Cidadeverde.com
Viver Bem

Câncer de testículo: Quanto antes descobrir, melhor!

Imprimir

O jogador Ederson, do Flamengo, passou por uma cirurgia para a retirada de um dos testículos e a colocação de uma prótese. Ele foi diagnosticado recentemente com um tumor na região. O caso do atleta teve repercussão nacional e acendeu uma luz vermelha sobre um tipo de câncer ainda pouco divulgado pela imprensa. Trata-se do câncer do testículo. Para piorar ainda mais, os homens que têm o problema podem não apresentar nenhum sintoma até o agravamento da doença. Por isso mesmo, é preciso fazer consultas regulares ao urologista.

O urologista Giuliano Aita, referência na especialidade, explica que quanto mais cedo você diagnosticar um tumor nessa região, mais eficaz será o tratamento.” Os tumores de testículo têm uma grande capacidade de multiplicação de suas células, o que pode levar à uma rápida disseminação da doença e atinge indivíduos ma  fase de maior a atividade sexual e reprodutiva”, diz o especialista.

Ele lembra que os principais sintomas do câncer de testículo são: 

- Nódulo ou inchaço no testículo:
- Na maioria dos casos de câncer de testículo, os homens têm um nódulo indolor em um dos testículos ou podem perceber o testículo aumentado ou inchado. O nódulo pode causar dor ou não.

- Crescimento ou dor na mama.

- Em casos raros, os homens notam a região mamária dolorida ou aumentada. 

- Puberdade precoce: Alguns tumores podem produzir hormônios sexuais masculinos. Os tumores produtores de andrógenos não provocam quaisquer sintomas específicos em homens, mas em meninos podem provocar sinais de puberdade, como o crescimento de pêlos faciais e corporais em uma idade precoce.


Giuliano Aita lembra que os sintomas do câncer de testículo avançado, quando ele se dissemina para outros órgãos, costumam ser dores na parte inferior das costas, falta de ar, dor torácica, tosse e expectoração de sangue (caso os pulmões sejam afetados). "Lesão ou inflamação nos testítulos podem produzir sintomas semelhantes ao do câncer", diz. Sobre o tratamento, o médico esclarece que depende do estágio em que a doença se apresenta. Pode ser cirurgia, associada ou não à quimioterapia e à radiotepia. O ideal é descobrir logo o problema, quando ele está confinado ao testículo. Além disso, ele reforça que como a causa não é conhecida, não existem maneiras seguras de prevenção. Os tratamentos para combater o câncer de testículo podem induzir à infertilidade. Por essa razão, é recomendável, antes de começar qualquer tratamento adicional, colher esperma para armazenamento nos bancos de esperma (criopreservação).

Imprimir