Cidades

Escola de Cocal dos Alves é destaque no ensino público

Imprimir
Cocal dos Alves é uma cidade que possui grandes resultados na Educação. Desta vez foi a Unidade Escolar Teotônio Ferreira Brandão, uma das escolas que mais se destacaram no país pelo ensino de Matemática. O colégio estadual é tido como um exemplo para o Brasil e está entre as dez melhores unidades públicas neste quesito, segundo um levantamento feito pelo Movimento Todos pela Educação, a pedido do site G1. Entre os aspectos positivos apontados estão o incentivo a professores, reforço, parcerias com o governo e a participação dos alunos mais velhos no ensino aos mais novos. 


De acordo com o Movimento, a Unidade Escolar Teotônio Ferreira Brandão aumentou o seu índice de aprendizado adequado em matemática de 60,5% em 2009 para 89,5% em 2011. Além de ter uma participação na Prova Brasil 2011 de 92,7%.

Dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2012, divulgados na última terça-feira (3), apontam que o Brasil melhorou no conhecimento de matemática, mas ainda tem muito a avançar. O país ficou em 58º lugar entre 65 nações no ensino de matemática – a grande maioria dos alunos brasileiros sabe somar, subtrair, multiplicar e dividir, mas ainda não consegue aplicar esses conceitos no dia a dia.

Neste sentido, o desempenho do Piauí surpreendeu e saltou dez posições no ranking do Pisa, indo da posição número 21 em 2009, com média total de 374, para o 11º lugar em matemática, com nota 385, em 2012. Além disso, o estado obteve no ano passado, o 11º lugar em leitura com nota 403 e 10º lugar em ciências com nota 403. 

Desde 2007, a Unidade Escolar Teotônio Ferreira Brandão mantém resultados consistentes e acima da média nacional nas questões de matemática da Prova Brasil, feita a cada dois anos para analisar a qualidade das turmas de 5º e 9º ano do ensino fundamental e de 3º ano do ensino médio. O levantamento revela que alunos têm desempenho similar aos de instituições de ponta, como os colégios militares, federais e de aplicação.

Na edição deste ano, 19 estudantes da Unidade Escolar Teotônio Ferreira Brandão passaram para a segunda fase da Obmep, e 17 foram premiados, um com medalha de prata, cinco com bronze e 11 com menções honrosas. Segundo o diretor do colégio, João de Brito Amaral, os professores vão à escola aos sábados para tirar dúvidas dos alunos, que são incentivados a criar grupos de estudos.

Principalmente no segundo semestre, e em anos de aplicação da Prova Brasil e outras avaliações, a escola também instituiu um sistema de reforço escolar no contraturno (período inverso àquele em que o aluno está matriculado), no qual alunos do 9° ano são convidados a atuar como professores dos mais novos. "Eles têm uma linguagem até mais acessível aos estudantes das séries menores. A gente só conta com dois professores de matemática para dar apoio", disse Amaral, enfatizando que a escola cumpre todo o currículo obrigatório, e não apenas os conteúdos que caem na Prova Brasil. Em 2011, 89,5% dos alunos do 9° ano apresentaram desempenho adequado na avaliação do MEC.

Critério de escolha

O critério de seleção do Movimento Todos pela Educação no cruzamento de dados foi a porcentagem de alunos do 9º ano do ensino fundamental – idade ideal entre 14 e 15 anos – com aprendizado adequado em matemática acima de 45% na Prova Brasil de 2007, superior a 60% na edição 2009 e maior que 70% em 2011.

Em 2011, a meta esperada para o Brasil nesse quesito era de 25,4%, mas a média nacional ficou em 16,9%. Tendo desempenho acima de 70%, essas dez escolas já atingiram a meta do Movimento Todos pela Educação para 2021 para o aprendizado em matemática no 9º ano.

Segundo Priscila Cruz, diretora executiva do Movimento, as dez instituições destacadas nesse levantamento mostram que fazer o trabalho básico no ensino pode dar bons resultados. "Elas fazem muito bem feito o básico e conseguem avançar, às vezes, mais do que aquelas que ficam inventando coisas mirabolantes", diz. Em comum, as instituições têm o fato de serem pequenas, com menos de 100 alunos matriculados no 9º ano. Elas representam, portanto, o perfil médio das escolas do país – a média de matrículas nessa série foi, em 2011, de 70 alunos. Veja as cinco principais medidas destacadas pelas escolas no levantamento:

1) Não deixar nenhum aluno para trás
2) Incentivar os alunos já avançados
3) Estabelecer laços fortes com os pais
4) Recursos e programas do governo
5) Formação continuada dos professores

Além da escola piauiense, entraram na lista das dez escolas pública com destaque no ensino de Matemática segundo o Movimento Todos pela Educação: Escola Estadual Dom Aquino Correa, de Juruena (MT); Educandário Evangélico Ebenézer, de Gurupi (TO); Escola Municipal Prof. Governador Portela, de Miguel Pereira (RJ); Col. Estadual Prof. Jacob Milton Bennemann, de Feliz (RS); Escola Municipal Pastor Hans Müller, de Joinville (SC); Escola Municipal Professor José Negri, de Sertãozinho (SP); Escola Estadual Francidene Soares Barroso, de Itamarati (AM); Escola Estadual Pio XII, de Bom Princípio (RS) e Escola Municipal Professor Doriol Beato, de Conselheiro Lafaiete (MG).

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com
Imprimir