Cidadeverde.com
Geral

Setut classifica como 'ato de bandido' protesto que incendiou ônibus

Imprimir
  • ec8b6bbf-674c-4d4c-a5ec-78988bd19afb.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 31321383-c255-4a7d-9ef3-b76127816428.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 4e47ba0c-d56d-4522-884d-6a6143a5044f.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 24818634-8391-4af2-8816-a491abce6cb5.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 03d4010c-1357-45d5-8ec6-e4e902ca8960.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 4529ad26-c252-4a43-a16b-96c20282d1fa.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com

O diretor administrativo do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina (Setut), Marcelino Lopes, classificou como um ato de “desocupados e bandidos” a ação dos manifestantes que incendiaram um ônibus do transporte público municipal em protesto feito ontem na Avenida Frei Serafim, centro de Teresina.

Os manifestantes protestaram contra o aumento da tarifa para R$ 3,30 na capital. Antes do reajuste concedido pela prefeitura no início deste ano, a passagem era R$ 2,75. 

Segundo Marcelino, o ato foi exclusivamente político. Ele afirmou também em entrevista ao vivo ao Jornal do Piauí desta terça-feira (10) que não viu estudantes na manifestação.

Marcelino admitiu que é preciso discutir mais profundamente com a população a questão do transporte público em Teresina, para que as pessoas entendam melhor sobre todos os custos que culminam no reajuste da tarifa.

Além disso, ele apoiou a decisão do prefeito de Teresina, Firmino Filho, por ter aprovado o aumento que foi proposto pelo Conselho Municipal de Transportes.

“Tenho certeza que o prefeito para ter dado o aumento, ele não está se sentido bem, só que ele precisa e sabe que tem que haver um equilíbrio econômico na administração e a população só vai entender de forma mais clara se hpuver maiores esclarecimentos sobre isso. É preciso chamar mais a população para que ela  entenda como se faz transporte”

A diretora técnica do Detran, Miriam Aguiar, disse que a circulação dos ônibus será suspensa caso haja risco a segurança de passageiros, motoristas e cobradores. Ela destacou que até o momento somente um ônibus foi danificado durante a manifestação. 

"Não podemos arriscar a segurança das pessoas dentro dos ônibus, então eles deixarão de circular se percebermos que a situação está arriscada. Confiamos na segurança pública para garantir que não haverá excessos nem atos violentos nos protestos", disse a diretora.

Ela informou ainda que o SETUT está aguardando posicionamento da Polícia para descobrir quem foram os autores da destruição do ônibus no início da noite desta segunda (9). Segundo a diretora, o Setut disponibilizou imagens de câmeras de segurança e fotografias do sistema de monitoramento interno do veículo. Ela lamentou o ocorrido, principalmente porquê o ônibus, destruído ontem, era adaptado para receber pessoas com deficiência, tinha ar-condicionado e estava no sistema havia apenas dois meses.

 

Flash de Maria Romero (Direto do Local)
Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Imprimir