Cidadeverde.com
Geral

Polícia conclui inquérito e seis são indiciados por morte de PM

Imprimir

A Delegacia de Homicídios encaminhou à Justiça o relatório do inquérito que apurou as causas do assassinato do ex cabo da Polícia Militar, Valdir Mendonça do Vale,43 anos. O policial foi morto após intervir em um assalto a um tesoureiro de uma clínica médica localizada na zona Leste de Teresina, no início do mês. 

A conclusão do inquérito foi feita após a realização da prisão de José Ivaldo Firmino de Oliveira Junior, nesta sexta-feira (17). O preso, que foi Rei Momo do carnaval de Teresina em 2015, foi apontado como o dono e condutor do veículo Nissan Versa, cor prata,que deu apoio na fuga do suspeito de atirar no policial após o assalto, Juliano Kelson Mourão da Silva. 

O delegado Higgo Martins informou ao Cidadeverde.com que além de Juliano e José Ivaldo, completam a lista de seis indiciados: Regifran Marques Santos, Wilberson de Sousa Silva,  Luis José de Oliveira Neto e José Torres Neto

"Todos foram indiciados por latrocínio e associação criminosa, com exceção de José Torres Neto", disse o delegado. José Neto atuou no crime dando informações sobre a quantia de dinheiro que o tesoureiro da clínica tinha. 

"Ele foi visto na agência do Banco do Brasil do bairro Jockey enquanto o tesoureiro sustava cheques", completou o delegado. 

Além dos indiciados, uma estagiária da clínica também foi apontada como participante do crime. Ela teria ajudado a planejar o assalto, facilitando informações para a quadrilha. A menor encontra-se apreendida. 

O cabo Valdir Mendonça tinha mais de 20 anos de atuação na Polícia Militar. O PM era lotado no 5º Batalhão da Polícia Militar e morreu após perseguir e trocar tiros com os bandidos que assaltaram o tesoureiro. O policial foi atingindo com dois disparos e morreu a caminho do hospital. 

 

Izabella Pimentel (especial para o cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com
 

Imprimir