Cidadeverde.com
Geral

Polícia prende líder de quadrilha de hackers e 4 continuam foragidos

Imprimir
  • _MG_2747.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2754.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2755.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2756.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2757.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2759.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2766.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2770.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2775.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2788.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2790.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • _MG_2795.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • 5c122b95-ad18-4715-9449-5bcc098dd262.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • 9fb183ff-b9a6-4dc3-801d-6961c6096c61.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • 81eefe30-d60d-4acb-b39a-5b35bb4705f0.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • 382650ca-4f93-474a-af01-43e5466125c3.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com
  • fce2c821-46f3-469e-a9b9-9e9e5bcec33f.jpg Wilsonfilho/Cidadeverde.com

Kawill Willames Menezes Rodrigues foi preso no Centro de Teresina, no último sábado (7). Segundo o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), ele é suspeito de liderar uma quadrilha de fraudadores e hackers que desviou mais de R$ 20 milhões de contas bancárias. O esquema foi divulgado pela Operação Phishers. O delegado geral de Polícia Civil, Riedel Batista, disse que ainda há quatro foragidos. 

O rapaz foi preso na Avenida Miguel Rosa, por policiais da Delegacia de Homicídios. A equipe estava em outra diligência, quando localizou Kawill. Ele foi levado ao Greco e a polícia diz que, a partir de agora, ficará mais fácil desarticular o bando, já que ele seria o líder. 

"Ele costumava desafiar a polícia na internet, publicava coisas como se nunca fosse ser preso. Mas tudo que é feito na internet fica registrado. Uma pessoa com mandado de prisão em aberto e fazendo desafios, é algo superado, então conseguimos prendê-lo", comentou o delegado. 

Ainda estão sendo procurados pela polícia Jailton Rubens de Almeida Sousa, 'o Manin'; Romário Lima dos Santos, Antônio Sousa da Silva, o 'Nego Teixeira' ou 'Nego Bacelar', e Dielly Maria Veras Lima, esposa de Manin. Eles seriam os 'cabeças' e responsáveis pelas fraudes. 

No dia 23 de novembro do ano passado, a Operação Phishers prende Ismael Carlos Vieira da Silva, o 'Catita', Anna Joaquina Queiroz Nascimento, Denis Breno Silva Azevedo e Geannyne Rafael Alves Nepomuceno, o 'Rafael Olhão'. Eles seriam responsáveis por cooptar laranjas que disponibilizavam suas contas bancárias para receber e sacar os valores desviados. 

A atuação do grupo consistia em invadir contas bancárias e desviar valores para contas de laranjas. Essas pessoas sacavam o dinheiro e recebiam um percentual como pagamento. A lavagem do dinheiro acontecia por meio da compra e venda de 'carros picanha', entre os próprios integrantes da quadrilha, que utilizavam documentos falsos. 

 

Maria Romero
redacao@cidadeverde.com

Imprimir