Cidadeverde.com

Deus me livre da lâmpada do Adriano...

Wander Roberto/Vipcomm


A queimadura que Adriano sofreu no final de novembro, que disseram ter sido de moto e ele afirmou ter sido provocada por uma lâmpada de jardim, até hoje pertuba o jogador.

Mais de um mês depois, a bolha no pé do cara ainda está desse jeito. Olha que troço feio! Eu, se fosse ele, tirava todas essas lâmpadas e deixavam o jardim no escuro mesmo...

Estrear contra o Duque de Caxias no campeonato estadual, neste domingo, nem pensar...

Elizeu Aguiar: a entrevista na íntegra



A entrevista é histórica. Não há edição de reportagem de TV que consiga resumir todos os argumentos de Elizeu Aguiar. São 10 minutos não só de explicações, mas de desabafo, promessas, e expectativas para o River, que já protocolou na Federação de Futebol do Piauí a sua desistência do Campeonato Piauiense de 2010.

Simplício Júnior fez a reportagem para a TV Cidade Verde na tarde de ontem. Aos torcedores que ainda não conseguiram compreender,  uma chance para Elizeu Aguiar explicar com todas as letras os motivos para não disputar o torneio.

Novo projeto do Parnahyba Sport Club

O Parnahyba lançou na noite de ontem na AABB de Parnaíba o projeto "Torcedor Patrocinador".

O clube vai vender "números da sorte", e parte do valor arrecadado será destinado para os prêmios a serem sorteados. Em tese, quanto mais torcedores e mais números, mais prêmios.

O restante será para a manutenção do time profissional e categorias de base.

Taekwondo protesta; Fundespi responde

John Correia, presidente da Federação de Taekwondo do Piauí, enviou ofício nesta quarta-feira para a Fundação de Esportes do Piauí - Fundespi -, e repassou o mesmo por alguns jornalistas.

A Federação espera R$ 3 mil da Fundespi para arcar com custos da palestra da medalhista olímpica Natália Falavigna, realizada no último dezembro em Teresina. No ofício, que seria o terceiro já enviado, a entidade repudia o que chama de "descaso" do presidente da entidade, Vicente Sobrinho, e reclama que o mesmo teria dito que o problema "Não é de minha alçada, já fiz minha parte".

- Ora, sendo o presidente da entidade que representa o esporte estadual, e por estar falando com o presidente de uma federação esportiva também estadual, deveria se preocupar mais com suas palavras e ter mais, muito mais respeito pelo dirigente... - disse John Correia no mesmo ofício em que pede os recursos.

Falei com Vicente Sobrinho, que confirmou ter dito a frase sem mesmo eu ter perguntado. Ele explicou que enviou ofício ainda no ano passado para o próprio governador do Estado, que ainda não deu autorização para a liberação do recurso.

- Já encaminhei a solicitação. Se ainda não me retornaram, o que eu posso fazer? Não é dessa forma que nós vamos resolver as coisas do esporte do Piauí - disse Vicente Sobrinho, em tom de chateação.

De um lado, John deve estar aflito para quitar as contas. Do outro, Vicente para garantir a palavra dada. Que os ânimos se exaltem pode-se entender, mas tomara que a discussão não passe disso e a questão seja resolvida. Declarações desse porte não ajudam em nada.

Ciclistas demarcando território



O vídeo mostra ciclistas em uma avenida de Nova Iorque repintando as faixas que a eles são destinadas, comumente desrespeitadas pelos motoristas. No final, a explicação de que essas faixas servem para dar segurança a quem pedala.

Se a moda pega em Teresina e ciclista começa a pintar faixa nas várias avenidas que não possuem ciclovias...

Falando nisso, 2010 será o ano do ciclismo no Brasil. Tenho muita coisa para postar sobre, e em breve explico por aqui.

A coragem de um homem chamado Elizeu

Elizeu não é louco. Não iria tirar o River do Campeonato Piauiense no ano em que será candidato à reeleição se não fosse por um motivo lógico ou justo. Sabe que poderá perder votos - apesar dos evangélicos poderem o eleger - e até vender menos chopp e pizzas.

Elizeu não é menino. Está no futebol desde 2001 e aprendeu com a falta de títulos, de apoio, de dinheiro, de honestidade, de respeito, de paciência, de incompetência, de estádios, de um número de coisas que não eu poderia aqui enumerar. Nem ele.

Elizeu sabe que a saída do River do Campeonato Piauiense o forçará a trocar de celular, o deixará sem sono, o fará receber visitas tentando demovelo de tal ideia. Por isso mesmo, reuniu a diretoria para não ser acusado de unilateral.

Elizeu ama o River, por mais que agora venham dizer o contrário. E não tomou tal decisão do dia para a noite. Talvez tenha sido uma das mais difíceis da sua vida. Ou, depois de tanto tempo penalizado, a mais fácil.

Elizeu não dorme no ponto. Sabe que o ano é de eleição na Federação de Futebol do Piauí. Sabe que se há chance para mudança, ou será agora, ou só após outros quatro anos.

Elizeu tem a cabeça no lugar, por mais que agora venham dizer o contrário. Sabe seus erros e seus acertos. E sabe que não adianta colocar time em campo só para ter prejuízo todos os anos e alimentar a esperança de que um dia a coisa será como antes, nos anos 70.

Elizeu estava na demissão de Nivaldo Lancuna no início da década. O treinador foi embora e disse: "Por favor, preservem Elizeu Aguiar. O futebol precisa dele". Eu usava fraldas no jornalismo esportivo na época, mas jamais me esqueci disso.

Elizeu sabe o valor da experiência, mas também sabe apostar no novo. Como ele. E não quer só fazer. Quer fazer bem feito.

Elizeu vem do hebraico. Significa "Deus é a Salvação", e indica pessoa voltada para a honestidade e justiça. A salvação do futebol piauiense poderia ser ele.

Mas nada me tira da cabeça: algo grave aconteceu. Um estopim para que se tomasse tal atitude. Algo que não surgiu em 2009, 2008, 2007... quando o panorama do futebol era o mesmo. Algo pelo qual eu acho que deveria agradecer.

As "greves" no futebol piauiense

Pessoal, convenhamos, Campeonato Piauiense sem confusão seria novidade, não é? Em 2008, eram os árbitros que não queria apitar. Em 2009, foi o Tribunal de Justiça Desportiva que decidiu não trabalhar, e eu mesmo preferi não acompanhar a Copa Piauí depois de um ano cheio de lambanças. Agora são os clubes que não querem entrar em campo. Falta só em 2011 a Federação não querer organizar o campeonato. Aí, em 2012, os poucos torcedores decidem não assistir.

E os três clubes que querem sair o anunciam por motivos justos - sim, ontem eu reclamei do River que o motivo não era NOVO. A organização do futebol piauiense é a mesma faz tempo.

Yala Sena/Cidadeverde.com

O pensativo Elizeu Aguiar

O presidente Elizeu Aguiar é conhecido por ser uma das pessoas mais sérias do futebol piauiense. No começo de sua jornada no esporte, alguns diziam que o futebol não o merecia. Por isso, ainda espero uma entrevista mais clara e fundamentada do dirigente tricolor sobre o seu protesto. É preciso dizer "basta", mas só se irá convencer os demais disso com mais argumentos.

O Caiçara já estava cambaleando em 2009. O Piauí se esforça para manter um time desde os problemas com a saída da sede na zona leste e a reestruturação pelo qual ainda passa. Querer se organizar melhor é justo com eles, com o torcedor e com o futebol piauiense. Vamos parar com história de que tem que por o time em campo de qualquer jeito. Está mais do que provado que isso não funciona.

Mas, e agora, o que vai acontecer?

O River já mudou a reunião da diretoria para sexta-feira. Até lá, nos bastidores, vai rolar muita coisa. O time deve entrar no Campeonato Piauiense, a pressão da torcida vai ser muito grande, e até mesmo riverinos de última hora podem surgir para garantir a montagem do plantel.

Pode até rolar alguma jogada que garanta a participação do Piauí, ou até mesmo do Caiçara - com chances remotas para este último. Podem apelar para adiamento do início do torneio - claro, já vimos esse filme, e o Piauí defende até que seja no segundo semestre, o que é quase impossível de ser aprovado pelos demais clubes, com equipes prontas para estrear.

E quem ri é Flamengo, Picos, Barras, e Parnahyba. Os dois primeiros já treinam para a Copa do Brasil. Os seguintes são os mais próximos de se estruturarem para o Estadual. O passado mostra que quem se adiantou chegou na frente. Flamengo e 4 de Julho, que decidiram os dois turnos de 2009, iniciaram a preparação no final de 2008. O que será dos que ainda discutem se jogam ou não?

Uma casa japonesa, com certeza

Fábio Lima/Cidadeverde.com


Expedito, Rosa, Ayko Saiure, e Kenji Falcão.

O quadro fica na sala da casa do técnico Expedito Falcão, zona sul de Teresina. Apaixonado por judô, como a esposa e o casal de filhos.

Foto de 2008, antes do embarque do treinador para Pequim, onde iria acompanhar Sarah Menezes nos Jogos Olímpicos.

Barras x Parnahyba nos bastidores

Falar com Robert Brown Carcará, diretor do Barras, é conversar com alguém que gosta de levar as coisas na esportiva.

- Nós vamos montar um time para ser campeão. O Barras não é acostumado a ficar sem título. Um ano já é demais! Vamos colocar o Flamengo no lugar deles - disse o ex-presidente rubro-negro, em provocação bem humorada, sadia.

O campeão piauiense de 2008 contratou o técnico Danilo Queiroz, que vem do futebol cearense, e vive uma disputa de bastidores com o Parnahyba. Danilo, por sinal, treinou o Tubarão no ano passado.

Brown e o presidente Paulo Afonso Silva, o Painha, viajam para Fortaleza nesta quarta-feira, já com contratos a serem assinados pelos seus reforços. Ninguém anuncia nomes, porque o Parnahyba também busca jogadores na mesma região.

Mais adiantado nas conversas, o Parnahyba já espera a chegada de alguns atletas. Caso do goleiro Beto, que era pretendido pelo Flamengo, mas treinará com Oliveira Canindé. No litoral, os nomes só serão anunciados após a chegada, depois do contrato assinado.

O Parnahyba também promete anunciar na noite de hoje um projeto na AABB de Parnaíba.

Ex-River, Kamar fica no Campinense

Anderson Kamar, depois de ser anunciado por pelo menos três clubes, e ser tratado como "fujão" no Campinense/PB, se apresentou na Paraíba.

Aliás, em Campina Grande, o ex-atacante do River, o Galo de Teresina, vai vestir uma camisa rubro-negra como a do Flamengo, de um clube cuja mascote também é uma Raposa.

Coisas do futebol...

Posts anteriores