Cidadeverde.com

Rodoanel de Teresina fica pronto em agosto, diz secretário


Secretário Guilhermano Pires diz que obras do Rodoanel de Teresina estão sendo concluídas

 

Com cerca de 95% das obras realizadas, o Rodoanel de Teresina deverá estar concluído no início do segundo semestre deste ano. Foi o que disse hoje cedo ao Acorda Piauí, na Rádio Cidade Verde, o secretário estadual de Transportes, Guilhermano Pires.

A previsão de conclusão da obra é para o mês de agosto. Na pior das hipóteses, segundo o secretário, estará pronta em outubro, nas comemorações do Dia do Piauí. A parte mais difícil do Rodoanel já está concluída, como a ponte sobre o Poti, nas proximidades da BR 316, ou o viaduto sobre a BR 343.

O Rodoanel de Teresina tem 28 km de extensão, onde a infraestrutura mais complicada é a ponte sobre o rio Poti. Segundo Guilhermano, falta para a conclusão do Rodoanel a pavimentação de 4 km na ligação com a BR 343, pavimentação de 700 metros na ligação com a 316 e a alça de acesso ao viaduto sobre a 343.

O secretário informou que as obras seguem sob a responsabilidade da empresa EMSA, de Goiás. Para ele, mesmo a empresa mantendo um ritmo menos intenso, seria mais complicado fazer uma nova licitação, quando o prazo ficaria sem previsão.

 

Mais obras: ponte JK e portos de Tatus e de Luís Correia

Na entrevista ao Acorda Piauí, Guilhermano Pires também falou sobre três outras obras importantes para o Estado: a ponte do meio na JK e os portos de Tatus e de Luís Correia. Segundo o secretário, a ponte do meio está sendo concluída e logo estará livre para uso pleno da população, inclusive sendo integrada à nova sistemática do transporte coletivo em Teresina.

No caso do porto de Tatus, ele disse que estará concluído até o final do ano. Guilhermano destaca a importância da obra como portal de entrada para o Delta do Parnaíba, assim como alto valor social. O valor total da obra é da ordem de R$ 2,5 milhões.

Já o porto de Luís Correia, deverá ter a construção retomada no início do próximo ano. Atualmente, o governo do Estado regulariza a situação burocrática, incluindo a devolução à União de recursos da ordem de R$ 9 milhões. A obra prevista para 2018 corresponde ao primeiro atracadouro do porto na praia de Atalaia.

Para ouvir a íntegra da entrevista de Guilhermano Pires, acesso link abaixo.