Cidadeverde.com

Mercado prevê menos inflação este ano, mas PIB piora ainda mais

Pela décima vez seguida, os economistas do mercado financeiro ajustam a estimativa de inflação  e do crescimento da economia para este ano. A previsão do PIB teve nova piora. As informações são do Boletim Focus, do Banco Central, divulgadas nesta segunda-feira (28). Veja os dados:

Para 2016:
Inflação pela IPCA: caiu de 7,43% para 7,31%.
PIB: contração de 3,66%; na semana passada era de 360%
Taxa de juros (Selic): estável em 14,25% ao ano
Câmbio: dólar caiu de R$ 4,20 para R$ 4,15
Balança comercial: subiu de US$ 42,40 bilhões para US$ 43,5 de resultado positivo
Entrada de investimentos estrangeiros: inalterada em US$ 55 bilhões.

Para 2017:
Inflação pela IPCA: estável em 6% (teto estipulado pelo governo)
PIB: previsão de alta caiu de 0,44% para 0,35%.
Taxa de juros (Selic): estável em 12,50% ao ano
Câmbio: dólar recuou de R$ 4,30 para R$ 4,20
Balança comercial: avançou de US$ 46,90 bilhões para US$ 47,5 bilhões
Entrada de investimentos estrangeiros: caiu de US$ 57,50 bilhões para US$ 55,25 bilhões.

Piauí Loterias será lançada para arrecadar R$ 20 milhões por ano

O governador Wellington Dias (PT) e o secretário da Fazenda, Rafael Fonteles, lançam na próxima terça-feira (29) a loteria estadual - a Piauí Loterias. Com isso, o governo terá mais um instrumento para incrementar a arrecadação, que deve aumentar em cerca de R$ 20 milhões por ano. A Piauí Loterias será a primeira a funcionar em meio virtual no país. 

Os recursos, segundo o secretário, serão utilizados em políticas públicas sociais que fomentam o desenvolvimento da população piauiense, principalmente nas áreas da cultura e esporte. A exploração da loteria será feita pelo próprio Estado e não por meio de uma concessão - os recursos serão depositados direto em conta do Estado. Será criada uma Central de Desenvolvimento Socioeconômico, que será responsável pelo planejamento, monitoramento e pela transparência da aplicação dos recursos.

As apostas poderão ser feitas por meio do aplicativo da Piauí Loterias, disponível para dispositivos móveis (APP, Smartphone, tablets) ou acessando direto o site que será divulgado no lançamento.  De início, a Piauí Loterias irá disponibilizar produtos da loteria instantânea, denominados popularmente de raspadinha, mas, posteriormente, também disponibilizará loterias de prognóstico, que são aquelas que envolvem uma combinação numérica. Em relação às raspadinhas, os prêmios serão de até R$ 500 mil. Todas as demais premiações serão apresentadas no dia do lançamento, na próxima terça-feira. 

Emprego e renda

Rafael Fonteles afirma que a Piauí Loterias contribuirá para incrementar a geração de emprego e renda no Estado, uma vez que irá criar uma rede de revendas de grande capilaridade, utilizando o comércio local. “Portanto, além de possibilitar a geração de emprego direto ainda contribuirá para melhorar a renda de estabelecimentos comerciais cadastrados para atuarem como revendedores da loteria, a exemplo de bares, restaurantes, farmácias, postos de gasolinas, lojas de conveniência, além do comércio popular”, enfatiza.

Como declarar compra e venda de veículos no Imposto de Renda

Comprar ou vender veículos e imóveis são ações que não podem deixar de ser informadas no Imposto de Renda. A Receita Federal é clara - a declaração tem que ser feita independente do valor do bem. No caso de veículos, o contribuinte deve informar a posse, a compra ou a venda na ficha "Bens e Direitos", com o código "21 - Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc.”. Os dados do veículo - modelo, ano de fabricação e placa - devem ser colocados no campo "Discriminação", assim como as informações do vendedor (nome, CPF ou CNPJ) e a forma de pagamento.

 

Compra
- Se a compra aconteceu em 2015, deixe o campo “Situação em 31/12/2014 (R$)” em branco e informe o valor pago pelo veículo apenas no quadro "Situação em 31/12/2015 (R$)”.
- Se o carro foi comprado em anos anteriores, basta repetir as informações da declaração passada. 
- O valor informado deve ser sempre o do seu custo de aquisição. O valor só deve ser alterado se o proprietário fizer benfeitorias que valorizem o carro, como uma blindagem. Caso os gastos com o veículo não representem benfeitorias, não é preciso informá-los, uma vez que essas despesas não são dedutíveis.

Venda
- Se o carro for vendido por valor superior R$ 35 mil, ele está sujeito à incidência de IR, em caso de ganho de capital com sua venda. Nesse caso, no mês seguinte à venda, o contribuinte deveria ter acessado o programa GCAP 2015 para lançar os dados da negociação e recolher o imposto de 15% sobre o ganho. Assim, basta apenas importar o GCAP, na aba “Ganhos de Capital” para que o programa registre automaticamente o recolhimento do imposto.
- Se o contribuinte vendeu seu carro com lucro em 2015 e não recolheu o imposto no mês seguinte, por meio do GCAP, ele deve pagar o imposto agora, acrescido de multas e juros.
- No caso de desvalorização do carro - que é o mais comum - a Receita não tributará o antigo proprietário, mas precisa saber que ele se desfez do bem - da mesma forma que precisa saber sobre quem o adquiriu, ainda que o carro custe menos de R$ 35 mil. Para isso, basta deixar o item “Situação em 31/12/2015” em branco e informar a venda no campo “Discriminação”, especificando o CNPJ ou CPF do comprador.

Compra financiada
- Os casos de financiamentos também têm que ser informados. Porém, em vez de declarar o preço total de compra, o contribuinte deve declarar apenas o valor efetivamente desembolsado com as prestações do financiamento até o dia 31/12/2015. 
- Na coluna "Situação em 31/12/2014" devem ser descritos os valores pagos até então (entre parcelas e entrada), ainda que o contribuinte esteja declarando pela primeira vez. Assim, se o financiamento tiver começado em 2015, essa coluna ficará em branco.
- Na coluna "Situação em 31/12/2015", deve-se somar ao valor de 31/12/2014 a quantia paga ao longo de 2015.
- No campo "Discriminação" é preciso declarar que o veículo foi financiado, informando o modelo, o ano, o valor total do carro, o CNPJ ou CPF do vendedor, o valor da entrada (se tiver sido paga em 2015), a quantidade total de parcelas e o número de prestações pagas até 31/12/2015.
- Não é preciso informar nenhum valor na ficha “Dívidas e Ônus Reais”.

 

3ª fase do Minha Casa Minha Vida terá nova faixa e prestação maior

A data já está marcada. O governo federal prepara para a quarta-feira da próxima semana (30) o lançamento da terceira fase do Programa Minha Casa Minha Vida - uma promessa feita na campanha para a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Para o Planalto, essa pode ser uma ocasião positiva, que somará contra o acirramento do processo de impeachment.  

As novidades da terceira etapa
- Será criado um site para cadastro dos interessados em participar do programa, mas as prefeituras também poderão fazer o cadastro. 
- Com o site, os interessados que se enquadram nos critérios serão selecionados automaticamente. A intenção é tornar o processo mais homogêneo e evitar fraudes. 
- Haverá aumento do valor das prestações, inclusive para as famílias da faixa 1, que tinham subsídio de até 95% do valor do imóvel e comprometiam apenas 5% da renda.
- Será criada uma nova faixa - a 1,5 - que contemplará famílias com renda mensal de até R$ 2.350. O desconto chega a R$ 45 mil.
- A parcela de recursos públicos como contrapartida aos subsídios é atualmente de 17,5% e deve cair para 11%. Para compensar a queda, a parcela do FGTS deve subir de 82,5% para 89%. 

A previsão inicial do orçamento do MCMV em 2016 era de R$ 15,5 bilhões, mas a falta de recursos fez o valor descer para R$ 6,9 bilhões - que será usado para todas as faixas e para quitar os pagamentos que estão atrasados. 

Lojas, bancos e supermercados fechados nesta Sexta-Feira

Lojas, bancos, supermercados e demais estabelecimentos comerciais estarão fechados nesta Sexta-feira da Paixão (25). No caso das lojas, tanto no Centro como nos shoppings, o funcionamento só volta ao normal na segunda-feira (28), assim como os bancos e os serviços da administração pública.

Já os supermercados reabrem no sábado (26) e também permanecem abertos no domingo (27), em funcionamento normal, mas TODOS os supermercados ficarão fechados nesta sexta. 

Brasil registra quase 10 milhões de desempregados

O Brasil registrou 9,6 milhões de desempregados de novembro de 2015 a janeiro de 2016 - o dado, divulgado pelo IBGE nesta quinta-feira (24), aponta que o Brasil tem quase 3 milhões de desempregados a mais que no mesmo período de 2015. A taxa de desemprego ficou em 9,5%, segundo essa PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). Na terça-feira (23), o IBGE divulgou que a taxa de desemprego no país estava em 8,2% em fevereiro. 

Dados do trimestre

De acordo com o IBGE, no trimestre encerrado em janeiro, a população desocupada era de 9,6 milhões de pessoas, um crescimento de 6% (mais 545 mil pessoas) em relação ao trimestre de agosto a outubro do ano passado. Quando comparado a igual trimestre de 2015, a população desocupada chegou a crescer 42,3%, refletindo um contingente de 2,9 MILHÕES de pessoas desempregadas a mais. No trimestre anterior, equivalente ao período de agosto a outubro de 2015, a taxa de desocupação registrada foi 9%. A taxa de desocupação do trimestre encerrado em janeiro de 2015 ficou em 6,8%.

Carteira assinada

O número de pessoas ocupadas diminuiu 0,7% no último trimestre apurado pelo instituto na comparação com o trimestre anterior. O país tinha, de novembro de 2015 a janeiro de 2016, 91,7 milhões de pessoas empregadas, 656 mil menos que no trimestre de agosto a outubro de 2015. Em comparação com igual trimestre de 2015, foi registrada queda de 1,1%, na população ocupada (1 milhão de pessoas a menos). Entre o trimestre encerrado em outubro do ano passado e de janeiro deste ano, o número de empregados com carteira assinada ficou estável, mas quando comparado a igual trimestre do ano passado houve redução de 3,6% no contingente de trabalhadores com carteira de trabalho asinada (menos 1,3 milhão de pessoas). Já a participação de empregadores apresentou redução de 4% em relação ao trimestre de agosto a outubro de 2015 (-161 mil pessoas), mas não apresentou variação significativa em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Com relação aos trabalhadores por conta própria houve aumento de 2,8% em relação ao trimestre de agosto a outubro de 2015 (622 mil pessoas). Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, no entanto, ocorreu aumento no número de trabalhadores por conta própria de 6,1% (mais 1,3 milhão de pessoas).

Rendimento médio

A média móvel do rendimento médio real recebido pelos trabalhadores brasileiros no trimestre encerrado em janeiro deste ano ficou em R$ 1.939, apresentando estabilidade frente ao trimestre de agosto a outubro do ano passado, quando a média móvel havia sido de R$ 1.948. Quando comparado ao mesmo trimestre do ano passado, no entanto, houve queda de 2,4% (R$ 1.988). A massa de rendimento real habitualmente recebida pelas pessoas ocupadas em todos os trabalhos (R$ 172,8 bilhões) também registrou estabilidade em relação ao trimestre de agosto a outubro de 2015, mas apresentou redução (-3,1%) frente ao mesmo trimestre do ano anterior. 

Programa municipal de habitação tem 5 mil servidores cadastrados

Cerca de 5 mil servidores municipais de Teresina já se cadastraram no Programa Habitar Bem Servidor. O cadastro será utilizado como base para elaboração deste projeto habitacional, que será desenvolvido pela prefeitura, através do IPMT, tendo como parceira a Caixa Econômica Federal. Os servidores ativos e inativos da PMT que têm interesse em adquirir o imóvel na zona sul, próximo ao polo industrial, podem se cadastrar até o dia 14 de abril. Pelo site do IPMT (www.ipmt.teresina.pi.gov.br) ou nos pontos de atendimento, que estão localizados no auditório do instituto e no pátio de entrada da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e da Assistência Social (SEMCTAS), ambos, funcionam no horário de 8 às 13h30.

As principais dúvidas sobre o seguro-desemprego

Com a taxa de desemprego em 8,2% no mês de fevereiro, as dúvidas sobre o benefício do seguro-desemprego têm crescido - especialmente porque no ano passado as regras mudaram. Ontem (24), o Google divulgou uma lista com as perguntas mais buscadas sobre esse assunto nos últimos 90 dias. Veja quais são elas e os esclarecimentos:

1) Como calcular a duração do seguro-desemprego?
Resposta: a quantidade de parcelas varia conforme o tempo de trabalho, levando em conta os últimos 36 meses. Veja na tabela: 

2) Qual é o valor máximo pago pelo seguro-desemprego?
Resposta: O cálculo é feito com base na média salarial dos últimos três meses. Mas, existe limite. Veja na tabela:

3) Como solicitar o seguro desemprego para uma empregada doméstica?
Resposta: Tem direito ao benefício se for demitido sem justa causa e comprovar ter rabalhado como empregado doméstico pelo menos 15 meses nos últimos 24 meses; estar inscrito como Empregado Doméstico da Previdência Social e possuir, no mínimo, 15 contribuições ao INSS; ter, no mínimo, 15 recolhimentos ao FGTS como empregado doméstico; não estar recebendo nenhum benefício da Previdência Social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte; não possuir renda própria para seu sustento e de sua família. O requerimento do benefício precisa ser apresentado às unidades de atendimento do Ministério do Trabalho e Emprego ou aos órgãos autorizados, no prazo de 7 a 90 dias contados da data da dispensa. Para o empregado doméstico o valor máximo de cada parcela é de um salário mínimo.

4) Qual é o intervalo para pedir outro seguro-desemprego?
A partir da data da última dispensa que habilitar o trabalhador a receber o seguro-desemprego, deve-se contar 16 meses que compõem o período aquisitivo. Só então o desempregado pode requerer outro seguro.

Lei aumenta percentual de biodiesel no combustível para reduzir preço

Uma lei publicada nesta quinta-feira (24) no "Diário Oficial" da União aumenta a mistura do biodiesel no óleo diesel vendido no país. O texto foi sancionado ontem pela presidente Dilma Rousseff (PT) e o índice de biodisel passará de 7% para 8% até 2017; chegará a 9% em 2018 e a 10% em 2019 - mas ainda poderá chegar a 15% nos anos seguintes, se os testes que forem feitos nos motores dos veículos daqui para frente não comprovem danos. Nesse caso, o Conselho Nacional de Política Energética deverá aprovar o aumento do percentual.

A intenção de modificar a mistura, segundo a presidente, é baratear o combustível para o consumidor final, além de movimentar as agriculturas familiar e comercial e a indústria produtoras de biocombustível. Segundo o projeto, a adição de biodiesel superior aos percentuais citados será facultativa. Também será opcional a adoção da mistura nos transportes público, ferroviário, de navegação, em equipamentos e veículos destinados à extração mineral e à geração de energia elétrica, em tratores e em aparelhos que puxem máquinas agrícolas.

A extração do biodiesel pode ser feita da mamona, do dendê, do girassol, do babaçu, do amendoim, do pinhão manso e da soja. O combustível é capaz de capaz de reduzir a poluição ambiental, é biodegradável e renovável. Desde que o governo lançou o programa de produção e uso do biodiesel, foram economizados US$ 5,3 bilhões com a importação de óleo diesel - de acordo com dados do Ministério de Minas e Energia.

Desemprego no Brasil atinge 8,2% e salários estão mais baixos

O IBGE divulgou nesta quarta-feira (23) que o desemprego no Brasil atingiu 8,2% em fevereiro - a maior taxa para o mês desde 2009, quando chegou a 8,5%. Considerando todos os meses, é a mais elevada desde maio de 2009, que registrou 8,8%. Em janeiro, o desemprego tinha ficado em 7,6%. Já em fevereiro do ano passado, a taxa era 5,8%. A comparação entre o mês de fevereiro do ano passado e esse mostrou rescimento de 2,4 pontos percentuais - o maior avanço anual para o mês na série, iniciada em março de 2002.

Desocupação

Atualmente, 2 milhões de pessoas estão desocupadas no Brasil. O índice cresceu 7,2% em relação a janeiro. Em comparação com o mesmo mês de 2015, o aumento foi de 39%. Com o crescimento no número de desocupados, o número de pessoas empregadas diminui. Segundo o IBGE, a população ocupada foi estimada em 22,6 milhões, uma queda de 1,9% em relação ao mês anterior - a maior baixa mensal desde janeiro de 2004. Diante de fevereiro do ano passado, o recuo foi de 3,%, o maior para o mês de fevereiro da série. O número de pessoas com carteira de trabalho assinada no setor privado chegou a 11,4 milhões e não mudou em relação a janeiro, mas frente a fevereiro de 2015 mostrou recuo de 4,1%. 

Remuneração: A remuneração dos ocupados também recuou. O rendimento médio dos trabalhadores foi estimado em R$ 2.227,50 - valor 1,5% abaixo do indicado em janeiro e 7,5%  inferior a um ano atrás. 

Posts anteriores