Cidadeverde.com
Esporte

Atlético-PR vence Católica e se classifica; Chape vence Lanús e segue vivo na Liberta

Imprimir

Foi com muita emoção! Em um jogo "maluco", o Atlético-PR venceu a Universidad Católica-CHI por 3 a 2 nesta quarta-feira, em Santiago, e se classificou para as oitavas de final da Copa Libertadores.

O Furacão terminou na segunda colocação, atrás do San Lorenzo-ARG, que venceu e eliminou o Flamengo com um gol nos acréscimos.

Diferentemente do imaginado, o time brasileiro não aceitou ficar atrás no início da partida e criou duas boas chances em menos de dez minutos. Logo aos 2, Grafite chutou rasteiro, mas foi travado pela zaga e a bola acabou em escanteio. Seis minutos depois, em jogada parecida, o atacante novamente viu Maripan chegar bem na hora do chute para evitar o gol.

Com 13, em boa troca de passes pela direita, Pablo ajeitou dentro da área para Sidcley chutar e o zagueiro tirar na pequena área. Aos poucos, o time paranaense começou a aproveitar a posse de bolar e usar as laterais para infiltrar ou cruzar bolas na área.

Aos 16, Santiago Silva cabeceou para fora. Pouco depois, o centroavante recebeu por baixo por trás da zaga e chutou por cima do travessão.

A melhor chance rubro-negra veio aos 29. Em trama pela esquerda entre Pablo e Sidcley, únicos que tentavam algo ofensivamente, o ala foi até o fundo e cruzou para Nikão, que vinha de trás e bateu forte em cima de Tosseli.

Quando estava melhor em campo, entretanto, o Furacão sofreu o golpe. Com 35, o time chileno trocou passes nas entrelinhas da marcação atleticana e Silva, de frente e dentro da área, bateu de bico no canto direito de Weverton: 1 a 0.

Na volta do intervalo, o cenário seguiu o mesmo. A Católica mantinha a bola e esperava falhas do time brasileiro para infiltrar. Com 8, a equipe chilena trocou passes com facilidade na área, Buonanotte bateu de frente, a bola desviou na zaga e só parou no travessão. Aos 24, Fuenzalida foi quem bateu em cima de Weverton, em lance muito parecido, com a zaga olhando o adversário tocar a bola e não dando o combate.

O Furacão, com as entradas de Carlos Alberto, Eduardo da Silva e Douglas Coutinho, tentou então colocar a bola no chão e achar espaços para buscar a igualdade. E deu certo. Aos 31, o meio-campista fez grande jogada pela esquerda e cruzou para o croata cabecear no cantinho de Tosseli. 1x1.

O resultado, por outro lado, ainda não servia. E, cinco minutos depois, a equipe atleticana conseguiu a virada. Nikão, no meio, tocou para Coutinho, que saiu em velocidade e, na saída do arqueiro, tocou por baixo. 1 a 2. Mas, na sequência, o castigo quase jogou tudo fora. Com 39, Noir girou em cima da zaga e mandou no ângulo. 2x2.

A noite de loucura não acabou e reservou ainda mais um gol para o time brasileiro. Aos 41, Jonathan rolou para Carlos Alberto, na entrada da área, bater colocado, em um bonito gol. 2 a 3. No fim, um pouco de sufoco e classificação.

O triunfo suado garantiu o Atlético-PR nas oitavas de final da competição, com 10 pontos - a mesma do San Lorenzo-ARG, mas com saldo menor de gols. O sorteio acontecerá na próxima semana.

Chapecoense vence Lanús fora de casa e segue vivíssima na Liberta

Acostumada com vitórias épicas, a Chapecoense protagonizou mais uma na noite desta quarta-feira. Na Argentina, o Verdão do Oeste venceu o Lanús por 2 a 1, com gols marcados por Wellington Paulista e Luiz Otávio. Sand, de pênalti, descontou para os mandantes. 

Com o resultado, o time de Vagner Mancini chegou aos sete pontos e está em terceiro no grupo 7. Os argentinos têm a mesma pontuação, mas um saldo 
melhor (5 a -3). Os catarinenses definirão a vaga na próxima terça-feira, em casa, com o Zulia, praticamente eliminado, e uma vitória basta. Caso empate, a Chape precisa secar o Lanús. 

O Granate começou melhor e obrigou o terceiro goleiro da Chape, Jandrei, a fazer um milagre logo no primeiro minuto. Passado o susto inicial, o Verdão passou a alternar momentos de organização defensiva e boas saídas no contra-ataque com pressão nos argentinos. A Chapecoense, inclusive, terminou o primeiro tempo com uma finalização a mais (5 a 4). 

O Lanús voltou a dar trabalho aos 19, com Sand batendo por cima do gol. Apesar disso, foi a Chape quem abriu o placar, com Wellington Paulista, cinco minutos mais tarde. Reinaldo encontrou Arthur Caíke, que foi à linha de fundo e cruzou bem para o camisa 9 se antecipar e marcar seu primeiro gol na competição. 

Os atuais campeões argentinos responderam com Sand, mais uma vez. Luiz Antônio foi mais esperto e tirou na pequena área. A primeira etapa ainda teve um chance claríssima desperdiçada por WP9, sozinho perto da marca da cal. 

As duas equipes voltaram para o segundo tempo com a mesma postura, mas com caras novas. A Chape trocou Moisés Ribeiro por Moisés Gaúcho e o Lanús tirou Silva para lançar Toledo. As duas substituições, no final do primeiro tempo, aconteceram por causa de lesões. 

Apesar do equilíbrio do início da primeira etapa, o Lanús cresceu gradativamente no segundo tempo e o gol do empate parecia maduro. E foi o que aconteceu, aos 34.

Em uma cobrança de escanteio, Wellington Paulista coloca a mão na bola e cometeu pênalti . Sand cobra e converte: 1 a 1. WP9 quase colocou tudo por água abaixo e foi de herói a vilão. Quase pois a Chape encontrou forças para desempatar, aos 43 com Luiz Otávio. Ele cabeceou após Reinaldo cobrar lateral na área. 


Fonte: Yahoo

Imprimir