Cidadeverde.com
Esporte

Dirigente inglês devolve presente da CBF e se livra de problema na Fifa

Imprimir

Mais um dirigente se livrou de uma saia justa na Fifa por causa de presentes dados pela CBF no período da Copa do Mundo-2014. O presidente da Federação Inglesa (The FA), Greg Dyke, devolveu o relógio Parmigiani - que patrocina a CBF - para deixar de ser alvo de investigações por parte do Comitê de Ética da Fifa.

Essa "novela" por conta do relógio se arrasta desde o meio do ano passado. A CBF distribuiu 65 peças (28 para membros do Comitê Executivo da Fifa e um para cada dirigente de Federação cuja seleção jogou a Copa-2014). Em setembro, a FIfa chegou a estipular a data-limite de 24 de outubro para que os cartolas devolvessem o presente sem que virassem alvo de investigação. Mas alguns, como foi o caso de Dyke, atrasaram, e muito, a entrega.

Segundo a Fifa, os relógios serão doados para oreganizações sem fins lucrativos ou comprometidas com projetos de responsabilidade social no Brasil.

Na época que expôs a situação, a Fifa disse que os relógios custaram R$ 62,5 mil, na cotação do dólar na época. A CBF, por sua vez, alegou que o valor era R$ 20,5 mil. O Código de Ética da Fifa veta presentes que não tenham apenas "valor simbólico".


Fonte: Lancenet

Imprimir