Cidadeverde.com

O River nadou, nadou, nadou...

Foto: Victor Costa/River A.C.

Lucas Andrade assumiu o time na terceira rodada da Série D. Jogadores já o defendiam para o lugar de Waldemar Lemos

O caminho natural do River, após a derrota em casa na estreia na Série D do Brasileirão, seria a eliminação. O time foi que quis provar o contrário. E quase conseguiu. 

Dá pena ver o River nadar, nadar, nadar, e morrer na praia. Venceu três jogos, ficou perto da vaga, mas a derrota por 2 a 1 para o Guarany de Sobral (CE) selou sua eliminação. Ou as derrotas: a da estreia e a da última rodada, ontem (25), na cidade cearense.. 

O clube que errou em 2016 e continuou a errar em 2017 precisa voltar a 2015. E isso caberá a uma nova direitoria, que será eleita em outubro. 

Eu poderia escrever uma lista de problemas. Erros nas contratações de jogadores e treinadores - e nas demissões também. Na hora do adeus, prefiro elogiar a raça do time nos últimos jogos. É uma pena que a superação não tenha sido recompensada com a vaga. Mas é de se perguntar também até onde essa raça levaria o Galo de volta à Série C. 

O técnico Lucas Andrade, defendido pelos jogadores para ser efetivado desde a saída de Waldemar Lemos no começo da temporada, saiu de Sobral de cabeça erguida, apostando na sequência do trabalho do River e lembrou que o clube precisou recomeçar tudo após o rebaixamento da Série C. Disse que o River é grande e em breve vai estar no lugar que merece. Tomara. Só não vai ser neste ano. 

 

De volta para casa, Altos se reencontra com a vitória

Foto: Luís Júnior/A.A.Altos

Nada como voltar para casa para reencontrar o caminho da vitória. 

Tudo bem que o Tocantins não era lá um adversário para fazer medo. Mas os resultados recentes do Altos é que deixaram uma ponta de dúvida sobre o desempenho da equipe na sequência da Série D do Brasileirão.

Talvez as duas derrotas e o empate nas partidas passadas tenham ocorrido por saudade de casa. Estamos em junho e só agora o Altos jogou no estádio Felipão. 

A reeestreia do Jacaré na reabertura do estádio foi com goleada: 4 a 0 e vaga garantida na próxima fase. 

Apesar do placar, Altos não teve uma atuação de gala, como já ocorreu neste ano. Jogou bem e o suficiente para garantir o resultado. 

O atacante Manoel, que sofreu o pênalti do primeiro gol e marcou o segundo - um belo gol de cobertura - disse que as derrotas serviram para o time acordar no mata-mata. 

Eduardo, autor do quarto gol, quer agora que a torcida faça a diferença em Altos - oportunidade que ela só terá nas próximas duas fases, pois nas quartas-de-final os jogos terão de ser em estádios com pelo menos 5.000 lugares. 

É.. Altos fez seu primeiro jogo no Felipão em 2017. E fará no máximo mais dois, mesmo que chegue até a final da Série D. 

O próximo adversário é o Rio Branco (AC). E agora é mata-mata. Faltam seis jogos para o acesso, mas é preciso passar pelos dois primeiros. 

Ouça as entrevistas com os atletas após a partida:

Na Rádio: gol piauiense na Série B e a rodada em ritmo de São João

Parece que a estrela de Augusto vai brilhar muito em 2017. Depois de um ano ruim no Flamengo-PI, o atacante foi para o Campinense (PB) e destacou na Copa do Nordeste a ponto de ser contratado pelo Santa Cruz (PE). E o jogador piauiense já deixou seu primeiro gol com a camisa tricolor. 

No sábado (24), o Santa Cruz perdia em casa para o Figueirense. Augusto entrou no segundo tempo e marcou o gol do empate: 1 a 1, pela Série B do Brasileirão. 

Veja os gols da partida:

O gol de Augusto foi um dos destaques do Cidade Esportiva, que foi ao ar no Acorda Piauí desta segunda-feira (26) e falou ainda dos resultados da rodada, da eliminação do River e classificação de Parnahyba e Altos na Série D, as medalhas do atletismo e muito mais. Tudo em ritmo de festa junina. 

Ouça a íntegra:

Três ouros e uma prata: o show do Piauí no Brasileiro de Atletismo Sub-18

  • sub18-d.jpg Luiz Fabio, ouro no arremesso de peso, também foi campeão no disco
    Wagner Carmo/CBAt
  • sub18-h.jpg Letícia no pódio com a prata obtida nos 200 metros rasos
    Wagner Carmo/CBAt
  • sub18-g.jpg Artemio (de verde) corre os 800 metros rasos
    Wagner Carmo/CBAt
  • sub18-f.jpg Artemio vibra com o ouro nos 800 metros
    Wagner Carmo/CBAt
  • sub18-e.jpg Luiz Fabio, ouro no arremesso de peso
    Wagner Carmo/CBAt
  • sub18-c.jpg Letícia (143) na prova dos 200 metros rasos
    Wagner Carmo/CBAt
  • sub18-b.jpg Letícia (143) na prova dos 200 metros rasos
    Wagner Carmo/CBAt
  • sub18-a.jpg Letícia (143) na prova dos 200 metros rasos
    Wagner Carmo/CBAt

A delegação piauiense em Bragança Paulista (SP) era pequena, mas os resultados no Campeonato Brasileiro Sub-18 de Atletismo provaram que a modalidade segue em crescimento no Estado. Foram três medalhas de ouro e uma de prata no último fim de semana. 

O resultado deixou o Piauí em terceiro lugar no quadro de medalhas masculino e oitavo no geral. Não é pouco. 

O principal destaque da delegação foi Luís Fábio da Cruz Rodrigues, do CT Piauí. Na sexta-feira, ele conquistou o ouro no arremesso de peso. No domingo, o atleta levou o título no lançamento do disco. 

O terceiro ouro veio na tarde de sábado com Artemio Wellington Nascimento dos Santos. O atleta da Associação dos Moradores do bairro São Joaquim (Amcosaj), que há anos revela valores no atletismo, foi o vencedor dos 800 metros rasos. 

O Piauí ainda conquistou a prata nos 200 metros rasos com Letícia Maria Nonato Lima (CT Piauí), que já havia obtido índice para disputar o Mundial Sub-18, que será realizado no Quênia. 

Brasileirão Feminino: vitória fora de casa põe Tiradentes na briga pela vaga

  • jv_-_tiradentes-1.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-2.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-4.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-5.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-7.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-8.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-9.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-10.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-11.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-12.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-14.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-15.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-16.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-17.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-18.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-19.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-20.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-21.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-22.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-23.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-24.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports
  • jv_-_tiradentes-25.jpg Foto: Antônio Wagner/All Sports

A vitória de ontem à noite, por 3 a 1, sobre o JV Lideral, em São Luís (MA), colocou as meninas do Tiradentes na briga direta pela classificação para as semifinais do Brasileirão Feminino Série A2. 

Apenas as duas melhores de cada grupo avançam para as semifinais. Hoje, o Pinheirense (PA) lidera com 14 pontos, seguido por Tuna Luso (PA) e Tiradentes, ambos com 12 pontos. 

O time piauiense só ocupa a terceira posição porque o saldo de gols é menor em relação às paraenses: 8 a 7. 

Mas o número de gols marcados das tigresas é maior: 13 a 12 - diferença que já pode ajudar caso ocorra empate no saldo de gols. 

Contudo, o que deve ajudar mesmo o Tiradentes é a tabela. Na última rodada, na quarta-feira (28), elas enfrentam o já eliminado Náutico (PE), que só venceu uma partida e perdeu as outras cinco no torneio. O jogo será às 15h30, no Lindolfo Monteiro, em Teresina. 

A Tuna Luso vai jogar fora de casa contra o Viana (MA), que mesmo após perder três pontos na Justiça Desportiva por escalação irregular de atleta, ainda tem chances de classificação - com 10 pontos, precisa vencer e torcer para que o Tiradentes não ganhe seu jogo.  

O Pinheirense vai encarar, em casa, o agora eliminado JV Lideral e é favorito a ficar com a primeira posição.

Só os dois primeiros de cada um dos dois grupos vão para as semifinais. E só os dois finalistas sobem para a Série A1. O caminho ainda é longo, mas o Tiradentes agora está mais perto do que longe. E ainda tem o poder ofensivo de Valéria, artilheira da competição com 8 gols. 

Curada de lesão da Olimpíada, Sarah Menezes torce por convocação para o Mundial de Judô

Fotos: Glenda Uchôa/Rádio Cidade Verde

Em entrevista ao Acorda Piauí desta sexta-feira (23), Dia do Atleta Olímpico, a judoca Sarah Menezes revelou ter competido pela primeira vez sem proteção no cotovelo direito. Ela lutava com o ombro amarrado por ataduras desde o início do ano, por conta da lesão sofrida nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

No último fim de semana, tudo foi diferente. Sem ataduras, sem proteção no ombro, a piauiense ficou com a prata no Grand Prix de Cancun, sua primeira medalha internacional desde a mudança para a categoria meio-leve (até 52kg).

- Foi minha primeira competição que eu lutei sem bandagem, que eu não senti dor. Pra mim, foi um favor positivo. Eu acho que isso me ajudou. (...) Eu estou praticamente 100%. Sinto cansaço, porque a musculatura ainda está se preparando. Mas em termos de dor da lesão, estou praticamente zerada.

O resultado é um dos trunfos de Sarah Menezes para conseguir a convocação para o Mundial de Judô, que será disputado no mês de agosto, em Budapeste, na Hungria. Vigésima no ranking mundial - posição na qual ela esperava estar só no fim do ano - e atrás de outras duas brasileiras, ela conta com o desempenho recente para ser lembrada pela comissão técnica da Confederação Brasileira de Judô (CBJ). 

- Você fica sempre na expectativa positiva. Eu espero que eu seja convocada, sim. Não sei como eles vão fazer esse trabalho, é bem delicado. 

O blog Na Esportiva já falou, no começo da semana, sobre as chances de Sarah Menezes ir para o Mundial. Ela está atrás de Érika Miranda (2ª colocada) e Jéssica Pereira (19ª). A diferença da piauiense para Jéssica é de apenas 10 pontos. A CBJ ainda não anunciou quando fará a convocação. 

A vitória na semifinal de Cancun contra a atual vice-campeã olímpica, a italiana Odette Giuffrida, é um dos trunfos de Sarah Menezes na luta pela convocação.

Na entrevista, Sarah Menezes também falou sobre o esporte olímpico no Brasil e no Piauí, após o ouro da judoca em Londres 2012 e a realização dos Jogos no Rio de Janeiro. Ouça na íntegra:

Na Rádio: palpites, Sarah Menezes e a agenda do fim de semana

Tem desempate nos palpites da rodada? Quem acertou em cheio o placar tem direito a uma pontuação maior?

Fica a polêmica entre Joelson Giordani e Fenelon Rocha, que empataram nos resultados, mas Joelson teve dois acertos em cheio contra um de Fenelon. Já eu, perdi de novo para a dupla do Acorda Piauí. Que coisa...

Mas vou me redimir. Segunda-feira vocês me aguardem. 

Ouça os novos palpites da próxima rodada do Brasileirão, os últimos resultados e os eventos do fim de semana. Tem games, vôlei, atletismo e os times piauienses na Série D, além da vitória das meninas do Tiradentes no Brasileirão Feminino e o título do River no Piauiense Sub-19.

Além, é claro, da entrevista na íntegra de Sarah Menezes, nossa convidada mais que especial no Dia do Atleta Olímpico.

?

 

Na Rádio: árbitro piauiense em jogo da Série A e os palpites da rodada

Foto: Victor Costa/River A.C.

Dib em ação no jogo entre Altos e River, no Campeonato Piauiense 2017

Vai ter árbitro piauiense em campo nesta quarta-feira (21) pela Série A do Brasileirão. Antônio Dib Moraes vai comandar o jogo entre Palmeiras e Atlético (GO), pela nona rodada. 

Situação diferente de 2006, quando João José Leitão apitou Fortaleza 1x0 Grêmio, pela última rodada do Brasileirão. O Leão cearense já estava rebaixado e o Grêmio classificado para a Libertadores. A partida não valia nada, ao contrário de agora. 

Mais de 10 anos depois, Dib terá a responsabilidade de comandar o jogo e se firmar como referência na arbitragem local, tão criticada pelos erros cometidos no Campeonato Piauiense. 

O estado que teve apitadores e bandeirinhas de fora para as semifinais e finais de seu principal torneio, tem agora um árbitro de final da Copa do Nordeste e da Série A do Brasileirão. Que coisa...

Esse foi um dos assuntos desta quarta-feira (21) do Cidade Esportiva, quadro do Acorda Piauí, na Rádio Cidade Verde. 

E se você pensou que ia ficar sem os palpites de Fábio Lima, Fenelon Rocha e Joelson Giordani, se enganou. Amanhã começaremos a conferir quem acertou/errou mais chutes nesta rodada.

Ouça a íntegra:

Com casa liberada, Altos terá de mostrar que monstro é o Jacaré

Foto: Luís Júnior/A.A.Altos

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) liberou o estádio Felipe Raulino para a partida entre Altos e Tocantins. O jogo, válido pela última rodada da fase de grupos da Série D do Brasileirão, está confirmado para domingo (25), às 18h, no Felipão. 

Será o primeiro jogo do campeão piauiense na sua casa em 2017. O time disputou todo o Estadual (10 jogos como mandante), a estreia na Copa do Brasil, os seis jogos da Copa do Nordeste e mais cinco da Série D no Lindolfo Monteiro, em Teresina. 

Com a noite de festa para a reabertura do Felipão aos jogos, o Altos tem a missão de voltar a vencer. São três jogos seguidos sem vitória, com um empate e duas derrotas. 

O Altos depende só de si para avançar para o mata-mata da quarta divisão. Basta vencer. O Jacaré pode se classificar até com empate. Mas não pode confiar no empate ou derrota do Cordino (MA) para o Santos (AP).

Após a derrota no Lindolfo para o Santos por 2 a 1, o técnico Paulinho Kobayashi disse que não se poderia colocar um monstro na frente do time por conta do resultado ruim. Chegou a hora de ver se esse monstro ainda assusta o Altos ou quem mete medo mesmo é o Jacaré. 

Posts anteriores