Cidadeverde.com
Geral

Centro de Parto Normal é inaugurado na maternidade do Buenos Aires

Imprimir

O primeiro Centro de Parto Normal (CPN) do município de Teresina será inaugurado nesta quarta (31) e funcionará na Maternidade do bairro Buenos Aires, zona Norte que foi reformada e ampliada. A inauguração acontece no mesmo mês em que o prefeito Firmino Filho sancionou a lei que regulamenta o trabalho das Doulas no atendimento à parturiente no trabalho de parto, no parto e no pós-parto. 
 
O CPN tem estrutura para o atendimento conforme o modelo de assistência humanizada ao parto, de acordo com as normas preconizadas pelo Ministério da Saúde. Funcionará com banheira de hidromassagem, camas especiais e equipamentos para partos de diversas posições.
 
A nova estrutura vai funcionar a partir de 1º de setembro com  52 leitos, sendo 30 leitos obstétricos, sete de neonatologia, 10 leitos de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (UCIN) e cinco quartos para pré-parto, parto e pós-parto.
 
A presidente da Fundação Hospitalar de Teresina (FHT), Fátima Garcêz, destaca benefícios com o modelo de assistência humanizada às pacientes. “O atendimento do profissional de saúde é voltado para respeitar as necessidades da parturiente com suas especificidades, explicando e orientando sobre todos os procedimentos”, informa.
 
O primeiro filho de Adriana Moreira deve nascer daqui a cinco meses e ela tem muitos cuidados com a alimentação, a saúde e já decidiu que o bebê deve nascer de parto normal. “São muitos  benefícios, é mais saudável para a mãe e a criança, a recuperação para a mulher é mais rápida”, enumera as vantagens que ela considera muito importantes.

Com experiência de dois partos normais para o nascimento dos filhos, a funcionária pública Patrícia Martins revela que foi uma escolha certa. “Desde quando soube que estava grávida que eu decidi ter parto normal. Tenho medo de cirurgias e em nenhum momento tive dúvidas de o melhor para mim e para o nascimento dos meus era o parto normal”, declara.
 
A obra de reforma da Maternidade está 95% concluída e tem investimento de R$ 2.017.618,23, sendo R$ 1.634.395,27 da Prefeitura de Teresina e o restante do Governo Federal.
 
Além dos leitos a maternidade terá sala de aleitamento, salas para testes do pezinho e orelhinha, cartório de registro de nascimento, sala de atendimento obstétrico neonatal, de fonoaudiologia e de classificação de risco.

Lei das Doulas 

O projeto de Lei foi apresentado na Câmara Municipal em fevereiro pelo vereador Edvaldo Marques e subinscrito pela vereador Rosário Bezerra e aprovado em abril por unanimidade. O projeto virou a Lei 4.935 no último dia 19 de agosto, após sanção do prefeito. 

A lei garante garante a parturiente a indicar uma Doula durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato nas maternidades e hospitais no Município de Teresina.


Da redação
redacao@cidadeverde.com

Imprimir