Cidadeverde.com

Em assembleia geral, professores e prefeitura entram em acordo sobre salarios em atraso

Depois de mais de duas horas de discussões, os professores da rede municipal de ensino de Floriano decidiram em assembleia geral nesta quarta-feira (07), aceitar a proposta de parcelamento da folha salarial de dezembro, deixada em aberto pela antiga gestão. A assembleia foi realizada no plenário da Câmara Municipal .

A proposta do Poder Executivo foi apresentada aos professores pelo Secretário Municipal de Educação, Joab Curvina, que de início anunciou o pagamento do mês de janeiro ainda nesta segunda-feira, como já garantido pelo prefeito Joel Rodrigues, em reunião com os docentes municipais na última sexta-feira (03).

A proposta apresentada previa o pagamento de 1/3 do salário de dezembro na próxima segunda-feira (13) e o restante dividido em cinco parcelas, e foi recusada pelos professores.

Durante a assembleia, Joab Curvina falou sobre os recursos existentes para o pagamento da folha salarial. Segundo ele, parte da dívida seria quitada através de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), no valor de R$ 622.000,00 (seiscentos e vinte dois mil reais), depositados na conta do município no dia 1º de fevereiro de 2017.

O saldo teria que cobrir uma folha herdada pela gestão anterior no valor R$ 1.429.000 (um milhão, quatrocentos e vinte nove mil reais), ou seja, mais que o dobro do valor depositado em conta.

Até chegar a um acordo foram necessárias três rodadas de negociações. A segunda proposta foi colocada em votação e aceita pela categoria, definindo o pagamento de 50% da primeira parcela subdivididos da seguinte forma: 33% da folha de dezembro já para o dia 15 de fevereiro; e 17% a ser depositado junto ao salário de fevereiro.

Para fechar o valor do pagamento da primeira parcela, a Prefeitura de Floriano acresceu recursos próprios no valor de R$ 92.000,00 (noventa e dois mil reais). A outra metade, calculada em R$ 714.000,00 (setecentos e quatorze mil reais) será paga em quatro vezes.

“Até o mês de junho estaremos com o pagamento dos professores em dia. Este foi um compromisso da nossa nova gestão. Sempre colocamos o pagamento dos servidores como prioridade”, disse Joab Curvina.

Sobre o abono de férias e o 13º salário em atraso de alguns servidores, Joab se comprometeu a fazer um levantamento da folha de pagamento para saber quem recebeu e quem deixou de ser pago, informações que ainda não estão em poder da pasta.

Fonte:Ascom
cidades@cidadeverde.com