Cidadeverde.com
Geral

Falha no poço tubular prejudica abastecimento de água na Evangelina Rosa

Imprimir

Uma falha no abastecimento de água na Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER) gerou grande desconforto aos pacientes e profissionais do local. O fato ocorreu ontem (17). De acordo com a direção da MDER, foi detectado um problema na vazão do poço tubular da Casa, o que causou uma redução considerável no fornecimento de água. 

Em nota, a diretoria também informou que uma empresa especializada já esteve no local para providenciar reparos técnicos na bomba submersa que deverá ser retirada e substituída. Apesar dessa falha, ela garantiu que não houve a suspensão total do abastecimento de água, e sim uma redução no seu fornecimento. 

Além disso, a MDER ressaltou “que paga mensalmente um valor considerável de água e que a Companhia de Abastecimento não está suprindo a necessidade da Casa. Por isso, a diretoria da Evangelina Rosa está solicitando a revisão no fornecimento de água para que seja verificado se o defeito é externo ou interno”, destaca a nota. 

A Águas de Teresina, responsável pela destribuição de água em Teresina, informa – também em nota - que “o abastecimento de água tratada no bairro Ilhotas, onde está localizada a Maternidade Dona Evangelina Rosa, está operando normalmente e destaca que a falta d'água no hospital se deu em razão de problema interno da Maternidade Dona Evangelina Rosa, que por escolha própria, utiliza um poço particular para atender suas principais atividades”.  

A nota destaca que “a gerência de operações da Águas de Teresina visitou o hospital e verificou que a bomba do poço particular está com operação comprometida. Para minimizar os transtornos, a subconcessionária disponibilizou carros-pipa para atender a unidade de saúde”. 
 
A empresa reforça ainda que há disponibilidade de água em qualidade e quantidade adequadas para abastecer a maternidade.  

"A Águas de Teresina ressalta que já apresentou à direção da Maternidade Dona Evangelina Rosa proposta de abastecimento exclusivo via rede de distribuição de água tratada, visando a preservação da saúde dos usuários daquela unidade pois. Conforme a legislação, as edificações permanentes urbanas devem estar conectadas às redes públicas de abastecimento de água e essa instalação hidráulica predial não pode ser alimentada por outras fontes", finaliza a nota.


Carlienne Carpaso
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir