Cidadeverde.com
Política

Henrique Pires diz que saída da Funasa 'faz parte' e garante continuidade de projetos

Imprimir

 

Após confirmada sua saída da presidência da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Henrique Pires tratou de tranquilizar prefeitos que firmaram convênios com a entidade no Piauí e afirmou que os projetos não serão descontinuados. Em entrevista no Jornal do Piauí desta sexta-feira (21), Pires também comentou a decisão de Michel Temer em exonerá-lo e atribuiu isso ao jogo político: "faz parte". 

"Indicação política, nós estamos sempre prontos para assumir novos e para sair. Faz parte", disse Henrique Pires, que usou uma expressão popular para afirmar que já está acostumado a situações como essa: "já estou passado na casca do alho". 

Henrique Pires declarou que conseguiu trazer 17% do orçamento da Funasa para o Piauí. "Isso é um recorde que eu espero que alguém um dia bata". 

Fora da Funasa, o ex-presidente da fundação afirmou que continuará trabalhando junto ao Palácio da Alvorada em busca de verbas para o Piauí e garantiu que as parcerias firmadas com prefeituras e associações estão mantidas. "Não haverá interrupção, não haverá corte. Nós vamos estar trabalhando mais próximo do presidente Temer para buscar recursos na Funasa e em outros órgãos".

Por falar em Michel Temer, Henrique Pires demonstrou que a saída da Funasa não estremece sua relação com o PMDB, que cedeu vaga no governo para que o PTN indique o novo gestor da fundação. "Todos sabem que sou um soldado do presidente. Já ajudamos em outra oportunidade o partido e vamos estar próximos, sim". 

O discurso reforça a recusa do convite feito pelo deputado federal Silas Freire para assinar a ficha de filiação do PTN. "Eu acho que essa minha vida e história no PMDB não comportava que eu mudasse de partido. Nem que isso fosse para manter um cargo", declarou. 

Henrique Pires citou ainda que o PMDB continua com muitos cargos relevantes no Governo Federal. "Mais importante do que cargo é você ter ações para levar para o município e para o estado", concluiu. 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Imprimir