Cidadeverde.com

Servidores reivindicam reajuste salarial em Floriano

Várias categorias, representadas por sindicatos e associações, foram recebidas, nesta segunda-feira (14), pelo vice-prefeito de Floriano,  Antônio Reis, e pelos secretários: de Governo James Rodrigues, de Finanças Josélia Rodrigues, de Administração Magno Weverson, de Comunicação Nilson Ferreira, além do Controlador Arnaldo Messias e do Procurador Marlon Brito. Os secretários, de Educação Joab Curvina, e de Saúde Enéas Maia, também estiveram presentes em momentos ligados às suas pastas. Os gestores foram designados pelo prefeito Joel Rodrigues, que está em viagem.

Entre as reivindicações estavam o reajuste salarial dos trabalhadores e trabalhadoras da educação, questões relacionadas a direitos trabalhistas como periculosidade, para merendeiras e vigias, e atrasos no recolhimento do imposto sindical, que não ocorreu por problemas do município, mas por questões burocráticas pendentes de sindicatos, que buscam os seus direitos de recebimento do imposto.

Um dos pontos mais discutidos foi o enquadramento do servidor público municipal, que assim como um reajuste, também provoca grande impacto na folha de pagamento.

O município prometeu avaliar todas as questões e dar uma resposta a curto prazo, mas expôs a situação financeira, em especial da educação, que tem recebido grandes investimentos com recursos próprios para cobrir a lacuna deixada pelo valor repassado pela União.

A secretária de Finanças Josélia Rodrigues mostrou que até julho deste ano, o município investiu 28,54% com a educação, acima do exigido em lei, que é 25%, sem incluir férias e 13º salário.

O secretário de Educação Joab Curvina, lembrou que o município recebe hoje do Fundeb, em torno de 1.798.000 reais mensais, e que a folha só dos professores efetivos chega a 2.259.000 reais, por mês. O transporte escolar tem um gasto mensal de 259 mil reais, e o município só recebe 11 mil da União; é o que acontece também com a merenda escolar, que gera uma despesa de 150 mil reais, quando o município só recebe cerca de 61 mil mensais.

Essas diferenças são aportadas pelo município com recursos próprios, para manter o bom funcionamento da educação. 

Em relação ao enquadramento dos servidores, o primeiro passo foi dado com o recadastramento do servidor, que foi concluído há poucos dias. Agora serão formadas comissões para levantar a situação de todos os servidores.

Segundo o secretário de Governo James Rodrigues, na próxima quinta-feira, será publicada uma portaria, para que até a sexta-feira sejam nomeadas as comissões que trabalharão neste processo: a Comissão Técnica, formada por profissionais do município, especializados nas questões relacionadas a pessoal, e a Comissão de Gestão, com vários entes, que também acompanharão o passo-a-passo desta análise, que deve ser concluída em sessenta dias.

Fonte: Ascom