado será alcançado, pois todos estão empenhados em alcançá-lo.

 

Estudar é fundamental

Há três décadas era normal uma pessoa não ter um curso superior e isso não a excluía do mercado de trabalho. Hoje, porém, praticamente não há vagas para quem não tem o ensino médio completo. Isso evidencia a importância da educação.

E que cursos devem ser priorizados? Para Leite, isso varia tanto pelo nível do profissional quanto pela posição que se deseja alcançar na empresa. "Independente disso, o que se pode afirmar é que o estudo contínuo é extremamente importante para a evolução profissional. Se o empregado é um operário da fábrica, o que o impede de ser o melhor operário? Este profissional deverá se qualificar para ser o melhor profissional naquela área. Do mesmo modo é para quem ocupa um cargo de supervisão ou de direção. A qualificação deverá ser seguida para superar as expectativas do cargo que ocupa", afirma o especialista.

Kadu destaca que os treinamentos de inteligência emocional estão muito em voga atualmente, pois desenvolvem competências não relacionadas a conhecimentos técnicos, e sim permitem o desenvolvimento como ser humano, o que pode melhor a autoestima, convivência, relacionamento, determinação, etc.

Profissões em alta

Neste momento de crise econômica, as profissões ligadas a diversos tipos de análise dentro das empresas são extremamente valorizadas, principalmente aquelas ligadas à redução de custos ou incremento de faturamento. Veja a lista de atividades em alta, segundo análise de Kadu Leite:

- Consultor de compras
"Este profissional, ao revés do que muitos pensam, é especializado em negociações com fornecedores, assim como a prospecção de novos. Também cuida da gestão de produtos e insumos diretos ou indiretos. A importância desse profissional é clara quando se pensa que a busca por novos fornecedores gera novas oportunidades que podem trazer redução de investimentos e custos em itens de compras". O que é preciso para ser consultor de vendas: 

- extrema organização

- forte influência e relacionamento com outros departamentos das empresas

- conhecimento de praticamente todos os processos de funcionamento a empresa.

- Profissionais da área de vendas
"Especialmente aqueles que têm real vocação para gerência comercial sempre estão no topo das listas de profissões em alta. Com um mercado em crise, repleto de desafios, as empresas buscam garantir a continuidade dos seus negócios por meio da área de vendas". O que é preciso para ser gerente de vendas:

- conhecimentos de gerenciamento e motivação de equipes

- conhecimentos técnicos de matemática financeira e contabilidade

- excelente comunicação e poder de persuasão.

- Profissões ligadas a marketing e consultorias
Consultores comerciais, especialistas em marketing, vendedores técnicos e profissionais da área de informática, em especial aqueles que desenvolvem aplicativos e plataformas de comercialização de produtos inovadoras estão no auge. 

- Profissionais ligados à redução de custos
Dentre os quais, o coach cita os que trabalham na melhoria de processos de produção, logística, educação continuada e treinamentos dentro das empresas.

Veja o que abre e o que fecha no feriado do Dia do Trabalho

O comércio de Teresina fechará as portas nesta segunda-feira (1º), data em que se comemora o Dia do Trabalhador. As lojas, tanto do Centro, como dos três shoppings - Teresina, Rio Poty e Riverside, não funcionarão. 

Apenas as áreas de lazer, como os cinemas e a praça de alimentação, estarão abertas ao público. 

As grandes redes de supermercado, como o Pão de Açúcar, o Extra, o Hiperbompreço e o Carvalho, também fecham neste feriado, reabrindo normalmente apenas na terça-feira (2). 

Bancos e lotéricas não funcionam no feriado. Contas a vencer neste dia 1º podem ser pagas na terça sem adição de juros ou multas, mas os serviços de internet banking e os caixas eletrônicos funcionam normalmente. 

Funcionários da administração pública também estão de folga. Funcionam somente serviços essenciais, como os hospitais, e a distribuição de água e luz, em regime de plantão, para atender casos mais urgentes.

Mais de 14 milhões de brasileiros estão desempregados

O desemprego já alcançou 14,2 milhões de brasileiros. É o que mostra a última Pnad Contínua do IBGE, divulgada na última sexta-feira (28). 

A taxa de desocupação - que abrange as pessoas que não estão formalmente nem informalmente empregadas e também não trabalham por conta própria - atingiu, novamente, o maior patamar da série histórica: 13,7% no trimestre de janeiro a março deste ano.

A alta é de 1,7 ponto percentual frente ao trimestre imediatamente anterior (outubro/dezembro 2016), quando a taxa era de 12%. E 2,8 pontos percentuais em relação ao mesmo trimestre de 2016, quando a taxa era de 10,9%. 

Em outras palavras, de um trimestre para o outro, mais de 1,8 milhão de brasileiros deixaram de trabalhar. De um ano para o outro, foram mais 3,1 milhões de novos desempregados. 

População ocupada

Logicamente, a população que está trabalhado sofreu redução. Atualmente são 88,9 milhões de brasileiros ocupados - 1,3 milhão a menos que no trimestre anterior. Esse é o menor contingente da série histórica, iniciada em 2012.

O nível da ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) recuou para 53,1% no trimestre de janeiro a março de 2017, com queda de 0,9 ponto percentual frente ao nível do trimestre anterior (54,0%). Em relação ao nível do mesmo trimestre de 2016 (54,7%), houve retração de 1,7 ponto percentual. Este foi o menor nível da ocupação da série histórica da pesquisa.

Carteira assinada

O número de empregados com carteira de trabalho assinada (33,4 milhões de pessoas) recuou em ambos os períodos de comparação: frente ao trimestre outubro / dezembro de 2016 (-1,8% ou menos 599 mil pessoas) e ao trimestre janeiro / março de 2016 (-3,5% ou menos 1,2 milhão de pessoas). Este foi o menor contingente de trabalhadores com carteira assinada já observado na série histórica da pesquisa.

Rendimento médio

O rendimento médio real habitual (R$ 2.110) no trimestre encerrado em março de 2017 manteve estabilidade frente ao trimestre anterior (R$ 2.064) e, também, em relação ao mesmo trimestre de 2016 (R$ 2.059). A massa de rendimento real habitual (R$ 182,9 bilhões) no trimestre encerrado em março de 2017 também ficou estável nas duas comparações.

Posts anteriores