Cidadeverde.com
Geral

"Médico não fabrica vaga em UTI", diz secretário de Saúde de Teresina

Imprimir

Wilson Filho/Cidade Verde

O secretário municipal de Saúde, Aderivaldo Andrade, pediu que a Justiça reveja as decisões que determinavam a prisão de médicos plantonistas que não conseguirem vagas para pacientes em unidades de terapia intensiva (UTIs).

"O médico não fabrica vaga em UTI. Os gestores dos hospitais é que devem ser provocados ou não", disse no Jornal do Piauí desta quarta-feira (8). "O médico não tem responsabilidade nenhuma".

Aderivaldo Andrade afirma que hospitais recebem ações diariamente para garantir a internação de pacientes em UTIs. O secretário afirma que é preciso uma ação nacional para resolver o problema da falta de vagas. 

Na visão de Aderivaldo, existem duas "epidemias" que lotam hospitais. A primeira é do envelhecimento da população, com idosos de vida prolongada. A segunda é a traumatologia, provocada pela escalada dos acidentes de trânsito. 

"Nós temos uma quantidade de doentes adentrando no sistema da nossa capital e a capacidade instalada está inferior", frisou o secretário. Ele acredita que seria necessário pelo menos dobrar o número de vagas em UTIs em todo o Piauí, mas espalhando as mesmas no interior em municípios importantes, como Parnaíba, Picos e Floriano.

Nesta semana, decisões judiciais determinaram a prisão de médicos que não garantissem vaga a pacientes em UTIs. Uma das ações beneficiava um paciente de Caxias (MA). As vagas surgiram e nenhum médico chegou a ser preso. 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Imprimir