Cidadeverde.com

A vez do Oriente

 

Ao contrário do que muitos pensam, o japonismo, não é uma tendência inspirada no Japão! Está relacionado, mas o nome vem do movimento criado por estilistas japoneses nos anos 80 e encabeçado por Yohji Yamamoto, Rei Kawakubo e Issey Miyake. 


A estética revolucionou a moda extravagante e ultrafeminina na época. O japonismo foi inspiração para muitas marcas internacionais como Chloé, Céline, Givenchy, que apresentaram suas coleções em Paris na última temporada de moda, além de outras que já vinham bebendo dessa fonte como Salvatore Ferragamo, Gucci, Marc Jacobs, Marni, Carven e Hervé Leger.  


Os japonistas impuseram um estilo urbano, genderless (sem definicação de masculino e feminino), com cores neutras com predominância do preto, e cheio de volumes que apagavam as linhas do corpo para criar uma nova silhueta. A diferença para o momento atual é que o japonismo foi traduzido para ago mais leve e mais atual. 


Como falei lá em cima, algumas gtifes já vinham trazendo esse toque oriental à moda com muitas referências adaptadas em várias trends a exemplo dos kimonos, estampas com motivos orientais e modelagem elegante. 

 


As principais características do Japonismo são peças com shapes retos, mais rígidas, looks monocromáticos, peças oversized, cintura marcada e o ar moderno. 
Algumas dicas para usar essa tendencia é investir em peças com modelagem ampla, reta e confortável. Um peça que pode ajudar a compro looks assim é a pantacourt. 

Marque a  cintura. Você pode usar o kimono fechado, por exemplo, com cinto ou adaptar camisas e blusas comuns com um obi (aquela faixa larga que as gueixas usam). Invista em acessórios e no sapato para compor um look todo moderninho. Não gosta da ideia do kimono? invista em peças mais neutras com cintura marcada. Fica chique. 


E se você adora uma peça oversized (tamanho maior) como eu, pode abusar das roupas mais largas. Lembrando de manter a proporção sempre. Se usar uma blusa/jaqueta/colete mais largo, marque a contiura e mantenha o que está por baixo mais neutro. Vestidos também são uma ótima opção, porque sao femininos e os com modelagem mais larga ficam super modernos. 

 

Vai uma bolsa menor aí?

As mulheres entendem bem a expressão “levar a vida dentro da bolsa”. Eu me incluo nesse grupo, mas a tendência mundial é tentar ser mais prática e levar apenas o que for essencial, em um verdadeiro exercício de encaixar tudo dentro de uma bolsa menor ou mini mesmo. 

É isso aí, os tamanhos médio/mini vem desde 2015 firmando a máxima de que menos é mais. Eu já fui adepta de bolsas sacolas, mas confesso que me rendi a bolsas menores. São realmente mais práticas, não pesam tanto e se adequam bem a diversas ocasiões do dia a dia. Sabemos bem o quanto é chato trocar de bolsa a cada compromisso. 

Fui nos meus arquivos buscar alguns looks que usei com bolsas menores e com a minha a minha do dia a dia. Na primeira foto estou com a menor que tenho, cabe apenas o celular, as chaves e um batomzinho. Na segunda, a minha bolsa tamanho médio, cor neutra, para o uso diário. E nas duas últimas fotos, um modelo mais fashionista (redondo com franja) e uma mais clássica (com o detalhe do barbicacho na frente) que vai comigo para todo lugar, inclusive em viagens porque apesar de pequena, ela cabe bastante coisa.  

Grandes grifes até marcas mais populares investiram pesado nessa onda e o mercado hoje oferece opções que cabem em todos os bolsos e gostos. É só procurar um modelo que se adeque as suas expectativas e necessidades e pronto.

Confesso que ainda tenho uma certa dificuldade de usar as mini bags no dia a dia (prefiro para eventos), mas já toquei a minha gigante por esse modelo médio estruturado que mostrei aí em cima para ter mais maleabilidade. 

E vocês, gostam da idéia? 

Aposte no Rosa

A cor de 1017 eleita pela Pantone é o Greenery. O tom de verde amarelado, bem vibrante continua forte, mas no street style notamos que ele ganhou um forte concorrente: o Rosa Millennial.

A cor está presente na decoração, moda, design, e por toda a internet. O Rosa Millennial tem ganhado cada vez mais espaço e é destaque entre as tendências dessa temporada – e deve permanecer por um longo período. O tom pastel de rosa, no entanto, é mais do que uma tonalidade em alta.

Na maquiagem, combine o Rosa com tons de vermelho.

A cor está ligada à geração Millennium. Por conta da sua neutralidade ganhou o status genderless, que significa, em uma linguagem mais popular, unissex. É uma cor que pode ser usada sem categorização de feminino ou masculino. 

A nova tonalidade do rosa é mais clara e delicada, bem apagadinho mesmo, mas tem um grande potencial. Ele se adapta bem a produtos de maquiagem como sombras e batons, não pesa em looks monocromáticos e se sai bem em peças mais ousadas ou improváveis, como conjuntos esportivos.

O terno, uma referência ligada ao universo masculino, em uma versão renovada mostrando seu lado genderless 

Como a cor deve predominar nas próximas estações é bom ficar de olhos bem abertos. Sem contar que ela é bem fácil de combinar. Por conta da neutralidade, ela se adapta bem em produções diurnas e noturnas. 

Combine o Rosa com peças metalizadas ou com textura para a noite. 

Ou em looks mais delicados e fresquinhos para o dia. 

Dieta Fashion: você faria?

Eu sei que é muita ousadia estrear um blog de moda em um espaço tão popular falando de um tema um tanto quanto delicado para algumas mulheres: Compras. Considero o assunto tão importante que não consegui pensar em outro para fazer minha postagem de estréia. 

Já não uso cartões de crédito há algum tempo. Isso me fez repensar muitas coisas em relação as minhas finanças pessoais e também quanto a forma de consumir moda e outros itens que são inerentes ao dia a dia de toda mulher.  

Como os resultados foram positivos me propus o desafio de ficar 6 meses sem comprar roupas, sapatos, acessórios (bolsas, lingerie e bijoux) e maquiagem. Nós mulheres e a velha mania de achar que não temos nada para vestir, apesar de comprar roupas novas todo mês. Pois bem, eu resolvi que não seria mais vítima dessa "máxima popular". 

O desafio ainda nem chegou oficialmente ao fim. Só termina no dia 31 de agosto, mas o resultados já são tão notórios que achei conveniente compartilhar. 

Foram muitas mudanças pessoais ao longo dos últimos cinco anos. Perdi bastante peso após uma Gastroplastia (passei do numero 52 para o 42), virei mãe, assumi novos desafios profisisonais. Isso estimulou o meu lado consumista. Depois de um processo de autoavaliação (extremamente necessário para quem quer começar uma "dieta" dessas) percebi que estava trabalhando muito e mesmo assim não conseguia realizar metade das coisas que eu queria. Liguei o sinal vermelho. 

Em meio a tanto estímulo ao consumo, principalmente sendo blogueira e tendo tantos compromissos a cumprir, comecei a me questionar se era realmente necessário viver comprando roupas, sapatos e outras coisas. Será que eu já não tinha o suficiente? Bingo! 

O estilo independe do consumo. Você tem que usar aquilo que te dá contade, da forma que te faz bem e do jeito que funciona para o se dia a dia. O primeiro exercício após a extinção do uso do cartão de crédito foi fazer uma limpa no armário. 

Desapegar de tudo aquilo que não usava mais foi libertador! Separei peças para doação, outras para venda/troca e ao final enchi três caixas gigantes. Nesse momento percebi que tinha empregado meu suor e meu rico dinheirinho em uma montanha de coisas inúteis para mim. O dinheiro arrecadado com as peças vendidas foi usado para pagar algumas dívidas e para uma iniciar uma pequena poupança. 

O segundo passo foi dar mais funcionalidade ao que tinha "sobrevivido". A moda pode até parecer efêmera, mas no fundo ela é mais atemporal do que a gente imagina. As tendências são importantes no mundo fashion, mas o comportamento das pessoas é que dita a moda. Isso não é passageiro. 

Descobri que tinha muita coisa bacana, literalmente, no armário. Depois dessa "desintoxicação" passei a ver a quantidade de possibilidades que tinha e a trabalhar em cima disso.  Daí surgiram novas combinações para aquela velha camisa jeans, para a calça que eu não usava há anos e tinha muito potencial fashion. Passei a exercer como nunca a minha criatividade. 


E o melhor é que agora sobra um dinheirinho extra para viajar, curtir mais a minha família, comer em um restaurate bacana de vez em quando e realizar alguns sonhos... 


Dicas para iniciar uma dieta fashion. 


1. Questione tudo. Avalie se aquela compra terá funcionalidade ou é apenas um impulso. Tenha certeza de que precisa de algo novo. Não é deixar de consumir completamente, é enxergar qual a real necessidade daquele item na sua vida. 

2. Invista em peças atemporais. Analise seu estilo e aposte em peças que você acha que tem a ver com ele. Algumas são coringas em qualquer guarda-roupa: Jeans, camiseta/camisa branca, saia preta, sapatilha, etc. 

3. Recicle. Quantas vezes você levou uma peça para o conserto nos últimos anos? Repense as suas roupas e reforme. Use a criatividade para transformar suas roupas em novas sem gastar muito.  

4. Programe seus looks da semana. Se você pensa de forma global fica mais fácil se programar e buscar combinações com peças que você já tem. Avalie as atividades que você tem a cumprir durante semana, separe as peças que você tem intenção de usar e experimente as combinações possíveis, lembrando que uma mesma peça pode compror mais de um look. Demanda um pouco de tempo, mas te garanto que vale a pena.

5. Compartilhe. Já pensou em propor as suas amigas/primas/irmãs compartilhar roupas do dia a dia e não somente quando você precisa ir a um eveto formal? Quantas peças você tem no seu armário que ficam paradas durante a semana, que poderiam passar alguns dias na casa das suas amigas e depois voltar? 

 

 

Atendi a ligação, ganhei um blog

Um dia desses recebi uma ligação da Yala Sena me convidando para assinar um espaço sobre moda e beleza aqui no cidadeverde.com. Confesso que tremi na base. A Cidade Verde faz parte da minha história profissional de jornalista. Aqui vivi muitas experiências, aprendi, ganhei amigos e algumas boas histórias contar.  Em 2015 fiz minha ultima passagem por aqui e não imaginava voltar. É um desafio e como eu não sou de escolher os caminhos mais fáceis, topei! 

 

E hoje é com uma alegria imensa que escrevo minhas primeiras linhas nesse espaço que foi pensado com tanto carinho para vocês. Escrevo com um misto de frio na barriga (aquele mesmo que senti quando entrei nessa redação pela primeira vez) e a sensação de estar em casa.  

 


Por aqui vamos falar  sobre moda, tendências, maquiagem, beleza e tudo mais que a nossa imaginação deixar. Os meus planos são os mais maravilhosos possíveis. E para conseguir ter tanto assunto eu vou precisar da ajuda de vocês ok? Então, mandem bala aí nos comentários sobre o que vocês querem ver por aqui.


Agradeço pela confiança no meu trabalho. É uma enorme reponsabilidade voltar. É uma responsabilidade maior ainda manter esse espaço atualizado, com conteúdo interessante e de qualidade.


Vamos construir juntos um espaço insano!

 

Posts anteriores