Cidadeverde.com
Entretenimento

Antônia Fontenelle abre sua casa do Rio de Janeiro para revista

Imprimir

Por Raquel Pinheiro; fotos: Fábio Cordeiro/Ed. Globo


No jardim, sua parte favorita da casa, Antônia aproveita os momentos de lazer com o filho, Salvatore 


Desde que chegou ao Rio, na década de 1990, Antônia Fontenelle queria morar em uma casa com um belo jardim. Mas só em março de 2015 a atriz e apresentadora encontrou o tão sonhado espaço, em um condomínio da Barra. O imóvel de dois andares é, hoje, lar de Antônia, de 43 anos, e do filho Salvatore, de 1, da relação com o ex, o funkeiro e empresário Jonathan Costa, de 23. É também onde ela grava entrevistas para seu canal no YouTube: pelo sofá da sala passaram Caio Castro e Ticiane Pinheiro, entre outros. “Quando me separei, até pensei em mudar, mas sou feliz aqui. Amo meu jardim”, diz.


Com quatro quartos, sendo três suítes, o espaço volta e meia recebe Samuel, de 21, que ela teve com o ator Fernando Almeida, e Maitê, de 5, da união de Jonathan com Vanessa Tauil, sócia de Antônia em uma loja de aluguel de roupas de festa. “Por isso, meu closet é enxuto. Quando preciso de vestido para um red carpet, pego lá”, explica. A visita mais esperada é de Charlote, 5 meses, filha de Samuel com Sabrina Tabil, de 25, e xodó da avó coruja.

 

Por causa das crianças, Antônia tirou a mesa de centro da sala e vai colocar grade na escada e tela na piscina, usada no verão, assim como a banheira de hidromassagem do jardim. Já a churrasqueira quase não é acesa. “Sou muito preguiçosa para essa função churrasco. Jonathan é que fazia”, diz ela, que aproveitou os móveis do apartamento anterior. “Só não eram meus o rack da televisão e a mesa”, conta a atriz, que tem um quadro da artista plástica Beatriz Milhazes na parede.

 


Com tema de pipas, o quartinho de Salvatore foi trabalho da arquiteta Milena Miranda 

O quadro de Beatriz Milhazes foi presente de um amigo e foi danificado no canto inferior direito durante uma mudança 

O aparador da sala tem foto de Samuel, filho mais novo e de Antônia no Carnaval: “Devo desfilar de novo ano que vem. Estou magra, mas sem bunda. Vai ser dureza recuperar para a avenida”, diz ela 

Antônia faz jus ao nome de sua peça – #Sincericídio, em cartaz no Rio – e assume que decoração não é seu forte. “Não sei muito fazer composições”, ri ela, que deixou o quarto do filho nas mãos de uma arquiteta. O menino vai com a mãe quando ela viaja com o espetáculo. “A peça tem sido minha catarse. Precisava me desafiar ou ia mergulhar naquela coisa de mãe e avó e me isolar. E teve separação, briga na Justiça”, diz Antônia, referindo-se ao processo de Jonathan para definir o valor de pensão e a guarda de Salvatore.

 

“Sofri com minhas separações, mas com Jonathan não. Sempre soube das traições dele. Pensava: ‘É um menino de 21 anos, quem mandou?’”, lembra. “Mas só me senti traída quando tomou essa decisão (a de ter entrado na justiça)”, desabafa. Apesar da mágoa, ela diz que os dois se dão bem. Jonathan até visitou o filho enquanto QUEM estava no local. Ela acredita que a razão do relacionamento foi espiritual. “Nós tínhamos que ter esse filho. Nenhuma criança vem com pais que não tenha que vir”, afirma.

A garrafa de areia foi presente do diretor Marcos Paulo, com quem foi casada 

No sofá, Antônia recebe famosos para seu programa no YouTube. Ela também brinca com o filho no tapete

A piscina vai ganhar tela, pois Salvatore já engatinha e está quase andando

No closet, poucas roupas: “Não sou consumista”, diz Antônia, que não curte o papel de parede do quarto, original da casa

 

Sozinha desde dezembro, Antônia jura que não busca um amor. “Nunca fiquei tanto tempo só. Beijo na boca até rolou, mas nada que dê vontade de algo mais. Não sei se é essa fase mãe. E mulher forte assusta”, pondera, listando as qualidades de um possível namorado. “Tem que ter bom senso e bom caráter. O resto é lucro. Mas, a não ser que seja uma paixão fulminante, vou ser seletiva, porque não tenho mais idade para pequenez”, avisa ela, que nas redes sociais recebe carinho dos fãs e ódio dos haters.

 

“Quando estava grávida, por já ter passado dos 40, muita gente foi cruel. Entravam nos meus posts para dizer que meu filho ia morrer, que eu ia abortar”, revolta-se. Mas, na internet e nas ruas, ela também recebe amor. “As pessoas dizem que admiram minha garra e que se inspiram em mim, porque sabem que nada veio fácil”, conta, emocionada. “Às vezes, passo por situações em que fico com pena de mim, mas não gosto desse lugar na vida. Sou uma pessoa muito pé no chão. As coisas não caem do céu. Tudo que eu vivo, como dar uma entrevista ao Jô Soares ou uma viagem para fora, eu sabia que aconteceria, porque batalhei para aquilo. Eu me orgulho de mim”, diz. 

 

 

 

 

Fonte: Quem

Imprimir