Cidadeverde.com

River 2x1 Maranhão - na fé e na raça, mas Galo segue em perigo

Esta imagem é o resumo do jogo. Seu Delson e dona Sheila Castelo Branco, em frente ao vestiário do River no Lindolfo Monteiro. Depois da partida, os jogadores puxam o "Pai Nosso" e eles seguem juntos - ela de joelhos.

Foto: Fábio Lima/Cidade Verde

Pode, e nem deve ter sido a primeira vez que o casal fez a oração na porta do vestiário. Mas o drama da partida faz a imagem ser a cara do jogo de ontem. 

A outra é o volante Amarildo passando mal após a partida. Chegou a entrar na ambulância, mas o veículo só fez dar a volta no estádio. Puro desgaste do jogador. Isso sem contar os que permaneceram em campo por muito tempo sentindo dores - e a torcida sem saber que eles estavam era machucados. 

O River passou mais de 15 minutos eliminado da Série D com uma rodada de antecedência. Mas reagiu, mais na raça que no futebol. Tomou um gol do Maranhão, de cabeça, aos 10 minutos do segundo tempo, e virou o jogo com gols deo Tiaguinho, aos 35, e André, já nos acréscimos. 

Viola chorou ao falar de André. Revelou que ele seria dispensado pela diretoria tricolor, mas o técnico Lucas Andrade bancou sua permanência. 

O Galo vive um drama a cada rodada. Um time cheio de desfalques, tanto no departamento médico como de vagas não repostas no plantel - dos três contratados na semana passada, só um foi regularizado. 

E na próxima rodada, a derradeira, mais um drama. Ainda que seja vice-líder, o River não pode perder para o Guarany, em Sobral (CE), pois dependerá de uma derrota do Maranhão para o já eliminado Potiguar (RN). 

Se o River tivesse feito mais um gol contra o Maranhão, poderia jogar pelo empate em Sobral. Mas é difícil exigir isso de quem já perdia a partida e conseguiu virar nos minutos finais. E nem é hora de chorar o leite derramado. 

O time tricolor tem contrariado qualquer prognóstico. Em meio aos problemas, tem se superado. Por conta das dificuldades, não será surpresa se acabar eliminado. Contudo, a sequência de três vitórias da moral ao River para se superar mais uma vez. 

Até quando a raça tricolor vai fazer o Galo vencer seus jogos? No domingo, vamos ter uma resposta. 

Sarah Menezes avalia desempenho após prata no México: 'maravilhoso'

 

Sarah Menezes avaliou o desempenho das lutas de ontem (16) no Grand Prix de Cancun, no México, onde conquistou sua primeira medalha desde a mudança para a categoria meio-leve (52kg).

Em vídeo, a judoca comemorou o vice-campeonato no torneio, em especial pela vitória na semifinal contra a italiana Odette Giuffrida, atual vice-campeã olímpica.

- Hoje foi um dia maravilhoso pra mim. (...) Meu desempenho no geral foi maravilhoso. Gostei muito da maneira como encarei a competição.

Foi a quinta competição da judoca piauiense no circuito mundial desde a saída da categoria ligeiro (48kg), após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O resultado deve fazer Sarah Menezes saltar posições no ranking mundial, no qual ocupa hoje o 35º lugar. 

Sarah Menezes vence vice-campeã olímpica e vai ao pódio pela 1ª vez em nova categoria

  • sarah_cancun-7.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-6.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-5.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-4.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-3.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-2.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF
  • sarah_cancun-1.jpg Foto: Sabau Gabriela/IJF

Pouco mais de um ano depois do seu último pódio internacional, Sarah Menezes volta a conquistar uma medalha. Outra prata, tal qual a obtida em maio de 2016 no World Masters de Judô. E de novo no México, mas desta vez em Cancun - a do ano passado foi em Guadalajara. 

As coincidências terminam quando se recorda que aquela competição foi a última antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, ainda na categoria ligeiro (48kg). A prata de ontem, no Grand Prix de Cancun, foi a primeira medalha da piauiense na categoria meio-leve (52kg), na qual começou a competir neste ano. 

No novo peso, foram 13 lutas no circuito internacional. São 6 vitórias e 7 derrotas até agora. Normal para quem está se adaptando a uma nova fase na vida - o que você, leitor do Cidadeverde.com, tem acompanhado aqui ao longo dos últimos meses.  

E a sequência de torneios tem sido escolhida para que essa evolução seja feita gradativamente. Começou em fevereiro, com uma vitória e a eliminação nas oitavas-de-final da Copa do Mundo de Sofia, na Bulgária. Depois veio o 7º lugar no forte Grand Slam de Paris. Em março, conquistou o quinto lugar no Grand Slam de Baku, no Azerbaijão. No mês passado, um revés com a eliminação na estreia no Grand Slam da Rússia. Agora, a prata. 

O torneio no México é novo no circuito. Número de atletas mediano, sem as temidas asiáticas e alguns nomes de peso. Ideal para Sarah ganhar ritmo. 

A estreia já foi logo nas quartas-de-final, contra a croata Tena Sikic, número 41 do ranking mundial. Vitória brasileira com um waza-ari. 

Na sequência, na semifinal, um confronto mais difícil. A italiana Odette Giuffrida foi prata nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Mas Sarah Menezes conseguiu um waza-ari faltando 50 segundos para o fim da luta. Veja abaixo na íntegra:

A decisão foi contra a mexicana Luz Olvera, número 38 do ranking mundial. Pressão da torcida adversária e luta definida somente no golden score, o tempo extra de desempate. Sarah Menezes sofreu a terceira punição e acabou eliminada. Novamente abriu os braços em tom de contestação, mas paciência. A prata já tá valendo. 

Na Rádio: os palpites dos jogos da Série A e Série D

Vem aí, Rússia e Nova Zelândia na Copa das Confederações! 

O torneio na Rússia é tão empolgante (só que não), que no Acorda Piauí nós nos dedicamos mesmo a palpitar sobre a rodada do Brasileirão. 

Na condição de único do programa a acertar o empate de Coritiba e Bahia e a vitória do Grêmio sobre o Fluminense, nos jogos de quinta-feira, gostaria de dizer que abri este parágrafo apenas para reforçar essa informação. 

Vai ver com isso, no seu bolão, você prefira dar mais confiança aos meus palpites do que aos de Joelson Giordani e Fenelon Rocha, que resolveram inovar no programa desta sexta-feira (16): deram seus pitacos dos jogos dos times piauienses na Série D do Brasileirão. 

O detalhe é que todos apostaram em vitórias de River, Altos e Parnahyba. Ou todo mundo vai dar sorte ou todo mundo é azarado!

Ouça a íntegra do Cidade Esportiva desta sexta-feira, com o devido embasamento técnico, teórico e estatístico do nosso time de comentaristas, e cobre os resultados no programa de segunda-feira.

Ah, um bônus: a agenda esportiva do fim de semana:

Piauiense Sub-19 - Semifinais - Ontem
River 4x2 Cori-Sabbá - River na final
Tiradentes 1x4 Timon - Timon na final

Maranhense - Final -  Ida - Ontem
Sampaio Correa 2x1 Cordino

Série B - 8ª Rodada - Hoje
19h15 - Criciuma X Guarani
20h30 - Paraná X Figueirense
20h30 - Ceará X Luverdense
21h30 - Goiás X ABC

Série C
Hoje  - 20h - CSA (AL) X Confiança (SE)
Dom - 18h - Fortaleza X Sampaio Corrêa

Copa das Confederações
Sáb - 12h - Rússia X Nova Zelândia
Dom - 12h - Portugal X México
Dom - 15h - Camarões X Chile
Seg - 12h - Austrália X Alemanha

Liga Mundial de Vôlei
Hoje - 18h - Brasil X Bulgária
Sáb - 19h - Brasil X Argentina
Dom - 16h - Brasil X Sérvia

NBB - Final - Jogo 5 - Sábado
13h30 - Bauru X Paulistano

Desafio das Opalas
Domingo – 7h – Pedro II (PI)
Prova do ranking nacional de ciclismo

Sarah Menezes luta na 1ª edição do Grand Prix de Cancun

Marcio Rodrigues/MPIX/CBJ

A piauiense Sarah Menezes luta, nesta sexta-feira (16), na primeira edição do Grand Prix de Cancun, no México. A competição tem previsão de início para 12h (horário de Brasília).

O torneio deve reforçar a adaptação da campeã olímpica em sua nova categoria, a meio-leve (até 52kg). De folga na primeira rodada, a piauiense vai estrear já nas quartas-de-final, o que a garante na respescagem em caso de derrota. Ela espera o confronto entre Tena Sikic, da Croácia, e Judith Gonzales, do Chile, para conhecer sua adversária na estreia.

Sem asiáticas e com apenas 11 judocas, a categoria tem Sarah Menezes como uma das cabeças-de-chave. Destaque também para a italiana Odette Giuffrida, prata na Rio 2016 e possível adversária da brasileira em uma semifinal. Será a primeira luta dela no circuito mundial após perder a disputa pelo ouro para Majlinda Kelmendi, do Kosovo. 

Outro nome importante na disputa é a norte-americana Angelica Delgado, prata no Grand Slam de Abu Dhabi. Ela e Sarah Menezes só se encontrarão em uma eventual final. 

Veja a chave da categoria até 52kg:

Humberto xinga árbitro e pega mesma suspensão de Wesley por agressão; River vai recorrer

Foto: Victor Costa/River A.C.

Na vitória do River sobre o Potiguar (RN) por 2 a 0, fora de casa, o meia Humberto foi reclamar do árbitro, acusando o mesmo de só dar falta para um lado. No meio da reclamação, emendou um "filho da p...". Pegou cartão vermelho direto. 

Ontem (14), a quarta comissão disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) foi até mais severa. Foram quatro jogos de suspensão para o jogador tricolor, um para cada letra do palavrão proferido. 

A ordem é não reclamar com o árbitro, tudo bem. Mas será se era pra tanto?

Para se ter uma ideia da proporção da decisão, quatro jogos foi a suspensão que o Tribunal de Justiça Desportiva do Piauí (TJD-PI) aplicou no lateral Wesley, do mesmo River, depois do soco dado no atacante Testinha, então no Piauí, pelo Campeonato Piauiense. São instâncias diferentes, mas a legislação é a mesma. Dá para ter uma noção de que alguma delas pode ter dado a dose errada.

A diretoria riverina, claro, vai recorrer. Não se sabe, porém, se há tempo para obter, ainda na sexta-feira, um efeito suspensivo para que Humberto entre em campo contra o Maranhão, domingo (18), no Lindolfo Monteiro. 

A baixa pode se somar ao zagueiro Allan Miguel, expulso na vitória do domingo passado sobre o Potiguar, em Teresina, por 2 a 1. Para compensar, já se apresentaram ontem o zagueiro Luiz Fernando, ex-Moto Club (MA), e o atacante Maranhão, ex-Lajeadense (RS). O lateral direito Ceará, ex-ASA (AL), chega hoje. 

O diretor de futebol, Robert Ibiapina, ainda busca um meia e espera que todos os reforços estejam regularizados até sexta-feira, como falou para a Rádio Cidade Verde em entrevista nesta semana. 

 

Lateral Thiaguinho deixa o Altos e já veste outra camisa

Foto: ASA

A diretoria do ASA, de Arapiraca (AL), apresentou ontem (14) o lateral esquerdo Thiaguinho para a disputa da Série C do Brasileirão. Com isso, o Altos precisa buscar alguém para a posição na sequência da Série D. 

Um reforço importante para o time comandado por Marcelo Villar, hoje na zona de rebaixamento. E uma baixa considerável para o técnico Paulinho Kobayashi.

A ausência dele, acometido por uma virose, foi levantada como um dos fatores para a derrota do Altos para o Santos (AP) por 2 a 1 em pleno Lindolfo Monteiro, ainda que o time inteiro tenha feito um jogo abaixo do esperado. 

Sem Thiaguinho, o Altos deverá ter de novo Jefferson na lateral esquerda para o jogo de domingo (18) contra o Cordino (MA), fora de casa. A depender dos resultados da rodada, uma vitória do Jacaré pode valer classificação antecipada para a próxima fase. 

Procura-se um presidente

Foto: Fábio Lima/Cidade Verde

Júlio Arcoverde falou no lançamento do quiosque do River no Teresina Shopping, na terça-feira (13)

Depois de o presidente Elizeu Aguiar anunciar que as eleições do River Atlético Clube serão antecipadas para outubro, começou a busca por um novo comandante que lidere a nova diretoria tricolor. 

A ideia é de, mais uma vez, chegar a uma chapa de consenso. E que o futuro presidente se dedique ao clube em 2018, sem disputar as eleições gerais do ano que vem. 

Um grupo de tricolores já procurou o ex-senador João Vicente Claudino, que declinou do convite. A informação já havia sido antecipada por Zózimo Tavares na Rádio Cidade Verde. 

O deputado estadual Júlio Arcoverde (PP), vice-presidente do River, confirmou a intenção de ter alguém fora das eleições gerais de 2018, mas afirmou que João Vicente Claudino topou fazer parte da diretoria. Não vai disputar a eleição do Galo porque está de olho em um outro mandato. 

Ainda faltam quatro meses. E nomes. Até lá, procura-se um presidente.

Ouça a entrevista concedida por Júlio Arcoverde:

 

Na Rádio: Joelson lidera os palpites da 7ª rodada do Brasileirão

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Vitória do Flamengo ajudou o rubro-negro Joelson a liderar o placar de palpites da rodada

Há quem pense que Joelson Giordani é um péssimo palpiteiro. No Acorda Piauí de hoje (15) teve até ouvinte falando que já está ganhando dinheiro apostando no oposto do que o nosso jornalista. 

Pois quem considerou os palpites das rodadas anteriores e apostou contra Joelson, se deu mal. Ele foi o único a apostar no empate do Sport com o São Paulo e nas vitórias do Flamengo sobre a Ponte Preta (por motivos óbvios) e do Corinthians sobre o Cruzeiro - aliás, ele acertou o placar em cheio: 1 a 0. 

Nos palpites do Cidade Esportiva, Fenelon Rocha veio logo em seguida e eu só escapei porque, assim como todos, apostei na vitória da Chapecoense sobre o Vasco. 

Se fosse valendo uma grade de cerveja, eu estaria ferrado. Mas ainda posso me recuperar com os jogos desta quinta-feira.

Agora já tem gente dando palpite é na final da Libertadores. Ouça na íntegra do Cidade Esportiva:

 

Na Rádio Cidade Verde: os palpites da 7ª rodada do Brasileirão

Os ouvintes cobraram. E nós não temos como fugir. 

Joelson Giordani, Fenelon Rocha e eu não tivemos tempo no fim do programa para dar os palpites da 7ª rodada do Brasileirão, que começa hoje (14). Mas nos comprometemos a dar os placares aqui. 

Talvez tenha sido a pior decisão a ser tomada para nós, os comentaristas/palpiteiros. Mas certamente é a melhor para os ouvintes/leitores. Vocês vão poder cobrar, cornetar, zoar da gente. E terão a prova registrada disso. 

Há quem já aguarde os palpites do Joelson Giordani para só depois fazer suas apostas - no resultado contrário. Acho uma verda... Uma maldade, uma maldade tremenda!

Seguem os placares (faltando os jogos de quinta-feira, dos quais a gente só vai falar na quinta-feira):

No Acorda Piauí de hoje, também falamos do imbróglio que mais uma vez envolveu laudos de liberação do estádio municipal Lindolfo Monteiro. 

Resultados da Série B do Brasileirão e a contagem regressiva para a bola rolar na Rússia: falta um ano para a Copa do Mundo. E tá tudo logo abaixo, é só ouvir.

 

Posts anteriores