Cidadeverde.com

Secretário confirma que Estado não tem como pagar terceirizados, mas garante folha

 

O Piauí vai fechar 2014 com um déficit de pelo menos R$ 44 milhões na arrecadação estadual e, por isso, pelo menos R$ 22 milhões deixarão de ser pagos aos terceirizados e fornecedores do Estado. 

A informação é do secretário de Fazenda, Raimundo Neto Carvalho, que afirmou, entretando, que os recursos para a folha de pagamento dos servidores estão garantidos até o dia 12. Apenas o último dia de pagamento, o dia 13 (terça-feira), está dependendo do Fundo de Participação do Estado (FPE) e dos repasses do ICMS.

Segundo Neto, o débito de R$ 44 milhões encarado pelo governo se refere ao ICMS, declarados ou parcelados, não pagos no período de outubro a dezembro de 2014. "Dos valores devidos a teceirizados, apenas R$ 2,5 milhões estão empenhados. Mesmo fazendo todo esforço para ampliar as nossas receitas, com esse prejuízo não tem como o governo honrar todos os compromissos, sem falar das perdas que o Piauí teve em relação ao FPE", destacou o gestor, em entrevista à Coluna Economia e Negócios.

Folha de pagamento

Apesar da situação de crise, o secretário garantiu que os pagamentos dos servidores do Estado está confirmado. "Com o recurso que vai ficando na conta dá para pagar todos os salários do dia 6 ao dia 12. Só não dá para pagar o dia 13 de janeiro, mas o Estado vai receber recursos do FPE e grandes repasses do ICMS no dia 9. Com esse valor, o dia 13 está garantido", completou.

Débito da Eletrobras

O secretário explicou que só a Eletrobras-PI, que é o maior contribuinte do Estado, deixou de efetuar o pagamento de ICMS no valor de R$ 17 milhões, débito este que venceu no último dia 26 de dezembro. Além disso, anteriormente a empresa já tinha parcelado um débito de R$ 9 milhões do ICMS em 10 vezes, comprometendo-se a pagar mensalmente para o Estado cerca de R$ 1 milhão. Desses R$ 9 milhões negociados de forma parcelada, a empresa só repassou a primeira parcela, o restante do recurso será recebido pelo próximo governo.

"E não paga porque não quer. Sabemos que a empresa tem dinheiro em caixa, porque fez uma campanha de renegociação das dívidas nesses últimos meses, mas se nega a pagar a conta. Mas é assim mesmo, governo que perde a eleição não tem valor. A Eletrobras não quer dar atenção ao Estado e por isso estamos nessa situação", criticou Raimundo Neto.

A Eletrobras enviou nota à coluna, esclarecendo que está ciente da obrigação do repasse, mas a maioria dos consumidores que aderiram à campanha de renegociação da dívida optou pelo parcelamento. Veja nota na íntegra:

"A Eletrobras Distribuição Piauí, ciente da obrigação de repasse do Imposto sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) ao Estado, cujo prazo final é sempre o último dia útil de cada mês, antecipou, excepcionalmente, o pagamento de R$ 10 milhões em 18 de dezembro de 2014. A empresa informa também que, apesar de estar realizando a campanha de negociação de débitos com condições especiais, que termina nesta terça-feira (30), boa parte dos consumidores deixou para negociar no último dia. Além disso, a maioria das negociações é parcelamento."

 

Após falir, empresária dá volta por cima e produz 4 mil salgados por dia

  • _MG_1136.jpg Dona Solange consolidou seu negócio de salgados e já planeja expandir a empresa
    Raoni Barbosa
  • Solange_Salgado_2.jpg Raoni Barbosa
  • Solange_Salgado_3.jpg Raoni Barbosa
  • Solange_Salgado.jpg Raoni Barbosa
  • Solange_Salgado_4.jpg Raoni Barbosa
  • Solange_Salgado_1.jpg Média diária de salgados é de 4 mil
    Raoni Barbosa

Há 13 anos, Solange Leal de Moraes saía de Floriano para Teresina, com dois filhos a tiracolo e completamente sem dinheiro. Ela havia se divorciado e, sem perspectivas, decidiu fechar o pequeno negócio de salgados de festa que possuía no interior do Piauí para pagar as dívidas. Falida, na capital, passou a morar com as irmãs. “Foi um momento difícil. Eu não tinha um tostão no bolso e a única coisa que eu sabia fazer era salgadinhos”, lembra Solange. Sem ter como criar os filhos, ela bateu de porta em porta, até que conseguiu seu primeiro contrato, para fornecer 15 salgados por dia.

Os produtos necessários para a encomenda eram comprados no cartão de crédito de sua irmã – uma espécie de empréstimo. “Eu não tinha dinheiro nem mesmo para começar”, lembra. Em pouco tempo, a propaganda “boca a boca”, aliada à determinação e à insistência garantiram novos contratos à microempresária. Hoje, a média diária de salgados vendidos é de 4 mil e, em dias de grandes eventos, Solange chega a fornecer até 10 mil salgados.

“Eu corro atrás de cada centavo, até porque no preço final do salgado, um único centavo faz diferença. Por isso, se a margarina que eu preciso para as empadas está cara em um supermercado, eu vou até o outro. O segredo para dar certo é isso. A gente não pode se acomodar”, declara Solange, que começou como microempresária e agora emprega formalmente 22 funcionários e atende a grandes supermercados, escolas e clínicas da cidade. 

 

“Eu não tinha um tostão no bolso e a única coisa que eu sabia fazer era salgadinhos”
Solange Moraes, que hoje emprega 22 funcionários em seu novo negócio


 
Apesar de já ter trabalhado com a produção de salgados antes, os desafios não foram poucos. A rotina para atender aos clientes começa cedo, às 4h30 da madrugada. “Eu acordo nesse horário, com a minha filha, todos os dias, para organizar a primeira rota de entregas. É cansativo, mas eu preciso fazer isso. Gosto de estar por perto, de fazer a minha empresa funcionar e ser pontual com as entregas é fundamental para manter os clientes”, observa.

Cinco passos para o sucesso 

Em entrevista à coluna Economia e Negócios, do Cidadeverde.com, Solange elencou cinco das características que ela enxerga como essenciais para o sucesso dos negócios:


Gerando emprego e renda

Boa parte dos colaboradores de Solange nunca haviam trabalhado na área da culinária. A empresária destaca que na hora de empregar um funcionário, não leva em consideração a experiência, mas sim a vontade de trabalhar. “A pessoa que chega até mim e mostra que está disposta a aprender, a fazer bem feito, é contratada. Experiência eu posso ensinar, mas não posso ensinar a ter vontade de trabalhar”, pontua. 

Além disso, é dada prioridade às pessoas que moram próximas à empresa – uma forma de economizar com os vales-transportes e de ajudar a região. “Aqui na zona Sul existem muitas pessoas que precisam de emprego. Elas são prioridade para mim e, em contrapartida, a empresa economiza”, explica Solange.

A veia empreendedora do Piauí

Um novo horizonte vem se concretizando no Piauí quando o assunto é empreendedorismo. Nos últimos 14 anos, o setor tem crescido a passos largos, quando comparado às décadas anteriores. De 1892 – ano em que a Junta Comercial do Piauí (Jucepi) foi instalada – até 1999, apenas 61 mil empresas foram criadas. Porém, nos anos 2000, quase 100 mil novos negócios foram abertos. Somente em 2014, este número somou-se a mais 15 mil.

 

 

 

De acordo com o atual presidente da Jucepi, Eduardo Pereira Filho, o fato de o número de empresas ter diminuído entre 2013 e 2014 não é alarmante. Ele considera que a realização da Copa do Mundo, a crise na economia nacional e as eleições foram fatores que frearam um pouco a abertura de negócios, mas o ritmo de crescimento deve ser retomado em 2015.

A força dos microempreendedores

Vinte e sete por cento do Produto Interno Bruto (PIB) nacional correspondem às micro e pequenas empresas. Dados do Sebrae revelam que 99% dos novos negócios estão dentro dessa esfera e são responsáveis por 40% da massa salarial do país e por 70% das novas vagas de emprego geradas por mês. 

No Piauí, mais de 87 mil estabelecimentos no mercado são microempresas, empresas de pequeno porte ou microempreendedores individuais (MEI). A grande maioria – 87% – estão no segmento de comércio e serviços e geraram quase 6.400 empregos somente no primeiro semestre desse ano no Piauí, enquanto a média das grandes empresas foi de apenas 514 vagas. Além disso, a participação aproximada desses empreendimentos no ICMS do Estado foi de aproximadamente R$ 19 milhões no último ano. 

 

 

Média de gastos do réveillon em Teresina é de R$ 170 por casal; Veja opções

A programação para a virada de ano promete movimentar Teresina. Análise da Associação de Bares e Restaurantes do Piauí aponta que, por conta da crise econômica, mais pessoas devem deixar de viajar para passar o réveillon na capital. Diferente da noite de Natal, a população prefere sair e aproveitar a programação de alguns points badalados. 

“Esperamos um réveillon melhor este ano do que o do ano passado. Os custos para viajar estão maiores e, para aproveitar a demanda de quem vai ficar, temos mais bares e restaurantes que irão abrir. Pelo menos sete grandes festas serão realizadas somente na zona Leste, região de maior concentração dos estabelecimentos. No ano passado, apenas quatro festas de grande porte foram feitas”, explicou o presidente da associação, Jorge Holanda. 

Segundo Jorge, os custos médios para quem vai optar por passar o réveillon em Teresina é de R$ 150 por casal. O estudo foi feito há 20 dias. “É uma média, logicamente temos locais bem mais em conta e locais mais caros. Depende muito do que se oferece na noite”, completou Holanda. Alguns restaurantes ficam mais em conta por não oferecerem música ao vivo. Nesse caso, os clientes pagarão apenas a consumação do jantar. 

A Coluna Economia e Negócios buscou alguns dos points mais procurados para eventos na capital. Veja a baixo a lista de preços e atrações:

Coco Bambu 
Atrações: Roraima, Terê Groove e Double Deck
Horário: das 21h às 3h
Valor: R$ 250 por pessoa, sendo R$ 125 de consumação.

Iate Clube
Atrações: Dj Carlos Kleber, Banda Top Gun e Banda Vale Night
Horário: das 22h às 6h
Valor: R$ 360 por pessoa, sendo a mesa para 4 pessoas R$ 1.440 e mesa para 8 pessoas R$ 2.880. Buffet de comidas, open bar e café da manhã inclusos.

Blue Tree Rio Poty
Atração: Lili Araújo e Banda
Horário: das 23h às 3h30
Valor: R$ 250 por pessoa, com buffet de comida e open bar inclusos. Mais R$ 100 dá direito a uma mesa com 4 lugares e uma garrafa de champanhe.

Seu Boteco
Atrações: Frank e Gilmar (sertanejo) e 100% Pra Sambar
Horário: das 21h às 5h
Valor: R$ 60 por pessoa

Texas Picanharia
Atrações: Marquinhos do Pará
Horário: das 22h às 2h
Valor: R$ 20 para reservas até dia 29, R$ 40 a partir do dia 30 e R$ 60 no dia do evento

Chop Time
Atração: Belladona e Los Orelhas
Horário: das 21h às 5h
Valores: R$ 500 a mesa para 4 pessoas na área interna e R$ 400 a mesa na área externa. O valor dá direito a um espumante e ao self service de frios.

Favorito Comida Típica
Atração: Mano Crispim
Horário: a partir das 21h
Valor: R$ 25 o couvert

Favorito Forneria
Atração: Banda Brigitte Bardot
Horário: a partir das 21h
Valor: R$ 125

Favorito Brasserie
Atração: Ferdinand Melo e Banda
Horário: a partir das 21h
Valor: R$ 180

Favorito Grill
Atração: Terra Francisco
Horário: a partir das 21h
Valor: R$ 160

 

 

Queima de estoque movimenta compras na internet; Descontos de até 70%

O chamado "saldão de Natal" está bombando na internet. Sites de lojas renomadas estampam promoções de até 70%. Os descontos começaram a ser divulgados no último sábado (27), mas calma! Devem ir, pelo menos, até o dia 31 em algumas lojas virtuais, como o Pontofrio.com, o Extra.com.br e as Casas Bahia.com. Mas, outros sites prometem descontos até o dia 5 de janeiro. Os preços mais competitivos estão nos setores de eletrônicos, móveis, itens para casa, celulares, games e moda. O que promete ser o diferencial para algumas lojas virtuais é a não cobrança do frete e também o parcelamento em até 12 vezes, sem juros. 

Inscrições do concurso do BB encerram em janeiro; Vagas para o PI

O concurso do Banco do Brasil oferece 2.499 vagas em cadastro reserva para o cargo de escrituário. A exigência é de, no mínimo, nível médio. As contratações serão para os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Piauí.

A responsável pelo certame é a Fundação Cesgranrio e o salário inicial para o cargo de escrituário será de R$ 2.227,26, em regime celetista, para 30 horas semanais. Dentre os benefícios estão a participação nos lucros ou resultados, vale-transporte, auxílio creche, ajuda alimentação, plano odontológico e previdência privada.

As inscrições já estão abertas e devem ser efetuadas até o dia 19 de janeiro de 2015, no site (www.cesgranrio.org.br), mediante o pagamento de R$ 40,00, referente à taxa.

Lembrem-se: Bancos não funcionarão na quarta-feira (31)

Atenção correntistas! Quem quiser pagar contas e boletos ainda este ano só tem até amanhã (30). Na quarta-feira (31) não haverá atendimento ao público nas agências - somente operações entre instituições financeiras e serviços de compensação de cheques e outros papéis poderão ser feitas.

Vale lembrar também que o dia 1° de janeiro é feriado nacional e todos os bancos estarão completamente fechados - inclusive para operações internas. As contas com vencimento nesses dias podem ser pagas no primeiro dia útil de 2015, sexta-feira (2), sem cobrança de juros ou multas. No dia 2 de janeiro, as agências bancárias funcionarão normalmente. Os caixas eletrônicos e os serviços de internet banking serão mantidos normalmente todos os dias.

Atenção pensionistas! Com o calendário de funcionamento dos bancos nos últimos dias do ano, aposentados e pensionistas do INSS devem ficar atentos porque têm até amanhã para a comprovação de vida e renovação da senha na rede bancária. Se isso não for feito, o benefício será suspenso. 

Os 4 maiores medos que impedem o empresário de sucesso

Gerir uma empresa está bem longe de ser uma tarefa fácil. Arriscar e acreditar são os dois primeiros passos para abrir um negócio e fazê-lo dar certo. Entretanto, o especialista em empreendedorismo e marketing digital Alan Pakes afirma que existem quatro grandes medos que aflingem os empresários, podendo comprometer a nova empresa se não forem tratados. 

1) A falta de dinheiro
Quando o empresário percebe que não tem dinheiro suficiente para atender a suas necessidades, acaba recorrendo a três medidas arristacadas:
- comprar com o cartão de crédito sem planejamento
- pegar dinheiro emprestado
- entrar em desespero
As melhores opções seriam juntar dinheiro e buscar novas formas de fazer dinheiro.

2) A falta de tempo
Empresa demanda energia. Se não há tempo, é porque os minutos estão sendo mal administrados. O especialista sugere estabelecer prioridades e identificar o que está provocando a perda de tempo.

3) Não cumprir as expectativas
Não são poucos os que desistem por perceberem que as metas traçadas no início não estão sendo cumpridas. Para o especialista, desistir é confirmar uma derrota e persistir é dar chance ao sucesso. Muitos empresários fracassam em um projeto e migram para outro, no qual conseguem sucesso. O ideal é estabelecer metas a curto, médio e longo prazo. Assim, será possível fazer mudanças no processo e evitar frustrações maiores.

4) Não equilibrar profissional e pessoal
Saber manter o equilíbrio das duas esferas é fundamental para o sucesso, diz Pakes. Afundar a cabeça no trabalho pode causar estresse e afetar a produtividade e a criatividade. 

Secretário anuncia duas novas empresas de Call Center em Teresina

 

"Em quatro anos teremos 12 mil novos empregos no setor de call center de Teresina" - a afirmação é do prefeito da capital, Firmino Filho. Ele acrescenta que o setor já gerou 6 mil novos postos de trabalho nos últimos dois anos, voltados especialmente para jovens que buscam o primeiro emprego. Com o resultado, a cidade se tornou a segunda do Nordeste em geração de emprego e renda. O desenvolvimento econômico de Teresina para os próximos meses é ainda mais atrativo. O prefeito destacou a expansão e ampliação das empresas de call center já instaladas, além da chegada de novas marcas.

Somente a expansão na empresa Almaviva no bairro Dirceu Arcoverde, zona Sudeste, deverá gerar mais 3 mil empregos na fase inicial. O início das operações está previsto para fevereiro.Além disso, também no Dirceu Arcoverde Teresina terá um laboratório voltado para capacitar pessoas que desejem trabalhar no setor. A informação é do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Fábio Nery. Ele explica que o prédio onde o laboratório irá funcionar terá que passar por uma reforma que viabilizará seis salas de aula. A prefeitura, em contrapartida, entrará com a mão de obra de qualificação. 

O secretário anunciou ainda que para 2015 está prevista a vinda de duas novas empresas de call center. A prefeitura está regularizando a situação dos terrenos que serão doados para o funcionamento delas - um na Primavera Leste e outro no Mocambinho. "Cada uma deve gerar, a princípio, 4 mil novos empregos. O início das obras será em 2015 e a entrega em 2016. Quase 90% do processo de regularização dos terrenos já está concluído", finalizou.

Consumidores se preparam para a "queima de estoque" pós Natal

Passado o Natal, a expectativa dos consumidores agora é para as promoções de janeiro - a chamada "queima de estoque". A data marcada para o início das liquidações em Teresina é o dia 5, primeira segunda-feira do ano.

"Até o final desse mês de dezembro, as lojas estão voltadas para as trocas de presentes, mas alguns lojistas já antecipam algumas promoções, apesar de que a maioria só será colocada no início de janeiro", explicou o vice-presidente do Sindlojas, Tertuliano Passos.

Segundo o sindicato, o volume de vendas para o começo do próximo mês deve ser semelhante a dezembro. "Mas ainda não fizemos o balanço real de vendas", acrescentou. As promoções de cada loja são independentes e leva em consideração o que sobrou no estoque dos lojistas.

Coca-cola deve demitir até 2 mil funcionários para reduzir custos de US$ 3 bi

A agência de notícias Reuters divulgou que a Coca-Cola planeja cortar entre 1 mil e 2 mil empregos nas próximas semanas. O corte faz parte dos planos de redução de custos de US$ 3 bilhões, anunciado ainda em outubro, para ser cumprido até 2019. A medida foi tomada após a queda de 14% no lucro do terceiro trimestre. Segundo a agência, os comunicados sobre os cortes serão enviados aos funcionários norte-americanos até o dia 8 de janeiro e aos internacionais até o dia 15. Apenas os departamentos de engarrafamento e distribuição, que respondem a 85% dos mais de 130 mil funcionários da Coca-Cola, estão fora das projeções de demissão, por enquanto.

 

Posts anteriores