Cidadeverde.com
Esporte

Homem alemão ameaça matar filho de Schumacher e exige mais de R$ 3 milhões

Imprimir

Um homem alemão tentou extorquir a família de Michael Schumacher e ameaçou matar o filho mais velho do ex-piloto, Mick, de 17 anos de idade. De acordo com o jornal inglês "The Daily Mail", o decorador identificado como Huseyin B. exigiu cerca de R$ 3,3 milhões da esposa do heptacampeão de Fórmula 1, Corinna.

Mick Schumacher, filho do heptacampeão de F1 - Reprodução

"Se eu não receber o dinheiro antes de 31 de março, seus filhos serão assassinados de uma maneira ou de outra. Na Fórmula 4, há muitos acidentes...", disse o chantagista, em um e-mail enviado à Corinna Schumacher . O homem fez referência à categoria automobilística na qual Mick compete.

Em seguida, as autoridades suíças foram acionadas e uma investigação policial foi aberta para encontrar o alemão. No entanto, segundo informações do tribunal, no próprio e-mail, Huseyin B. enviou seus dados pessoais e de conta bancária, facilitando assim a descoberta do autor das ameaças.

Preso, o chantagista admitiu o crime mas o advogado de defesa disse que apesar de ter planejado, ainda não há explicações para o feito. O homem de 25 anos foi condenado a 21 meses em liberdade condicional e ainda deverá pagar uma multa de cerca de R$ 16 mil. Além disso, terá de cumprir 50 horas de serviços comunitários e participar de terapias. 

O mistério permanece

Recentemente, Sabine Kehm, porta-voz da família de Schumi, disse que o estado de saúdo do ex-piloto é assunto privado e pediu que os fãs ajudassem e respeitassem o direito de manter sigilo absoluto. "Só assim poderemos transformar um evento trágico, que afeta toda a família Schumacher, em algo positivo", explicou a assessora.

Schumacher sofreu um gravíssimo acidente de esqui em dezembro de 2013 nos alpes franceses. Depois de ficar muito tempo internado em coma, ele segue a recuperação em casa, na Suíça, e recebe acompanhamento 24 horas por dia de uma equipe de médicos e fisioterapeutas. 

Entretanto, ninguém tem acesso ao heptacampeão da Fórmula 1 . Na época, o diretor da estação de esqui onde ocorreu o acidente, Christophe Gernignon-Lecomte, chegou a dizer que a lesão sofrida "não era grave".


Fonte: IG

Imprimir