Cidadeverde.com
Esporte

Botafogo enfrenta o Nacional para continuar fazendo história na Libertadores

Imprimir

Não seriam botafoguenses os torcedores que estivessem 100% confiantes numa classificação do Alvinegro no Estádio Nílton Santos hoje à noite, às 19h15, contra o Nacional do Uruguai. 

Mas esse time já demonstrou repetidas vezes que, se há algo que sabe fazer, é se superar — assim foi desde o ano passado, quando, sob o comando de Jair Ventura, o time saiu da 17ª colocação para a Libertadores. E assim tem sido em 2017, desde a partida contra o Colo-Colo.

Hoje, a superação nem é tão necessária: o time só precisa do empate para passar de fase. Se perder por 1 a 0, o jogo vai para os pênaltis. Qualquer outra derrota por um ou mais gols de diferença elimina o Alvinegro. Talvez o desafio maior desta vez seja justamente lidar com as altas expectativas impostas pela performance do time até agora.

Uma classificação leva o time para as quartas, ponto mais alto do clube na Libertadores desde 1973. Se passar, enfrenta o Grêmio, que bateu ontem o Godoy Cruz por 2 a 1.Também amplia um recorde que o Botafogo já bateu: melhor campanha simultânea na Copa do Brasil e na Libertadores. O anterior era de 1996, quando foi eliminado nas oitavas em ambas.

As maiores dúvidas estão no gol e na lateral direita. Jefferson e Gatito foram relacionados, mas ontem, em entrevista coletiva, Jair não quis revelar quem será o titular.

A lateral é uma novela à parte. Émerson Santos, que negocia para sair do Botafogo, sequer foi relacionado. Com Arnaldo machucado, Luís Ricardo e Marcelo disputam posição, com um leve favoritismo para o primeiro.


Fonte: Extra

Imprimir