Cidadeverde.com

Super Simples: Deputados ampliam limite para micro e pequenas empresas

Uma boa notícia para quem é dono do próprio negócio: A Câmara dos Deputados concluiu a votação do projeto do Super Simples e aumentou o teto do faturamento das micro e pequenas empresas que podem ser incluídas nesse sistema, que simplifica a tributação. A partir de 2017, o limite de faturamento anual para microempresas será de R$ 900 mil; para pequenas empresas, esse limite vai para R$ 7,2 milhões. Também foi aprovado que o limite de faturamento das indústrias suba para R$ 14 milhões, mas somente em 2018. A proposta ainda tem que passar pelo Senado Federal. 

 

Bebidas e eletrônicos mais caros para aumentar a arrecadação

Após a divulgação do déficit de R$ 30,5 bilhões previsto no Orçamento de 2016, o governo tem adotado medidas com potencial para arrecadar R$ 20 bilhões a partir do ano que vem, mas para a população, as notícias não são exatamente boas. A Receita Federal vai aumentar o imposto de vários produtos e também elevar o IOF para financiamentos do BNDES, além de  reonerar a folha e mudar a forma de tributação para direito de autor e imagem.

Bebidas mais caras

- O IPI de bebidas quentes deve gerar arrecadação de R$ 1 bilhão no próximo ano, com a aplicação de novas taxas e o fim do teto de cobrança. Na prática, vinho, uísque, vodca, espumante e conhaque vão pagar um imposto que pode ser dezenas de vezes mais alto que o atual. Por exemplo, o imposto de um vinho que custa R$ 50 passará de R$ 0,73 para R$ 5. Um uísque de R$ 100 terá imposto de R$ 30.

Notebooks mais caros

- Produtos de informática, como tablets, celulares e computadores, terão aumento de PIS/Pasep e da Confins. O governo extinguiu o Programa de Inclusão Digital, que garantia alíquota zero para esses itens. Com a medida, a Receita Federal espera arrecadar R$ 6,7 bilhões em 2016.

Investimentos: Veja as ações mais indicadas para setembro

O site da Exame publicou as ações mais indicadas para investir neste mês de setembro, segundo análise de 20 corretoras. Veja o resultado:

1) Ambev - há expectativas de que a empresa apresente fortes resultados financeiros nos próximos trimestres, por causa do forte controle de custos e pela valorização do dólar.

2) Suzano - a alta do dólar tem impacto positivo no desempenho operacional da companhia. 

3) Itaú e BRF -  o banco, pelas crescentes elevações da taxa Selic, e a BRF pelo crescimento das exportações da empresa.

 

Prazo de adesão ao Refis é novamente prorrogado

Atualizada dia 1º

A Secretaria da Fazenda do Piauí prorrogou até o dia 30 de outubro, o prazo para os contribuintes aderiram ao Programa de Recuperação Fiscal (REFIS) 2015. Estão sendo negociados débitos com o ICMS, IPVA e ITCMD (Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação. O Refis 2015 teve início no dia 25 de maio deste ano. Segundo a Sefaz, até esta segunda-feira foram negociados 114.122.672,99 em dívidas com ICMS; 7.042.897,97 com IPVA e 4.461.778,69 referentes ao ITCMD. Já foram pagos dessa negociação, R$ 25.507.410,86 (ICMS); 2.846.993,16 (IPVA) e R4 1.962.748,80 (ITCMD), totalizando R$ 30 milhões.

 

 

Cupcleta: Empresária fatura até R$ 250 por dia com a venda de cupcakes em uma bike

  • IMG_9634.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9621.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9619.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9615.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9607.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9601.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9599.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9595.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com
  • IMG_9593.jpg Wilson Filho \ Cidadeverde.com

Por Jordana Cury

 

Em ano de crise, ter criatividade pode ser a chance de conseguir driblar a falta de dinheiro e conseguir manter o padrão de vida. A servidora pública Alexandra Muniz Duarte, 34 anos, adequou a famosa tendência do “food truck” a uma bicicleta e está realizando o sonho de ter a própria empresa de cupcakes em Teresina. O faturamento chega a R$ 250, em cerca de 4 horas de vendas.

A venda de comida de rua é fonte de renda de cerca de 2% da população brasileira e, com a modalidade “food truck”, esse tipo de negócio tem se inovado e se expandido, especialmente por algumas vantagens, como o contato direto com o público, o baixo custo e por não ter a necessidade de adquirir um ponto comercial ou outros encargos. Segundo o Sebrae, o investimento dos “food trucks” pode variar entre R$ 50 a 200 mil, dependendo da tecnologia utilizada, adequações de suspensão e freios para tolerar o peso da cozinha e os equipamentos instalados. 

Alexandra começou o negócio fazendo cupcakes e outros doces somente por encomenda. Passados quatro anos, a servidora pública decidiu dar um “up” nas vendas e começou a pesquisar modelos de “food truck”, mas os custos, apesar de serem mais baixos que os de uma lanchonete em ponto fixo, ainda estavam altos para sua realidade econômica. “Eu fazia os doces para complementar a renda da família e lucrava cerca de R$ 700 por mês, fazendo apenas por encomenda. Mas, os clientes já estavam pedindo para comprar por unidade e sempre perguntavam onde a lanchonete funcionava. Eu passei a querer um ponto fixo, mas vi que era caro. Foi pesquisando sobre os food trucks que eu encontrei a food bike e decidi ampliar o negócio porque vi que era viável”, explicou.

Baixo investimento, alto lucro

As chamadas “food bikes” já existem em outras cidades brasileiras, especialmente do Nordeste. Lanches rápidos, doces e bebidas são os tipos de alimento mais encontrados nesse negócio, que agora chegou em Teresina. Alexandra conta que o investimento para montar a estrutura necessária foi de apenas R$ 2 mil e inclui a bicicleta, uma grama sintética onde o veículo fica estacionado, lixeira e enfeites diversos para deixar o negócio atrativo aos olhos de quem passa. “O bom é que qualquer bicicleta pode ser adaptada a esse negócio e pode ficar em qualquer lugar”, acrescenta a proprietária. 

Para fidelizar a clientela, Alexandra fica sempre no mesmo local: embaixo da Ponte Estaiada, onde a população costuma fazer caminhadas. A bicicleta enfeitada chama atenção das pessoas, que param para tirar fotos e provar os cupcakes. “Eu trago geralmente 50 unidades, distribuídas em cinco sabores diferentes. Cada um sai a R$ 5. E, em apenas um mês, percebi que as vendas aumentaram significativamente”, completa.

Agora é formalizar

O próximo passo para a nova empresária é formalizar o negócio para expandir ainda mais. E, para isso, é necessário que ela descubra em qual categoria seu negócio se encaixa melhor. Para o contador e advogado José Corsino Raposo Castelo Branco, considerando o faturamento de Alexandra, a melhor categoria que ela se enquadraria seria como Micro Empreendedor Individual (MEI) - pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. "É importante observar que a receita bruta anual (de janeiro a dezembro) do MEI não poderá ultrapassar R$ 60 mil. Caso o MEI se formalize no decorrer do ano, a receita bruta de R$ 60 mil será proporcional aos meses após formalização. Por exemplo: 60 mil dividido por 12 meses dá 5 mil por mês. Logo, se uma empresa for registrada em abril, a receita bruta não poderá ultrapassar R$ 45 mil, que é 5 mil vezes nove", alerta o especialista. 

A Junta Comercial do Piauí (Jucepi) registrou 11.994 empresas abertas desde janeiro. Desse total, os microempreendedores individuais (MEIs) correspondem a cerca de 65% dos novos registros.

Para se formalizar basta preencher um cadastro no Portal do Empreendedor com os dados pessoais. José Corsino, entretanto, pontua alguns cuidados que devem ser tomados para o melhor desempenho do novo negócio. "o MEI deve zelar pela sua atividade e manter um mínimo de organização em relação ao que compra, ao que vende e quanto está ganhando. Essa organização permite gerenciar melhor o negócio e a própria vida, além de ser importante para crescer e se desenvolver. O empreendedor deverá registrar, mensalmente, em formulário simplificado, o total das suas receitas. Deverá manter em seu poder, da mesma forma, as notas fiscais de compras e vendas de produtos e de serviços".

As vantagens 

De acordo com José Corsino, entre as vantagens oferecidas nesta categoria, está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. Além disso, o MEI foi enquadrado no Simples Nacional e é isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). 

 

O MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

"O empresário que se enquadra no MEI, paga apenas o valor fixo mensal de R$ 39,40 (INSS), acrescido de R$ 5,00 (Prestadores de Serviços) ou R$ 1,00 (Comércio e Indústria). Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo, e enviadas à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros", explica o contador.

Feriado: Bancos do Piauí não funcionarão nesta sexta (28)

 

Nesta sexta-feira (28), todas as agências bancárias do Piauí estarão fechadas para atendimento ao público. O motivo é o "Dia do Bancário do Piauí", que agora será comemorado todos os anos nesta mesma data - 28 de agosto. A lei 6.702 foi aprovada ontem, pelo governador Wellington Dias e institui o feriado no Estado. Os clientes que têm contas com vencimento marcado para amanhã, podem utilizar o internet banking, os caixas eletrônicos ou as casas lotéricas.

Liquida Teresina 2015: descontos de até 70% em 1.500 lojas da cidade

Na foto, o registro do lançamento da campanha, com o governador Wellington Dias, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Fábio Nery, e o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Evandro Cosme

Desta quinta-feira (27) até o dia 6 de setembro, os teresinenses têm a chance de comprar com grandes descontos nas lojas que estão cadastradas na Campanha Liquida Teresina. São ao todo 1.500 estabelecimentos engajados, que oferecem descontos de até 70%. Esta é a segunda edição da campanha. Além dos grandes a cada R$ 25 em compras, o consumidor receberá um cupom para concorrer a um carro 0km, dois caminhões de prêmios e 10 televisores de 50 polegadas.

A partir desta quinta-feira, os consumidores já encontram as lojas participantes sinalizadas. “Temos uma expectativa muito boa para a segunda edição da Liquida Teresina. A primeira foi uma experiência muito exitosa. Nesse momento, os consumidores terão mais condições diferenciadas”, contou o empresário Marco Pinto. “A Liquida é uma data que entra no calendário do comércio. Que além dos descontos e prêmios aos consumidores, gera e mantem emprego, fortalecendo a economia estadual e municipal”, afirmou o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Teresina, Evandro Cosme.


 

Prefeitura lançará nesta quinta (27) edital de licitação para novos táxis

Atualizada às 15h59

A Strans já lançou nesta quinta-feira (27), no Salão Nobre do Palácio da Cidade, o edital de licitação de alvarás para táxi. A prefeitura pretende deixar a relação de táxi por habitante mais adequada à realidade de Teresina. Atualmente, a cidade conta com 1.556 taxistas regulamentados. Serão abertas mais 484 vagas.

“Inicialmente fizemos uma modificação no regulamento de táxis para adequar a atual realidade, em seguida começamos a elaborar o edital de licitação, que será lançado amanhã”, acrescentou Marcus Vinícius Moraes, presidente da Comissão de Licitação do Táxi.

Dentro das vagas disponibilizadas, o edital prevê a destinação de 2% do total (40 veículos) para carros de transporte exclusivo para pessoas com deficiência e 1% de táxis com acessibilidade para cadeirantes. Ainda dentro das reservas, 10% das vagas estão destinadas à concorrência feminina.

O documento prevê os critérios de pontuação da disputa, que leva em consideração tanto o veículo (itens de segurança, documentação, etc.) como o motorista (CNH, tempo de atuação profissional, quantidade de filhos, quantidade de pontos na carteira, entre outros). Os concorrentes deverão ter, no mínimo, 24 meses de habilitação para dirigir. A nota máxima que poderá ser atingida é 180 pontos para o veículo normal e 240 pontos para o transporte eficiente.

Compras por impulso: mulheres e jovens são as maiores "vítimas"

O SPC Brasil e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) divulgaram estudo que mostra que 33,2% das compras feitas sem planejamento acontecem no supermercado. Levando em conta apenas as 5 últimas compras de supermercado, 43% foram feitas por impulso, segundo os entrevistados. E esse índice é maior entre:

- as mulheres (46,4%)
- as pessoas mais jovens (51,2%)
- aos que pertencem às classes C, D e E (44,6%)

As vantagens ofertadas nos supermercados, como as promoções, são o maior motivo, de acordo com a pesquisa - as pessoas compram pela necessidade de aproveitar tudo na hora.

- 30,4% dos entrevistados acreditam que compraram porque o preço estava muito bom;
- 20,3% compraram porque ao verem o produto quiseram usar na hora.

A pesquisa revelou que 84,1% compraram por causa das promoções e disseram ter a sensação de estarem fazendo um bom negócio, seja no supermercado ou no shopping. Já 55,4% reconheceram se deixar levar pelo que outros familiares pensam sobre a compra.

Mercado de franquias cresce 11%; Veja ramos que tiveram melhor desempenho

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgou que o setor de franquias cresceu 11,2% no primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2014. O resultado contabiliza um faturamento de R$ 63,8 bilhões. A pesquisa mostra ainda que houve crescimento de 3,1% na abertura de lojas e fechamento de 1,2% das unidades já abertas, o que significa incremento de 1,9% no total de unidades de franquia em operação no Brasil. Atualmente, 131.269 pontos de vendas do país são franquias. Os segmentos que mais cresceram foram:

- Esporte, saúde, beleza e lazer: faturamento 24% maior, que resulta em R$ 11,5 bilhões.

- Hotelaria e Turismo: faturamento 15% maior, resultando em 4,9 bilhões.

- Alimentação: faturamento 12% maior, somando R$ 12,7 bilhões.

- Comunicação, informática e eletrônicos: faturamento 12% maior, somando R$ 2 bilhões.

O Nordeste foi a terceira região do país no que diz respeito às receitas de franquias durante o primeiro semestre deste ano. Veja abaixo o ranking:

- Sudeste: 59%
- Sul: 16%
- Nordeste: 14%
- Centro-Oeste: 8%
- Norte: 4% 

 

Posts anteriores