Cidadeverde.com
Geral

Ladrões levam 200m de fios e ponte Estaiada fica sem decoração

Imprimir
Os 17 refletores da Ponte Mestre João Isidoro França, mais conhecida como Ponte Estaiada, que liga a zona Centro/ Norte de Teresina à região Leste da cidade, estão sem funcionar temporariamente. O serviço está comprometido devido ao furto de cerca de 200 metros do cabo responsável pela distribuição da energia elétrica aos refletores, que fazem a iluminação decorativa da ponte. 

O fato aconteceu nesta semana e foi denunciado pela Coordenadoria de Iluminação Pública ao 12º Distrito Policial que investiga o caso.

De acordo com o coordenador Davimar Holanda, o cabo de cobre é afixado na própria ponte e é protegido por eletroduto de ferro galvanizado, material rígido que dificulta o roubo do material, mas durante o dia as luzes estão apagadas e os vândalos aproveitam o momento e fazem a retirada do cabo.

O coordenador esclarece que a reposição do material já está sendo providenciada e avisa que irá coibir a ação dos vândalos.


“A população precisa lembrar que, muitas vezes, a falta de iluminação em pontes e vias públicas é fruto da ação de vândalos. Por isso, temos que identificar e coibir a ação criminosa dessas pessoas. Já solicitamos a intervenção da polícia nas regiões mais problemáticas”, afirmou Davimar.

Outro local em que o roubo dos cabos é frequente é a Avenida Marechal Castelo Branco, via bastante frequentada pela população que pratica caminhada. "Precisamos da colaboração da população para denunciar esses criminosos, eles não podem ficar impunes.  A reposição de cabos de energia gera um custo a mais aos cofres públicos do município”, alerta o coordenador.

Ato pode dar cadeia e multa

O furto de cabos, assim como o de energia, é crime, com pena de um a quatro anos de detenção, mais multa. Já o vandalismo é punido com detenção de um a seis meses, por dano e multa.

Além de poder ser preso pelo furto de cabos e outros equipamentos de energia - considerado vandalismo contra o bem público -, o infrator corre risco de morte. Ao tentar cortar o material que pretende roubar, o infrator está sujeito a levar um choque, já que na maioria dos casos as redes estão transmitindo energia.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com
Imprimir