Cidadeverde.com
Geral

Risco durante a gestação pode ocorrer em qualquer idade, alerta especialista

Imprimir


Advogada Brenda com as filhas e o esposo (Foto:arquivo pessoal)

Por motivos profissionais ou pessoais, a gravidez tardia, a partir de 35 anos, tem sido cada vez mais comum entre as mulheres. O avanço da idade acentua a possibilidade de possíveis problemas gestacionais e é um risco tanto para a mãe quanto para o bebê, mas mulheres de qualquer idade podem ter problemas durante a gestação.

Segundo o médico obstetra Valdir Brito os problemas de saúde podem aparecer mesmo antes da gravidez e outras aparecem durante a gestação. “A hipertensão é um dos fatores que mais preocupa. Quando a mulher já apresenta problemas de pressão alta mesmo sem estar gestante, a gravidez se caracteriza de risco, por isso o pré-natal deve ser acompanhado para não causar a pré – eclampsia e suas complicações, que é o maior motivo de preocupação em uma gestação de mulheres hipertensas. Ela acomete 1 mulher em cada 1.500 casos no Brasil”, explica.

A gravidez de risco nem sempre é causada por problemas de saúde materna pré-existente. Algumas mulheres podem apresentar o risco por outros fatores, como gestação de gêmeos ou múltiplos. “Isso porque o útero está sobre uma condição diferenciada, pois ele foi projetado para um bebê por vez, e quando há dois, três e algumas vezes mais fetos, a gestação se torna delicada obrigando ao médico o máximo cuidado com a gestante”, diz o obstetra.

A advogada Brenda Alencar conta enfrentou o risco desde a 16ª semana de gestação de trigêmeas e que teve que parar a vida para suas filhas nascerem. “Como seguir as orientações médicas, não tive grandes intercorrências durante a gestação. Mas tive que ficar praticamente deitada até elas nasceram e tomando as devidas medicações. Levei a gestação até a 34ª semana. Nasceram prematuras, mas saudáveis, ficaram em observação apenas para ganhar peso”.

Mulheres com gravidez de risco devem fazer exames constantemente. Enquanto em uma gravidez considerada normal, a mulher faz cerca de cinco ultrassons, uma gestação de alto risco pode fazer cerca de 10, 12 por gestação. Exames de sangue são feitos à cada 2 meses assim como os de urina. 

Toda mulher que pensa em engravidar deve aderir a uma dieta equilibrada e evitar hábitos nocivos como tabagismo e o excesso de álcool. Fora isso, o acompanhamento médico personalizado e atencioso desde o início da gestação permite o diagnóstico precoce de pré-eclâmpsia, diabetes e hipertensão gestacionais. “Essa detecção precoce diminui os riscos de saúde tanto para a mãe quanto para o bebê, além de evitar um parto prematuro”, conclui o Valdir.

Cuidados

Na gravidez de alto risco é importante seguir as recomendações e orientações do obstetra. Desta forma, alguns cuidados que a gestante de alto risco deve ter durante a gravidez incluem:

  • Visitar o obstetra regularmente
  • Não consumir bebidas alcoólicas e tabaco
  • Cumprir o repouso
  • Controlar o peso
  • Tomar os remédios prescritos pelo obstetra
  • Além destes cuidados, é também importante que a grávida de alto risco saiba identificar os sinais de trabalho de parto prematuro, pois o risco de entrar em trabalho de parto antes do tempo é maior nestes casos

 
Da Redação
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir