Cidadeverde.com

A eterna sombra de Flávio Araújo no River

Enquanto um treinador não chegar ao River e comandar o time rumo ao acesso para a Série C do Brasileirão, a sombra do técnico Flávio Araújo rondará o poleiro do Galo. 

Foto: Raoni Barbosa/Arquivo/Cidade Verde

Flávio Araújo e o presidente Elizeu Aguiar, em 2015

Waldemar Lemos parecia ser esse substituto, mas seu trabalho foi interrompido de forma tão surpreendente quanto o seu tom alterado depois do jogo contra o Piauí, na quarta-feira. Até então, era um poço de paciência, pelo menos com a imprensa. 

Foi surpreendente ouvir Waldemar fugir do seu tom normal naquele dia. Assim como surpreende o River demitir o treinador por um único episódio do gênero - que, pelo visto, deve ter sido mesmo devastador para provocar a saída do técnico. 

A tranquilidade no trabalho tricolor agora dá lugar, de novo, à incerteza, no comando técnico. E a apreensão do torcedor riverino é porque o filme de terror do ano passado teve as trocas de treinador entre suas cenas.

Zé Teodoro veio, não encaixou o time e deu lugar ao auxiliar Capitão, que não tirou o River da zona de rebaixamento e foi substituído por Vica, que não teve mais tempo para salvar o Galo do atoleiro. 

Todos eles viveram à sombra de Flávio Araújo, técnico vice-campeão da Série D de 2015 com o River, que não renovou em 2016 para assumir o desafio de tirar o Fortaleza da Série C. 

Por sinal, o filme do treinador cearense no ano passado também não teve final feliz. Demitido antes da terceirona começar, o técnico passou pelo Mogi Mirim (SP) já em queda no Campeonato Paulista. Depois foi ao Cuiabá na Série C e pediu as contas sem sair da zona da degola. Voltou ao Sampaio Corrêa como salvador da pátria, mas o tricolor maranhense foi rebaixado da Série B. 

Nas redes sociais, alguns tricolores já pedem a volta de Flávio Araújo, que estava sem clube até recentemente. O empecilho para que isso aconteça é que o "Rei do Acesso" só costuma fechar contrato levando toda a sua comissão, o que forçaria o River a desmanchar pelo menos parte da equipe técnica que tanto empenhou para manter, mesmo com a saída de Waldemar Lemos. 

Outro problema é a demissão recente de técnicos de grandes clubes, como o Náutico (PE), que poderiam ser o destino de Flávio Aráujo - como também poderiam ser o destino de Waldemar Lemos. 

O certo é que a sombra de Flávio Araújo agora encobre o poleiro do Galo. Enquanto a diretoria não anunciar o substituto de Waldemar Lemos, o nome do treinador será sempre lembrado pelo feito histórico no futebol piauiense. A decisão do clube não pode ser assodada. Mas quanto mais ela demorar, mais pressão e especulação vai surgir. 

Luiz Miguel prepara 4 de Julho para jogo difícil contra o Altos: 'candidato ao título'

Fábio Lima/Cidade Verde

O 4 de Julho ganhou um novo ânimo ao vencer o Parnahyba por 1 a 0, fora de casa, no último sábado. Mas o jogo deste fim de semana será um novo desafio para o time de Piripiri. Receber o Altos na Arena Ytacoatiara, às 20h deste sábado (18), é uma parada dura para o time do técnico português Luiz Miguel de Oliveira. 

- A gente tinha perdido três pontos dentro de casa, tínhamos de recuperar esses três pontos se quisesse se classificar. Deu uma aliviada na pressão que o grupo estava sentindo. Mas a gente sabe que agora é um jogo muito difícil com Altos, que é candidato ao título. 

O treinador veio a Teresina na quarta-feira para acompanhar a vitória do River sobre o Piauí por 2 a 0, mas já de olho no confronto de sábado. Por sinal, viu a partida ao lado do técnico do próximo adversário, Francisco Diá, com quem afirma manter uma relação amistosa há bastante tempo. 

Amigos fora de campo, na hora do jogo a história é outra. E enquanto Altos lutará pelo primeiro título estadual, o 4 de Julho chega com pretensões mais modestas. 

- Nós voltamos agora da 2º Divisão e estamos fazendo um trabalho de formiga, ponto a ponto, e vamos tentar fazer o melhor jogo possível, respeitando o Altos e também nos respeitando a nós próprios, tentando sair de lá com a vitória. Mas sabemos que é difícil. 

 

Após saída de Waldemar Lemos, jogadores do River pedem união e foco

Foto: Victor Costa/River A.C.

Humberto quer grupo focado nos objetivos do River para 2017

O primeiro treino após a oficialização da saída de Waldemar Lemos do River começou com uma longa conversa entre jogadores e o presidente do clube, Elizeu Aguiar. Escalados para as entrevistas, o meia Humberto e o atacante Viola tentaram não culpar o treinador por qualquer situação e pregaram união do grupo e foco nos objetivos da temporada. 

- A gente tem que se fechar, assim como a gente vem fazendo desde o início da temporada. É uma situação complicada, a gente fica um pouco triste, o professor Waldemar é um grande profissional, mas são coisas que dizem respeito a diretoria - disse Humberto. 

Viola acrescentou:

- Em futebol essas coisas acontecem. Às vezes ninguém entende o que aconteceu. Mas, como a gente disse ali, cabe a diretoria. O que a gente prezou ali é pro grupo permanecer unido, não deixar nada abalar porque a gente vem numa crescente muito boa. Mais importante é que o grupo continue focado.

Quando perguntados sobre as reclamações em tom mais exaltado de Waldemar Lemos após a vitória sobre o Piauí, na última quarta-feira, Humberto disse que cada pessoa reage de uma maneira e preferiu não fazer julgamentos por não saber ao certo o que ocorreu. 

- Ele teve as razões dele para dar aquele desabafo e falar as coisas que ele falou. A gente tem que manter o nosso foco aqui dentro de campo e deixar o extracampo para a diretoria resolver. 

Viola admitiu surpresa, mas seguiu o discurso do meia:

- Você fica surpreso, mas só ele (Waldemar) pode dizer porque ele estava daquele jeito. Não cabe a mim falar. Eu estou focado em levar o River ao  lugar que ele merece e fazer história junto com meus companheiros. 

Os auxiliares Lucas Andrade e Tales Rodrigues vão comandar os treinos do River enquanto a diretoria busca um novo técnico. 

Jogo do Altos na Copa do Brasil muda tabela do Campeonato Piauiense

Como já era esperado, a Federação de Futebol do Piauí (FFP) anunciou, nesta sexta-feira (17), a alteração de duas partidas do Campeonato Piauiense. As mudanças ocorrem em razão do compromisso do Altos pela Copa do Brasil, dia 22 contra o Criciúma (SC). 

Havia uma rodada dupla marcada para a mesma noite no Lindolfo Monteiro e os dois jogos sofreram alterações. 

Altos e Picos, que seria às 20h do dia 22, passou para o dia 26 de fevereiro, domingo de Carnaval, às 16h. 

O outro jogo da rodada dupla era River e 4 de Julho, que teve apenas seu horário alterado: passou de 18h para 20h. 

Altos entra em campo neste sábado (18) pela terceira rodada contra o 4 de Julho, em Piripiri. Será o primeiro de uma maratona de quatro partidas fora de casa. 

Waldemar Lemos deixa o comando do River

Foto: Victor Costa/River A.C.

Ampliada às 14h42

O presidente Elizeu Aguiar anunciou, no início da tarde desta sexta-feira (17), que o treinador Waldemar Lemos não faz mais parte da comissão técnica do River Atlético Clube. Ele foi demitido por telefone no final da manhã. 

Waldemar Lemos deixa o Galo na liderança do seu grupo na Copa do Nordeste, líder do Campeonato Piauiense e com três vitórias, dois empates e apenas uma derrota - esta para o Sete de Setembro (MS) custou a eliminação na Copa do Brasil. 

Na quarta-feira (15), após a vitória por 2 a 0 sobre o Piauí no Campeonato Piauiense, Waldemar Lemos demonstrou decepção com o desempenho do time, mas também com os problemas do torneio. A partida foi disputada no campo castigado do estádio Lindolfo Monteiro, cujos refletores se apagaram no primeiro tempo, sendo religados somente uma hora depois. 

Em entrevista no Jornal do Piauí, da TV Cidade Verde, Elizeu Aguiar disse que foi pego de surpresa com a situação desta semana. O dirigente contou que Waldemar Lemos fez pedidos para melhorias no trabalho do grupo que a diretoria não pode atender. Estava tudo tranquilo até a vitória sobre o Piauí, quando o treinador reclamou das dificuldades do Campeonato Piauiense. 

Foto: Roberta Aline/Cidade Verde

- Não tínhamos nenhum problema, nenhuma divergência, e nos surpreendeu muito a forma como foi colocada, no local que não era para ser colocado, a forma como foi colocada, depois de uma vitória, em um ambiente que era pra ser de festa e virou um clima muito ruim.

Waldemar Lemos concedeu entrevista após o jogo tentando ser polido. Mas reclamou com dirigentes e no vestiário, onde o tom da conversa foi diferente do adotado com a imprensa, segundo Elizeu Aguiar. 

- Ele atingiu muito, ele feriu muita gente. A coisa não está exposta, nem eu vou expor. Mas na verdade eu só tenho gratidão por ele, pelo que fez até aqui. 

Foto: Roberta Aline/Cidade Verde

Mais tarde, em entrevista na Rádio Cidade Verde, Elizeu Aguiar disse que já conversou com integrantes da comissão técnica que eventualmente poderiam sair com a demissão de Waldemar Lemos e garantiu que quer a permanência de todo o grupo. Ninguém deve sair do River junto com o treinador. 

Ainda na rádio, Elizeu Aguiar disse que a mudança de postura de Waldemar Lemos no último jogo rompeu com a tranquilidade sempre demonstrada pelo treinador desde a sua chegada ao Piauí.

- Eu fiz a seguinte leitura no dia seguinte: ou ele tinha uma proposta para seguir outro seu caminho, ou na verdade não existia um ambiente favorável para ele realizar o seu trabalho, coisa que ele não externou.

- Os jogadores foram abraçá-lo e foram fazer a oração. Ele tomou a palavra e começou a atacar pessoas, atacou a instituição. Teve alguns momentos em que ele foi muito duro. Ele disse coisas que no seu normal ele não diria. Ele é muito tranquilo. É um excelente profissional, quero deixar bem claro aqui. Nós não queríamos isso. Mas os bastidores nos obrigou a fazermos isso.  (...) O clima não ficou bom. Lá sobrou pra todo mundo.

Com o River de folga até a próxima quarta-feira, Waldemar Lemos foi liberado para visitar a família e não treinou o time ontem. Agora, a diretoria tem uma semana para definir o nome do novo treinador. Enquanto isso, os auxiliares Lucas Andrade e Tales Rodrigues vão comandar a equipe. O Galo só joga agora dia 22, contra o 4 de Julho, em Teresina, pelo Campeonato Piauiense. 

 

Atletas jogam Circuito Piauiense de Tênis por viagem para a Argentina

A chuva atrapalhou os jogos da primeira etapa do Circuito Piauiense de Tênis, que acontecem todas as noites na academia Teresina Tennis, bairro Ilhotas, zona Sul da capital. Mas os amantes do esporte continuam a acompanhar o evento, que levará os melhores do ano para o Aberto de Buenos Aires em 2018. 

Fábio Miranda, presidente da Federação de Tênis do Piauí, está animado com o número de inscritos na primeira etapa - foram 170. 

- O segundo ano do circuito começou de forma espetacular. Não esperávamos reunir tanta gente. Acho que o prêmio está atraindo também. Os tenistas estão treinando muito, melhorando de nível.

Em entrevista para a Rádio Cidade Verde, Miranda disse que o número de atletas participantes e as chuvas devem provocar o adiamento do final do circuito para a próxima semana. 

- Os jogos começaram dia 7 de fevereiro e a intenção era acabar no dia 17, mas o número de inscrições muito superior ao que a gente esperava, e as chuvas atrapalharam um pouco. Acredito que até o meio da próxima semana a gente consiga encerrar a primeira etapa do circuito.

O evento conta com seis categorias, do infantil até a quinta classe. São cerca de 15 partidas por dia, em média, sempre a partir das 17h, com entrada franca. 

Ataque fatal vira principal arma do River no início de temporada

Fotos: Victor Costa/River A.C.

Tety comemora um dos gols da vitória contra o Piauí

Contra o Piauí, na última quarta-feira, pelo Campeonato Piauiense, as duas primeiras grandes chances do River se converteram em gol. E isso já não é novidade em 2017. 

Os atacantes do Galo estão afinados com a bola. E não só Viola, que já marcou cinco vezes na temporada. Quem entrou em campo no setor deu conta do recado - e de forma, digamos, fulminante. Quando a bola cai nos pés deles, tem sido praticamente fatal. 

Exemplo disso foi o jogo contra o Sport, no último sábado, pela Copa do Nordeste, em Recife (PE). O River teve duas chances de gol. Converteu as duas e garantiu o empate em 2 a 2, contra um adversário que teve mais de 60% de posse de bola na partida.

São seis jogos na temporada sempre balançando as redes - e isso leva em conta o gol mal anulado de Rodrigo Tiuí na eliminação do River na Copa do Brasil, contra o Sete de Setembro (MS). E com esse, são 10 gols marcados até agora. 

Esse gol, por sinal, serve como exemplo do poder de reação tricolor. Foi marcado minutos depois do River sofrer o gol na partida da semana passada, em Dourados (MS). 

Fato semelhante ocorreu em Recife, quando o Galo acabara de sofrer o gol da virada. Três minutos depois, Viola empatou a partida. 


Viola já marcou cinco gols em seis partidas pelo Galo

Autor de dois gols na temporada, Tety diz que a receita do River para as finalizações certeiras é dedicação nos treinamentos. 

- Acho que é muito trabalho, muita finalização, quando o professor pega a gente, o Lucas, o Tales, e aí a gente aprimora nos treinamentos para quando chegar nos jogos acontecer dessa forma que está acontecendo. 

Artilheiro do Galo, Viola confirma:

- É trabalho. Durante a semana a gente trabalha muito com o professor Waldemar, o Lucas, Tales, e está dando resultado. A gente fica feliz por isso.

Waldemar Lemos diz que mesmo com o curto espaço de tempo da pré-temporada houve um esforço para introduzir trabalhos específicos no grupo. 

- Sempre trabalhamos determinadas finalizações, no cabeceio, usando o chute, de várias formas. Mas temos jogadores de qualidade que podem fazer isso, principalmente o Viola, o Tiuí, o Tetu tem feito gol. Isso é muito interessante pra gente. 

Treinador do Flamengo elogia estreia de Renê e vê piauiense como 'fator surpresa'

Foto: Staff Images/Flamengo

O técnico Zé Ricardo elogiou a estreia do lateral piauiense Renê no Flamengo. O jogador começou a jogada que originou no gol de Gabriel, na vitória por 1 a 0 sobre o América (MG), ontem (16), pela Primeira Liga. 

- O Renê é um atleta que se apresentou e se adaptou muito rápido ao nosso grupo. Vem treinando com muita desenvoltura e vai ser um atleta, sem dúvida alguma, fundamental para gente na temporada. 

Zé Ricardo vê o titular Trauco com possibilidades de convocação pela seleção peruana e aposta em Renê para suprir essa lacuna durante as Eliminatórias da Copa do Mundo.  

- É importante a gente ter na posição dois atletas de bom nível. Essa disputa tende a ser muito sadia, um elevando o nível do outro. Fiquei feliz, eu acho que ele aproveitou a oportunidade. Sem dúvida alguma terá outras e creio que ele vai estar preparado para a sequência. 

Ainda sobre a estreia, Zé Ricardo disse que Renê suportou bem a pressão de vestir a camisa do Flamengo e será importante tanto na defesa como no ataque. 

- Não tenho dúvida nenhuma que ele vai se adaptar de forma muito rápida. Vai entender que, como na maioria das equipes do futebol brasileiro, os laterais precisam e devem apoiar. É um jogador com potencial. Tem, na minha opinião, capacidade técnica para ser um jogador com fator surpresa na parte ofensiva e tem uma boa leitura defensiva. Acho que o Flamengo fez uma boa contratação. Espero que ele possa corresponder a toda expectativa que a gente deposita nele.

A próxima chance de Renê poderá ser até contra o Madureira, no domingo, pelo Campeonato Carioca. Já classificado para as semifinais da Taça Guanabara, Flamengo cumpre tabela e joga pelo empate para fechar o Grupo B na liderança. 

Festa premia melhores do ano e empossa nova diretoria da federação de ciclismo

Foto: Divulgação/Aldeia

O auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Teresina (PI) recebe, às 19h desta sexta-feira (17), a festa dos melhores do ano de 2016 no ciclismo. Na oportunidade, também será empossada a nova diretoria da Federação de Ciclismo do Piauí. 

George Rodrigues, presidente reeleito da entidade, falou para a Rádio Cidade Verde sobre os resultados de 2016.

- Nós temos muitos motivos para comemorar. Fizemos um ano com campeonato 100% sem problemas, uma média de 170 atletas por evento, 18 eventos durante o ano. Nós só temos a comemorar.

Para o ano vigente, a nova diretoria aposta nas provas que somam pontos no ranking nacional, além do calendário de provas locais e cursos de reciclagem para árbitros e treinadores.

- O Piauí tem o maior número de provas com pontuação máxima no ranking nacional. No Brasil são oito provas e no Piauí são três. Estamos saíndo na frente. Acredito que venham muitos atletas de fora buscar esses pontos, porque isso define o Campeonato Brasileiro.

A festa desta sexta-feira vai premiar os melhores do ano nos naipes masculino e feminino, além do atleta revelação. 

Altos enfrentará maratona de quatro jogos fora de casa

Foto: Luís Júnior/A.A.Altos

Depois do River sofrer com as viagens, será a vez do Altos enfrentar uma maratona de jogos fora de casa. 

O sorteio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) impôs que o jogo contra o Criciúma, pela segunda fase da Copa do Brasil, seja em Santa Catarina. A partida está marcada para o dia 22, às 19h30. Será jogo único, mas dessa vez o empate leva a decisão para os pênaltis.

Será o segundo jogo do Jacaré em uma sequência de quatro partidas como visitante. Neste sábado (18), o duelo será contra o 4 de Julho, em Piripiri, pelo Campeonato Piauiense. 

Após enfrentar o Criciúma no dia 22, o adversário será o Bahia, dia 2 de março, pela Copa do Nordeste, em partida decisiva para as pretensões de classificação do time piauiense para a próxima fase. 

No dia 5, jogo com o Parnahyba, no litoral, pelo Estadual. Só no dia 8 o time volta a Teresina, para a partida contra o Flamengo, também pelo Campeonato Piauiense.

A tabela da CBF ainda forçará mudança no Campeonato Piauiense. Altos iria enfrentar Picos no dia 22, em Teresina. 

Posts anteriores