Cidadeverde.com
Cidades

Conclusão do Projeto Marrecas é tratado entre Codevasf e Incra no Piauí

Imprimir

Representantes da Codevasf e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), estiveram reunidos para tratar da conclusão do Projeto Marrecas-Jenipapo. No encontro, os representantes dos órgãos federais envolvidos fizeram uma ampla análise de todos os procedimentos em andamento para dar continuidade à obra.

O projeto Marrecas -Jenipapo é uma obra de competência  da Codevasf, executada numa das áreas de assentamento do Incra, com o custo aproximado de 60 milhões de reais. O projeto está com 87% de andamento concluído.

“ Uma obra desse porte requer encontros periódicos como esse, para  potencializar o trabalho conjunto dos órgãos federais envolvidos. Desde que fui superintendente regional da Codevasf, e por ser também piauiense, acompanho com grande interesse esse projeto, por saber da importância que ele tem para o Estado como um todo. Estamos atentos para que os prazos e objetivos do Marrecas-Jenipapo sejam cumpridos, atendendo os  melhores  interesses do povo piauiense”, afirmou Inaldo Guerra, diretor da área de revitalização da Codevasf  em Brasília.

Outras ações

Nesta quarta-feira (19), em reunião da qual também participou o diretor de infraestrutura da superintendência, Marco Aurélio Diniz, a pauta foi sobre outros projetos relevantes para a região como os das barragens do Tinguíns, de Atalaia, de Pedregulho, o da adutora de Dirceu Arcoverde, e novamente o projeto Marrecas- Jenipapo.

Estiveram presentes nas reuniões, representantes da Secretaria de infraestrutura do estado do Piauí (SEINFRA), representantes do Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI), das construtoras GETEL e Jurema, e representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e os representantes da Codevasf.  

“Apresentamos para os presentes os desafios que temos que superar para dar andamento às obras. Temos uma visão muito clara sobre os procedimentos e as dificuldades que enfrentamos para efetivar as ações. Como gestores públicos, nosso papel é encontrar soluções para apresentar resultados e essas reuniões fazem parte desse esforço”, afirmou Fábio Miranda, superintendente da 7ª SR. 

 

Fonte: Ascom
cidades@cidadeverde.com

Imprimir