Cidadeverde.com
Cidades

Miguel Alves: Polícia descarta falha mecânica em carro com família que caiu em riacho

Imprimir


Carro ocupado pela família no momento do acidente 

O delegado Francírio Queiroz declarou, em entrevista ao Cidadeverde.com, neste sábado (15), que foi descartado a possibilidade de falha mecânica no veículo ocupado pela família, que morreu vítima de afogamento, em um riacho localizado na cidade de Miguel Alves, na última quinta-feira (13).   A perícia deve ser concluida em 30 dias. 

Ao todo, seis pessoas estavam no carro em deslocamento para passar o feriado de Semana Santa na comunidade Verenos, próximo à localidade de São José de Medeiros, onde foram sepultados.  A tragédia chocou a cidade e gerou comoção em todos.  Um velório coletivo foi realizado no ginásio poliesportivo de Miguel Alves, e a prefeitura decretou luto oficial de três dias. 

“Estivemos ontem no local do acidente, na cidade, e deve ser ouvida algumas testemunhas. As pessoas ficam querendo encontrar um motivo para isso ter ocorrido. Vamos aguarda o resultado da perícia para tentar entender a dinâmica desse acidente. O carro não teve problema mecânico, isso já foi descartado”, disse o delegado.

Queiroz também comentou que já ouviu algumas pessoas e que, dentre os depoimentos, há relatos de que o veículo havia passado pela ponte, por algum motivo desistiu de continuar o trajeto e estava retornando, quando ocorreu o acidente. 

Ainda sobre o veículo, o delegado relatou que estava intacto, sem sinais de batida. “Ele estava intacto, mas na retirada do veículo da água com o uso de um trator acabou batendo em alguns pontos. A perícia deve sair daqui a 30 dias. Precisamos aguardar embora seja difícil fazer a dinâmica desse acidente porque quando chegamos o carro já tinha sido retirado”, acrescentiy i delegado. 

Para ele, o que ocorreu com a família “foi uma fatalidade, uma tragédiae causou uma grande comoção em todos”. “Uma cena muito triste. Uma das crianças foi encontrada agarrada a mãe”, lamenta o delegado. 

Vítimas

As vítimas foram identificadas como José Helmo Mesquita de Sousa, sua esposa Leila Mara Sampaio Dias e o filho identificado apenas como Everton, 7 anos. Também estavam no veículo duas cunhadas de José Helmo e uma sobrinha, chamadas Lucelia Sampaio Dias, 37 anos, Pamela Gabriela Dias 17 anos e Evelin Kailane, de 7 anos. O condutor do veículo, José Helmo, trabalhava como comerciante na cidade de Miguel Alves. Ele e a família eram conhecidos na região. 

 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir